Organização empresarial

90 views

Published on

Organização empresarial

Published in: Career
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
90
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Organização empresarial

  1. 1. Organização Empresarial PRIMEIRA AULA Primeira Segunda Terceira Quarta
  2. 2. Tópicos Introdução Orçamentos Exercícios (Desenvolver uma planilha de Orçamentos) PROF. MARCELO
  3. 3. Organização Empresarial Segundo Maximiano(1992)1 "uma organização é uma combinação de esforços individuais que tem por finalidade realizar propósitos coletivos. Por meio de uma organização torna-se possível perseguir e alcançar objetivos que seriam inatingíveis para uma pessoa. Uma grande empresa ou uma pequena oficina, um laboratório ou o corpo de bombeiros, um hospital ou uma escola são todos exemplos de organizações." Uma organização é formada pelo soma de pessoas, máquinas e outros equipamentos, recursos financeiros e outros. A organização então é o resultado da combinação de todos estes elementos orientados a um objetivo comum. A qualidade é o resultado de um trabalho de organização. PROF. MARCELO
  4. 4. A importância da organização Podemos ter uma ideia porque a organização é importante compreendendo que um dos primeiros passos para uma empresa implantar um processo TQM - gerenciamento total da qualidade (total quality management). Esse primeiro passo tem início no uso dos conhecidos 5 S, que significam, a partir das palavras japonesas: 1 - SEIRI que corresponde a eliminar o desnecessário separando-o do necessário. 2 - SEITON que significa colocar em ordem, guardando de forma ordenada tudo que é necessário. 3 - SEISO que significa limpeza, eliminação da sujeira, acabando com as fontes dos problemas. 4 - SEIKETSU que significa asseio, padronização, higiene, e também o estágio onde se evita que as etapas anteriores retrocedam. 5 - SHITSUKE que significa disciplina, com a cumprimento rigoroso de tudo que foi estabelecido pelo grupo. Fonte: 1- MAXIMIANO, ANTONIO CESAR A. Introdução a administração. 3ª ed., São Paulo, Editora Atlas, 1992. http://www.gerenco.com.br/page3.html PROF. MARCELO
  5. 5. A importância do Orçamento como ferramenta de planejamento As empresas bem organizadas sabem da importância e das vantagens de um bom planejamento de suas atividades em busca de seus objetivos. As constantes mudanças que estão ocorrendo no ambiente de negócios, muitas delas produzidas pela globalização dos mercados, estão exigindo das empresas cada vez mais o aprimoramento de seus processos de planejamento, avaliação e controle, tendo em vista a necessidade de tomada de decisões rápidas e de melhor qualidade que lhe assegurem o atendimento de seus objetivos de continuidade, expansão e lucratividade. O orçamento é um valioso instrumento de planejamento e controle das operações da empresa, qualquer que seja seu ramo de atividade, natureza ou porte. Estabelece, da forma mais precisa possível, como se espera que transcorram os negócios da empresa, geralmente num prazo mínimo de um ano, proporcionando uma visão bem aproximada da situação futura. É através do orçamento que se estabelece metas com a equipe, dando, assim, uma visão clara de onde a empresa quer chegar. A prática do orçamento empresarial é uma das técnicas administrativas bastante utilizadas pelas grandes instituições empresariais, nacionais e multinacionais. PROF. MARCELO
  6. 6. Quando se trabalha sem o orçamento, trabalha-se pensando somente no mês (faturamento) e não é muito raro as equipes de gerentes e supervisores, não conhecerem os objetivos e as metas da empresa. Isto tem acontecido muito com as pequenas e médias empresas, pois elas têm relutado em utilizar o orçamento empresarial como forma de gerir e prever resultados futuros, dizendo que isso não faz parte da sua realidade. Tal posição tem que ser revista, pois, pela sua estrutura organizacional e pela forma como são dirigidas, são muito vulneráveis às mudanças do ambiente e, por isso, precisam desenvolver ferramentas de planejamento que possibilitem agilizar as decisões. Um verdadeiro orçamento envolve todos os funcionários da empresa, principalmente gerentes e supervisores, pois são estes que irão fazer acontecer. O orçamento consiste em uma série de previsões, que serão feitas com base no que se espera acontecer em cada setor e no mercado em geral, sempre levando em consideração os dados históricos, fatos ocorridos no passado, que permitam o mínimo de previsibilidade. PROF. MARCELO
  7. 7. Um orçamento empresarial completo engloba, necessariamente, os seguintes orçamentos específicos: • Orçamento de vendas; • Orçamento de produção; • Orçamento de matérias-primas; • Orçamento de custos totais; • Orçamento de despesas gerais; • Orçamento de investimento; • Orçamento de caixa; • Orçamento de resultado. Feito o orçamento, todos passam a conhecer as metas e os objetivos da empresa, no mínimo para um ano. É necessário que a equipe, mensalmente, faça o acompanhamento, isto é, comparar o previsto com o realizado, corrigindo e redirecionando as ações afim de assegurar o cumprimento mais fiel possível do projetado. Fonte:http://www.ecrconsultoria.com.br/biblioteca/artigos/controladoria-estrategica/a-importancia-do-orcamento-como-ferramenta-de-planejame Tipos de Orçamentos PROF. MARCELO
  8. 8. PROF. MARCELO
  9. 9. PROF. MARCELO
  10. 10. Organização Empresarial SEGUNDA AULA PROF. MARCELO
  11. 11. Tópicos Folha de Pagamento Hora extra INSS FGTS Dissídio Férias Vale Transporte 13° Salario PROF. MARCELO
  12. 12. PROF. MARCELO Importância da Folha de Pagamento Em uma empresa, folha de pagamento é a soma de todos os registros financeiros: vencimentos, salários, bônus e descontos. Em contabilidade, folha de pagamento refere-se ao montante pago aos empregados para serviços prestados durante um determinado período de tempo. O processo para execução da folha de pagamento é de suma importância para o departamento pessoal, em razão da riqueza técnica que existe para transformar todas as informações do empregado e da empresa num produto final que é a folha de pagamento. A Folha de pagamento, por sua vez, tem função operacional, contábil e fiscal, devendo ser constituída com base em todas as ocorrências mensais do empregado. É a descrição dos fatos que envolveram a relação de trabalho, de maneira simples e transparente, transformado em valores numéricos, através de códigos, quantidade, referências, percentagens e valores, em resultados que formarão a folha de pagamento.
  13. 13. PROF. MARCELO A folha de pagamento desempenha um papel importante em uma empresa por várias razões. De um ponto de vista contábil, folha de pagamento é crucial, porque os salários e encargos sociais afetam consideravelmente o lucro da empresa e é regulamentado na legislação de cada país, ou melhor, segue uma normatização e implica: direitos e deveres. Do ponto de vista da ética, a folha de pagamento é um serviço crucial ao negócio da empresa, pois afeta diretamente a sua produção, ou seja, empregados felizes rendimento maior, produção maior. Como os empregados são sensíveis a erros e irregularidades da folha de pagamento. A moral dos funcionários exige que a folha de pagamento seja paga no tempo certo acordado e que seja uma folha de pagamento confiável, precisa e justa. A principal missão do departamento de pessoal é garantir que todos os trabalhadores sejam pagos de forma precisa e oportuna, com a correta retenção de encargos e descontos e que estes encargos sejam recolhidos dentro do prazo estipulado pela legislação. Folha de pagamento é o nome dado a uma lista mensal da remuneração paga aos trabalhadores de uma instituição. Toda empresa no Brasil tem a obrigação legal de prepará-la, contendo: o nome dos funcionários, indicando o cargo; a divisão dos funcionários por categoria de contribuição à previdência: segurado empregado, trabalhador avulso ou contribuinte individual; o nome das funcionárias em gozo de salário-maternidade; as partes integrantes e não-integrantes da remuneração, e os descontos legais; e o número de quotas de salário-família de cada empregado segurado ou trabalhador avulso. Fonte: http://www.curso-dp-rh.com.br/artigos/importancia-da-folha-de-pagamento
  14. 14. PROF. MARCELO O que é: Horas extras são aquelas trabalhadas além da jornada contratual de cada empregado. Assim, se a jornada for de 4, 6 ou 8 horas, todos as excedentes deverão ser pagas como extras. O valor da hora extra é de uma hora normal de trabalho acrescido de, no mínimo, 50%, mas é importante consultar as convenções ou acordos coletivos porque esse percentual pode ser ampliado. Hora extra Quem tem direito: Todo o trabalhador que trabalha além das horas estabelecidas em seu contrato de serviço. Como funciona o trabalho em regime de horas extras: A jornada normal de trabalho somente poderá ser prorrogada em até duas horas, exceto nos casos de força maior ou necessidade imperiosa. Nestes casos, para que o empregador possa legitimamente exigir trabalho em horas extras suplementares, deverá haver acordo escrito entre as partes ou norma coletiva. Fora destes casos, o trabalhador pode se recusar a trabalhar além das horas estabelecidas em contrato, mesmo sendo pago a ele o valor das horas extras.
  15. 15. PROF. MARCELO Como é calculada: Para calcular o valor da hora extra é necessário, primeiramente, saber o valor da hora trabalhada. Para saber quanto você ganha por hora, faça o seguinte: divida o seu salário pelo total de horas trabalhadas por mês, o resultado dessa conta é o quanto você ganha por hora. Pegue o quanto você ganha por hora e multiplique pelo percentual da hora extra, o resultado desta conta será o valor de uma hora extra. Por fim, multiplique o valor de uma hora extra pelo número de horas que você trabalhou a mais. Assim, saberá o total em dinheiro que deverá receber no final do mês, além do salário normal. Como a hora extra é paga: As horas extras devem ser pagas no final do mês em que o trabalho foi prestado. Havendo acordo da empresa com o sindicato ou convenção coletiva de trabalho, as horas extras poderão ser compensadas com dias de folga. Fonte: http://www.guiadedireitos.org/index.php?option=com_content&view=article&id=182%3Ahoras-extras&catid=21%3Adireitos-do-trabalhador&Itemid=46
  16. 16. PROF. MARCELO O que é INSS ? A Previdência Social no Brasil é o seguro social destinado à pessoa que contribui. Ela é uma instituição pública como objetivo de fazer e reconhecimento de direitos e conceder esses direitos aos seus segurados. Aquilo que o contribuinte paga à Previdência Social é utilizada na substituição da renda do trabalhador que é contribuinte, quando ele não pode mais trabalhar, por motivo de doença, invalidez, idade avançada, morte e desemprego involuntário, ou mesmo a maternidade e a reclusão. O Ministério da Previdência Social é o órgão do governo destinado a administrar a Previdência Social no Brasil.
  17. 17. PROF. MARCELO INSS O INSS – Instituto Nacional do Seguro Social é uma autarquia Do Governo Federal ligada ao Ministério da Previdência Social. Sua função de receber os valores pagos em regime de Previdência Social e ao pagamento dos benefícios de pensão, aposentadoria e outros benefícios que são previstos em lei. O valor a ser pago pelos trabalhadores ou não, dependerá do salário mensal que o mesmo possui e que determinará a porcentagem a ser pago ao INSS, essa porcentagem de contribuição foi instituída da seguinte forma: Até R$ 868,29 – 7,65% De R$ 868,30 a R$ 1.140,00 – 8,65% De R$ 1.140,01 a R$ 1.447,14 – 9,00% De R$ 1.447,15 até R$ 2.894,28 – 11,00%
  18. 18. PROF. MARCELO Os empregados em geral realizam a contribuição simultânea ao momento que é registrado, todos têm a obrigação como sendo ao mesmo tem direito á contribuição, em que ela lhe será devolvida no caso em que se encontre impossibilitado de trabalhar, seja incapacidade física, mental, gravidez, velhice, ao morrer ou mesmo em casos em que seja preso, assim a Previdência Social segura você e sua família. Estando entre os benefícios de seguro:  Aposentadoria;  Salário-maternidade;  Salário-família;  Auxílio-doença;  Auxílio-acidente;  Pensão por morte.  Especial,  Auxilio reclusão
  19. 19. PROF. MARCELO Para a aposentadoria existem algumas exigências para determinado caso: Tempo de contribuição É necessário: Homens – 35 anos de contribuição. Mulheres- 30 anos de contribuição. Por Idade – Trabalhadores urbanos É necessário: Homens – 65 anos de idade e 15 de contribuição. Mulheres- 60 anos de idade e 15 de contribuição. Por idade – Trabalhadores rurais É necessário: Homens – 60 anos de idade e 15 anos na atividade rural. Mulheres- 55 anos de idade e 15 anos na atividade rural Por invalidez É necessário: – Passar por um perito, em que inicialmente o pedido é de auxilio doença. Portanto a contribuição ao INSS resulta em grandes benefícios para suprir suas necessidades no momento em que você estiver incapacitado de trabalhar, ou com a idade de se aposentar, ainda para as mulheres o beneficio do auxilio maternidade, entre outras vantagens, em que o INSS e a Previdência trabalham juntos para lhe segurar. Fonte: http://www.educacao.cc/financeira/para-que-serve-o-inss-e-previdencia-social/
  20. 20. PROF. MARCELO O QUE É E PARA QUE SERVE O FGTS? Todos os meses, ao receber seu pagamento, você repara em um valor, no rodapé do holerite, referente ao FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). No entanto, percebe também que aquela parcela não foi descontada do seu salário, como acontece com o Imposto de Renda e o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Mas, afinal, o que é e para que serve o FGTS? O FGTS é uma poupança aberta pela empresa em nome do trabalhador, onde todo mês ela deve depositar o relativo a 8% do valor do salário que ele recebe. De acordo com a Caixa Econômica Federal, o Fundo foi criado em 1967, pelo Governo Federal, para proteger o trabalhador demitido sem justa causa: os valores pertencem exclusivamente aos empregados, que podem, em determinadas situações, utilizar o dinheiro depositado no nome deles. Todos os trabalhadores registrados em carteira e protegidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) têm direito a esse depósito desde 05/10/88. Antes dessa data, o direito ao FGTS era opcional. Também têm direito ao Fundo os trabalhadores rurais, os temporários, os avulsos, os safristas (ou safreiros; são aqueles que trabalham por safra) e os atletas profissionais (jogadores de futebol).
  21. 21. PROF. MARCELO QUANDO SACAR ? Como o principal objetivo do Fundo é proteger o trabalhador no caso de uma demissão, o dinheiro aplicado não pode ser sacado em qualquer situação. Confira quando é possível usufruir de parte ou da totalidade do valor: - Na demissão sem justa causa; - No término do contrato por prazo determinado; - Na rescisão do contrato por extinção total ou parcial da empresa; - Na decretação de anulação do contrato de trabalho nas hipóteses previstas no art. 37 §2º, da Constituição Federal, ocorrida após 28/07/2001, quando, mantido o direito ao salário; - Na rescisão do contrato por falecimento do empregador individual; - Na rescisão do contrato por culpa recíproca ou força maior; - Na aposentadoria; - No caso de necessidade pessoal, urgente e grave, decorrente de desastre natural causado por chuvas ou inundações que tenham atingido a área de residência do trabalhador, quando a situação de emergência ou o estado de calamidade pública for assim reconhecido, por meio de portaria do Governo Federal;
  22. 22. PROF. MARCELO - Na suspensão do Trabalho Avulso; - No falecimento do trabalhador; - Quando o titular da conta vinculada tiver idade igual ou superior a 70 anos; - Quando o trabalhador ou seu dependente for portador do vírus HIV; - Quando o trabalhador ou seu dependente for acometido de neoplasia maligna - câncer; - Quando o trabalhador ou seu dependente estiver em estágio terminal, em razão de doença grave; - Quando a conta permanecer sem depósito por 3 anos seguidos, cujo afastamento tenha ocorrido até 13/07/90; - Quando o trabalhador permanecer por 03 anos seguidos fora do regime do FGTS, cujo afastamento tenha ocorrido a partir de 14/07/90, podendo o saque, neste caso, ser efetuado a partir do mês de aniversário do titular da conta; - Para aquisição de moradia própria, liquidação ou amortização de dívida ou pagamento de parte das prestações de financiamento habitacional. Fonte: http://sindpec.org.br/plus/modulos/noticias/ler.php?cdnoticia=110
  23. 23. PROF. MARCELO O que é dissídio salarial? Neste caso, a palavra dissídio é um conflito tanto de natureza individual entre trabalhador e empregador, quanto coletiva entre sindicato e empregador, solucionado juridicamente. O dissídio salarial, especificamente, é um desacordo em relação ao percentual de reajuste salarial, ao qual o trabalhador tem direito uma vez por ano no mês da data base, julgado pela Justiça Trabalhista. 13° Salario O que é: O décimo terceiro salário é um direito garantido pelo art.7º da Constituição Federal de 1988. Consiste no pagamento de um salário extra ao trabalhador no final de cada ano. Quem tem direito: Todo trabalhador com carteira assinada, bem como aposentados, pensionistas e trabalhadores avulsos. A partir de quinze dias de serviço, o trabalhador já passa ter direito a receber o décimo terceiro salário. Como funciona: O décimo terceiro salário é calculado sobre o salário integral do trabalhador a partir da seguinte fórmula: valor do salário ÷ 12 x nº de meses trabalhados. O trabalhador deixa de ter direito a 1/12 avos relativos ao mês de trabalho quando tiver mais de 15 faltas não justificadas no mês. As médias dos demais rendimentos como hora extra e comissões adicionais são também somadas ao valor do salário usado como base para o cálculo do décimo terceiro. Trabalhadores que só recebem comissão, devem calcular o décimo terceiro baseando-se na média aritmética das comissões recebidas durante o ano.
  24. 24. PROF. MARCELO
  25. 25. PROF. MARCELO
  26. 26. Organização Empresarial TERCEIRA AULA PROF. MARCELO
  27. 27. PROF. MARCELO Controle de Contas a pagar e Contas a receber: Como realizar ?
  28. 28. PROF. MARCELO A gestão financeira é uma área vital para a sobrevivência de uma empresa, saber como controlar as contas a pagar e a receber de sua empresa é tarefa obrigatória para quem quer manter uma boa saúde financeira. Dessa maneira, finanças mal geridas podem levar uma organização à falência. Ter controle sobre os pagamentos recebidos e fazer um planejamento para que as contas sejam pagas em dia sem deixar o caixa desfalcado é fundamental para conseguir manter a saúde financeira de uma organização. Essa tarefa requer muita atenção e planejamento, e muitos empreendedores ainda têm dificuldades em conseguir fazer o gerenciamento de seus negócios de forma eficaz.
  29. 29. Gerencie tudo que deve ser pago Registre e faça o controle Não misture os gastos pessoais com os da empresa Gerencie tudo o que deve ser recebido Facilite o pagamento antecipado Envie suas cobranças em tempo hábil Mantenha diálogo com os clientes Tenha cuidado com a liberação de crédito Organize sua gestão Faça um planejamento Utilize um Software de Gestão Fonte: https://blog.quantosobra.com.br/controle-de-contas-a-pagar-e-contas-a-receber-como-realizar/ PROF. MARCELO
  30. 30. PROF. MARCELO Imagem Ilustrativa
  31. 31. PROF. MARCELO Conversão de Moedas
  32. 32. Organização Empresarial QUARTA AULA PROF. MARCELO
  33. 33. PROF. MARCELO Patrimônio Liquido
  34. 34. PROF. MARCELO Investimento representa os valores gastos com a aquisição de bens como máquinas, equipamentos, veículos, móveis, ferramentas, informática, etc. pagos de uma única vez, ou em parcelas. O pagamento de empréstimo obtido para capital de giro pode também ser entendido como investimento. Uma empresa em situação normal utiliza o lucro gerado para a realização de investimentos. Despesas e Investimentos As despesas estão relacionadas aos valores gastos com a estrutura administrativa e comercial da empresa em aluguel, salários e encargos, pró-labore, telefone, propaganda, impostos, comissões de vendedores, etc. Elas ainda são classificadas em fixas e variáveis, sendo as fixas aquelas cujo valor a ser pago não depende do volume, ou do valor das vendas, enquanto que as variáveis são aquelas cujo valor a ser pago está diretamente relacionado ao valor vendido. Os custos, especificamente em cada segmento, podem ser assim entendidos: - Comércio: valor gasto na aquisição das mercadorias; - Indústria: valor gasto na fabricação, compreendendo matérias-primas, insumos, mão-de-obra interna e/ou externa, etc.; - serviços: o valor gasto relativo à execução do serviço, compreendendo os materiais, componentes, peças, bem como a mão-de-obra interna e/ou externa.
  35. 35. PROF. MARCELO Revisão para Avaliação Boa Prova a Todos !!!

×