Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Aids // Kit para diagnóstico rápido produzido no país

941 views

Published on

Matéria de 19 de novembro do Diário do Nordeste: O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciou na última quinta-feira uma parceria com uma empresa de equipamentos hospitalares para a produção de um kit para o diagnóstico rápido de HIV, rubéola, sífilis, toxoplasmose e hepatite B.

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Aids // Kit para diagnóstico rápido produzido no país

  1. 1. Saúde na mídia Brasília, 19 de novembro de 2011 Diário de Natal - Natal/RN Ministério da Saúde | Alexandre PadilhaAids // Kit para diagnóstico rápido produzido no país BRASILO ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anun- milhões de unidades do equipamento.ciou na última quinta-feira uma parceria com uma "O que torna as empresas daqui atraentes é o fato deempresa de equipamentos hospitalares para a pro- compreenderem como funciona o sistema de saúdedução de um kit para o diagnóstico rápido de HIV, ru- brasileiro", disse o ministro, ressaltando em seguidabéola, sífilis, toxoplasmose e hepatite B. A estratégia que não adianta imitar experiências que deram certofaz parte da Rede Cegonha, que atende gestantes até em outros países, sem entender as peculiaridades na-dois anos após o parto, e pretende economizar R$ 177 cionais. "É decisivo também para a sustentabilidademilhões em cinco anos. Atualmente, o instrumento econômica do SUS. Não podemos ficar dependendousado para teste rápido de sífilis precisa ser im- da oscilação cambial, do mercado internacional",portado. completa Alexandre Padilha.O objetivo do ministério é conseguir aumentar o nú- Equipamentosmero de mães que identificam essas doenças aindano pré-natal e evitar que os bebês tenham sequelas. Também foi fechado um acordo de cooperação téc-"Com essa parceria, vamos conseguir produzir em nica entre a Universidade de Brasília (UnB) e aescala e dar conta da necessidade do Brasil." Como Agência Nacional de Vigilância Sanitáriaexemplo, o ministro citou a sífilis congênita; anual- (Anvisa ). e acordo com o professor responsável pe- Dmente são registrados 19 mil casos. "A sífilis é uma la parceria, Ícaro dos Santos, a UnB ficará res-doença de tratamento fácil. O importante é a detecção ponsável por fazer os testes de segurança e deprecoce para evitar problemas inclusive neu- eficácia para que equipamentos hospitalares, comorológicos no bebê", explica. incubadoras infantis e respirador mecânico, possam pleitear registro na agência reguladora. O laboratórioA tecnologia do kit foi desenvolvida pela Uni- será montado no câmpus Darcy Ribeiro e deve co-versidade Federal do Paraná (UFPR), sob a su- meçar a funcionar em 2014. Ele estará capacitado pa-pervisão do Instituto Carlos Chagas e da Fundação ra testar 35 equipamentos. "A UnB está em umaOswaldo Cruz-Paraná. Ele funciona para essas cin- região política importante, na capital do Brasil, e se-co doenças, mas a tecnologia permite incluir teste de ria muito desconfortável se não estivesseaté 100 enfermidades no mesmo kit, quepodeser usa- comprometida com o desenvolvimento da região edo por até 100 pessoas. Dois milhões de kits do país", celebrou o vice-reitor da UnB, João Batistacomeçarão a ser distribuídos a partir de 2014. A ex- de Sousa.pectativa é de que, em 2019, sejam fabricadas 10Saúde na mídia pg.1

×