Pqn 17-webmktpolitico-nas-eleic3a7c3b5es-2010

426 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
426
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
19
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Pqn 17-webmktpolitico-nas-eleic3a7c3b5es-2010

  1. 1. INTERNET Redes Sociais nas Eleições 2010: eles ainda não sabem usar! Mau uso das ferramentas online e indiferença em relação ao potencial da internet marcaram o período eleitoral em um ano em que as equipes de marketing dos candidatos ainda privilegiaram a TV e o rádio em suas estratégias para conquistar eleitores. MARCELO SANDER V istas como a redenção do redes sociais: a interação. Atribuíram esquina dê mais voto do que uma marketing político com a eleição às redes sociais uma relevância pessoa respondendo aos eleitores nas de Barack Obama à presidência menor, ou seja, de repetidoras daquilo redes sociais. dos Estados Unidos no ano passado, as que sai na imprensa convencional, redes sociais se tornaram a febre das utilizando scripts ou perfis do tipo Mesmo na divulgação da agenda dos eleições 2010 no Brasil. Todo candidato fake no Twitter, para gerar trendings candidatos majoritários, em nenhum que se preza tem não apenas um site, topics forçados, sem relevância, ou dia se viu um horário destinado a mas Twitter, Orkut, Facebook e canal cooptar e-mails para envio de spams. responder a perguntas dos internautas, no YouTube. Apesar da euforia inicial, Talvez esses profissionais acreditem fosse através do site, Facebook ou o que se percebe é que as equipes que um militante empunhando uma Twitter, com exceção de José Serra, de marketing de alguns candidatos bandeira em uma que dedicou parte de sua tarde para não deram importância a um fator responder a twitteiros através da preponderante nas hashtag #pergunteaoserra. Ou seja: para esses marqueteiros, DBblog do PS a internet ainda não faz parte da agenda oficial, limitando-se a repetir o que já saiu nas mídias convencionais, inibindo a repercussão e viralização de seus discursos online, já que são, em sua maioria, requentados. Roberto Caiafa belo horizonte, região central da capital mineira foi invadida por cavaletes, banners, carro de som, muita sujeira e centenas de militantes de todos os partidos políticos 7
  2. 2. Fernando Cavalcanti Nossa reportagem tentou quase não solicitada de Dilma. “Fazemos que diariamente, durante um mês, monitoramentos diários e geramos contatos via Twitter, site, telefone e até relatórios analíticos segmentados, que pessoalmente com os estrategistas e validam ou redimensionam ações e responsáveis pelo marketing online intervenções nas respectivas redes”, dos principais candidatos à Presidência afirmou o coordenador geral da e ao Governo de Minas. Foi um campanha da candidata Dilma Roussef, verdadeiro calvário por um mínimo de Marcelo Branco. informações que pudesse contribuir na composição desta matéria e um Ele foi chamado para trabalhar na maior entendimento, por parte dos campanha de Dilma por sua experiência (e) leitores, sobre o funcionamento em internet. Branco dirigiu por três de uma campanha que tem (ou, pelo anos, no Brasil, a Campus Party, maior menos, deveria ter) na internet um de evento mundial de web, e até entrar seus principais pilares estratégicos. na campanha presidia a Associação Software Livre e o FISL – Forum O que se viu, porém, foi uma campanha Internacional de Software Livre. “Somos ainda fortemente voltada para a 42 pessoas em todo o Brasil. FazemosbrAnCo, o poder do cidadão de informar e ser TV e o rádio (além dos famigerados um trabalho bastante descentralizadoinformado é cada vez maior, principalmente porque cavaletes em todo canto das cidades). com uma base de coordenação ematualmente os veículos de comunicação não sãomais os donos da informação como eram antes A reportagem da PQN fez testes Brasília e núcleos regionais integrados com os sites e perfis no Twitter dos às campanhas dos nossos candidatosOs números, ao contrário dos políticos, presidenciáveis José Serra, Marina Silva majoritários,” revela o coordenador.confirmam a importância da web. e Dilma roussef e com os candidatosA pesquisa do IBGE divulgada em 8 ao Governo de Minas, Antônio Augusto Para Branco, o poder do cidadão dede setembro mostrou que 41,7% da Anastasia, hélio Costa, zé Fernando e informar e ser informado é cada vezpopulação brasileira acima de dez anos Vanessa Portugal, enviando mensagens maior. “A espinha dorsal da mídia de- o equivalente, em números absolutos, em que solicitava os contatos dos massa foi quebrada. Os veículos dea 67,9 milhões de pessoas - acessam a responsáveis pelas presenças online comunicação não são mais os donosinternet. As estatísticas apresentam um dos candidatos. da informação. Hoje o eleitor tem umcrescimento de 112,9% em relação a papel ativo como formador de opinião,2005. Portanto, é inegável o poder que Interessante observar que a equipe da a partir do poder de crítica em tempoa internet pode ter no resultado de presidenciável Dilma Roussef parece ter real que ele dissemina através das suasuma eleição. absorvido algo da consultoria ministrada redes de relacionamento na internet”, por Ben Self - webmarqueteiro de acredita. E A tAL "ObAMizAçãO"? Obama nas últimas eleições dos Estados Unidos - ao PT no início do ano. Dos UM pOUCO DE SiLêNCiO...Muito se falou - entre o fim de 2009 e o candidatos majoritários com chances EStRAtégiA?meio de 2010 - sobre uma “Obamização” reais de eleição, foi a única equipe adas eleições brasileiras, com forte uso responder a todas as perguntas em um Enquanto a campanha nacionaldas redes sociais, a exemplo do que fez tempo relativamente curto por e-mail responde, a campanha estaduala campanha de Barack Obama. Porém, e até com mensagem personalizada via pouco fala. Apesar da reportagema impressão que fica é que a internet Twitter. As perguntas foram enviadas ter feito contatos via Twitter comna política ainda não vingou no Brasil. após recebimento de uma newsletter Roberto Carvalho (@rvcarvalho13), o redecatedral.com Padre Gilson Apresentador da TV Horizonte 31 3469 2500 e Rádio América
  3. 3. Arquivo pessoalpresidente do PMDB Jovem BrenoCarone (@brenocarone), NilmárioMiranda (@nilmario1331), PatrusAnanias (@patrus_ananias), FernandoPimentel (@pimentelminas) e como perfil @amigosdohelio, além dopróprio candidato Hélio Costa (@heliocosta15), não houve retorno.Durante mais de um mês foram feitoscontatos com jornalistas envolvidosna campanha do candidato aogoverno de Minas, Hélio Costa, quaseque diariamente por e-mail, telefonee mesmo pessoalmente. Mas sem MiChele, poucos candidatos que concorrem à vaga de deputado se mostraram preparados nas redes sociaistanto sucesso. A justificativa paranão dar retorno é que essas eram Para o Comitê, ainda é complexo Por falar em sites oficiais de candidatos,questões estratégicas de campanha. avaliar o retorno que as redes sociais eles são outro exemplo de mau uso daA assessoria de imprensa da proporcionaram à campanha. Como rede. Mesmo antes das mídias sociais,campanha do ex-ministro se limitou são mecanismos de interação a forma mais antiga de interação coma responder: “Hélio Costa gosta muito humana, eles afirmaram ser difícil o usuário, o “Fale Conosco”, só tem essado Twitter. É comum vê-lo twittando quantificar o retorno dessa interação utilidade, pois simplesmente ninguémem um evento. No avião, ele também com o internauta e com o eleitor. Essa responde. Foram enviadas mensagensaproveita para escrever mensagens”, dificuldade de medição, no entanto, para os sites dos presidenciáveis Dilma,disseram. Porém, interagir com o avaliam, não diminui a responsabilidade Serra e Marina, e dos candidatos aoeleitor, que é bom, nada! com as informações que são veiculadas. Governo de Minas Anastasia, Hélio “Mas o que já foi possível observar, Costa, Zé Fernando e Vanessa Portugal.Já o Comitê de Imprensa da Coligação com a campanha na internet, é que o Somente as equipes dos dois últimosSomos Minas Gerais, do candidato e eleitor brasileiro na web é um cidadão responderam via Fale Conosco. Aatual governador de Minas, Antônio bem informado. É uma pessoa que equipe de Hélio Costa, além de nãoAugusto Anastasia, disse que questiona, debate e mobiliza outros responder, ainda utilizou o e-mailuma das principais estratégias de que estão em sua rede a fazer o mesmo. cadastrado no Fale Conosco para fazercampanha na internet foi explorar Os cyber-eleitores demonstram ser bem spam divulgando um “twittaço” queas redes sociais que, embora sejam politizados”, afirmaram os responsáveis ocorreria no dia 14 de setembro com aum novo meio de comunicação, têm pelo Comitê de Imprensa em nota hashtag #HelioMaisPatrus.grande alcance junto à população enviada à revista PQN.brasileira. O candidato mantêm A jornalista e blogueira Michele Amaralperfis no Facebook, Orkut, um canal Já para a assessoria de imprensa do também pesquisou a interação dede vídeos no Youtube, além de um candidato José Serra foram enviados candidatos nas redes sociais, mas comperfil no Twitter, onde ele mesmo mais de 30 e-mails. Por duas vezes a deputados. O resultado foi igualmentefaz seus próprios relatos aos seus resposta foi um link para a biografia do sofrível. Michele diz que a ideia daseguidores e sugere matérias, artigos candidato em seu site oficial, mas nada pesquisa surgiu de uma entrevistae estudos sobre temas que considera sobre o uso das redes sociais durante coletiva dada por deputados naimportantes. toda a campanha. PUC Minas no primeiro semestre de redecatedral.com Léo Rabello Músico e apresentador 31 3469 2500 da TV Horizonte
  4. 4. João Marcos Rosa/Nitro2010. Na ocasião, vários deputadosmencionaram que utilizavam as redessociais. Michele foi averiguar. “Acheiuma boa oportunidade, inclusive, decomeçar a analisar os meus candidatospara a eleição, mas confesso ter ficadodesapontada”, revela Michele, queesperava que as respostas não fossemdos próprios candidatos, mas imaginavaque ao menos a assessoria entrasseem contato. No entanto, apenascinco dos 13 deputados contatadosresponderam.“É muito comum ver candidatosinformando a agenda no Twitter. Issoqualquer um fica sabendo pelo site rAquel, é importante que os candidatos marquem seus territórios para evitar os perfis enganosos , ‘fakes’ou pela mídia tradicional. Mas o queo candidato pensa, o que ele acredita, (CEFET/MG), blogueira e consultora seria suspensa. Pedido de desculpas?como ele avalia sua postura em de mídias sociais. Ela foi vítima de dois Apuração dos responsáveis? Quedeterminado debate? É esse tipo de processos. Um durante as eleições nada...Ficou por isso mesmo!coisa que queremos saber. Queremos de 2006, quando o TRE do Cearásaber pelas redes o que os candidatos ordenou que a jornalista, editora do Segundo Raquel, falta aos candidatosnão falariam na TV”, diz Michele. Para blog TwitterBrasil.org, retirasse do ar a consciência de que a rede éela, se um candidato não responde, ele um perfil falso de uma candidata à ambiente para criar conversações, eestá ignorando não apenas um eleitor, Prefeitura de Fortaleza. Detalhe: o perfil não só para falar do próprio umbigo.mas a todos os que se interessam pelo falso, que não foi criado por Raquel, “De forma indireta, a internet podeassunto questionado. Um bom exemplo estava hospedado no Twitter.com, com fazer diferença no resultado de umafoi o debate online com presidenciáveis sede nos Estados Unidos. A equipe da eleição, principalmente se for para algorealizado pelo UOL em agosto. As candidata confundiu o twitterbrasil.org negativo. Um erro na web conseguemelhores perguntas foram feitas pelos com o Twitter.com. Este ano, a história alcançar uma audiência incrível,internautas. A diferença é que lá, os se repetiu. A equipe da candidata ao enquanto, na maior parte das vezespolíticos tiveram que responder. “Se senado por São Paulo, Marta Suplicy, em que se tem acertos, estes sãoum candidato não vai estabelecer uma ajuizou uma ação para que Raquel divulgados em menor escala”, afirma.conversa, é melhor não participar das retirasse um perfil falso de Marta noredes”, setencia. Twitter. A equipe também confundiu Raquel destaca ainda a importância a responsável pelo Twitter Brasil com a dos políticos marcarem seu território pERfiS fAkES responsável pelo Twitter.com no Brasil para que outra pessoa não crie perfis (função que ainda não existe). Depois falsos e acabe gerando problemas. UmDois exemplos recentes do de perceber o equívoco, replicado com exemplo é o perfil fake @aeciopsdb,desconhecimento das redes sociais grande estardalhaço no próprio Twitter que twitta diariamente e conta compelos políticos são citados pela e também na mídia especializada, quase o dobro de seguidores que ojornalista mineira Raquel Camargo, a candidata twittou afirmando que verdadeiro @aecioneves, que nuncamestranda em Estudos de Linguagens houve um equívoco e que a ação fez um único post no microblog. “Acho redecatedral.com Pachecão Apresentador 31 3469 2500 da TV Horizonte
  5. 5. twitter DoS CAnDiDAtoS, a maioria dos políticos estava presente no microblog, mas a interatividade com os eleitores webque os próprios políticos podem virar foi praticamente nula enquantovítimas, como foi o caso da Marta que nas ruas imperava cavaletes, banners,Suplicy e da tal prefeita no Ceará”, bandeiraslembra Raquel, que criou um “mini-blog” e carros dehttp://eleicoes.raquelcamargo.com em som dos partidosseu site apenas para tratar do tema:Eleições 2010 e as mídias sociais. gRANDES NANiCOSA mesma internet que tira votos dosgrandes pode ser primordial para asobrevivência dos pequenos. Sem muitotempo de TV e rádio e com poucodinheiro para investir na campanha, ainternet, pelo seu baixo custo, passa a nenhumaser uma das principais ferramentas de rede social émarketing. A jornalista Ana Clara Ferrari descartável ouestá no PSTU há três anos e atua na inútil”, acrescenta.campanha da candidata Vanessa Portugalao Governo de Minas Gerais. “A Vanessainterage bastante com os eleitores. A Segundo Ana, asrepercussão do Twitter hoje, na mídia, últimas eleições dos EUAprincipalmente, poupa-nos de qualquer somente ensinaram dois aspectos em parceria com olongo workshop. A candidata também básicos, dos quais o Brasil só assimilou jornal Valor Econômico,anda com um notebook com internet um: a importância da internet e a alguns números sobre a presençae, sempre que pode, twitta. Além disso, necessidade do debate de conteúdo dos candidatos à Presidência norespondemos a todos os eleitores, damos político. “A importância da internet Twitter, apresentando ainda osatenção especial e acompanhamos as todas as campanhas já assimilaram. Nas assuntos mais abordados sobre cadaações uma a uma”, ressalta. coligações mais robustas como Serra, um no site www.valoronline.com.br/ Dilma e Marina é notável o aumento da mapaeleitoral. “Estamos utilizando aAna acredita que o perfil do eleitor na ‘influência virtual’ em relação às eleições ferramenta buzzmap (buzzmap.com.web acompanha o processo de inclusão passadas. No entanto, o que esqueceram br), que gera um gráfico de volumedigital. “Hoje, quem tem Facebook e é que a campanha de Obama baseava-se de tweets. A partir desta coleta,Twitter é um eleitorado com um perfil num debate de conteúdo político identificamos os trending topics sobremais crítico, com mais formação, escreve qualitativo infinitamente superior aos cada candidato, os atores mais ativos emelhor, lê mais, tem mais acesso à brasileiros. E foi justamente este aspecto as fontes mais citadas”, afirma Marianainformação, etc. O desaparecimento que garantiu o alto nível da campanha Berutto, sócia da empresa.contínuo deste tipo de pessoa do Orkut americana na internet”.não é mera coincidência. Ao mesmo Entre os três presidenciáveis mais bemtempo, vemos que o Orkut, atualmente, é MONitORAMENtO colocados nas pesquisas, Marianauma das principais redes sociais entre as destaca a presença digital de Marinaclasses menos favorecidas. Portanto, sob o A Mapa Digital, empresa de pesquisa e Silva, com uma estratégia claramenteponto de vista do webmarketing político, consultoria em meios digitais, publicou, inspirada na campanha de Obama. Já redecatedral.com Padre Reginaldo Manzotti Apresentador da 31 3469 2500 Rádio América e TV Horizonte
  6. 6. Arquivo pessoal AnA, no brasil só assimilamos a importância da internet e a necessidade do debate de conteúdo político, mas a interatividade foi esquecida pela maioria permitem desmitificar o “super herói” mostrado nas campanhas eleitorais. Através das redes as pessoas podem perguntar o que nenhuma empresa de comunicação perguntaria e esse tipo de pergunta pode ser decisivo na escolha do candidato. “Há o diálogo mesmo quando o candidato opta por não responder. Afinal, o silêncio também é uma resposta”, diz Michele Amaral.em Minas Gerais é possível perceber televisão. Por mais que falemos emuma forte atuação dos candidatos, mas aceleração representativa do processo A internet trouxe enormes vantagensrestrita a vídeos virais e seeding. “Não de inclusão digital, a TV ainda é número à democracia, principalmente sepercebemos uma estratégia sólida por 1. Não vejo a web capaz, neste processo observarmos sob a ótica da sociedadetrás dessas ações, como ocorre com os eleitoral, de mudar opinião de eleitor. civil, que hoje pode participar de formapresidenciáveis”, ressalva. Acredito que ela consolide a intenção direta dos debates, chegando ao ponto de voto”, destaca. de quase todos os dias pautar a grandeO publicitário Thiago Ferreira, da Yap mídia através das suas intervençõesAgência, responsável pela presença Porém, a internet pode ser uma nas redes sociais. Isto é um fato novo,online do candidato Zé Fernando, ferramenta muito interessante para definitivo. Cabe agora aos políticos eafirma que é complexo mensurar o ROI candidatos com pequena exposição governantes entenderem a importância(retorno sobre investimento, na tradução na TV, principalmente aqueles que deste novo ambiente de organizaçãolivre) em específico para redes sociais, almejam um cargo no Legislativo. Na social surgido com a sociedade em rede.já que a verba da campanha é única. internet, não há restrição de tempo.“Adotamos como métricas o estágio “Os candidatos devem aproveitar esse Tudo isso permitiu um enorme avançoanterior à campanha, levantamos os espaço para realmente debater com nos direitos individuais do eleitor emdados semanalmente de crescimento os eleitores. Na pauta, temas sensíveis relação à produção, disseminação eem cada mídia e avaliamos os retornos ao eleitor, é ele quem impõe a agenda consumo de informações. Pela internet,de cada menção como positivo, neutro aqui”, ressalta Renato Mendes. Ele afirma todos têm acesso direto às rotinas dose negativo”, revela. ainda que os candidatos precisam candidatos, opinam, criticam em tempo entender que a premissa básica das real, e quase sempre qualificam oRenato Mendes, gestor da MWeb, redes sociais é a conversa. “Quem processo democrático que deve cercaragência especializada em mídias digitais chega com cabeça de comunicação um processo eleitoral. Participação ee redes sociais, afirma que a TV ainda tradicional, unilateral, entrega santinho interação online passaram a integrar deestá em primeiro lugar nas estratégias virtual”, sentencia. forma permanente o cenário eleitoralde marketing. “As possibilidades que no Brasil e no mundo. Portanto, nãoa web traz para os candidatos e para o MARqUEtEiROS, há mais dúvidas sobre a importânciadebate político-eleitoral como um todo ApRENDEi! de se fazer um trabalho profissional naé fantástica. Mas precisamos ser realistas: internet, em especial nas redes sociais.a principal ferramenta de comunicação Atualmente as redes sociais, através Só falta agora os políticos - e seusentre candidato e eleitor ainda é a da interatividade e aproximação, assessores - aprenderem. E muito! redecatedral.com Castelo Rá-Tim-Bum Exibido pela TV Horizonte 31 3469 2500 em parceria com TV Cultura

×