Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Proposição, Os Lusíadas

82,813 views

Published on

Proposição, Os Lusíadas, planos narrativos, estrutura interna, estrutura externa

Published in: Education
  • Be the first to comment

Proposição, Os Lusíadas

  1. 1. PROPOSIÇÃO CANTO I, est. 1, 2, 3 OS LUSÍADAS
  2. 2. CAMÕES PROPÕE-SE CANTAR Os guerreiros e os homens ilustres («As armas e os barões assinalados») porque Saíram da Ocidental praia Lusitana (Portugal) , passaram por mares nunca dantes navegados, enfrentaram perigos e guerras, e edificaram um novo reino que tanto sublimaram.
  3. 3. CAMÕES PROPÕE-SE CANTAR Os homens gloriosos («E também as memórias gloriosas daqueles reis…») Os homens merecedores de imortalidade («E aqueles que[…]/Se vão da lei da morte libertando») porque Dilataram a Fé e o império, e devastaram as terras viciosas de África e da Ásia. (Os reis de D. João I a D. Manuel) Realizaram obras valerosas.
  4. 4. EU, POETA, TENHO O PROPÓSITO DE: • Através da poesia, se tiver talento para isso, tornarei conhecidos em todo o mundo • ↓ • os homens ilustres que fundaram o império português do Oriente • ↓ • os reis, de D. João I a D. Manuel, que expandiram a fé cristã e o império português •↓ • todos os portugueses dignos de admiração pelos seus feitos.
  5. 5. 5.2. CONTAR A HISTÓRIA / ENALTECER A HISTÓRIA • Os heróis épicos da Antiguidade eram modelos de qualidades morais e de heroísmo. • Se o herói de Os Lusíadas os supera, há, sem dúvida, um engrandecimento dos feitos do “peito ilustre lusitano”. • Ao navegarem “por mares nunca dantes navegados”, os portugueses venceram o deus do mar. Descobriram caminhos e segredos do mar até então só conhecidos dos deuses. • A sua força guerreira, as suas vitórias, particularmente contra os mouros, mostraram que estavam ao nível dos deuses.
  6. 6. ESTRUTURA EXTERNA • A Proposição apresenta três estrofes de oito versos (oitavas) decassilábicos e com o esquema rimático abababcc • … assinalados a • … Lusitana b • … navegados a rima cruzada • … Taprobana b rima cruzada • … esforçados a • … humana b • …edificaram c • … sublimaram c rima emparelhada
  7. 7. RECURSOS EXPRESSIVOS • Sinédoque – consiste em apresentar a parte pelo todo. “Ocidental praia Lusitana” = Portugal • “o peito ilustre Lusitano” = os Portugueses, o herói coletivo • Anáfora – repetição da mesma palavra ou da mesma expressão no início de cada verso • “Cessem do sábio Grego e do Troiano” • “Cale-se de Alexandre e de Trajano” • “Cesse tudo o que a Musa antiga canta” repetição de verbos no imperativo
  8. 8. ESTRUTURA INTERNA • A obra apresenta quatro planos narrativos que orientam a ação: • - Plano da Viagem: refere-se à narração da viagem de Lisboa até à Índia, com a partida de Belém, a paragem em Melinde e a chegada a Calecut. • - Plano da História: refere-se aos momentos em que se apresentam factos da História de Portugal. • - Plano dos Deuses: também chamado mitológico pela intervenção dos deuses na ação, facilitando e complicando a viagem. • - Plano do Poeta: refere-se às considerações pessoais que o poeta tece e que deveriam ser em número reduzido.
  9. 9. Os quatro planos narrativos que orientam a ação estão presentes desde o início. Plano da viagem “Por mares nunca dantes navegados” Plano da História “Daqueles Reis que foram dilatando” Plano dos deuses “A quem Neptuno e Marte sempre obedeceram” Plano do poeta “Cantando espalharei por toda a parte”

×