Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Logística - Modal Rodoviário

14,565 views

Published on

Seminário de logística sobre Modal Rodoviário. Um trabalho apresentado à disciplina de Logística I do curso de Logística do Cepep em Fortaleza-CE. Feito pela equipe, mas redigido e organizado por mim, Marynara Barros.

Published in: Business
  • Be the first to comment

Logística - Modal Rodoviário

  1. 1. Modal Rodoviário
  2. 2. Carla Suliane Guilherme Rafael Luan Marques Lucineide Costa Márcio Fonseca Marynara Barros Log 01 | Manhã Equipe
  3. 3. Modal Rodoviário Conceito
  4. 4. Conceito Segundo a BIT, “Transporte rodoviário é o realizado sobre rodas nas vias de rodagem pavimentadas ou não para transporte de mercadorias e pessoas, sendo na maioria das vezes realizados por veículos automotores (ônibus, caminhões, veículos de passeio, etc.)”
  5. 5. Modal Rodoviário Breve Histórico
  6. 6. Breve Histórico Desde os primórdios da humanidade, os seres humanos foram obrigados a transportar, muitas vezes em suas próprias costas, alimentos, roupas etc, com o passar dos tempos e com a tecnologia proveniente da inteligência humana, os meios de transportes foram se moldando às realidades de cada época, passando desde a tração animal, até os dias de hoje onde quase se pode afirmar que existe o transporte virtual (infoviário).
  7. 7. Breve Histórico A evolução do transporte rodoviário no Brasil e no Mundo ficou evidenciado em três ciclos bem definidos de nossa história: a) a utilização de animais e carroças na Idade Média;
  8. 8. Breve Histórico b) o desenvolvimento da indústria automobilística no início do século XX;
  9. 9. Breve Histórico c) a crise do petróleo na década de 70.
  10. 10. Estes fatores consubstanciaram as fases de implantação, desenvolvimento e estagnação do transporte rodoviário no Mundo e no Brasil. Breve Histórico
  11. 11. Modal Rodoviário Características
  12. 12. Características → Possui a maior representatividade entre os modais existentes; → Adequado para curtas e médias distâncias;
  13. 13. Características → Baixo custo inicial de implantação; → Alto custo de manutenção;
  14. 14. Características → Muito poluente com forte impacto ambiental; → Segurança no transporte comprometida devido à existência de roubos de cargas;
  15. 15. Características → Serviço de entrega porta a porta; → Maior flexibilidade com grande extensão da malha; → Transporte com velocidade moderada;
  16. 16. Características →Os custos se tornam altos para grandes distâncias; → Tempo de entrega confiável; → Baixa capacidade de carga com limitação de volume e peso; → Integra todos os estados brasileiros.
  17. 17. Modal Rodoviário Comparação com Outros modais
  18. 18. Qual realmente é a melhor modalidade para cada distribuição com características específicas de cada produto e para cada mercado? Rodoviário →Volumes menores; →Produtos de maior sofisticação; →Prazos relativamente rápidos de entrega; →Velocidades compreendidas no intervalo de 30 a 60km/h Comparação com outros modais
  19. 19. Comparação com outros modais Qual realmente é a melhor modalidade para cada distribuição com características específicas de cada produto e para cada mercado? Ferroviário → Volumes maiores; → Custo unitário baixo; → Tempo não é preponderante; → Velocidade médio de 12km/h.
  20. 20. Comparação com outros modais Qual realmente é a melhor modalidade para cada distribuição com características específicas de cada produto e para cada mercado? Aeroviário → Pequeno volumes classificado como “cargas nobres” → Prazos de entregas imperativos
  21. 21. Comparação com outros modais Qual realmente é a melhor modalidade para cada distribuição com características específicas de cada produto e para cada mercado? Hidroviário e marítimo → Produtos de baixíssimo custo unitário; → Tempo não é preponderante;
  22. 22. CAPACIDADE DE CARGA CONFIABILIDADE Comparação com outros modais DISPONIBILIDADE Velocidade FREQUÊNCIA Custo
  23. 23. Comparação com outros modais VELOCIDADE DOS MODAIS AEROVIÁRIO RODOVIÁRIO FERROVIÁRIO AQUAVIÁRIO DUTOVIÁRIO Em relação a velocidade, o segundo mais rápido é o transporte rodoviário. Porém, isso é válido para longas distâncias, devido a tempos em terminais, carga/descarga e envio ao cliente.
  24. 24. Comparação com outros modais CONFIABILIDADE DOS MODAIS DUTOVIÁRIO RODOVIÁRIO FERROVIÁRIO AQUAVIÁRIO AEROVIÁRIO É a capacidade de realizar entregas consistentes, nos prazos acordados. O modal rodoviário se encontra, mais uma vez, sendo o segundo mais confiável
  25. 25. Comparação com outros modais CAPACIDADE DE MOVIMENTAÇÃO DOS MODAIS AQUAVIÁRIO FERROVIÁRIO AEROVIÁRIO RODOVIÁRIO DUTOVIÁRIO O modal rodoviário é um dos que oferecem menor capacidade de carga. Tal fato o não é surpreendente, visto a capacidade de carga de uma carreta padrão, 25 toneladas. *Considerando-se a rede de dutos disponíveis comercialmente no Brasil
  26. 26. Comparação com outros modais DISPONIBILIDADE DOS MODAIS RODOVIÁRIO FERROVIÁRIO AEROVIÁRIO AQUAVIÁRIO DUTOVIÁRIO É a existência de veículos em quantidades suficientes e no momento que são solicitados pelo embarcador. Assim sendo, a modal rodoviário é o primeiro que está em maior disponibilidade. *Considerando-se a rede de dutos disponíveis comercialmente no Brasil
  27. 27. Comparação com outros modais FREQUÊNCIA DOS MODAIS DUTOVIÁRIO RODOVIÁRIO FERROVIÁRIO AEROVIÁRIO AQUAVIÁRIO Em virtude de funcionar 24 horas por dia, 30 dias por mês, o rodoviário se encontra como o segundo mais frequente.
  28. 28. Comparação com outros modais CUSTO DOS MODAIS AQUAVIÁRIO DUTOVIÁRIO FERROVIÁRIO RODOVIÁRIO AEROVIÁRIO O custo dos modais está relacionado à distância percorrida entre origem e destino. Tal classificação refere-se aos maiores custos para curtas distâncias, assim como o modal rodoviário, estando em penúltimo.
  29. 29. Modal Rodoviário Vantagens e Desvantagens
  30. 30. Vantagens e Desvantagens A simplicidade do funcionamento do transporte rodoviário é o seu ponto forte, pois não apresenta qualquer dificuldade e está sempre disponível para atendimentos urgentes. Este transporte permite às empresas exportadoras e importadoras terem flexibilidade, podendo oferecer algumas vantagens, dentre as quais:
  31. 31. Vantagens e Desvantagens VANTAGENS → Vendas na condição de entrega porta a porta; → Menos manuseio da carga, portanto, mais segurança, já que o caminhão é lacrado no local de carregamento e aberto no local de entrega; → Rapidez na entrega da carga em curta distância; → O transporte vai até a carga em vez de obrigar o exportador a levá-la até ele;
  32. 32. Vantagens e Desvantagens VANTAGENS → A carga vai até o importador ao invés de obrigá-lo a ir retirá-la; → Possibilidade de utilização de embalagens mais simples e de menor custo. → Peça fundamental da multimodalidade e da intermodalidade.
  33. 33. Vantagens e Desvantagens DESVANTAGENS O transporte rodoviário também apresenta algumas desvantagens, dignas de serem registradas, entre as quais: → Frete mais alto do que alguns outros modais que são ou estão apresentando-se como seus concorrentes; → A menor capacidade de carga entre todos os modais;
  34. 34. Vantagens e Desvantagens DESVANTAGENS → Custo elevado da sua infraestrutura; → Um modal bastante poluidor do meio-ambiente; → A quantidade excessiva de veículos ajuda a provocar congestionamentos, trazendo transtornos ao trânsito bem como a toda população, inclusive aumentando o consumo de combustíveis, agravando a situação do país que é importador líquido de petróleo;
  35. 35. Vantagens e Desvantagens DESVANTAGENS → Obriga a construção contínua de estradas, ou a sua manutenção, com recursos do poder público, ou seja, da população. Isto faz com que, além do frete visível, tenhamos também um alto frete invisível que recai sobre os contribuintes.
  36. 36. Modal Rodoviário Rodovias
  37. 37. Rodovias Mais da metade das rodovias brasileiras pode ser considerada de qualidade ruim, péssima ou regular, apontou a uma pesquisa divulgada outubro de 2011 pela CNT (Confederação Nacional do transporte) e pelo Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest Senat). Em nota, a CNT informou que o estudo considerou para análise as condições conforme aspectos perceptíveis aos usuários, tanto em relação a pavimento, por exemplo, quanto à sinalização e à geometria da via.
  38. 38. Rodovias PRINCIPAIS PROBLEMAS → Malha viária precária (pavimentação, sinalização, geometria da via);
  39. 39. Rodovias PRINCIPAIS PROBLEMAS → Acidentes; → Insegurança; → Pedágios elevados;
  40. 40. Rodovias Rodovias em situações inadequadas interferem fortemente no custo operacional da atividade transportadora uma vez que aumentam os gastos com combustível e manutenção, os riscos de acidentes e avaria nas cargas, assim como interferem nas condições de trabalho e qualidade de vida do trabalhador do transporte. Somando-se a isso, os congestionamentos resultantes da saturação da capacidade viária refletem no tempo das viagens.
  41. 41. Modal Rodoviário Especificação e Adequação de Veículos
  42. 42. Há diferentes tipos de caminhões, suas especificações e capacidades, começando pelos pequenos veículos urbanos de carga, utilizado dentro de centros urbanos, até os grandes caminhões articulados que encontramos em rodovias, utilizados para transporte de grandes quantidades de carga por longas distâncias. Veículos
  43. 43. Veículo Urbano de Carga (VUC) Veículos É o caminhão de menor porte, mais apropriado para áreas urbanas.
  44. 44. Veículos  Toco ou Caminhão Semi-pesado Caminhão que tem eixo simples na carroceria, ou seja, um eixo frontal e outro traseiro de rodagem simples. Truck ou Caminhão Pesado  Caminhão que tem o eixo duplo na carroceria, ou seja, dois eixos juntos. O objetivo é poder carregar carga maior e proporcionar melhor desempenho ao veículo.
  45. 45. Cavalo mecânico trucado  Tem o eixo duplo em seu conjunto, para poder carregar mais peso. Veículos  Cavalo mecânico toco é o conjunto formado pela cabine, motor e rodas de tração do caminhão com eixo simples (apenas 2 rodas de tração). Pode-ser engatado em vários tipos de carretas e semi-reboques, para o transporte.
  46. 46.  Carreta 2 eixos utiliza um cavalo mecânico e um semi- reboque com 2 eixos cada Veículos Carreta 3 eixos  utiliza um cavalo mecânico simples (2 eixos) e um semi-reboque com 3 eixos.
  47. 47. Veículos Carreta cavalo trucado utiliza um cavalo mecânico trucado e um semi-reboque também com 3 eixos.
  48. 48. Veículos É uma combinação de veículos de carga (dois semirreboques) composta por um total de 7 eixos. Bitrem
  49. 49. Super Bitrem ou “Bitrenzão” Veículos
  50. 50. Rodotrem  é uma combinação de veículos de carga (dois semirreboques) composta por um total de 9 eixos com pbt de 74 toneladas Veículos Super Rodotrem é uma combinação de veículos de carga (mais de dois semirreboques) composta por um total de 9 eixos com peso bruto total acima de 100 toneladas.
  51. 51. Veículos Adaptados Veículos
  52. 52. DIMENSIONAMENTO DE FROTA POR CARGA Além da classificação de Veículos, também é importante classificar os tipos de eixos, estabelecendo-se limites de peso para cada tipo de eixo e verificando-se a distribuição de carga por eixo, para cada caminhão. Veículos
  53. 53. Peso máximo por tipo de eixo Veículos
  54. 54. CONFIGURAÇÃO DE EIXOS Veículos
  55. 55. CONFIGURAÇÃO DE EIXOS Veículos
  56. 56. Modal Rodoviário Expectativas Futuras
  57. 57. Expectativas Futuras Responsável pela maior parte de toda movimentação de cargas no mercado brasileiro, o transporte rodoviário vive um momento aquecido e de crescimento acelerado. Com faturamento anual de aproximadamente R$ 60 bilhões, segundo a ANTT e gerando 3,5 milhões de empregos, de acordo com NTC.
  58. 58. Expectativas Futuras A importância da infraestrutura no processo de desenvolvimento e crescimento econômico de qualquer país é uma verdade incontestável. Como um dos componentes essenciais desta infraestrutura aparece o setor de transportes. E essa falta de infraestrutura vem como empecilho para projeções maiores.
  59. 59. Expectativas Futuras EM MÉDIO PRAZO “O mercado de transporte no Brasil está ‘imbicado’. O final do ano de 2012 e o inicio de 2013 foram de bons resultados, mas a partir de março a situação afrouxou, e o setor não está mais obtendo os resultados que esperávamos.” (Lima Jr.)
  60. 60. Expectativas Futuras EM MÉDIO PRAZO Segundo Lima Jr., o setor esperava ter um “ano de ouro”, mas a realidade não condiz com as expectativas. Entre os principais fatores desse baixo desempenho está a própria economia brasileira. Segundo o último Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), a economia do Brasil, em maio, encolheu 1,4% na comparação com abril.
  61. 61. Expectativas Futuras EM LONGO PRAZO As expectativas são de crescimento para a economia brasileira, porém a má conservação e falta de ampliação das rodovias, implica num fator restritivo à evolução desse processo. O paradoxo é evidente, o Brasil precisa das rodovias para continuar se desenvolvendo e o poder público demora em tomar providências concretas e rápidas para sanar os problemas encontrados.
  62. 62. Expectativas Futuras EM LONGO PRAZO Projetos futuros do Ministério do Transporte visa realizar obras para equilibrar a matriz de transporte nacional, limitando a dependência do modal rodoviário que atualmente encontra-se num percentual de 61%.
  63. 63. Expectativas Futuras EM LONGO PRAZO De acordo com Flávio Benatti, presidente da Associação Nacional do Transporte de Carga e Logística (NTC&Logística), é preciso realizar um grande planejamento conjunto pela indústria, governo e empresas do setor de transporte para evitar os gargalos logísticos, principalmente devido ao grande crescimento esperado nos próximos anos, até 2016, motivado pela organização da Copa do Mundo e as Olimpíadas. E assim atender a expectativas de todo um planejamento.
  64. 64. Expectativas Futuras Como o Brasil pode melhorar o transporte de cargas? Vídeo
  65. 65. Expectativas Futuras Previsão de Crescimento para o transporte rodoviário Vídeo
  66. 66. → 1e3BIT, Banco de Informações e Mapas de Transportes. Transporte Rodoviário do Brasil, Ministério de Transportes. <http://www2.transportes.gov.br/bit/02- rodo/rodo.html> → 2MELLO, José Carlos. Apostila da Escola de Comando e Estado – Maior do Exército. <http://comex-3.blogspot.com.br/2012/04/historia-do-sitema-rodviario.html> → 4DIAS, Marco Aurélio P. Administração de Materiais: Uma abordagem Logística. 5ª Edição, São Paulo, 2010, Editora Atlas S.A. Elementos de transporte intermodal, páginas 453 e 454. → 4e7SOUZA, Francisco Cândido da Silva. Apostila “Técnicas Logísticas I”. Curso Técnico CEPEP. Setembro de 2014. →5KEEDI, Samir. DE MENDONÇA, Paulo C. C. Transportes e Seguros no Comércio Exterior. <http://www.cursosnocd.com.br/logistica/vantagens-e-desvantagens-do- transporte-rodoviario.htm> →6MENEGHELLO, Prof. Geraldo César. Logística Descomplicada, CNT- COPPEAD 2011. 1. Conceito | 2. Breve Histórico | 3. Características | 4. Comparação com outros modais 5. Vantagens e Desvantagens | 6. Rodovias | 7. Veículos | 8. Expectativas Futuras Referências
  67. 67. →6COELHO, Leandro Callegari. Pesquisa confirma: malha rodoviária tem péssima qualidade. Logística Descomplicada. <http://www.logisticadescomplicada.com/pesquisa-confirma-malha-rodoviaria-tem-pessima- qualidade/> → 7COELHO, Leandro Callegari. Tipos de caminhões (tamanhos e capacidades). Logística Descomplicada. <http://www.logisticadescomplicada.com/tipos-de-caminhoes- tamanhos-e-capacidades/> → 8(Modificado) DE SOUZA, Vitor Helio Pereira de Souza. O transporte rodoviário no Brasil: algumas tipologias da viscosidade. <http://www.ub.edu/geocrit/sn/sn-331/sn- 331-21.htm> → 8TV Brasil, julho de 2013. 66% das cargas do país são transportadas pelo modal rodoviário. <https://www.youtube.com/watch?v=3SJAdWRLIYo> → 8CNT, Confederação Nacional de Transporte, fevereiro de 2011. Videorreportagem sobre o aumento da venda de caminhões previsto para o Brasil até 2013. <https://www.youtube.com/watch?v=O9eDFL0Cs-k> 1. Conceito | 2. Breve Histórico | 3. Características | 4. Comparação com outros modais 5. Vantagens e Desvantagens | 6. Rodovias | 7. Veículos | 8. Expectativas Futuras Referências

×