Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Desenvolvimento de um Recurso Educacional Aberto (REA)
Diário de Produção
Unidade Curricular: Materiais e Recursos para El...
1
Sumário
Introdução.........................................................................................................
2
Introdução
Na Unidade Curricular (UC) sobre Materiais e Recursos para Elearning do Mestrado em
Pedagogia do Elearning fo...
3
1. Processo para escolha do tema do REA a ser desenvolvido
A partir do foco temático estabelecido pela professora – O pr...
4
2. Projeto para desenvolvimento de um Recurso Educacional Aberto
2.1 - Justificação do trabalho
É importante ter present...
5
2.2.3 – Público-alvo: Educadores e estudantes de níveis e áreas de atuação diversas
que utilizam recursos da Web em ativ...
6
● Inclusão de legenda em português, permitindo o acesso a pessoas com
deficiência auditiva.
● Atribuição de Licença CC B...
7
● Lei n. 12.853, de 14 de agosto de 2013 (2013). Altera os arts. 5º, 68, 97, 98,
99 e 100, acrescenta arts. 98-A, 98-B, ...
8
3. Agenda de trabalho
3.1 - Fase 1 - 11 a 22 de janeiro
Atividade Detalhamento Prazo Responsável Status
Definir tópico p...
9
Realizar reunião para
elaboração do
questionário. (3ª reunião
síncrona)
Encaminhamento:
realizados ajustes nos
formulári...
10
necessidade apontada no
projeto).
Realizar reunião para
conclusão do Storyboard.
(6ª reunião síncrona)
07/02/2016 Beth ...
11
4. Investigação para elaboração do vídeo
Para a elaboração do vídeo, ademais da fundamentação teórica apresentada inici...
12
5. Roteiro
Tempo total do vídeo: 24’58”
Cena 1 - Abertura
Visualização: Tela abertura com título do vídeo e nome das au...
13
Texto: Olá, meu nome é Elizabeth Batista, estudante do Mestrado em Pedagogia do
Elearning, na Universidade Aberta de Po...
14
Descrição: Filmagem de conferência utilizando o gravador de ecrã TalkHelper Call Recorder
for Skype. Aparecerá a imagem...
15
Local: Sessão Skype com Elizabeth
Texto: Este é um dos equívocos cometidos por muitos professores e estudantes quando
e...
16
este conceito não se limita a recursos disponíveis online, mas o debate se torna
mais complexo no ambiente Web.
Animaçã...
17
https://pixabay.com/pt/direitos-autorais-s%C3%ADmbolo-38672/
Descrição: Incluir animação quando se fala da marca Copyri...
18
grande número de participantes que citaram como recursos utilizados as próprias
redes sociais e outras ferramentas onli...
19
da possibilidade de estarem ou não frequentando instituições formais de ensino.
(Tela 7)
Descrição: Criado movimento pa...
20
Maria D’Aires Sítima - Professora Ensino Básico/Secundário, Carcavelos, Portugal.
Descrição: Realizar edição de trechos...
21
Texto: Então Beth, existem mecanismos eficientes para proteção dos direitos de autor,
tanto para quem usa os recursos d...
22
A Atribuição-Compartilha Igual - CC BY-SA é uma licença que autoriza que outras
pessoas remisturem, adaptem e criem a p...
23
Atribuição-NãoComercial-SemDerivações - CC BY-NC-ND
A licença Atribuição-NãoComercial-SemDerivações CC BY-NC-ND é a mai...
24
Os recursos online para serem considerados recursos abertos devem possuir
quatro liberdades consideradas fundamentais:
...
25
Texto: Sabendo que os REA são mecanismos legais que podem ser utilizados. Onde os
podemos encontrar na Internet?
Nos me...
26
https://pixabay.com/pt/%C3%ADcones-s%C3%ADmbolos-lupa-pesquisa-842865/
https://pixabay.com/pt/comunidade-amigos-globo-c...
27
https://pixabay.com/pt/internet-direitos-autorais-prote%C3%A7%C3%A3o-
1013675/
https://pixabay.com/pt/creative-commons-...
28
6. Registo dos aspetos mais relevantes do processo de produção do REA
6.1 Aspetos mais relevantes:
Um dos aspetos mais ...
29
diferenças significativas. De modo geral, procuramos utilizar a norma do idioma adotado em
Portugal.
Um segundo desafio...
30
Concluímos este diário de produção, agradecendo à Professora Ana Nobre o desafio que nos
propôs, visto ter-nos permitid...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Desenvolvimento de um REA - Diário de Produção

Este Diário de Produção foi elaborado em colaboração com Elizabeth Batista de Rio de Janeiro, no âmbito do Mestrado em Pedagogia do Elearning e da Unidade Curricular Materiais e Recursos para Elearning, realizado na Universidade Aberta de Portugal.

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Desenvolvimento de um REA - Diário de Produção

  1. 1. Desenvolvimento de um Recurso Educacional Aberto (REA) Diário de Produção Unidade Curricular: Materiais e Recursos para Elearning Professora: Ana Nobre Equipa: Elizabeth Batista de Souza Maria Emanuel Almeida
  2. 2. 1 Sumário Introdução.................................................................................................................................2 1. Processo para escolha do tema do REA a ser desenvolvido .................................................3 2. Projeto para desenvolvimento de um Recurso Educacional Aberto ....................................4 3. Agenda de trabalho ..............................................................................................................8 4. Investigação para elaboração do vídeo .............................................................................11 5. Roteiro ................................................................................................................................12 6. Registo dos aspetos mais relevantes do processo de produção do REA ............................28
  3. 3. 2 Introdução Na Unidade Curricular (UC) sobre Materiais e Recursos para Elearning do Mestrado em Pedagogia do Elearning foi-nos proposto como atividade da temática 3 a produção de um Recurso Educacional Aberto (REA), subordinado ao tema "O presente e o futuro da educação online: perspetivas e desafios". A primeira fase desta atividade previa a proposição de um projeto para elaboração de um REA, em que precisaríamos apresentar uma planificação do recurso a ser desenvolvido. Após o feedback dado pela Professora Ana Nobre ao projeto apresentado, iniciamos o respetivo desenvolvimento seguindo as suas orientações: - conceção, desenvolvimento e publicação de um REA sobre um determinado tópico, relativo ao tema apresentado acima. - elaboração do Registo / Reflexão sobre o processo de produção. Para responder a quanto nos foi solicitado, elaboramos um vídeo no qual se apresentaram os desafios enfrentados por quem utiliza os recursos disponíveis online. O nosso REA, denominado “Boas práticas no uso e na partilha de recursos Web em atividades educacionais”, traduziu-se num vídeo de 25 minutos, no qual nos dedicamos a debater a temática específica. Para visualizá-lo, basta aceder ao endereço https://youtu.be/- HrqTzPAZPg. Para composição do nosso REA, procuramos fundamentação em várias fontes, conforme citamos nas “Referências” da ficha técnica do projeto, e também empreendemos uma investigação que foi composta de duas atividades: a aplicação de um questionário online e a realização de entrevistas com professores brasileiros e portugueses. Ambas as atividades tiveram como objetivo fornecer dados sobre a prática do uso de Recursos Educacionais Abertos em atividades educativas. Alguns trechos das entrevistas e a síntese da análise da pesquisa constam do vídeo produzido. Passamos a relatar, a seguir, os pormenores do processo de produção deste vídeo, começando pelo processo de decisão sobre o tema a ser trabalhado, passando pela descrição do projeto, ficha técnica e roteiro do vídeo até chegar às reflexões finais onde compartilhamos nossos maiores desafios e formas que encontramos para superação dos mesmos.
  4. 4. 3 1. Processo para escolha do tema do REA a ser desenvolvido A partir do foco temático estabelecido pela professora – O presente e o futuro da educação online: perspetivas e desafios - com o intuito de construção de um REA, iniciamos uma reflexão sobre quais dos possíveis temas melhor a representariam. E num primeiro momento, três foram os possíveis temas que identificamos: 1. Personal Learning Environment (PLE): reflexões sobre percursos individuais de aprendizagem; 2. Prática docente aberta: reflexões sobre a utilização de REA em atividades educacionais; 3. Utilização de mundos virtuais para desenvolvimento de atividades de aprendizagem. Optamos pela temática 2, considerando a necessidade de contribuir para ampliar o conhecimento acerca dos REA entre educadores e educandos, público este que, cada vez mais, usa os recursos disponíveis na Web nas suas atividades educativas. Baseadas nas nossas experiências, consideramos que o tema ainda é pouco conhecido por boa parte deste público a quem destinamos prioritariamente o nosso recurso. Assim sendo o recurso produzido tem um caráter informativo e pretende ser um elemento estimulador, de modo a gerar curiosidade sobre o tema e incentivar professores e estudantes a conhecer melhor as regras de utilização dos recursos disponibilizados online.
  5. 5. 4 2. Projeto para desenvolvimento de um Recurso Educacional Aberto 2.1 - Justificação do trabalho É importante ter presente que existe uma crescente implementação e consolidação de projetos relacionados com Recursos Educativos Abertos (REA). Consequentemente é de relevar que este trabalho tenha como objetivo evidenciar o quanto se desenvolve no que respeita ao conhecimento e às oportunidades educativas através da partilha de recursos educativos, nomeadamente os REA. Sendo assim, surge a necessidade de se passar do paradigma do acesso livre, da utilização e produção desses recursos para uma nova etapa onde a integração dos REA podem ser causa de uma atualização e melhoramento da qualidade de ensino ao promoverem novos modelos de aprendizagem e, por conseguinte, difundir a democratização do conhecimento na sociedade atual. Neste sentido, o trabalho proposto com recurso a um vídeo pretende evidenciar o quão importante são os Recursos Educacionais Abertos no processo de ensino e aprendizagem, a fim de atrair os estudantes para atividades interativas e colaborativas, estimulando o desenvolvimento cognitivo, a reflexão, discussão, atenção, percepção, participação e socialização. Porém, não são unicamente os estudantes que estão em causa, mas também os professores, visto que este recurso se dirige a ambos e é necessário referir que, os professores devem estar aptos não só a saber utilizar as tecnologias, como a integrá-las em métodos que representem uma concreta atividade de formação. Assim, apresentamos a seguinte ficha técnica que sintetiza a nossa proposta de trabalho a realizar nesta Unidade Curricular sobre Materiais e Recursos para Elearning, procurando ir ao encontro de quanto é solicitado. 2.2 – Ficha técnica 2.2.1 – Tema: Prática docente aberta - reflexões sobre a utilização de REA em atividades educacionais. 2.2.2 – Título do trabalho: Boas práticas no uso e na partilha de recursos da Web em atividades educacionais.
  6. 6. 5 2.2.3 – Público-alvo: Educadores e estudantes de níveis e áreas de atuação diversas que utilizam recursos da Web em atividades educacionais. 2.2.4 – Recurso: Vídeo que possibilite refletir sobre a utilização e partilha de recursos na Web. 2.2.5 – Objetivos e conteúdos: Pretende-se debater acerca dos desafios enfrentados por quem utiliza os recursos disponíveis online. Para tal, é feito um questionário que se aplica ao respetivo público-alvo, a fim de saber o que se entende por REA e como os utilizam. Procura-se também apresentar o conceito de REA e os riscos assumidos por quem utiliza os conteúdos que, embora estejam acessíveis na Web, possuem licenças restritivas. Procura-se ainda que este recurso colabore para os debates sobre o uso aberto de recursos online, na perspetiva de democratização cada vez mais alargada dos recursos educacionais. Importante dizer que, não se pretende com este recurso esgotar o debate acerca desta temática, pois apresentamos um ponto de vista sobre a tema, desejando estimular novos questionamentos e reflexões, mais do que trazer respostas completas. 2.2.6 - Orientação na elaboração do vídeo: Para a realização do vídeo procuramos seguir uma orientação, que respeite as boas práticas e regras estabelecidas no ambiente virtual, através da conceptualização e exemplificação de conceitos como recursos abertos, copyright, direitos de autor e licenças de uso. 2.2.7 - Sequência temática do vídeo: ● Apresentação do contexto e objetivos do vídeo. ● Recursos Online X Recursos Abertos - finalidade educacional. ● Erros vulgarmente encontrados no uso dos recursos online (plágio e direitos de autor). ● Boas práticas na utilização de recursos online (licenças de atribuição). ● Como disponibilizar recursos de própria autoria na web. ● Reflexões finais: incentivo à produção e disponibilização de conteúdos abertos. 2.2.8 - Características do vídeo: ● Linguagem dialógica que permita a compreensão por pessoas de diversas áreas de atuação e níveis de formação. ● Utilização de imagens narradas pelas próprias autoras, intercaladas com imagens explicativas e depoimentos dos professores entrevistados.
  7. 7. 6 ● Inclusão de legenda em português, permitindo o acesso a pessoas com deficiência auditiva. ● Atribuição de Licença CC BY. ● Disponibilização do vídeo em canal do Youtube. 2.2.9 - Recursos para gravação do vídeo: ● Gravação de conferência via Skype. ● Gravação de entrevistas com profissionais que utilizam recursos disponíveis online em atividades educacionais. ● Narrativa das telas (gravação de voz). ● Imagens para ilustração (com licenças de uso). 2.2.10 - Equipe técnica envolvida: ● Elizabeth Batista: aluna da Universidade Aberta, autora do trabalho ● Maria Emanuel Almeida: aluna da Universidade Aberta, autora do trabalho ● Luiz Paulo Loureiro: Edição de imagem, montagem e legendas ● Angela Loureiro: Trilha sonora 2.2.11 - Referências: ● Creative Commons (n/d). Disponível em http://creativecommons.pt/. ● Declaração sobre Educação Aberta da Cidade do Cabo. (2007). Recuperado em 16 novembro, 2015, de http://www.capetowndeclaration.org/read-the- declaration ● Decreto n. 8.469 de 22 de junho de 2015 (2015). Regulamenta a Lei no 9.610, de 19 de fevereiro de 1998, e a Lei no, de 14 de agosto de 2013, para dispor sobre a gestão coletiva de direitos autorais. Brasília. DF. Recuperado em 16 novembro, 2015, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015- 2018/2015/Decreto/D8469.htm. ● Hilton, J. L. III, Johnson, A., Stein, J. & Wiley, D. (2010). The Four R’s of Openness and ALMS Analysis: Frameworks for Open Educational Resources. All Faculty Publications. Paper 882. Recuperado em 16 novembro, 2015, de http://scholarsarchive.byu.edu/facpub/882 ● Lei n. 9.610 de 19 de fevereiro de 1998 (1998). Altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais e dá outras providências. Brasília. DF. Recuperado em 16 novembro, 2015, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9610.htm.
  8. 8. 7 ● Lei n. 12.853, de 14 de agosto de 2013 (2013). Altera os arts. 5º, 68, 97, 98, 99 e 100, acrescenta arts. 98-A, 98-B, 98-C, 99-A, 99-B, 100-A, 100-B e 109-A e revoga o art. 94 da Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998, para dispor sobre a gestão coletiva de direitos autorais, e dá outras providências. Brasília. DF. Recuperado em 16 novembro, 2015, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Lei/L12853.htm. ● Lévy, P. (1999). Cibercultura (C. I. Costa, Trad.). São Paulo: Editora 34 Ltda. Recuperado em 16 novembro, 2015, de http://www.moodle.ufba.br/file.php/8897/levy_cibercultura.pdf. ● Pretto, N. Cultura digital e educação: redes já! (2008). In: Pretto, N. L.; Silveira, S. A. (Orgs.). Além das redes de colaboração: internet, diversidade cultural e tecnologias do poder. Salvador: Edufba. ● Unesco. (2013). Relatório de Monitoramento Global de educação para todos: Ensinar e Aprender: alcançar a qualidade para todos. France, Paris. 57 p ● Santana, B., Rossini, C. & Pretto, N. L. (Orgs.). (2012). Recursos Educacionais Abertos: práticas colaborativas políticas públicas. Salvador: Edufba: São Paulo: Casa da Cultura Digital. 246 p. ● Santos, A. I. (2013). Recursos Educacionais Abertos no Brasil: o estado da arte, desafios e perspectivas para o desenvolvimento e inovação. (DB Comunicação, Trad.). São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil. (Obra original publicada em 2011). Recuperado em 16 novembro, 2015, de http://www.cetic.br/media/docs/publicacoes/8/rea-andreia-inamorato.pdf
  9. 9. 8 3. Agenda de trabalho 3.1 - Fase 1 - 11 a 22 de janeiro Atividade Detalhamento Prazo Responsável Status Definir tópico para criação do REA. Realizar reunião para debate e definição do tópico de acordo com tema estabelecido pela professora. (1ª reunião síncrona) 13/01/2016 Beth e Emanuel Concluído Definir ferramentas para criação e compartilhamento do REA. Pesquisar ferramentas possíveis para criação e disponibilização do REA. Encaminhamento: gravação de vídeo e disponibilização no Youtube. 17/01/2016 Beth e Emanuel Concluído Escrever proposta de trabalho. 17/01/2016 Beth e Emanuel Concluído Realizar reunião para debater e definir as ferramentas e outros aspectos da proposta de trabalho. (2ª reunião síncrona) 17/01/2016 Beth e Emanuel Concluído Realizar ajustes na proposta e concluir versão para submissão. (4ª reunião síncrona) 22/01/2016 Emanuel Concluído Apresentar proposta de trabalho Postar no ambiente para apreciação da professora Ana Nobre. 22/01/2016 Beth Concluído Elaborar, aplicar e analisar questionário Elaborar e criar Google Docs. - Objetivo: analisar conhecimento sobre REA. Encaminhamento: Link do formulário: http://goo.gl/forms/Naw 1MJAoCc 19/01/2016 Beth Concluído
  10. 10. 9 Realizar reunião para elaboração do questionário. (3ª reunião síncrona) Encaminhamento: realizados ajustes nos formulários. 19/01/2016 Beth e Emanuel Concluído Testagem do formulário com professores (Portugal e Brasil) 20/01/2016 Emanuel e Beth Concluído Disponibilizar para testagem 21/01/2016 Beth e Emanuel Concluído Realizar pesquisa 29/01/2016 Beth e Emanuel Concluído Analisar dados 08/02/2016 Emanuel Concluído Elaboração Storyboard Realizar reunião para definir questões entrevistas (5ª reunião síncrona) 31/01/2016 Beth e Emanuel Concluído Detalhar roteiro do vídeo incluindo todas as cenas a serem produzidas. 07/02/2016 Beth Concluído 3.2 - Fase 2 - 23 de janeiro a 22 de fevereiro Atividade Detalhamento Prazo Responsável Status Desenvolver e publicar um Recurso Educacional Aberto sobre o tópico escolhido. Pesquisar e organizar o conteúdo. 17/02/2016 Beth e Emanuel Concluído Gravar entrevistas e assinatura de Termo de autorização de uso de imagem 10/02/2016 Beth e Emanuel Concluído Termo de autorização de uso imagem 01/02/2016 Beth Concluído Selecionar recursos (áudios, vídeos, imagens etc. - conforme 10/02/2016 Beth e Emanuel Concluído
  11. 11. 10 necessidade apontada no projeto). Realizar reunião para conclusão do Storyboard. (6ª reunião síncrona) 07/02/2016 Beth e Emanuel Concluído Realizar gravação das cenas descritas no Storyboard. 10/02/2016 Beth e Emanuel Concluído Criar recurso, utilizando ferramentas selecionadas (edição vídeo). (Edição realizada por Luiz Paulo Loureiro) 16/02/2016 Beth e Emanuel Concluído Realizar reunião para definir ajustes no vídeo (7ª reunião síncrona) 15/02/2016 Beth e Emanuel Concluído Publicar REA 21/02/2016 Beth Concluído Elaborar registo / reflexão sobre o processo de produção. Preparar diário de produção contendo: questões com que se confrontaram, decisões que tomaram e com que fundamento, quais as preocupações que tiveram, quais os desafios mais difíceis de ultrapassar etc. 20/02/2016 Beth e Emanuel Concluído Realizar reunião para validação final do vídeo e construção da versão final do Diário de Produção (8ª reunião síncrona) 20/02/2016 Beth e Emanuel Concluído Atualização Blogs Beth e Emanuel. 1- Incluir licença Creative Commons Blog Emanuel. 2- Incluir listagem de links sobre REA e Repositórios Abertos. 20/02/2016 Beth e Emanuel Concluído Apresentar REA. Postar no Fórum da temática III, informando link para acesso ao REA. 21/02/2016 Beth e Emanuel Concluído
  12. 12. 11 4. Investigação para elaboração do vídeo Para a elaboração do vídeo, ademais da fundamentação teórica apresentada inicialmente, surgiu a necessidade de ir ao encontro de quem precisasse de saber o que se entende por REA, como se utilizam, quais os cuidados a ter no seu uso, os riscos que corre quem aproveita os conteúdos que, embora estejam acessíveis na Web, possuem funções restritas. Neste âmbito, colocamo-nos perguntas, de modo a poder dar uma resposta concreta a quem visse o vídeo. Constatamos que as perguntas que nos púnhamos seria bom apresentá-las a professores e estudantes. Deste modo, decidimos fazer um questionário que fosse aplicado a um público-alvo composto por professores e estudantes. É de notar que antes de o aplicar foi testado por professores e alterado de acordo com as sugestões dadas. Após este teste, o questionário foi divulgado nas nossas redes sociais. O questionário pode ser visualizado através do link https://docs.google.com/forms/d/1FcTLt4qF4N6ZHIHpX24u_cTI1ySPdEGiPIzzkmn23Ik/viewf orm. À medida que vimos as respostas dos questionários, consideramos que seria útil ouvir alguns professores sobre o que pensam acerca do tema. Para tal, elaboramos algumas perguntas abertas que aplicamos numa entrevista a quatro professores, dois do Brasil e dois de Portugal. É ainda de realçar que cada entrevistado autorizou a divulgação da sua entrevista por meio de um termo de autorização que lhe fornecemos e o qual foi devidamente preenchido e assinado. A aplicação destes dois instrumentos de investigação permitiu o cruzamento dos dados, das 222 respostas dadas pelos inquiridos através do questionário e das respostas dadas pelos quatro professores entrevistados. A realização destas investigações foi importante para que pudéssemos delinear melhor o conteúdo a ser discutido no vídeo, pois confirmou nossas impressões iniciais de que tanto os professores como os estudantes são carentes de conhecimentos sobre as regras de utilização de recursos disponíveis online, sobretudo no que se refere aos REA e ao uso das licenças Creative Commons.
  13. 13. 12 5. Roteiro Tempo total do vídeo: 24’58” Cena 1 - Abertura Visualização: Tela abertura com título do vídeo e nome das autoras, com música e imagens de fundo que remetam ao tema. Imagens: Imagem Redes e Lupa (Pixabay), logo (UAb e MPeL) https://pixabay.com/pt/%C3%ADcones-s%C3%ADmbolos-lupa-pesquisa-842865/ https://pixabay.com/pt/comunidade-amigos-globo-continentes-909148/ Incluir licença CC - BY (Este trabalho está licenciado com a licença Creative Commons - atribuição 4.0 Internacional) Música: Fretless (http://incompetech.com/wordpress/?s=fretless&submit=Go) Licença CC: "Fretless" Kevin MacLeod (incompetech.com) Licensed under Creative Commons: By Attribution 3.0 http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/ Texto: Boas práticas no uso e partilha de recursos da web em atividades educacionais Autoras: Elizabeth Batista de Souza e Maria Emanuel Almeida Descrição: O vídeo começa com tela de abertura com uma música de fundo e imagem que traduza a temática do vídeo. O título do vídeo surge de forma animada (como um mecanismo de busca da internet, digita-se o texto RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS. Como resultado da busca aparece o título do vídeo e o nome das autoras). Cena 2 - Apresentação Elizabeth e Emanuel Visualização: Elizabeth Local: Sessão Skype com Maria Emanuel.
  14. 14. 13 Texto: Olá, meu nome é Elizabeth Batista, estudante do Mestrado em Pedagogia do Elearning, na Universidade Aberta de Portugal e junto com a colega Maria Emanuel e no âmbito da Unidade Curricular: Materiais e Recursos para Elearning produzimos este vídeo com o objetivo de debater as boas práticas na utilização de recursos disponíveis na Web na proposição de atividades educativas. Animação: Elizabeth Batista - Rio de Janeiro - Brasil Descrição: Filmagem da conferência utilizando o gravador de ecrã TalkHelper Call Recorder for Skype. Aparecerá a imagem de Elizabeth com imagem de Maria Emanuel em conferência Skype (Gravação do ecrã de Maria Emanuel). Cena 3 - Apresentação do contexto do trabalho Visualização: Maria Emanuel Local: Sessão Skype com Elizabeth Texto: No mundo cada vez mais digital, é imperativo que nos apropriemos dos imensos recursos disponíveis na Web, mas para que possamos usar estes recursos adequadamente nas nossas aulas e noutras atividades educativas, decidimos preparar este vídeo, onde falaremos sobre como utilizar os recursos disponíveis online, os erros mais comuns e as boas práticas de uso. Tudo isto, porque estamos conscientes que nem todos os professores estão preparados para utilizar estas novas tecnologias. Animação: Maria Emanuel - Estoril - Portugal
  15. 15. 14 Descrição: Filmagem de conferência utilizando o gravador de ecrã TalkHelper Call Recorder for Skype. Aparecerá a imagem de Maria Emanuel com imagem de Elizabeth em conferência Skype (Gravação do ecrã de Elizabeth). Cena 4 - Recursos online Visualização: Elizabeth Local: Sessão Skype com Maria Emanuel Texto: É isso mesmo Emanuel. O advento da Internet nos possibilitou o acesso a uma quantidade quase infinita de informações ao alcance de um clique e isso tem mudado a nossa forma de ensinar e de aprender. Cada vez mais, fazemos uso dos recursos disponíveis online em nossas atividades de ensino e aprendizagem. E não temos mesmo como deixar de fazê-lo, sob o risco de nos tornarmos educadores menos interessantes e distantes da realidade de nossos alunos. Mas observamos que boa parte dos professores e alunos que utilizam estes recursos não conhecem bem as regras de uso dos mesmos, considerando que qualquer recurso disponível na Internet pode ser utilizado livremente, sobretudo em atividades educativas. Mas será que todos os recursos que estão disponíveis na Web podem ser utilizados livremente? Descrição: Filmagem da conferência utilizando o gravador de ecrã TalkHelper Call Recorder for Skype. Aparecerá a imagem de Elizabeth com imagem de Maria Emanuel em conferência Skype (Gravação do ecrã de Maria Emanuel). Cena 5 - Recursos Educacionais Abertos Visualização: Maria Emanuel
  16. 16. 15 Local: Sessão Skype com Elizabeth Texto: Este é um dos equívocos cometidos por muitos professores e estudantes quando estão a investigar na Internet Beth. Partem do pressuposto de que tudo que está ali disponível para consulta pode ser utilizado livremente. Mas isso não é verdade. Por isso, foi criado um movimento, por uma comunidade internacional, ativado pela Internet, que tem como objetivo promover o uso, a adequação, a recombinação e a distribuição de bens educacionais e o qual se denomina por Recursos Educacionais Abertos (REA). Animação: Aparecer logomarca do Movimento REA. Descrição: Incluir frase animada quando da fala de Maria Emanuel sobre o conceito de REA. Gravação da conferência utilizando o gravador de ecrã TalkHelper Call Recorder for Skype. Aparecerá a imagem de Maria Emanuel com imagem de Elizabeth em conferência Skype (Gravação do ecrã de Elizabeth). Cena 6 - Definição de REA Visualização: Elizabeth. Local: Sessão Skype com Maria Emanuel. Texto: Este movimento Emanuel, que começou a ser estruturado no final da década de noventa, ainda não é conhecido por muito educadores e alunos. Mas afinal, o que são REA? Conforme consta na Declaração REA de Paris (2012), os REA são materiais de ensino, aprendizado e pesquisa, fixados em qualquer suporte ou mídia, que estejam sob domínio público ou licenciados de maneira aberta, permitindo que sejam utilizados ou adaptados por terceiros. É bom perceber que
  17. 17. 16 este conceito não se limita a recursos disponíveis online, mas o debate se torna mais complexo no ambiente Web. Animação: Frase: O que são REA? Descrição: Aparece pergunta animada no momento em que Elizabeth faz a pergunta. Aparecer com efeito de digitação, como foi feito na cena de abertura. Gravação da conferência utilizando o gravador de ecrã TalkHelper Call Recorder for Skype. Aparecerá a imagem de Elizabeth com imagem de Maria Emanuel em conferência Skype (Gravação do ecrã de Maria Emanuel). Cena 7 - Erros comumente cometidos Visualização: Maria Emanuel Local: Sessão Skype com Elizabeth. Texto: Pois é Beth, desse modo muitos dos conteúdos que estão na Web não podem ser utilizados, mesmo que seja para finalidades educacionais. São conteúdos cujos direitos são todos reservados ao autor, identificamos estes recursos através da marca Copyright. Para que um recurso possa ser utilizado livremente o autor deve autorizar o seu uso, especificando quais os direitos que gostaria de dar aos usuários. Para a realização deste trabalho fizemos uma investigação com estudantes e professores que utilizam recursos Web nas suas atividades educativas. Vejamos os resultados. Animação: Símbolo Copyright - todos os direitos reservados.
  18. 18. 17 https://pixabay.com/pt/direitos-autorais-s%C3%ADmbolo-38672/ Descrição: Incluir animação quando se fala da marca Copyright. Gravação da conferência utilizando o gravador de ecrã TalkHelper Call Recorder for Skype. Aparecerá a imagem de Maria Emanuel com imagem de Elizabeth em conferência Skype (Gravação do ecrã de Elizabeth). Cena 8 - Apresentação dos resultados da pesquisa Visualização: Voz de Elizabeth narrando telas com resultados da investigação. Imagem: Slides com resultados pesquisa. https://pixabay.com/pt/motor-de-busca-pesquisa-463398/ https://pixabay.com/pt/email-teclado-computador-826333/ http://www.rea.net.br/site/aprovado-pl-9892011-sobre-disponibilizacao-de-recursos- educacionais-abertos/ https://pixabay.com/pt/internet-direitos-autorais-prote%C3%A7%C3%A3o-1013675/ https://pixabay.com/pt/creative-commons-cc-caracteres-785334/ https://pixabay.com/pt/livre-de-direitos-autorais-pd-cc0-37799/ Texto: Realizamos nossa pesquisa entre os dias 21 e 29 de janeiro de 2016 utilizando um formulário Google Docs. (Tela 1) Obtivemos 222 respostas. Neste levantamento, 71% são mulheres. A faixa etária com maior incidência é dos 36 a 55 anos, sendo 61% deles professores. E, em sua maioria professores que lecionam no ensino fundamental (básico) e ensino médio (secundário). O maior número de inqueridos é do Brasil e de Portugal, tendo em vista que utilizamos nossas redes sociais para a divulgação do questionário. (Tela 2) Os recursos da Web que mais são utilizados pelos inqueridos são artigos académicos, imagens, vídeos e apresentações. É importante também ressaltar o
  19. 19. 18 grande número de participantes que citaram como recursos utilizados as próprias redes sociais e outras ferramentas online. (Tela 3) 64% dos inqueridos dizem que buscam respeitar a autoria dos recursos, sempre citando a fonte. Ainda há um percentual significativo que diz não adotar nenhum cuidado específico (8%). (Tela 4) Importante dado remete ao fato de que 53% dos participantes consideram que todo o recurso na Web pode ser utilizado em atividades educacionais, desde que citada a fonte. 65% dos participantes tem nenhum ou pouco conhecimento sobre o que são os REA. Quase 70% não conhecem ou ouviram falar, mas não sabem bem o que significam as licenças Creative Commons. (Tela 5) Um dado importante é o fato de mais de 65% dos inqueridos afirmarem que não costumam partilhar suas produções na Internet, o que pode indicar um receio de fazê-lo por não conhecerem os mecanismos existentes para proteger seus direitos de autor. Destas justificações pode-se constatar que embora haja pessoas que usam recursos da Web e divulgam os seus trabalhos na Internet, estas não têm conhecimento sobre as condições que são inerentes aos REA. Consideram que pelo facto de ser publicado na Internet não há regras. Interessante constatar esta perspetiva e ver o quanto é importante a formação nesta área quer seja para professores, estudantes ou outras pessoas que utilizem materiais Web. (Tela 6) Encerramos a pesquisa perguntando aos participantes se eram favoráveis ou não a liberação de todo o conteúdo da Web para fins educativos. E mais de 98% dos inqueridos se mostraram favoráveis. As justificativas foram diversificadas, no entanto, os argumentos convergiram em torno do objetivo de democratizar o conhecimento, tornando-o acessível ao maior número de pessoas, independente
  20. 20. 19 da possibilidade de estarem ou não frequentando instituições formais de ensino. (Tela 7) Descrição: Criado movimento para que as informações das telas sejam destacadas à medida da fala de Elizabeth. Cena 9 - Entrevista com professores_introdução Visualização: Maria Emanuel Local: Sessão Skype com Elizabeth. Texto: Além da pesquisa online, também entrevistamos alguns professores que nos contaram as suas experiências sobre o uso de recursos da Web nas suas atividades letivas. Vejamos alguns trechos. Descrição: Gravação da conferência utilizando o gravador de ecrã TalkHelper Call Recorder for Skype. Aparecerá a imagem de Maria Emanuel com imagem de Elizabeth em conferência Skype (Gravação do ecrã de Elizabeth). Cena 10 - Entrevistas com professores Visualização: Vídeos de Anderson Pena, Maria D’Aires Sítima, Edwin Giebelen e Manuela Francisco Animação: No início de cada trecho de entrevista incluir dados de cada professor: Anderson Pena - Professor Universitário, Rio de Janeiro, Brasil. Edwin Giebelen - Professor Universitário, Rio de Janeiro, Brasil. Manuela Francisco - Professora Universitária, Leiria, Portugal.
  21. 21. 20 Maria D’Aires Sítima - Professora Ensino Básico/Secundário, Carcavelos, Portugal. Descrição: Realizar edição de trechos das entrevistas. Cena 11 - Boas práticas para uso dos recursos WEB Visualização: Elizabeth Local: Sessão Skype com Maria Emanuel. Texto: Realizar esta pesquisa e entrevistar alguns colegas professores foi importante para que pudéssemos compreender melhor como educadores e estudantes se comportam ao utilizarem os recursos Web em suas atividades educativas. Percebe-se que a maioria se preocupa com as regras de utilização e sabem que precisam respeitar os direitos de quem produziu o recurso e temem incorrer na prática de plágio, mas boa parte deles não sabe como fazer. Um dado importante que a pesquisa traz é o grande percentual de pessoas que utilizam recursos, mas não conhecem as licenças de uso. Mas afinal, o que são estas licenças? Como reconhecê-las e utilizá-las? Descrição: Gravação da conferência utilizando o gravador de ecrã TalkHelper Call Recorder for Skype. Aparecerá a imagem de Elizabeth com imagem de Maria Emanuel em conferência Skype (Gravação do ecrã de Maria Emanuel). Cena 12 - Licenças Creative Commons Visualização: Maria Emanuel Local: Sessão Skype com Elizabeth.
  22. 22. 21 Texto: Então Beth, existem mecanismos eficientes para proteção dos direitos de autor, tanto para quem usa os recursos de outros, como para quem quer disponibilizar recursos produzidos por si. Para proteger e regular a utilização destes recursos disponibilizados na rede, foram definidas licenças que especificam qual o tipo de uso é permitido. Uma das mais populares, por serem de fácil compreensão pelos usuários são as licenças da Creative Commons, A Creative Commons é uma organização Norte-americana sem fins lucrativos que permite partilhar e usar a criatividade e o conhecimento por meio de instrumentos jurídicos gratuitos. São licenças de direitos autorais livres, fáceis de usar. E de um modo simples e normalizado, permitem ao público partilhar e utilizar o seu trabalho criativo – sob certas condições, de acordo com a sua escolha. As licenças CC permitem que o autor altere facilmente os seus termos de direitos autorais, passando por exemplo de “todos os direitos reservados” para “alguns direitos reservados”, segundo os critérios de cada um. A CC oferece seis tipos de licenças: Atribuição - CC BY A Atribuição - CC BY é uma licença que possibilita que outras pessoas distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do trabalho inicial, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original. É a licença mais flexível de todas as licenças disponíveis. É recomendada para maximizar a disseminação e o uso dos materiais licenciados. Atribuição-CompartilhaIgual - CC BY-SA
  23. 23. 22 A Atribuição-Compartilha Igual - CC BY-SA é uma licença que autoriza que outras pessoas remisturem, adaptem e criem a partir do primeiro trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito e licenciem as novas criações ao abrigo de termos idênticos. Esta licença costuma ser comparada com as licenças de software livre e de código aberto «copyleft». Todos os trabalhos novos baseados no original terão a mesma licença, portanto quaisquer trabalhos derivados também permitirão o uso comercial. Esta é a licença usada pela Wikipédia e é recomendada para materiais que seriam beneficiados com a incorporação de conteúdos da Wikipédia e de outros projetos com licenciamento semelhante. Atribuição-Sem Derivações - CC BY-ND A Atribuição-Sem Derivações - CC BY-ND é uma licença que permite a redistribuição, comercial e não comercial, desde que o trabalho seja distribuído inalterado e no seu todo, com crédito atribuído ao autor inicial. Atribuição-NãoComercial - CC BY-NC A licença Atribuição-NãoComercial - CC BY-NC permite que outras pessoas remisturem, adaptem e criem a partir do próprio trabalho para fins não comerciais. Embora aos novos trabalhos tenha de ser atribuído o devido crédito não podem ser usados para fins comerciais. Assim quem reelabora estes trabalhos não têm de os licenciar, porque estão ao abrigo da mesma licença. Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual- CC BY-NC-SA A licença Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual - CC BY-NC-SA autoriza que outras pessoas remisturem, adaptem e criem a partir do trabalho original para fins não comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito e que licenciem as novas criações ao abrigo de termos idênticos.
  24. 24. 23 Atribuição-NãoComercial-SemDerivações - CC BY-NC-ND A licença Atribuição-NãoComercial-SemDerivações CC BY-NC-ND é a mais restritiva das seis licenças, só permite que outros façam download dos seus trabalhos e os partilhem desde que sejam atribuídos ao principal autor os devidos créditos, mas sem que os possam alterar ou utilizar para fins comerciais. Para que possam ter mais informações sobre estas licenças disponibilizamos o endereço eletrónico, de modo a poder aceder ao site da Creative Commons. Animação: Incluir cada uma das licenças e o que significam à medida em que Emanuel as descreve. (Imagem: https://pixabay.com/pt/creative-commons-licen%C3%A7as-%C3%ADcones-783531/) Incluir endereço CC (https://br.creativecommons.org/sobre/) Descrição: Gravação da conferência utilizando o gravador de ecrã TalkHelper Call Recorder for Skype. Aparecerá a imagem de Maria Emanuel com imagem de Elizabeth em conferência Skype (Gravação do ecrã de Elizabeth). Cena 13 - Ciclo REA - estímulo à partilha e ao uso Visualização: Elizabeth Batista Local: Sessão Skype com Maria Emanuel. Texto: Entender como funciona estas licenças é fundamental para que possamos utilizar os recursos com a segurança que não estamos infringindo nenhum direito do autor e principalmente, quando compartilhamos nossos trabalhos também poderemos ter a certeza de que nossos direitos estarão legalmente preservados.
  25. 25. 24 Os recursos online para serem considerados recursos abertos devem possuir quatro liberdades consideradas fundamentais: • Usar: compreende a liberdade de usar o original, ou a nova versão por você criada com base num outro recurso, em uma variedade de contextos; • Aprimorar: compreende a liberdade de adaptar e melhorar os recursos para que melhor se adequem às suas necessidades; • Recombinar: compreende a liberdade de combinar e fazer misturas e colagens de algum recurso com outros recursos para a produção de novos materiais; • Distribuir: compreende a liberdade de fazer cópias e compartilhar o recurso original e a versão por você criada com outras pessoas. Estas 04 liberdades criam um ciclo virtuoso. Eu uso um recurso para produzir um novo trabalho e em seguida compartilho o meu trabalho para que outros possam reutilizá-lo. Esta é uma boa prática fundamental para manutenção deste ciclo. Utilizar, produzir e partilhar o que produziu, faz com que este ciclo virtuoso se mantenha perene e que mais pessoas possam se beneficiar. Animação: Incluir o ciclo REA. Descrição: Gravação da conferência utilizando o gravador de ecrã TalkHelper Call Recorder for Skype. Aparecerá a imagem de Elizabeth com imagem de Maria Emanuel em conferência Skype (Gravação do ecrã de Maria Emanuel). Cena 14 - Cena Final - onde encontrar e disponibilizar REA Visualização: Maria Emanuel Imagens: Sessão Skype com Elizabeth Batista
  26. 26. 25 Texto: Sabendo que os REA são mecanismos legais que podem ser utilizados. Onde os podemos encontrar na Internet? Nos mecanismos de busca tradicionais quando procuramos um tema é possível fazer uma procura avançada, que permite inserir alguns filtros, e entre eles especificar “direitos de uso”. Deste modo aparecerá como resultado da busca apenas os recursos que atendem às especificações de uso. Além disso, é possível também visitar alguns repositórios públicos que disponibilizam recursos com licenças abertas. Nos nossos blogs disponibilizamos uma lista com alguns repositórios que podem utilizar. Boa parte deles também permitem a partilha de recursos e a colaboração livre no conteúdo disponibilizado, como é o caso da Wikipédia. Assim, concluímos a nossa contribuição. Esperamos que este vídeo vos tenha estimulado a conhecer melhor os REA e a contribuir para que este ciclo virtuoso se torne cada vez mais perene e o acesso à educação cada vez mais universalizado. Animação: Aparece na cena a tela de busca avançada do Google, com animação especificando na aba “direitos de uso” um dos tipos de licença. Aparece em seguida, o endereço dos Blogs de Elizabeth (http://apesardedistantepertoestou.blogspot.com.br/) e Maria Emanuel (http://mariaemanuelalmeidampel8.blogspot.com.br/). Descrição: Gravação da conferência utilizando o gravador de ecrã TalkHelper Call Recorder for Skype. Aparecerá a imagem de Maria Emanuel com imagem de Elizabeth em conferência Skype (Gravação do ecrã de Elizabeth). Cena 15 - Créditos Visualização: Tela final com música e imagem (mesma da abertura) Imagens: Imagem Redes e Lupa (Pixabay)
  27. 27. 26 https://pixabay.com/pt/%C3%ADcones-s%C3%ADmbolos-lupa-pesquisa-842865/ https://pixabay.com/pt/comunidade-amigos-globo-continentes-909148/ Texto: Boas práticas no uso de partilha de recursos da Web em atividades educacionais Trabalho realizado no âmbito da Unidade Curricular Materiais e Recursos para Elearning no Mestrado em Pedagogia do Elearning - Universidade Aberta de Portugal Professora Doutora Ana Nobre - Portugal Mestrandas e autoras do trabalho: Elizabeth Batista de Souza - Brasil Maria Emanuel Almeida - Portugal Agradecimentos: Luiz Paulo Loureiro - Brasil - Edição, montagem e legendas. Angela Loureiro - Brasil – Trilha sonora Anderson Pena (Doutor em Educação) - Brasil Edwin Giebelen (Mestre em Educação) - Brasil Manuela Francisco (Doutora em Educação a Distância e Elearning) - Portugal Maria D’Aires Sítima (Mestre em Ciências da Educação) - Portugal Música: Fretless - http://incompetech.com/wordpress/?s=fretless&submit=Go Imagens: https://pixabay.com/pt/%C3%ADcones-s%C3%ADmbolos-lupa-pesquisa- 842865/ https://pixabay.com/pt/comunidade-amigos-globo-continentes- 909148/ https://pixabay.com/pt/direitos-autorais-s%C3%ADmbolo-38672/ https://pixabay.com/pt/motor-de-busca-pesquisa-463398/ https://pixabay.com/pt/email-teclado-computador-826333/ http://www.rea.net.br/site/aprovado-pl-9892011-sobre-disponibilizacao-de- recursos-educacionais-abertos/
  28. 28. 27 https://pixabay.com/pt/internet-direitos-autorais-prote%C3%A7%C3%A3o- 1013675/ https://pixabay.com/pt/creative-commons-cc-caracteres-785334/ https://pixabay.com/pt/livre-de-direitos-autorais-pd-cc0-37799/ https://pixabay.com/pt/creative-commons-licen%C3%A7as-%C3%ADcones- 783531/ Recursos utilizados: Google Docs. - https://www.google.com/docs/about/ Skype - http://www.skype.com/pt-br/ TalkHelper Call Recorder for Skype - http://www.talkhelper.com/ (versão Free Trial) Referências: (Incluir lista completa). Descrição: Os créditos aparecem em movimento ascendente na tela, finalizando com um logo da UAb PT e do Mestrado.
  29. 29. 28 6. Registo dos aspetos mais relevantes do processo de produção do REA 6.1 Aspetos mais relevantes: Um dos aspetos mais significativos deste trabalho teve que ver com a escolha do tipo de trabalho e do título. Decidimos por este título “Boas práticas no uso e na partilha de recursos da web em atividades educacionais”, porque constatamos na nossa prática profissional que existem ainda muitos professores que desconhecem o que são REA e como os utilizar. Uma outra questão relaciona-se com a tecnologia que foi utilizada. Devido à diversidade de apresentações para a elaboração do vídeo tivemos de usar diferentes ferramentas. Aspeto este que desenvolveu entre as autoras uma partilha intensa de saberes e competências. Um aspecto importante refere-se ao facto de termos tido em consideração a acessibilidade a pessoas com deficiência auditiva e a necessidade de lhes comunicar estes mesmos conhecimentos. Para tal, resolvemos colocar no vídeo uma legenda em português de tudo o quanto se dizia oralmente. 6.2 Desafios enfrentados e como foram superados: Uma das preocupações que tivemos desde o início do trabalho, foi fazê-lo de modo que servisse para explicar o melhor possível o que são REA, como se utilizam as licenças existentes e os cuidados a ter no seu uso. Este cuidado foi permanente ao longo do processo de elaboração de todo o trabalho que resultou no vídeo, pois tínhamos como objetivo primordial fornecer as competências necessárias para quem necessitasse de usar os REA o pudesse fazer segundo as devidas regras e para benefício de todos. O primeiro grande desafio, após definirmos que seria produzido um vídeo, foi o de definir a linguagem que deveríamos utilizar. Considerando que nosso público-alvo era bastante diversificado e que, a maioria, não conhecida a temática, precisávamos definir uma forma de expressar os conceitos que fosse acessível a todos, daí optamos por uma linguagem coloquial e simples. Recorremos a imagens sempre que nos pareceu necessário dar materialidade a algum conceito. Ainda no que diz respeito à linguagem, nos preocupamos com a adequação dos termos utilizados, de modo que pudessem ser compreendidos sem dificuldade por portugueses e brasileiros, entendendo que apesar da língua ser comum, existem algumas
  30. 30. 29 diferenças significativas. De modo geral, procuramos utilizar a norma do idioma adotado em Portugal. Um segundo desafio foi a escrita do roteiro. Inicialmente propusemos elaboração de um vídeo de no máximo 10 minutos, no entanto, concluímos que estávamos diante de um conteúdo que exigia mais tempo para apresentação, principalmente considerando os resultados obtidos na investigação. Decidimos então, optar por uma produção mais extensa, e que nos possibilitasse apresentar, de modo organizado, todo o material que entendemos ser importante para o encadeamento da proposta. O terceiro grande desafio está diretamente relacionado ao tipo de recurso que propusemos a produzir, visto que nenhuma das autoras possuía a habilidade efetiva de edição de vídeos. Assim, contamos com a colaboração de um editor que, sob a orientação que constava no nosso roteiro, realizou a montagem do vídeo. O quarto desafio enfrentado tem a ver com a investigação sobre os recursos de gravação, considerando que boa parte de nosso vídeo devia ser produzido a partir de cenas de conferência entre Elizabeth e Emanuel. Como a ferramenta de conferência selecionada (Skype) não possui ferramenta de gravação interna ao software, realizamos uma pesquisa e descobrimos algumas opções de gravadores. Optamos pela ferramenta TalkHelper, que disponibiliza uma versão free trial, que se mostrou eficiente para o que nos propusemos a realizar. O quinto desafio enfrentado refere-se às entrevistas realizadas com os professores. Um material rico e interessante, fez com que o trabalho de seleção dos trechos a serem inseridos no vídeo nos tomasse um bom tempo de apreciação e debate. O sexto desafio relaciona-se com a separação tempo-espacial existente entre as autoras. Muito do trabalho elaborado foi realizado em locais e horários que exigiu da equipa muita resiliência, negociação e também algumas noites com poucas horas de sono. No entanto, este desafio foi rapidamente superado pelo entusiasmo, comprometimento e entrosamento da equipa. No que diz respeito aos conceitos trabalhados, o debate empreendido no âmbito da produção deste vídeo, permitiu-nos aprofundar a compreensão em vários aspetos, mas também, dada a complexidade do tema, possibilitou abrir outras frentes de questionamento que certamente vão ser subsídios para trabalhos futuros.
  31. 31. 30 Concluímos este diário de produção, agradecendo à Professora Ana Nobre o desafio que nos propôs, visto ter-nos permitido viver momentos muito ricos de aprendizagens e experiências em todos os sentidos, não obstante o esforço e empenho que implicou durante todo o processo da sua realização.

×