Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Aula Modelo Relacional

1,978 views

Published on

Modelo relacional de bases de dados

Published in: Technology
  • Be the first to comment

Aula Modelo Relacional

  1. 1. Modelo Relacional Base de Dados 1
  2. 2. Objetivos      Tabela Relações Esquema Conceito Chave Modelo ER para Relacional
  3. 3. Estrutura de Bases de Dados Relacionais  Uma Base de Dados Relacional consiste em uma coleção de tabelas, cada uma das quais com um nome único.  Uma linha em uma tabela representa um relacionamento entre um conjunto de valores.  Uma vez que essa tabela é uma coleção de tais relacionamentos, há uma estreita correspondência entre o conceito de tabela e o conceito matemático de relação, a partir das quais se origina o nome desse modelo de dados.
  4. 4. Tabela  Tabela - conjunto não ordenado de linhas. Cada linha é composta por uma série de campos (atributo).  Campo - identificado por nome de campo (nome de atributo).  O conjunto de campos das linhas de uma tabela que possuem o mesmo nome formam uma coluna.
  5. 5. Exemplo Tabela Tabela Empregado
  6. 6. Esquema de base de dados  Esquema de Base de Dados - Coleção de objetos (ex: Tabelas, relações) de uma base de dados que estão disponível para um determinado grupo;  É uma estrutura descrita em uma linguagem formal suportada pelo sistema de gestão de base de dados (SGBD).  Numa base de dados relacional, o esquema define as tabelas, os campos em cada tabela e os relacionamentos entre os campos e tabelas.
  7. 7. Exemplo de Esquema
  8. 8. Conceito de Chave  O conceito básico para estabelecer relações entre linhas de tabelas de um banco de dados relacional é o da chave. Em uma base de dados relacional, há pelo menos dois tipos de chaves a considerar: – – chave primária, chave estrangeira.
  9. 9. Chave Primária  Chave primária - é uma coluna ou uma combinação de colunas cujos valores distinguem uma linha das demais dentro de uma tabela;  Se um campo de uma tabela é chave primária quer dizer que: – – – Identifica cada linha da tabela Não pode conter valores nulos Não pode ter valores repetidos
  10. 10. Exemplo Chave primária Matricul Mar Km a ca Data Registo ST-55HM A matricula é chave primária:  Identifica cada linha da tabela  Não pode conter valores nulos  Não pode conter valores repetidos Ford 80000 05-10-1995 ST-20CX Toy 50000 10-09-2000 ota FG-50US Lanc 30000 11-01-205 ia
  11. 11. Chave Estrangeira  Chave estrangeira – é uma coluna ou uma combinação de colunas, cujos valores aparecem necessariamente na chave primária de uma (outra) tabela.  É o mecanismo que permite a implementação de relacionamentos em uma base de dados relacional.
  12. 12. Exemplo Chave Estrangeira O Campo turma na tabela Aluno é chave estrangeira e liga-se ao cod_turma na tabela Turma
  13. 13. Chave Primária Composta  Uma chave composta é uma coleção de atributos que juntos formam um chave primária
  14. 14. Restrições de Integridade  Integridade dos dados de uma Base de Dados - os dados refletem corretamente a realidade representada pela base de dados e são consistentes entre si.  As regras de Integridade são garantidas pelo próprio SGBD  Tipos de Integridade – – – – Integridade de Tipo de dados – De acordo com tipo; Integridade de Vazio – Nulo ou não; Integridade de Chave - Único e Não Nulo; Integridade Referencial (estrangeira) – Existe na tabela mãe.
  15. 15. Especificação do SGBD  Chamada de Esquema do Banco de Dados, deve conter no mínimo: – – – Tabelas que formam o banco de dados; Colunas que as tabelas possuem; e Restrições de integridade.
  16. 16. Mapeamento entre Modelos
  17. 17. Modelo E-R para o Modelo Relacional  Objetivos: – – Obter uma base de dados que permita a eficiência das instruções de consulta e alteração do banco; Obter uma base de dados simplificada, no que diz respeito ao desenvolvimento e manutenção das aplicações.  Passos – – 1. tradução inicial de entidades e respectivos atributos; 2. tradução de relacionamentos e respectivos atributos.
  18. 18. Passo 1 Mapear Entidades  Passo 1.1 – Mapeamento de Entidades – – – Cada entidade é traduzida para uma tabela. Cada atributo da entidade define uma coluna da tabela. Os atributos identificadores da entidade correspondem às colunas que compõem a chave primária da tabela.
  19. 19. Mapeamento Atributos  Nomes de Colunas devem ser curtos;  Nomes de colunas não devem conter espaços em branco;  Exemplo:  Nome do Cliente -> NomeCliente ou Nome  Código do Cliente -> Codigo ou CodigoCliente ou CodCliente ou CodigoCli
  20. 20. Passo 2 Mapear Relações  Para mapear as relações existem 3 possibilidades – – – Tabela própria : relacionamentos n para n; Coluna (s) adicional (is) dentro de uma das tabelas relacionamentos n para 1 ou 1 para n; Fusão das tabelas relacionadas em uma só: relacionamentos 1 para 1.
  21. 21. Relação 1:1 Participação Opcional
  22. 22. Relação 1:1 Uma Participação Obrigatória
  23. 23. Relação 1:1 Duas Participação Obrigatória
  24. 24. Relação 1:n
  25. 25. Relação de 1:n
  26. 26. Relação de n:n
  27. 27. Exercício Exemplo

×