Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
José Lins do Rego: Características
Características das obras de  José Lins do Rego <ul><ul><li>1º ano B </li></ul></ul><ul><li>Profº: Gilsa Elaine </li></ul>...
Contexto da época <ul><li>“ Um motor que só funcionava bem queimando bagaço de cana” </li></ul><ul><li>Semana da Arte Mode...
Início Modernista <ul><li>“ Francesismo” </li></ul><ul><li>Imitação afetada do estilo francês, sendo Zé Lins um de seus op...
Os ciclos em torno do engenho <ul><li>1º Ciclo: Cana-de-açúcar </li></ul><ul><li>Retrata a temática de decadência do ciclo...
<ul><li>2º Ciclo: Cangaço, Misticismo e Seca </li></ul><ul><li>Seu significado sociológico está na história do cangaço no ...
<ul><li>3º Ciclo: Obras independentes </li></ul><ul><li>Apresentam temas diferentes e diversificados, com lutas proletária...
Estilo e Forma  <ul><li>O que singulariza José Lins do Rego: </li></ul><ul><li>Características da situação histórico-socia...
Anseios da Coletividade <ul><li>“ O verdadeiro escritor deve ser uma força de seu tempo, deve participar da vida do povo e...
Aspectos   Autobiográficos e Ficção <ul><li>Sua força artística estaria na “sinceridade” da transposição de fatos históric...
Obras Fogo Morto (1943) Usina (1936) Menino de Engenho (1932)
<ul><ul><li>Meus Verdes Anos (1956) </li></ul></ul>Banguê (1934) Pureza (1937)
Conclusão <ul><li>A obra romanesca de José Lins do Rego teve características: </li></ul><ul><li>Memorialistas </li></ul><u...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Jose lins do rego: Caracteristicas

49,831 views

Published on

Jose lins do rego: Caracteristicas

  1. 1. José Lins do Rego: Características
  2. 2. Características das obras de José Lins do Rego <ul><ul><li>1º ano B </li></ul></ul><ul><li>Profº: Gilsa Elaine </li></ul><ul><li>Grupo: </li></ul><ul><li>Amanda Barbosa </li></ul><ul><li>Bianca Silva </li></ul><ul><li>Carolina Gomes </li></ul><ul><li>Matheus Córdula </li></ul><ul><li>Raquel Zárate </li></ul>
  3. 3. Contexto da época <ul><li>“ Um motor que só funcionava bem queimando bagaço de cana” </li></ul><ul><li>Semana da Arte Moderna (1922) </li></ul><ul><li>Realizada no Teatro Municipal de São Paulo, teve como principal propósito criar uma arte essencialmente brasileira. </li></ul><ul><li>Movimento Regionalista </li></ul><ul><li>Uma visão alternativa do Brasil. Busca uma maior inserção da literatura nos problemas do seu tempo. Em oposição ao classicismo, o romance regionalista, sempre dialoga com o presente, denuncia suas mazelas, envolve-se nas grandes questões sociais. </li></ul>
  4. 4. Início Modernista <ul><li>“ Francesismo” </li></ul><ul><li>Imitação afetada do estilo francês, sendo Zé Lins um de seus opositores. Porém ele muda sua opinião ligando-se a ideia de Renovação Literária do Modernismo </li></ul><ul><li>Primeiro livro: Menino de Engenho(1932) </li></ul><ul><li>Concretização estética da linguagem popular, uma linguagem primitivista e autenticamente brasileira. </li></ul>
  5. 5. Os ciclos em torno do engenho <ul><li>1º Ciclo: Cana-de-açúcar </li></ul><ul><li>Retrata a temática de decadência do ciclo da cana-de-açúcar.Também pode existir romances de realismo social, diferenciando-se das narrativas anteriores. </li></ul><ul><li>Principais Obras: Menino de Engenho, Doidinho, Banguê, O moleque Ricardo, Usina e Fogo Morto. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>2º Ciclo: Cangaço, Misticismo e Seca </li></ul><ul><li>Seu significado sociológico está na história do cangaço no nordeste brasileiro, intimamente ligada à história do patriarcalismo. Nesse ciclo, José Lins se aproxima dos escritores do grupo nordestino </li></ul><ul><li>Obras: Pedra Bonita e Cangaceiros </li></ul>
  7. 7. <ul><li>3º Ciclo: Obras independentes </li></ul><ul><li>Apresentam temas diferentes e diversificados, com lutas proletárias, lirismo erótico e memorialismo. </li></ul><ul><li>Obras: O moleque Ricardo, Pureza, Água Mãe, Riacho Doce, Eurídice e Meus verdes anos. </li></ul>
  8. 8. Estilo e Forma <ul><li>O que singulariza José Lins do Rego: </li></ul><ul><li>Características da situação histórico-social de sua região; Linguagem de forte oralidade; recordações da infância com registros da vida de pessoas da região; </li></ul><ul><li>Forma/Estilo </li></ul><ul><li>Ordem direta; sujeito claro; segue o estilo utilizado no jornalismo. </li></ul>
  9. 9. Anseios da Coletividade <ul><li>“ O verdadeiro escritor deve ser uma força de seu tempo, deve participar da vida do povo e caminhar com ele. Um escritor não pode viver afastado do povo” </li></ul><ul><li>Francisco de Assis </li></ul>
  10. 10. Aspectos Autobiográficos e Ficção <ul><li>Sua força artística estaria na “sinceridade” da transposição de fatos históricos para ficcionais. Teria para outros mais “memória” que “invenção”. Entretanto a transposição de um fato real para o plano artístico não ocorre sem deformação. Quanto mais artística for a autobiografia mais ela se afastara dos fatos. Em José Lins do Rego, a “memória” torna-se mais artística pela coerência do seu trabalho. </li></ul>
  11. 11. Obras Fogo Morto (1943) Usina (1936) Menino de Engenho (1932)
  12. 12. <ul><ul><li>Meus Verdes Anos (1956) </li></ul></ul>Banguê (1934) Pureza (1937)
  13. 13. Conclusão <ul><li>A obra romanesca de José Lins do Rego teve características: </li></ul><ul><li>Memorialistas </li></ul><ul><li>Linguagem popular </li></ul><ul><li>Decadência do patriarcalismo </li></ul><ul><li>Ciclo da cana-de-açucar </li></ul>

×