Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Dias depois

320 views

Published on

Exercício textual proposto a partir do conto A Missa do Galo de Machado de Assis.

Published in: Art & Photos
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Dias depois

  1. 1. Dias Depois Por Monique A. Carvalho Personagens: HOMEM MULHER (Luz baixa. Há uma mesa no centro com uma cadeira, onde uma mulher magra e muito branca se encontra sentada e dormindo com os braços estirados sobre a mesa. Um homem entra com ar autoritário. Traz uma xícara de café bem quente em uma mão e uma pasta na outra. A mulher não acorda. O homem se aproxima sem discrição, coloca a xícara sobre a mesa, olha a mulher com curiosidade e abre a pasta procurando algo. A mulher se mexe com suavidade, mas não acorda. O Homem olha sua xícara ao lado da mulher, para de folear o conteúdo da pasta e dá quatro batidas na mesa.) HOMEM – Acorda! (impaciente) Eu não tenho todo o tempo do mundo! (Mulher se mexe um pouco mais e suavemente) HOMEM – Vamos! MULHER – (ergue a cabeça muito sutilmente e olha para o homem) Já começou? HOMEM – Já começou sim e você precisa esclarecer umas coisas. (pausa) Só para confirmarmos. Seu nome? MULHER – Conceição. HOMEM – Casada? (Mulher olha fixamente o homem sem responder) HOMEM – Exatamente onde queremos chegar. A senhora foi vista por um vizinho com um homem dentro de sua casa na madrugada do dia 25. Estou me fazendo compreender? (A mulher nada responde e continua a olhá-lo fixamente com as mãos sobre os joelhos) HOMEM – Este homem parece ter passado um período de tempo na sua casa, mas naquela noite, segundo nossas fontes, a senhora passou dos limites da compostura e… (A mulher cruza as pernas sem tirar os olhos do homem. O homem olha as pernas brancas da mulher e desvia o olhar). HOMEM – Seduziu um jovem de 17 anos. MULHER – Como o Sr. Tem a ousadia de insinuar uma coisa como essa? (Mulher se levanta bruscamente da cadeira e apoia as mãos na mesa comprimindo os seios no decote) O meu marido não vai gostar dessas insinuações, ainda mais desses olhares que o Sr. está me dando. Estou ficando constrangida.
  2. 2. HOMEM – (incrédulo) Por favor, senhora! Vamos voltar às perguntas. MULHER – (aponta para a xícara de café) Posso? (Homem confirma com a cabeça e volta a olhar para a pasta) HOMEM – Aqui diz que seu marido faleceu na madrugada de ontem enquanto dormia. MULHER – (Pegando a xícara e assoprando o café sem tirar os olhos do homem) Como? (Se exalta) Ele era um bom homem. (Acalme-se repentinamente) Felizmente teve o que merecia: uma morte tranquila. HOMEM – É por isso que a senhora está aqui hoje. Devido ao seu histórico com esse jovem e ao seu relacionamento com seu marido, tudo indica que a senhora esteja envolvida neste caso. (Mulher calmamente leva a xícara à boca e por um reflexo a afasta) MULHER – Aih! (geme) Queimei meu lábio. Aih! Está muito vermelho? (Se aproxima do homem e lhe mostra os lábios) HOMEM – (Atordoado) Não está lin.. normal. MULHER – Obrigada! Minha mãe está aqui? HOMEM – Sua mãe foi liberada, senhora. MULHER – Que bom! Minha mãe não é mais uma jovenzinha que suportaria situações tão constrangedoras como essa. Nem eu sou mais jovem.. HOMEM – Como assim, senhora? MULHER – Senhora… (Abaixa os olhos segurando a xícara com as duas mãos) e viúva (triste). Preciso saber quem fez isso com meu marido! HOMEM - Perdão, senhora. Vamos solucionar este caso o mais rápido possível. (A mulher sorri deslumbrante. O homem a olha com admiração) HOMEM – Quando chegamos a sua casa, a senhora estava atordoada e tomou vários comprimidos antes de nos acompanhar. MULHER – Eu não sou tão forte. (A mulher começa a chorar segurando a xícara). HOMEM – Se acalme, senhora. (Coloca a pasta sobre a mesa e tenta tirar a xícara da mão da mulher. MULHER – (com as mãos dele sobre a sua, o olha e sorri) Obrigada.
  3. 3. (O homem para por um instante e desvia o olhar de seu rosto, olhando para baixo em direção aos seios). MULHER – (Ainda em contato com o homem) Há dois quadros que meu marido gostava muito, ambos são de mulheres vulgares. Eu não vou conseguir e nem quero mais olhar para eles na minha parede. O senhor gosta de quadro de mulheres? HOMEM – (Desconcertado tira a xícara das mãos da mulher e toma um gole do café) Droga! MULHER – Eu disse que estava quente.

×