Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
VIVER COMO AS FLORES Texto: Desconheço o Autor  
Em um antigo  mosteiro budista, um jovem monge questiona o mestre ...
Mestre, como faço para não  me aborrecer? Algumas pessoas falam demais,  outras são ignorantes.
Algumas são indiferentes. Sinto ódio das que são mentirosas. Sofro com as que caluniam.
- Pois viva como as flores!  - advertiu o mestre. - Como é viver como as flores? - perguntou o discípulo.
Repare nas flores, continuou o mestre, apontando  os lírios que cresciam no jardim.
Elas nascem no esterco,  entretanto, são puras e perfumadas.
Extraem do adubo malcheiroso tudo que  lhes é útil e saudável...  ...mas não permitem que o azedume da terra  manche o fre...
É justo angustiar-se com as próprias culpas,  mas não é sábio permitir que os vícios  dos outros o importunem.
Os defeitos deles são deles e não seus.  Se não são seus,  não há razão para aborrecimento.
Exercite, pois, a virtude de rejeitar todo mal que vem de fora.   Isso é viver como as flores.
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Viver como as flores

648 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Viver como as flores

  1. 1. VIVER COMO AS FLORES Texto: Desconheço o Autor  
  2. 2. Em um antigo mosteiro budista, um jovem monge questiona o mestre ...
  3. 3. Mestre, como faço para não me aborrecer? Algumas pessoas falam demais, outras são ignorantes.
  4. 4. Algumas são indiferentes. Sinto ódio das que são mentirosas. Sofro com as que caluniam.
  5. 5. - Pois viva como as flores! - advertiu o mestre. - Como é viver como as flores? - perguntou o discípulo.
  6. 6. Repare nas flores, continuou o mestre, apontando os lírios que cresciam no jardim.
  7. 7. Elas nascem no esterco, entretanto, são puras e perfumadas.
  8. 8. Extraem do adubo malcheiroso tudo que lhes é útil e saudável... ...mas não permitem que o azedume da terra manche o frescor de suas pétalas. 
  9. 9. É justo angustiar-se com as próprias culpas, mas não é sábio permitir que os vícios dos outros o importunem.
  10. 10. Os defeitos deles são deles e não seus.  Se não são seus,  não há razão para aborrecimento.
  11. 11. Exercite, pois, a virtude de rejeitar todo mal que vem de fora.   Isso é viver como as flores.

×