Palestina oficial

773 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
773
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Palestina oficial

  1. 1. Questão Palestina Jovens ativistas Maio de 2011
  2. 2. CRONOLOGIA• 1947- ONU aprova resolução que prevê a partilha da Palestina.• 1948-O Estado de Israel é proclamado. Os palestinos ficam sem território próprio.• 1956 - Guerra do Suez. EUA e URSS obrigam Israel a recuar.• 1959 - Criação da Al Fatah• 1964 - Palestinos criam a OLP.• 1967 - Guerra dos Seis Dias
  3. 3. • 1972 -Um grupo guerrilheiro palestino seqüestra 11 atletas israelenses.• 1973 - Guerra do Yom Kippur.• 1979 - Acordos de Camp David.• 1982 - Invasão do Líbano.
  4. 4. • 1987 - Intifada.• 1993 - Acordos de Oslo.• 1995 - Rabin é assassinado por um militante judeu contrário aos acordos de paz.
  5. 5. • Década de 90 - Acordos de paz têm avanços, e palestinos começam a receber territórios, sob administração da Autoridade Palestina.• 2000 - Segunda Intifada• 2001 - Sharon é eleito primeiro-ministro israelense.
  6. 6. • 2004 - Morre Yasser Arafat.• 2006/2007 - O grupo islâmico Hamas vence as eleições parlamentares palestinas.• 2008 - Após trégua de seis meses entre Hamas e Israel, o grupo islâmico passa a lançar foguetes da Faixa de Gaza.• 2009 - Israel invade a Faixa de Gaza.
  7. 7. ISRAEL ... ... Sua doutrina sebaseia em demonstrar a sua superioridade diante dos paises indefesos. ... Permite a tortura aprisioneiros palestinos, que inclui mulheres e crianças.
  8. 8. Instituição do estado de Israel como reparaçãointernacional aos sofrimentos padecidos pelopovo judeu, na visão dos sionistasIsrael descreve a maioria da população palestinacomo fanáticos religiosos e,colonialista ideologia pela sua relação como Hezbollah, os acusajustificacaráter terrorista que de ter os direitos dos invasores sobre as terras que pertenciamA democracia de Israel funciona como um aos habitantesapartheid originários da palestina.
  9. 9. Israel remodela asfronteiras de acordo comsua conveniência:desconexão unilateralOs palestinos ficaramdispersos em um territóriototalmente descontínuo,além de se submeterem àsregras da dependênciafinanceira total.
  10. 10. Dificuldades na criação do Estado Palestino.Não existe margem para construir essa entidade nageografia cercada por muros e desmembrada da MargemOcidental.Para Israel renunciar às porções já recolonizadas daCisjordânia e de Jerusalém teria que sofrer uma derrota degrande impacto, um desgaste insuportável como ocupante,uma forte corrosão interna ou uma perda de apoiointernacional.
  11. 11. FMI e ONUEm relatórios, órgãos dizem que a escassez deajuda financeira e as restrições de Israel ameaçam a criação deeconomia viável.“A realidade é que há pouca coisa que possa ser feita emcondições de ocupação prolongada, questões não resolvidassobre o status final, falta de avanços sérios a respeito de umasolução com dois Estados e continuidade da divisão entre ospalestinos”, diz coordenador especial da ONU para o processode paz do Oriente Médio.
  12. 12. O FMI, no entanto, disse que aeconomia palestina já estásofrendo com uma forte reduçãonas doações."A recente escassez na ajuda estáconstituindo sérios riscos àcapacidade de construção de umEstado por parte da ANP,especialmente diante da suaainda elevada dependência emrelação à ajuda", disse o FMI.
  13. 13. O FMI diz que as perspectivas econômicas para os palestinos da Cisjordânia são sombrias.Já na Faixa de Gaza, que é administrada pelo grupo islâmicoHamas, o crescimento disparou de 15 por cento em 2010 para28 por cento no primeiro semestre deste ano. Isso, segundo oFMI, reflete a redução das restrições de Israel à região desdemeados de 2010, mas o PIB da região ainda continua inferior aoque era em 2005.
  14. 14. Possível solução do conflito possibilidade: construçãocomeçou a ser esboçada de um Estado único, laico a partir dos anos 1970. e democrático para os habitantes da região. - não possui aceitação de ambos os lados, em especial por seu caráter laico
  15. 15. Opinião internacionalsobre o pedido palestino de adesão como estado membro da ONU
  16. 16. EUA• Apoio a Israel a partir da Guerra dos Seis Dias.• Percepção da necessidade de um aliado na região, salientada pela presença de grandes jazidas de petróleo no território israelense e ainda mais pelo enorme arsenal militar mantido por Israel.• Defende a resolução do conflito por acordos bilaterais entre Palestina e Israel.
  17. 17. FRANÇA• O presidente da França, Nicolas Sarkozy, propôs ONU conceda aos palestinos o status de Estado observador, enquanto se estabelece um mapa para a paz dentro de um ano.• Adverte que o veto do Conselho de Segurança da ONU às ambições palestinas por um Estado arrisca deflagrar um novo ciclo de violência no Oriente Médio.
  18. 18. TURQUIA• O primeiro-ministro turco diz que o reconhecimento de um Estado palestino é uma obrigação, e não uma opção. Além disso, defende que a mentalidade do governo israelense é uma barreira para a paz no Oriente Médio.• Aos chanceles árabes, o premiê turco afirmou que Israel se isolou e deve "pagar o preço" depois de se recusar a pedir desculpas pelo ataque a uma flotilha com ajuda humanitária à Faixa de Gaza em maio do ano passado, quando oito ativistas turcos e um turco-americano foram mortos.
  19. 19. RÚSSIA• O embaixador da Rússia nas Nações Unidas, Vitali Churkin, anunciou que seu país apoiará o pedido de adesão de um Estado Palestino à ONU• "Vamos, é claro, votar a favor de qualquer proposta dos palestinos, mas devo ressaltar que nós não os pressionamos (nesse sentido)", disse.
  20. 20. BRASIL• Brasil já reconhece o Estado palestino com as fronteiras estabelecidas antes da guerra de 1967.• "Chegou o momento de ter representada a Palestina a pleno título", afirmou Dilma.• Reconhecimento ajudará a obter "uma paz duradoura no Oriente Médio", e "apenas uma Palestina livre e soberana" poderá atender aos pedidos de Israel por segurança.
  21. 21. • A presidenta ressaltou que, no Brasil, diferentes religiões convivem sem conflitos, e assim deveriam ser as relações bilaterais entre Israel e os palestinos.“É preciso que as nações encontrem uma forma legítima de ajudar (os países em convulsão). Estamos convencidos de que o uso da força é a última alternativa. A busca pela paz não pode se limitar a intervenções em situações extremas."
  22. 22. HAMAS• “Os palestinos deveriam libertar sua terra, não implorar pelo reconhecimento da ONU.”• Em declaração feita horas antes de Abbas pedir oficialmente o reconhecimento da ONU um dos dirigentes do Hamas, Ismail Haniyeh, disse que isso não conduziria à independência. "Nosso povo palestino não implora por um Estado (...) Países não são construídos com base nas resoluções da ONU. Estados libertam suas terras e estabelecem suas entidades", disse Haniyeh, que lidera o governo do Hamas na Faixa de Gaza.
  23. 23. “O povo palestino vem lutando, resistindo e enfrentando dificuldades há mais de 60 anos, oferecendo milhares de mártires, milhares de prisioneiros (...) para libertar a terra", acrescentou Haniyeh a jornalistas."O Estado não será criado por meio de barganhas e essa chantagem política.“
  24. 24. Adesão da Palestina à UNESCO como Estado-membro• “A admissão da Palestina à UNESCO como Estado membro afasta as perspectivas de um acordo de paz”, afirmou o governo israelense, ao condenar "a manobra unilateral" palestina.• Posição israelense: “em prol do diálogo como única maneira de conquistar a paz”, segundo argumentado por autoridades do país• Reação EUA: retirada de doações à UNESCO, por serem contra
  25. 25. Obrigado Amanda Ana Lidia Ana Paula Caio Germano Clara Cunha Julia DiasMarinara MoreiraThayane Peixoto Rafaela

×