Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Memória Primária

2,590 views

Published on

Circuitos Digitais, 2012.1

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Memória Primária

  1. 1. Faculdade de Ciências Humanas, Saúde, Exatas e Jurídicas de Teresina Turma: Ciência da Computação Período: 2º - Manhã Docente: Francisco José Discentes: Marcelo Kelle Luís Fellipe Gleykyson Lucas João Batista
  2. 2. I. Introdução;II. Utilização;III. Classificação das Memórias;IV. Estrutura Geral e Organização;V. Tipos de Memórias. Junho de 2012
  3. 3.  São dispositivos que armazenam informações codificadas digitalmente que podem representar números, letras, caracteres quaisquer, comando de operações, endereço ou ainda qualquer outro tipo de dado. As memorias encontram seu grande emprego no campo da informática, sendo utilizada principalmente em computadores e periféricos. Junho de 2012
  4. 4. 1. Acesso:  O Tempo de Acesso de uma memoria é o tempo necessário desde a entrada de um endereço até o momento em que a informação apareça na saída.  Temos duas maneiras diferentes de acesso:  Acesso sequencia: passam por todas as localidades de endereços intermediárias. Ex.: Fitas magnéticas.  Acesso aleatório: permite que chegue diretamente até o endereço. Ex.: Memória RAM. Junho de 2012
  5. 5. 2. Volatilidade:  Voláteis: são aquelas que ao ser cortada a alimentação perdem as informações armazenadas. Ex.: Memória RAM.  Não-voláteis: são aquelas que mesmo sem alimentação, continuam com as informações armazenadas. Ex.: Memórias magnéticas e as eletrônicas: ROM, EPROM. Junho de 2012
  6. 6. 3. Troca de Dados:  Escrita/Leitura: permitem acesso para armazenar e ler uma informação desejada. Ex.: Memória RAM.  Leitura: a informação é fixa, só podendo efetuar-se a leitura. Ex.: Memórias ROM (Read-Only Memory). Junho de 2012
  7. 7. 4. Tipos de Armazenamento:  Estáticas: uma vez inserido um dado numa dada localidade, este lá permanece.  Dinâmicas: necessitamos inserir a informação de tempo em tempo, pois de acordo com as características de seus elementos internos, perdem essas informações após um determinado tempo. Junho de 2012
  8. 8. 1. Barramento:  Barra de Endereços (Address Bus): responsável pelo endereçamento de um sistema típico com microprocessador.  Barra de Dados (Data Bus): entrada e saída de dados.  Barra de Controle (Control Bus): terminais de controle. Junho de 2012
  9. 9. Referente a quantidade de dados, as memórias sãoespecificas pela notação N x m, onde:N – indica o número de localidades da memória;M – indica o número de bits da informação armazenadapor localidade.n - número de fios/terminais.Exemplo: Junho de 2012
  10. 10. 2. Capacidade de Memória:  Significa o número total de bits que podem ser armazenados em uma memoria.  Para o seu cálculo, basta efetuarmos o produto N x m (nº de localidades x nº de bits). Exemplo: 1 K x 4 = 1 x 1024 x 4 1 K x 4 = 4096 bits de capacidade. Junho de 2012
  11. 11. 3. Palavra de Endereço: conjunto de níveis lógicos ou bits necessários para o “endereçamento” de uma determinada localidade de memória para o acesso ao dado.4. Mapeamento de Memória: Junho de 2012
  12. 12.  Junho de 2012
  13. 13. 1. Memória ROM  Característica principal: permitir somente a leitura dos dados;  ROM (Ready-Only Memory): Memória apenas de leitura;  Acesso: aleatório;  Volatilidade: não-volátil (não perdem seus dados com o desligamento da alimentação);  Aplicalões: armazenamento de programas de sistemas operacionais em computadores e outros sistemas digitais. Junho de 2012
  14. 14. 2. Memória PROM  Característica principal: permite o armazenamento dos dados pelo próprio usuário, porem feito de modo definitivo;  PROM (Programmable Ready-Only Memory): Memória apenas de leitura programável;  Acesso: aleatório;  Volatilidade: não-volátil (não perdem seus dados com o desligamento da alimentação);  Após a programação a PROM torna-se ROM. Junho de 2012
  15. 15. 3. Memória EPROM  Característica principal: permite a programação de modo semelhante à das PROMs;  EPROM (Erasable Programmable Ready-Only Memory): Memória apenas de leitura programável e apagável;  Vantagem: podem ser normalmente apagadas,mediante banho de luz ultra violeta (15 a 50 minutos);  Após a programação torna-se ROM, recebendo os mesmos itens de classificação;  Também conhecidas com UVPROM (Ultraviolet PROM). Junho de 2012
  16. 16. 4. Memória EEPROM  Avanço tecnológico em relação a EPROM;  Característica principal: permite que o apagamento dos dados seja feito “eletricamente”, isoladamente por palavra de dados, sem necessidade de reprogramação total;  EEPROM ou E²PROM (Eletrically Erasable Programmable Ready-Only Memory): Memória apenas de leitura programável e apagável eletricamente. Junho de 2012
  17. 17. 5. Memória RAM  Característica principal: tempo de acesso muito reduzido;  RAM (Radom-Access Memory): Memória de Acesso Randômico;  Acesso: aleatório;  Volatilidade: volátil (perdem seus dados com o desligamento da alimentação);  Aplicações: utilizado em equipamentos principalmente como memória de programas e dados para armazenamento de forma temporária. Junho de 2012
  18. 18. 5. Memória RAM  Tipos de Memória RAM:  SRAM (Static Radom-Access Memory): utiliza como célula básica de memória o flip-flop;  DRAM (Dynamic Radom-Access Memory): Dinâmicas, possuem circuitos mais simples, porém necessitam de refresh (reinserção de dados periódica). O armazenamento dos dados é por efeito capacitativo. Junho de 2012
  19. 19. 5. Memória RAM  Expansão da capacidade da Memória RAM  Formação de uma memória RAM 256 x 8, a partir de dois blocos de estrutura 256x4. Junho de 2012
  20. 20. Faculdade de Ciências Humanas, Saúde, Exatas e Jurídicas de TeresinaTurma: Ciência da ComputaçãoPeríodo: 2º - ManhãDocente: Francisco JoséDiscentes: Marcelo Kelle Luís Felipe Gleykyson Lucas João Batista

×