Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Somos todos merdas

182 views

Published on

Dramaturgia textual

Published in: Art & Photos
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Somos todos merdas

  1. 1. Somos todos merdas Por Monique Carvalho Personagem: MULHER (Mulher com a perna engessada) Mulher – É. Eu quebrei a perna. Nota-se, não é mesmo? Eu quebrei a cara. Isso não dá pra notar. Só dá para sentir. Sou uma merdinha simpática. E é isso que dá ser uma merdinha sorridente e feliz. Quem dera eu fosse só uma merdinha, ou só simpática, ou nenhuma das duas opções. Eu observo muito. Eu observo tudo. E de tudo que já observei conclui que quebrar a cara é a honra dos bons. Os egoístas não quebram nada, não se humilham, não se desculpam, não se envolvem. Porque o envolvimento também é honra dos bons. QUERO ARRANCAR TANTA COISA DE MIM. Primeiro de tudo quero arrancar esse gesso maldito e esse sorriso forçado, por uma falsa simpatia, da cara quebrada. Eu não estou bem. E quem é que percebe? Ninguém. Sou pura paz. Sou pura lua. Sou pura tortura. Me sinto incapaz de me tornar a mulher dos meus sonhos. A fortaleza impenetrável. A desejada, amada, idolatrada. Mas por enquanto estou quebrada por dentro e por fora. Uma fonte uma vez me disse ter visto a pessoa com quem eu costumava sair com outra pessoa. Não acreditei. Jamais a pessoa que eu tanto amava faria algo tão cruel. E mais uma vez a merdinha foi simpaticamente boba. A pessoa que a gente ama é a que mais nos decepciona. Uma lição importante que aprendi na vida. Quer outra lição importante? Não vá atrás dessa pessoa depois, pois ao invés de amor, você pode levar um gesso pra casa e viver um inferno por isso. O carro não estava em alta velocidade, mas eu estava tão distraída e ausente de mim mesma que não vi quando ele vinha. Foram 5 pontos na testa e alguns dias internada com hemorragia interna. A perna? Minha última visita no hospital foi a pessoa que eu menos esperava. Ele? Não. Foi a amante. Sim. Veio me dizer para não ir atrás do que era dela. Mas o que era dela, era meu, era… era das duas. Deixei-a falando sozinha no quarto e sai de lá. A perna foi na escada do hospital. Satisfeitos? Só um conselho não deixe que merdas piores que você tentem estragar seu dia, pois essas merdas podem estragar muito mais que o seu dia. Queria não pensar, não lembrar. Pra quê existe a memória? Para nos lembrar que todos não passam de merdas, mas nem todas as merdas são simpáticas como eu. E olha que eu não estou no meu melhor dia. Melhor começar a sorrir, daqui a pouco pode entrar alguém.
  2. 2. (Batem na porta. Mulher respira fundo e um sorriso vai crescendo muito lentamente em seu lábio. Blackout).

×