Resistencia a antimicrobianos de Sorogrupos de E. coli (relatório final)

3,742 views

Published on

Resultado final do experimento sobre resistencia a antimicrobianos de sorogrupos de E. coli.
Trabalho apresentado na semana de iniciação científica da UFT

Published in: Health & Medicine, Technology
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,742
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7
Actions
Shares
0
Downloads
31
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Resistencia a antimicrobianos de Sorogrupos de E. coli (relatório final)

  1. 1. Introdução Escherichia coli • Bacilo Gram-negativo • Família Enterobacteriaceae • Uma das mais antigas bactérias simbiontes do homem e dos animais – Microbiota intestinal • Inofensiva...?
  2. 2. Introdução E. coli e saúde pública • Patogenicidade – Oportunistas – Estirpes diferentes* • Índice de coliformes termotolerantes na água • Diarréia do turista
  3. 3. Introdução E. coli – principais grupos patogênicos • EPEC (E.coli enteropatogênica)* – Causam diarréias não sanguinolentas – Primeiros estudos epidemiológicos 1920 e 1930 • ETEC ( E.coli enterotoxigênica): – Diarréia do turista, • EIEC (E.coli enteroinvasiva): – Úlceras e inflamação da mucosa intestinal • EAEC (E.coli enteroagregativa): – semelhantes às da ETEC". • STEC (E. coli produtora de toxina Shiga)* – Sindrome Hemolítica urêmica
  4. 4. Introdução Caracteristicas Clínicas e Epidemiológicas • Reservatório – Animais de sangue quente • Período de incubação – Nove a dez horas (adultos) • Modo de transmissão – fecal-oral; • mãos, • objetos e alimentos (carne crua) contaminados com fezes. • Susceptibilidade e resistência – afeta crianças em período de desmame, • Diagnóstico – Sorologia • Tratamento – Terapia de hidratação – Nos casos severos podem ser administrados antibióticos – Não usar antibiótico para o tratamento das STEC.
  5. 5. Introdução Uso de Antibióticos • Antibióticos mais utilizados no tratamento das diarréias causadas por E. coli – Penicilina – Cefalosporinas – Quinolonas – Estreptomicina – Ácido nalidixico – Ampicilina – Cefalotina – Ciprofloxacina – Gentamicina – Levofloxacina – Nitrofurantoina – Sulfazotrim*
  6. 6. Objetivos • Patógeno emergente • Difícil tratamento • Perfil dos antibióticos • Antibióticos na produção animal – Benefícios?
  7. 7. Metodologia • Coleta das amostras no frigorífico – Antes da oclusão do reto – Swabs estéreis – Aleatória • Tocantins • Pará
  8. 8. Metodologia • Semeadura em ágar McConkey – Foram avaliadas 20 amostras* – Semeadura por estrias – Escolha de 5 colônias isoladas • Testes bioquímicos: - “Triple Sugar Iron” (TSI) - Teste do Citrato de Simons
  9. 9. Metodologia • Ágar sangue base
  10. 10. Metodologia • Sorologia – Soros polivalentes Probac® • Polivalente A • Polivalente B • Polivalente C • Monovalente O157
  11. 11. Metodologia • Antibiograma – Inoculação em caldo BHI – Semeadura em ágar Mueller Hinton – Técnica de difusão de discos
  12. 12. Metodologia • Antibióticos testados: – Amoxiciclina + ácido clavulânico – Amicacina – Ampicilina – Aztreonam – Cefaclor – Cefalotina – Cefalexina – Cefazolina – Ciprofloxacina – Clorafenicol – Eritromicina – Estreptomicina ‾ Gentamicina ‾ Imipenem ‾ Lomefloxacina ‾ Levofloxacina ‾ Meropenem ‾ Ácido nalidíxico ‾ Nitrofurantoína ‾ Norfloxacina ‾ Penicilina ‾ Ácido pipemídico ‾ Sulfazotrim ‾ Tetraciclina
  13. 13. Resultados e Discussão – Escolha de 5 colônias isoladas no MacConkey – Lactose positivas – Morfologia das colônias: • róseo-avermelhada • pequenas a médias • arredondadas e opacas
  14. 14. • Testes bioquímicos – Citrato • Negativas – “Triple-Sugar-Iron” (TSI) • Ácido • Formação de gás • Sem produção de ácido sulfídrico Resultados e Discussão
  15. 15. Resultados e Discussão
  16. 16. Resultados e Discussão • Das 71 amostras testadas (235 cepas) – 42 cepas positivas para EPEC – Nenhuma positiva para O157:H7
  17. 17. Resultados e Discussão • Dos 24 antibióticos testados... – 100% de resistência: • Eritromicina • Penicilina • Ácido pipemídico – Apresentaram maior resistência: • Gentamicina (75%) • Cefalotina (65%) • Estreptomicina (51%) • Amicacina (47,5%) • Lomefloxacina (43%) • Cefaclor (31%)
  18. 18. Resultados e Discussão – Perfil de resistência x Gentamicina (75%) Cefalotina (65%) Estreptomicina (51%) Amicacina (47,5%)
  19. 19. • 72% de Cepas multirresistentes (RANGEL & MARIN, 2009) • 22% de Cepas sensíveis a todos os ATBs (RANGEL & MARIN, 2009) Resultados e Discussão – Perfil de resistência
  20. 20. Resultados • Colônias resistentes • Presentes em 32 cepas – Cefaclor – Cefazolina – Amicacina – Ampicilina – Aztreonam – Cefalexina – Clorafenicol – Nitrofurantoína – Norfloxacin – Ácido Pipemídico – Sulfazotrim
  21. 21. Resultados • Maior sensibilidade – Imipenem – Meropenem – Levofloxacina
  22. 22. Resultados e Discussão – Perfil de sensibilidade
  23. 23. Resultados e Discussão • 100% das amostras EPEC são multirresistentes • Nenhum dos fármacos testados obteve 100% de sensibilidade
  24. 24. Resultados e Discussão Por quê?!
  25. 25. Discussão • Larga utilização de antibióticos na produção animal –Combate à doenças –Controle –Prevenção –Crescimento –Prescrição indiscriminada Causam...Causam...
  26. 26. Discussão • Produção de enzimas que destroem o fármaco ativo • Alvo estrutural alterado para o fármaco • Via metabólica alternativa, – Se desvia da reação inibida • Elaboração de uma enzima modificada – Desempenha sua função metabólica – Menos afetada pelo fármaco
  27. 27. Conclusão  Existem alternativas de tratamento para E. coli enteropatogênica  A resistência vem aumentando com o passar do tempo  Necessário o uso consciente dos antibióticos.
  28. 28. Obrigada ^_^

×