Apresentacao gt agricultura urbana e educacao escolar v16set2011

2,177 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,177
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,003
Actions
Shares
0
Downloads
21
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentacao gt agricultura urbana e educacao escolar v16set2011

  1. 1. Grupo de Trabalho Agricultura Urbana e Educação alimentar
  2. 2. Ponto de Partida: Mapeamento das iniciativas em agricultura urbana do municipio. Iniciativa: Levantamento inicial: Dezembro 2010 – Abril 2011
  3. 3. Mapeamento PRODUÇÃO CULINÁRIA HORTAS HORTOS QUINTAIS AGROFORESTAS AGRICULTORES COMPRAS COLETIVAS FEIRAS AGROECOLÓGICAS FORNECIMENTO DE REFEIÇÃO/PRODUTO FORMACAO DIVULGAÇÃO CONSUMO Foco: hortas escolares Apoio: Secret. Munic. de Educação Consumo Culinária Produção
  4. 4. <ul><li>Mapeamento </li></ul>Total: 199 iniciativas Descobrimos: Grande riqueza de ações, experiências pouco conhecidas e isoladas. Agricultores Assessoria Pesquisa Formação Consumo Tipo de Iniciativa Total 16 11 Culinária 5 Quintais Urbanos Hortos/ Agroflorestas Hortas Institucionais Hortas Escolares Hortas Comunitárias 17 4 42 82 12 10
  5. 5. <ul><li>Criação de um Grupo de Trabalho em Agricultura Urbana e Educação Alimentar, vinculado à Câmara Temátia 1 do Consea, relacionada à Segurança Alimentar nas estratégias de desenvolvimento </li></ul>Desdobramentos
  6. 6. <ul><li>Ainda desdobramento: 5 oficinas 1ª Oficina: Compostagem </li></ul>Local: Restaurante Universitário da UFRJ Data: Fev/2011 A Compostagem está no início e no final do “ciclo do alimento”: é o adubo para a terra e o destino final do lixo orgânico . Oficina bastante procurada, demonstrando o interesse que este tema desperta.
  7. 7. <ul><li>1ª. Oficina - Compostagem </li></ul><ul><li>Três experiências apresentadas </li></ul>Revolução dos Baldinhos: demonstração do método de compostagem utilizado em Florianópolis, que possibilita reaproveitar todo o lixo orgânico. Nucleo de Educação Ambiental (10ª. Cre): exposição sobre os diferentes métodos de compostagem, possibilidades para fazer o composto nas escolas. Horta do Anil: experiência de trabalho do Hortas Cariocas, voltada para a comunidade.
  8. 8. 1ª. Oficina - Compostagem Alimentação <ul><li>O lanche foi providenciado pelo restaurante universitário, que apresentou sua experiência. Teve um papel pioneiro para estruturar uma feira agroecológica na Universidade, visando futuramente abastecer o restaurante. A feira existe, com sucesso e foi organizada por professores e alunos da Universidade e agricultores da baixada/região serrana. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>2ª Oficina: Hortas Escolares </li></ul>Local: Colegio Pedro II (Realengo) Data: Março/2011 Incluiu visita e exposição da experiência em agricultura urbana do Colégio Pedro II, que tem uma horta, experiência de arborização e está implantando um herbário.
  10. 10. 2ª Oficina - Hortas escolares Apresentações <ul><li>Apresentação de </li></ul><ul><li>Elisabeth Ribeiro Silva </li></ul><ul><li>sobre sua tese de </li></ul><ul><li>mestrado sobre a </li></ul><ul><li>temática de hortas </li></ul><ul><li>Escolares. </li></ul>Apresentação do histórico das hortas nas escolas municipais, contribuições e obstáculos encontrados. Apresentação do Programa Saúde na Escola e possiveis interações com o GT, com o Consea e com a temática de Segurança Alimentar e Nutricional.
  11. 11. <ul><li>2ª Oficina: Hortas Escolares </li></ul><ul><li>Alimentação </li></ul>Primeiro lanche promovido pelos integrantes: cada um trouxe um alimento agroecológico.
  12. 12. <ul><li>3ª Oficina: Consumo Consciente e Educação Alimentar </li></ul>Local: INAD – Instituto Annes Dias Data: Abril/2011 Incluiu visita à horta do INAD, dinâmica de educação do gosto
  13. 13. Ecochefs do Slow Food Rio, apresentaram a “Educação do Gosto, como uma proposta para o consumo consciente”, dinâmica de educação do gosto. Apresentação da Rede Ecológica enfatizou a importância do papel dos consumidores e a compra como um ato politico. Inad (Instituto Anne Dias) apresentou a alimentação escolar, dispositivos legais, e suas contribuições para este assunto no Rio de Janeiro. 3ª. Oficina - Consumo Consciente e Educação Alimentar Apresentações
  14. 14. 3ª. Oficina - Consumo Consciente e Educação Alimentar Alimentação <ul><li>Novamente um lanche auto-gerido no refeitório do Inad, sempre com contribuições muito interessantes dos participantes </li></ul><ul><li>Uma jovem da zona oeste trouxe aipim </li></ul><ul><li>Infelizmente ninguém registrou este momento! </li></ul>
  15. 15. <ul><li>4ª Oficina: Agricultura urbana: Contribuições e Desafios </li></ul>Local: Escola Carioca de Agricultura Familiar, Pedra de Guaratiba Data: Maio/2011 Apresentadas três experiências da prefeitura : Rio Hortas, Hortas Cariocas e ECAF E uma da sociedade civil: ONG AS-PTA .
  16. 16. <ul><li>4ª Oficina - Agricultura urbana : </li></ul><ul><li>Contribuições e Desafios </li></ul>Programa Rio Hortas (Fundação Parques e Jardins) , criado na Eco-92, à, voltado para transformar espaços ociosos da cidade em locais produtivos. Em 2011 encontra-se praticamente paralisado Hortas Cariocas (Secretaria de Meio Ambiente) apóia hortas comunitárias e escolares. Priorizam áreas da cidade subutilizadas, e pleitos comunitários.
  17. 17. <ul><li>Agricultura urbana: Contribuições e Desafios </li></ul>A ECAF foi criada em 2005, ate 2009 desenvolveu o projeto Hortas Comunitárias, focalizando na formação de hortelãos. Passou a ser um centro de capacitação e difusão da agricultura familiar/urbana para a população, com o objetivo de estimular os cultivos na cidade e com foco na inclusão produtiva dos alunos. ONG Aspta, iniciadora da Rede de Agricultura Urbana, fortemente na zona oeste, incentivando plantio nos quintais mobilizando a própria comunidade.
  18. 18. 4ª Oficina: Agricultura urbana Alimentação <ul><li>A ecochef Teresa Corção, do Instituto Maniva junto com 4 senhoras da ECAF, estiveram a cargo da Alimentação com produtos do Hortas Cariocas e contribuições trazidas pelos participantes. </li></ul>
  19. 19. <ul><li>5ª Oficina: Políticas Públicas para a Agricultura Urbana e Educação Alimentar </li></ul>Local: Associação Terrapia Fundação Oswaldo Cruz Data: Junho/2011 Primeiro momento: Exposição sobre o que é uma política pública, como é elaborada e executada, como pode mudar, abordado de uma forma muita clara pelo pelo Leonardo Melo da Fiocruz Mata Atlântica. Segundo momento:Exercício de leitura da temática do GT no Orçamento Municipal do Rio de Janeiro de 2011.
  20. 20. 5ª Oficina: Políticas Públicas Alimentação <ul><li>Lanche de alimento vivo no Terrapia, entidade pertencente à Fundação Oswaldo Cruz. </li></ul><ul><li>Hortas Cariocas contribuiu com produtos das hortas. Foram comidos germinados e frutas. </li></ul>
  21. 21. <ul><li>5ª Oficina - Políticas Públicas para a Agricultura Urbana e Educação Alimentar </li></ul>Embora tenhamos avançado bastante nas trocas de experiência e num diagnóstico da realidade da agricultura urbana no municipio, estamos longe de ter uma proposta estruturada de politica pública para o município em relação a Agricultura Urbana e Educação Alimentar. Pretendiamos fazer um exercício de formulacão de uma politica publica com base nas experiências das oficinas...mas Ficou um gostinho de “Quero mais”
  22. 22. Resultados – Documento de sistematização com questões para a III COMSAN <ul><li>A grave situação dos agricultores e o desmonte de programas como o Rio Hortas e a ECAF são exemplos do descaso da prefeitura com a agricultura no município. </li></ul><ul><li>Existe agricultura no Rio de Janeiro, mas ela não é reconhecida. </li></ul><ul><li>O plano diretor do município não reconhece a existência de áreas rurais. </li></ul>
  23. 23. <ul><li>O ambiente urbano é rico em residuos orgânicos e a compostagem ajuda a resolver o problema do lixo. </li></ul><ul><li>A compostagem “faz a terra” para o plantio de hortas. </li></ul><ul><li>Compostagem tem papel pedagógico para compreensão do ciclo do alimento. </li></ul><ul><li>Poucas escolas realizam compostagem, por falta de acompanhamento técnico. </li></ul><ul><li>Politicas e projetos de apoio e fomento para a divulgação e implantação da compostagem. </li></ul><ul><li>Articula ção com centros de pesquisa e forma ção . </li></ul><ul><li>Aproveitamento dos restos de folhas e grama retirados dos parques e jardins da cidade </li></ul><ul><li>Criar e divulgar canais de integração entre a Comlurb e agricultura urbana. </li></ul><ul><li>Divulgar e ampliar propostas como a “moeda orgânica” </li></ul>Oportunidades e desafios COMPOSTAGEM Propostas
  24. 24. <ul><li>Papel pedagógico das hortas escolares. </li></ul><ul><li>Diversidade na situação de espaço fisico entre as escolas. </li></ul><ul><li>O trabalho de agricultura nas escolas foi desmontado, atualmente só voluntário e sem recursos. </li></ul><ul><li>Falta de apoio para formação de professores. </li></ul><ul><li>Falta de assistência técnica. </li></ul><ul><li>Incentivo de parcerias e intercâmbios entre iniciativas das escolas e de agricultura urbana </li></ul><ul><li>Ter projetos e programas com alocação de recursos. </li></ul><ul><li>Buscar formas permanentes de integração das políticas publicas voltadas para a agricultura urbana e a educação, integrando ações das diferentes secretarias. </li></ul>Oportunidades e desafios HORTAS ESCOLARES E INTEGRAÇÃO COM A AGRICULTURA URBANA Propostas
  25. 25. <ul><li>Existência de experiências sendo realizadas </li></ul><ul><li>Poucas integração entre as hortas escolares e a culinária, assim como da alimentação escolar com a agricultura urbana. </li></ul><ul><li>Na alimentação escolar: muito já se avançou, mas há coisas a melhorar: horário da merenda é problemático; infra-estrutura de algumas escolas é precária, falta de merendeiras e baixos salários. </li></ul><ul><li>Dificuldade em implantar o PAA </li></ul><ul><li>Estimular uma maior articulação entre as iniciativas de consumo, culinária e educação do gosto da sociedade civil com as escolas e a alimentação escolar. </li></ul><ul><li>Estimular a alimentação como espaço educativo e de educação para o consumo. </li></ul><ul><li>Apoiar e fortalecer as estratégias de promoção da alimentação saudável. </li></ul>Oportunidades e desafios CONSUMO CONSCIENTE E EDUCACAO ALIMENTAR Propostas
  26. 26. <ul><li>Criar mecanismos que permitam o fornecimento de alimentos produzidos pela agricultura urbana para a alimentação escolar. </li></ul><ul><li>Lutar para que os lanches e a alimentação de todos os encontros, seminários e reuniões relacionadas às temáticas de saúde, segurança alimentar e nutricional, sejam comprados da agricultura familiar e de preferência agroecológicos. </li></ul><ul><li>Incentivar o acesso aos mercados pela agricultura urbana e periurbana, com ampliação de feiras. </li></ul><ul><li>Discutir e flexibilizar exigências da Vigilância Sanitária que dificultam ou impedem a comercialização de alimentos artesanais. </li></ul><ul><li>Estruturar uma Secretaria Municipal de Abastecimento e Agricultura, que favoreça estes processos. </li></ul>CONSUMO CONSCIENTE E EDUCAÇÃO ALIMENTAR Propostas
  27. 27. <ul><li>Inexistência de uma Secretaria Municipal de Abastecimento. </li></ul><ul><li>Programas da prefeitura (ECAF e Rio Hortas) de apoio a espacos urbanos para a produção de alimentos estão parados ou muito enfraquecidos. </li></ul><ul><li>Reativação dos trabalhos de Rio Hortas e de ECAF. </li></ul><ul><li>Avaliação do sistema de bolsas e pagamentos para hortelões e para cursos dos programas da prefeitura </li></ul><ul><li>Mudanças na legislação que regulamenta a DAP para incluir a realidade da Agriculturbana/agricultura familiar nas grandes cidades e regiões metropolitanas. </li></ul>Desafios Agricultura no municipio do Rio de Janeiro Propostas
  28. 28. Planejamento 2º. semestre 2011 2. Retomar reuniões com as pessoas que participaram das pré-conferencias, apresentando o filme da “Campanha contra os agrotóxicos e pela vida” buscando discutir alternativas do ponto de vista da segurança alimentar. <ul><li>Reunião com a Emater do município, visando cobrar emissão de DAPs, levantamento dos produtos que podem ser vendidos para a alimentaçao escolar e completar o mapeamento com os agricultores da cidade. </li></ul>
  29. 29. Planejamento 2º semestre 2011 3 . Out/2011 - Oficina sobre a experiência da Sub-secretaria de Segurança Alimentar de Betim-MG, que tem um trabalho de integração da agricultura urbana com a segurança alimentar. 4. Nov/2011 - Oficina complementar à de política pública e orçamento, buscando aprofundar as propostas de políticas para fortalecimento da agricultura no município.
  30. 30. Planejamento 2º semestre 2011 5. Produção de roteiro para o programa na série Cidade Inteligente da Multirio, que abordará experiências e questões levantadas pelo GT.
  31. 31. Planejamento - 2012 <ul><li>Tendo em vista a Rio + 20, Organizar em abril-maio/2012 um Seminário sobre Agricultura Urbana, que dê visibilidade à pesquisas e experiências sobre o assunto. </li></ul><ul><li>Realizar atividade relativa ao tema da Agricultura Urbana durante a Eco 92+ 20. </li></ul>
  32. 32. <ul><li>Bibi Cintrão – núcleo Santa Teresa </li></ul><ul><li>Miriam Langenbach – núcleo Urca </li></ul><ul><li>Monica Chiffoleau - núcleo Recreio </li></ul>ELABORAÇÃO

×