Unidade i organização e conceito de sistemas

1,417 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,417
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
37
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Unidade i organização e conceito de sistemas

  1. 1. Professor: João LeiteDisciplina: Sistemas de ProduçãoCurso: Graduação em Engenharia de Produção 1
  2. 2. Apresentações • Professor • Alunos 2
  3. 3. Avisos • Horário de início das aulas – 15 min • Necessidades fisiológicas - livre • Celulares - silencioso • Abono de faltas – professor • Reposições - 1 3
  4. 4. Objetivo Geral Apresentar os principais conceitos e classificações de sistemas de produção, procurando estabelecer uma relação entre a função produção e as demais funções gerenciais de uma empresa; promover a compreensão de que a gestão da produção é uma área de oportunidades para a empresa desenvolver várias competências e, dessa forma, elevar seus níveis de competitividade. 4
  5. 5. Ementa Unidades: 1. Organização e Conceito de Sistema – Teoria Geral dos Sistemas; 2. Conceito, função e objetivos dos Sistemas de Produção; 3. Estratégia da Produção; 4. Sistemas de Produção: Bens x Serviços; 5. Projeto em Gestão da Produção; 6. Arranjo Físico e Fluxo; 7. Novas técnicas e ferramentas tecnológicas de gestão de operações e as suas principais influências nos sistemas de produção; 8. Melhoramento da Produção; 5
  6. 6. Avaliações 1° Estágio (prova) • Unidades 1, 2 e 3. 2° Estágio (prova) • Unidades 4, 5 e 6. 3° Estágio (projeto) • Unidades 1, 2, 3, 4, 5 e 6. 6
  7. 7. Bibliografia recomendada- CONTADOR, J. C. ( Coord). Gestão de operações. São Paulo,Fundação Carlos Alberto Vanzolini, 1997.- MOREIRA, D. A. Administração da produção e operações.São Paulo, Pioneira, 1993.- SEVERIANO FILHO, C. Produtividade & manufaturaavançada. João Pessoa, Editora Universitária/Edições PPGEP,1999. - SLACK, N, et al. Administração da produção. São Paulo, Atlas,2009. - TUBINO, D. F. Manual do planejamento e controle daprodução. São Paulo, Atlas, 1997. 7
  8. 8. IntroduçãoOs exemplos abaixo podem ser considerados comosistemas? 8
  9. 9. Conceito de Sistema Um conjunto de elementos, dinamicamente relacionados, formando uma atividade para atingir um objetivo, operando sobre dados/energia/matéria para fornecer informação/ energia/ matéria. (CHIAVENATO, 1983) Conjunto de partes interrelacionadas (subsistemas) que tem o objetivo de transformar inputs (entradas), através de um processo, em outputs (saídas), com maior resultado e rendimento individual, quando comparados com os elementos constituintes do sistema principal. 9
  10. 10. Logo, todo sistema é composto de subsistemas e todo sistema é parte integrante de um sistema maior.Na prática -----> as organizações almejam a inter-relação harmônicadesses subsistemas para assegurar que programações sejam cumpridas,padrões sejam obedecidos e recursos sejam usados de forma eficaz paraque as necessidades dos clientes sejam atendidas! 10
  11. 11. 11
  12. 12. 12
  13. 13. • FINANÇAS 13
  14. 14. Prover os recursos necessários à produção e ao funcionamento dos setores de apoio• FINANÇAS 14
  15. 15. Transformar os insumos em bens e serviços• FINANÇAS 15
  16. 16. Suprir o negócio de MO adequada a partir do recrutamento, alocação e treinamento. Participar da negociação salarial e sindical. Gerenciar programas voltados a motivação e valorização dos recursos• FINANÇAS 16 humanos.
  17. 17. Manter a disponibilidade de máquinas e equipamentos necessários a execução da função produção. Criar políticas de manutenção que garantam menor custo, maior disponibilidade, confiabilidade, eficiência e conformidade.• FINANÇAS 17
  18. 18. Planejar o que deve ser produzido, sua melhor sequência, sua quantidade e o tempo adequado. Prover os insumos necessários à execução do plano de produção. Controlar a função produção para garantia do cumprimento do planejado.• FINANÇAS 18
  19. 19. Gerar e manter a demanda para os produtos da empresa, buscando a satisfação do cliente (política de preços e qualidade). Desenvolver novos mercados e produtos potenciais.• FINANÇAS 19
  20. 20. Obter recursos financeiros e controle de seu uso. Analisar oportunidades de investimentos, buscando fazer com que a organização opere no lucro. Influenciar na decisão pela escolha de equipamentos, uso de horas extras, política de controle de custos e decisões de preços de venda.• FINANÇAS 20
  21. 21. 21
  22. 22. Teoria Geral dos SistemasTeoria - Ação de examinar,contemplar, estudar, etc. ?É um mapeamento para aobservação de umfenômeno. Geral - pode ser aplicada a todo tipo de sistema. Precisamos desenvolver 22
  23. 23. Origem da Teoria Geral dosSistemas Origem nos trabalhos de Ludwig publicados em 1950 e 1968 para entender fenômenos biológicos. Tem caráter interdisciplinar (Biologia, Filosofia, Engenharia...). Na teoria geral dos sistemas a ênfase é dada à inter-relação e inter-dependência entre os componentes que formam um sistema que é visto como uma totalidade integrada, sendo impossível estudar seus elementos isoladamente. Não adianta ter o melhor barco a vela se o velejador não souber acompanhar a brisa que sopra no mar!!! 23
  24. 24. Origem da Teoria Geral dosSistemas Os componentes de um sistema podem exercer papéis totalmente distintos quando juntos ou isolados. Por exemplo, a água é diferente do hidrogênio e do oxigênio que a constituem. Hidrogênio é inflamável. Oxigênio acelera o processo de combustão! A água apaga o fogo! 24
  25. 25. Origem da Teoria Geral dosSistemas 25
  26. 26. Objetivos 26
  27. 27. Na prática...Vai mudar algo?Tem a visão “de um todo” do negócio?Qual o impacto dessa mudança para osistema como um todo?Os impactos positivos superam osnegativos no resultado global?Pensou bem nisso antes de executar? 27
  28. 28. O engenheiro precisa conhecer todo oNa prática... sistema, os subsistemas e como eles se relacionam! O engenheiro deve entender as interfaces destes! VIVENCIAR E MAPEAR SÃO FUNDAMENTAIS! VÁ AO GENBA 28
  29. 29. Classificação dos sistemas quanto àsua natureza Sistemas Abertos: apresentam relações de intercâmbio com o ambiente, por meio de entradas e saídas. Sistemas Fechados: não apresentam intercâmbio com o meio ambiente que os circunda, sendo assim não recebem nenhuma influência do ambiente e por outro lado não influenciam. Não recebem nenhum recurso externo e nada produzem que seja enviado para fora. Ex: A matemática é um sistema fechado, pois não sofrerá nenhuma influência do meio ambiente, sempre 1+1 será 2. 29
  30. 30. Relação causa x efeito (entrada/saída) Sistemas abertos: funcionam sob relações desconhecidas e mantêm um intercâmbio complexo e indeterminado com o meio ambiente. Portanto, há diversas entradas e saídas, não muito bem conhecidas e determinadas, sendo, por isto, denominados de probabilísticos; Sistemas Fechados: funcionam sob relações predeterminadas. Determinadas entradas produzem exatamente determinadas saídas. Logo são denominados de determinísticos. 30
  31. 31. O Sistema efetua trocas de energia e de matéria O Sistema efetua trocas de energia com ocom o exterior. exterior, mas não efetua trocas de matéria. 31
  32. 32. Classificação dos sistemasquanto à sua constituição Físico ou concreto: quando compostos de equipamentos, maquinaria, entre outras coisas tangíveis. Abstrato: quando compostos por conceitos, planos, hipóteses e idéias que muitas vezes só existem no pensamento das pessoas (conceitos, planos, idéias, software). Qual deles é objeto de estudo da EP? Complementariedade? 32
  33. 33. Componentes básicos de umSistema (parei aqui) Desejadas Indesejadas CANAL REVERSORetroação é o mecanismo segundo o qual uma parte da saída de um sistema volta à entrada.A retroação serve para comparar a maneira como um sistema funciona em relação ao padrãoestabelecido para ele funcionar.Quando ocorre alguma diferença entre ambos, a retroação se incumbe de regular a entrada paraque a saída se aproxime do padrão estabelecido.Por exemplo: VERIFICAR O PONTO DE UM BOLO. 33
  34. 34. Componentes básicos de um SistemaEntradasFeijãoÁgua Processo SaídasVerduraCarnes Cozinhar a FeijoadaCondimento feijoada prontaTempoEnergiaTécnicaConhecimentoFogãoCozinheiro Verificação do ponto da feijoada 34
  35. 35. Componentes básicos de um SistemaEntradasFeijãoÁgua Processo SaídasVerduraCarnes Cozinhar a FeijoadaCondimento feijoada prontaTempoEnergiaTécnicaConhecimentoFogãoCozinheiro Verificação do ponto da feijoada 35
  36. 36. Componentes básicos de umSistema Entrada é o que o sistema importa do meio ambiente para ser processado. Em geral, composto por substantivos. Podem ser: dados: permitem planejar e programar o comportamento do sistema (conhecimentos, técnicas, etc); energias de entrada: permitem movimentar e dinamizar o sistema (máquinas, pessoa, etc); materiais: são os recursos a serem utilizados pelo sistema para produzir a saída (itens explícitos de entrada, etc). 36
  37. 37. Componentes básicos de umSistemaProcesso é a operação realizada internamente pelosistema;Converte e transforma entradas gerando saídas;Pode sofrer uma divisão lógica de trabalho(diferenciação de atividades) desdobrando-se emvárias partes do sistema (subsistemas) queprecisam trabalhar integradamente para assegurarcoesão e estado firme do sistema. 37
  38. 38. Componentes básicos de umSistemaSaída é o resultado final da operação ouprocessamento de um sistema;Todo sistema produz uma ou várias saídas;Por meio da saída, o sistema exporta o resultadode suas operações para o seu ambiente;Nem todas as saídas são desejadas (resíduos,poluição, defeitos);Exemplos de saídas: Produtos, lucro, pessoas aposentadas, poluição. 38
  39. 39. Conceito de Organização Célula de um organismo vivo – modelo Processos que justificam a correlação entre os representativo para as organizações organismos vivos e as organizações E ELA SÓ É a menor unidade estrutural básica do ser vivo!!! 39
  40. 40. Conceito de Organização Membrana plasmática (ingestão): Regula a entrada e saída de substâncias entre a célula e o meio (nutrientes, produtos, resíduos) . Mitocôndria (casa de força): realiza o processo de extração de energia dos alimentos. Núcleo (suprimento das partes): comanda todas as atividades da célula através das ... instruções contidas nos genes. Processos que justificam a correlação entre os organismos vivos e as organizações 40
  41. 41. Katz & Kahn (1978): organização como sendo umsistema, criado pelo homem, que coexiste einterage dinamicamente com o seu meioambiente, exercendo influência sobre este e, emconcomitância, recebendo sua influência;As organizações podem ser consideras sistemasabertos ou fechados? 41
  42. 42. Seis funções básicas de uma organização:1 - Ingestão – Função que representa a atividade de aquisição de energia e materiais, a fim de que sejam, posteriormente, processados e convertidos em produtos finais (saídas);2 - Processamento – Função que representa a atividade de conversão da energia e da matéria em produtos finais, através do processo de produção;3 - Reação ao ambiente – Resposta da empresa às diversas influências exercidas pelo meio ambiente; 42
  43. 43. 4- Suprimento das partes – As partes integrantes da empresa são supridas por meio de dados de produção, compras, vendas e contabilidade;5 - Regeneração das partes – Função que diz respeito ao fato dos elementos fundamentais de uma empresa poderem ser substituídos por outros;6 - Organização – Nesta função, destaca-se o sistema de comunicação como o principal responsável pela organização das cinco funções anteriormente descritas, bem como pela organização do controle e da tomada de decisões. 43
  44. 44. Fazendo um paralelo com umaempresa... 44
  45. 45. 45
  46. 46. 46
  47. 47. 47
  48. 48. Obsolescência do maquinário,equipamentos quebrados,aposentadorias, doenças,acidentes 48
  49. 49. 49
  50. 50. Exemplo de sistema Entradas: Saídas: • Dados • Energia • Energia • Informação • Informação • Matéria Retroalimentação 50Fonte: CHIAVENATO, 2005
  51. 51. 51

×