Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Dorme dor

274 views

Published on

Dramaturgia textual

Published in: Art & Photos
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Dorme dor

  1. 1. Dorme dor Por Monique A. Carvalho Personagem: SAMARA (Um sofá e um abajur. Samara dorme no sofá) SAMARA - Febre. Delírio. Minha cabeça dilata a cada palavra dita. A multidão acelera os passos e leva minha respiração. Se eu chorar você fica? Mas não fala nada. Hoje eu não consigo ouvir. Só a presença me basta. As vozes me congelam. Minha mente está em contagem regressiva permanente. Sou uma bomba relógio. Sou uma bomba. Eu posso explodir em mil pedaços a qualquer momento. Sorria pequena turbulenta, dizia minha mãe. Não chora, criança mimada. Este era meu pai. Minha cabeça doía. Dói há muito tempo. Devora meus pensamentos. E nada consegue se estabelecer na minha mente. A luz me incomoda. Arde nos meus olhos cada variação. Este abajur, por exemplo, precisa estar com a iluminação exata para não arder meus olhos e refletir na minha cabeça. Tudo dói. Cada vértebra da minha mente. Cada neurônio do meu corpo. Tudo explode. Riso Boca Dentes Gargalho A solução para as dores que eu encontrei. Sorria e ninguém saberá. Sorria e disfarce para si toda a dor. E deixe-se explodir. Que exploda a cabeça, o corpo. Que tudo se exploda! Esta é a receita. Minha mãe e eu cozinhávamos com frequência. Eu mantinha um caderninho com as nossas delícias. Nunca fui boa cozinheira, mas aprendi o básico. Fugia das aulas. Cantava no pátio. Assim não doía. Posso cantar uma canção agora? Ou depois. Posso manter os olhos abertos. Posso sorrir e dizer que tudo está no seu devido lugar. E está. Minha cabeça ainda dói. Se eu sorrir passa. Se eu dormir passa. (Dorme)

×