Da web 2.0_para_escola_2.0

238 views

Published on

As escolas e os educadores que conseguirem incorporar os princípios da Web 2.0, seus recursos e tecnologias, irão desenvolver uma nova forma de aprendizagem, que envolve colaboração, participação, ativismo e resolução de problemas comuns.
BY COLIN LANKSHEAR AND MICHELE KNOBEL

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
238
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Da web 2.0_para_escola_2.0

  1. 1. From Web 2.0 to School 2.0? BY COLIN LANKSHEAR AND MICHELE KNOBEL APRESENTAÇÃO: MICHEL MONTANDON DE OLIVEIRA
  2. 2. Web 1.0 vs. Web 2.0
  3. 3. Web 1.0 • Ainda seguia o modelo emissor recepitor da mídia de massa. • estática, de propriedade e administrada.
  4. 4. Web 2.0 • Desenvolvimento da web colaborativa. As ferramentas de articulação de redes e publicação de conteúdos se solidificam na internet. • fluida, altamente colaborativa e participativa.
  5. 5. Serviços de weblogging Blogger, LiveJournal
  6. 6. Servidores de compartilhamento de conteúdo - P2P YouTube, Break.com, iStockphoto, Azureus.com
  7. 7. Serviços de Redes Socias Meetup, WAYN,MySpace, Facebook
  8. 8. Wikis e redes colaborativas seed, wiki, FanFiction.Net, Wikipedia
  9. 9. Comércio eletrôico eBay, barter
  10. 10. Ferramentas de busca e agregadores de conteúdo Google, Technorati, Squeet, Bloglines;
  11. 11. Rádios customizáveis Pandora
  12. 12. Mapas, georreferenciamento Google Maps, MapQuest
  13. 13. Viagens Expedia.com, priceline.com
  14. 14. ​​lojas on-line com comentários e recomendações de produtos Amazon.com
  15. 15. A sedução da Web 2.0
  16. 16. + www.google.com/sky
  17. 17. + pt.wikipedia.org/wiki/O_Senhor_dos_Anéis
  18. 18. + coladaweb.com
  19. 19. Web 2.0 e a educação
  20. 20. • Reconhecimento dos saberes • Proeficiência como forma de conhecinto/perícia. • Autodidatismo. • Direito ao reconhecimento sem necessariamente necessitar de um certificado ou diploma. • Outras possibilidades de classificação. • A pró-atividade cotidiana caminha junto do conhecimento tradicional.
  21. 21. Processo = Conteúdo
  22. 22. Modelo padrão (one-size-fits-all) ≠ personalização, customização, flexibilidade, Modularidade
  23. 23. Construção colaborativa Flatclassroonproject.net
  24. 24. Segurança na Web 2.0
  25. 25. Educadores devem reconhecer que as informações contidas na web, provém de fontes das mais diversas possíveis, e por isso mesmo divergem em qualidade.
  26. 26. Opressão • falar com seus filhos sobre o que é bullying; • iniciar conversas sobre como lidar com intimidações; • ajudar a capacitá-los para a autonomia; • denunciar o preconceito; • denunciar a violência gratuita; • Refletir sobre respostas apropriados para conteúdo inapropriado; • Praticar modelos inclusivos; • Praticar modelos de cooperação em vez de competição, • Praticar a paz.
  27. 27. Conclusão
  28. 28. As escolas e os educadores que conseguirem incorporar os princípios da Web 2.0, seus recursos e tecnologias, irão desenvolver uma nova forma de aprendizagem, que envolve colaboração, participação, ativismo e resolução de problemas comuns.
  29. 29. Opinião crítica
  30. 30. • O educador tecelão ( net weaver ) • O educador curador – criando deslocamentos • Memorial ( escuta ) – Linha do tempo Opinião crítica

×