Eras geologicas placas_tectonicas

5,599 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,599
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
103
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Eras geologicas placas_tectonicas

  1. 1. LITOSFERA: AS ROCHAS E AS PLACAS TECTÔNICAS REVISÃO APOSTILA 3 1
  2. 2. Tempo histórico•Tempo das transformações humanas. Tempo em que as transformações ocorrem com uma intensidade de tempo maior que as do tempo geológicos. 2
  3. 3. Tempo geológico•É o tempo que mede a idade da Terra. O tempo geológico é dividido em eras, que são subdivididas em períodos. Cada etapa desse tempo é marcado pôr acontecimentos que o caracterizam. 3
  4. 4. Escala Geológica - pré- cambriana – A primeira Era é a chamada Pré-cambriana, que se divide em três períodos:– - Azóica: por volta de 4,5 bilhões de anos atrás, esse período é marcado pela não existência de vida, esse período durou bilhões de anos. – - Arqueozóica e Proterozóica: nesse período passaram a surgir os seres unicelulares e invertebrados (algas e bactérias). Formação das rochas magmáticas. 4
  5. 5. Escala Geológica - Paleozóica – A Era Paleozóica está dividida nos períodos: Permiano, Carbonífero, Devoniano, Siluriano, Ordoviciano e Cambriano. – Nestes períodos houve a existência de rochas sedimentares e metamórficas. Surgiu os peixes e os primeiros répteis. 5
  6. 6. Escala Geológica - Mesozóica– A próxima Era foi a Mesozóica, dividida pelos períodos Cretáceo, Jurássico e Triássico. Surgiram mamíferos e aves; répteis gigantescos (dinossauros); grandes florestas; e rochas sedimentares e vulcânicas. 6
  7. 7. Escala Geológica - Cenozóica – Já na Era Cenozóica existem dois períodos, Quaternário e Terciário. Este último houve o desenvolvimento dos mamíferos. Os répteis gigantes foram extintos, formou-se as bacias sedimentares. 7
  8. 8. Escala Geológica - Cenozóica – No período do Quaternário houve a glaciação no hemisfério norte; delineamento dos atuais continentes; formação das bacias sedimentares recentes; aparecimento do homem. 8
  9. 9. ORIGEM DOS CONTINENTES• teoria da Deriva Continental• placas tectônicas 9
  10. 10. ORIGEM DOS CONTINENTES • Resultado de um processo na fragmentação e no afastamento das terras emersas, a partir de um bloco único chamado PANGÉIA. • Duas teorias que se completam, procuram explicar as etapas desse processo. 10
  11. 11. Deriva dos continentes• Defendida pelo geofísico alemão Alfred Wegener, em 1912.• Havia originalmente uma única massa continental, a Pangéia, cercada pelo um único oceano, o Pantalassa.• Na era Mesozóica, há cerca de 135 milho~es de anos teria começado a fragmentação.• Formou-se dois continentes:Laurásia, ao noret e Gondwana, ao sul. A partir daí foram se sucedendo até a configuração atual. 11
  12. 12. Deriva dos continentes• Wegener não definiu as causas. Sugeriu o movimento de rotação da Terra e as marés.• As maiores evidências eram as identidades geológicas e de vida animal e vegetal entre os continentes.• Na comunidade científica da época poucos davam créditos às idéias de Wegener, acabando esquecida durante anos, voltando a ser considerada com o passar dos anos com os avanços tecnológicos. 12
  13. 13. Deriva dos continentes• Durante a década de 60, geólogos americanos encontraram uma resposta para a causa da deriva. A resposta estava no fundo dos oceanos.• Pois as rochas situadas no centro do assoalho submarino são mais recentes do que as das bordas, chegou a conclusão de que verdadeiras “esteiras rolantes” submarinas são responsáveis pelo movimento das placas tectônicas.• Ao longo das grandes cordilheiras submarinas(dorsais oceânicas), abrem-se fendas pôr onde passa o material magmático, que após se resfriar forma uma nova crosta, provocando a expansão do fundo do mar. 13
  14. 14. Teoria das placas tectônicas• Resultado da teoria de Wegener e da descoberta da expansão do fundo do mar.• A crosta terrestre esta dividida em placas de espessura média de 150 km que flutuam sobre um substrato pastoso: a astenosfera e sobre o magma. 14
  15. 15. Teoria das placas tectônicas• É justamente na região de encontro entre uma placa e outra que ocorrem fenômenos e as conseqüentes modificações na crosta terrestre.• Estas regiões estão sujeitas a vulcanismo e terremotos• As áreas mais estáveis localizam-se no interior das placas.• Estes encontros não acontecem da mesma forma. 15
  16. 16. DERIVA DOS CONTINENTES 16
  17. 17. AS PLACAS TECTÔNICAS 17
  18. 18. Principais placas tectônicas– Americana •Conseqüências– Pacífico das áreas de encontro das– Antártica placas:– Indo-australiana vulcanismo, terremotos e– Euro-asiática orogênese.– Africana 18
  19. 19. Terremotos 19
  20. 20. Vulcanismo - Everest 20
  21. 21. Áreas de encontro das placas●Convergência ou Zona de subducção●Afastamento, limites divergentes ou cristas em expansão●Deslizamento ou limites transformantes●Colisão e soerguimento 21
  22. 22. Convergência ou Zona de subducção• geralmente a crosta oceânica funde-se no manto e muitas vezes estas rochas fundidas abrem caminho até a superfície e formam vulcões. 22
  23. 23. Convergência de placas 23
  24. 24. Convergência de placas 24
  25. 25. Divergência de placas 25
  26. 26. ●Deslizamento ou limites transformantes• ocorrem terremotos 26
  27. 27. Limites transformantes 27
  28. 28. Limites transformantes 28
  29. 29. ●Colisão e soerguimento• as camadas de rocha elástica formam grandes cadeias de montanha muitas vezes vulcânica , tais como, Andes, Himalaia. 29
  30. 30. Soerguimento 30
  31. 31. A ESTRUTURA DA TERRA (INTERIOR)• crosta: constituída de materiais mais leves• manto: camada intermediária• núcleo: formado pôr materiais mais densos. 31
  32. 32. A ESTRUTURA DATERRA(INTERIOR) 32
  33. 33. A ESTRUTURA DATERRA(INTERIOR) 33
  34. 34. Crosta terrestre ou Litosfera• É dividida em crosta : • continental • oceânica• Abaixo da litosfera está a astenosfera, e abaixo encontramos a mesosfera.• Logo em seguida encontramos a endosfera (núcleo) formada pôr ferro e níquel. 34
  35. 35. Crosta continental superior(SIAL)• Crosta continental superior, com 15 a 25 km de espessura, formada principalmente pôr silício e alumínio (SIAL) 35
  36. 36. Crosta continental inferior(SIMA)• crosta continental inferior, com 30 a 35 km de espessura; nela predomina silício e magnésio (SIMA) 36
  37. 37. Crosta e as rochas• A crosta é formada pôr rochas e minerais.• As rochas são agrupamentos de minerais.• Minerais são elementos ou compostos naturais sólidos, que possuem uma composição química bem definida, ou seja, é possível determinar com precisão os elementos que compõem um mineral.Exemplo , o elemento que compõem o diamante é o carbono. 37
  38. 38. Minerais• São exemplos de minerais: apatita, quartzo, calcita, fluorita topázio.• Os minerais e as rochas que possuem valor comercial são considerados minérios.• Minério, portanto, é uma rocha ou mineral dos quais são extraídas substâncias valiosas, como o ouro, o ferro, o cobre, o diamante etc.• Jazida mineral é a massa ou volume de minério que existe nas rochas, em um determinado lugar da crosta, seja na superfície ou no interior. 38
  39. 39. Rochas• Quando um ou mais minerais se agregam, eles formam as rochas.• O granito pôr exemplo é formado pôr três minerais:quartzo, feldspato, e mica.• São exemplos de rochas: areia, xisto dobrado, gnaisse, sienito , pedra-pomes, basalto, granito, calcário, carvão mineral, argilito, arenito, mármore entre outras. 39
  40. 40. Rocha Granito Arenito Mármore Nefrite Cristal de Rocha Espato de IslândiaPedra de YuHua Fluorite Cassiterite Quartzo Talco Asbesto Caulinos Mica Ortoclases Calcite Dolomia Barite Gesso Gabro Basalto Diorite Andesite Riólite Conglomerado Piçarra Calcário Ardósia Filádio Xisto Gneisse ¡@ 40
  41. 41. Rochas Magmáticas ou ígneas ou Cristalinas• Conceito:resultam da solidificação e resfriamento do magma que é lançado pelos vulcões.• Classificação : Intrusiva e Extrusiva 41
  42. 42. Intrusivas ou plutônicas• Formam-se quando o magma se resfria lentamente nas profundezas da Terra, dando origem a cristais relativamente grandes. 42
  43. 43. Rochas magmáticas intrusivas• Granito Amarelo Real 43
  44. 44. Pedreira de Granito 44
  45. 45. Rochas magmáticas intrusivas Diorito 45
  46. 46. Extrusivas ou Vulcânicas• Formam-se pela solidificação do magma expelido pelas erupções vulcânicas.Como seu resfriamento e solidificação são rápidos, não há tempo para a formação de macro- cristais. 46
  47. 47. Extrusivas ou Vulcânica (Basalto) 47
  48. 48. Extrusivas ou Vulcânica (Basalto) 48
  49. 49. Rochas sedimentares• Conceito: através da litificação dos sedimentos que procedem da erosão, transporte e deposição de sedimentos, realizado pela água, vento, reações físicas e químicas. Derivam-se de rochas que sofrem a ação de processos erosivos. 49
  50. 50. Litificação• Conceito: processo de sedimentação e cimentação, exercida através das camadas superiores. 50
  51. 51. Rochas sedimentares - Calcário 51
  52. 52. Rochas sedimentares - arenito 52
  53. 53. Rochas sedimentares - arenito 53
  54. 54. Rochas metamórficas• Conceito: foram originalmente rochas magmáticas, sedimentares ou metamórficas que, pela ação do calor ou da pressão do interior da Terra, adquiriram outra estrutura. 54
  55. 55. Rochas Metamórficas - Gnaisse 55
  56. 56. Rochas Metamórficas - Gnaisse 56
  57. 57. Rochas Metamórficas - Mármore• Mármore azul mediterrâneo 57
  58. 58. Rochas Metamórficas - Mármore• Arabescato 58
  59. 59. Rochas Metamórficas - Mármore• Onix 59
  60. 60. Rochas Metamórficas - Mármore• Rosa Egeo 60
  61. 61. Rochas Metamórficas - Mármore• Pedreira de Mármore - Espanha 61
  62. 62. 62
  63. 63. Processo erosivo• Intemperismo físico• Intemperismo químico 63
  64. 64. Intemperismo físico• Conceito:primeiro passo no processo erosivo, ocorre principalmente devido a contração e dilatação das rochas provocadas pelas mudanças de temperatura.No frio as rochas contraem e no calor dilatam, este processo ao longo de vários anos provoca sua fratura. 64
  65. 65. Intemperismo químico• Conceito:segundo passo no processo erosivo, após o intemperismo físico, ou seja, com a rocha fraturada, a penetração da água da chuva dissolvendo alguns minerais hidrossolúveis ocasiona a quebra das rochas. 65
  66. 66. Estrutura geológica• O conjunto das diferentes rochas de um lugar, uma vez que as mesmas não estão distribuídas de maneira uniforme. Sua distribuição vai depender da ação das forças internas da terra - tectonismo. 66
  67. 67. Tipos de estrutura geológicas• Escudos cristalinos• Faixa Orogênicas• Bacias sedimentares 67
  68. 68. Escudos cristalinos• São rochas magmáticas e metamórficas muito antigas das eras pré-cambriana e Paleozóico.Sofreram fortes desgastes erosivos, apresentando-se desgastes e com baixas altitudes. Podem ser escudos ou embasamentos cristalinos. 68
  69. 69. Escudos(cráton aflorado)• Quando estão expostas à ação de agentes erosivos. 69
  70. 70. Embasamentocristalinos(plataformas cobertas)• Quando estão recobertas pôr terrenos sedimentares 70
  71. 71. Observação• Estas áreas de escudos e embasamento são ricas em recursos minerais, principalmente as formadas na era pré-cambriana (Arqueozóico e proterozóico) 71
  72. 72. Bacias sedimentares• Com o passar das eras, os escudos cristalinos foram atacados pôr processo erosivo. Os sedimentos assim produzidos e transportados pelo ventos acumularam-se em depressões existentes na superfície dos escudos(bacias). 72
  73. 73. Bacias sedimentares• Temos bacias originárias das eras paleozóica, mesozóica e cenozóica.• Os combustíveis fósseis - carvão e petróleo- são encontradas neste tipo de estrutura geológica. 73
  74. 74. Faixa orogênicas ou dobramentos• São movimentos originados pôr forças internas, que deram origem a cadeias de montanhas. Podemos distinguir de acordo com a era geológica.• Podem ser divididas em dobramentos antigos e modernos. 74
  75. 75. Dobramentos antigos• Alguns datam do pré-cambriano, período Arqueozóico, exemplo serra do Mar e Mantiqueira, no Brasil.• Outros datam do período Proterozóico, dando origem à chapada Dimantina, na Bahia e a serra do Espinhaço em Minas Gerais. 75
  76. 76. Dobramentos Modernos• Ocorreram na Era Cenozóica no terciário e deram origem às altas cadeias de montanha da terra - Himalaia, Alpes, Andes. 76
  77. 77. A dinâmica Interna do Relevo• Tectonismo ou diastrofismo (Movimentos Epirogênicos e Movimentos Orogênicos) 77
  78. 78. Tectonismo ou Diastrofismo• Compreende a todos movimentos que deslocam e deformam as rochas que constituem a crosta terrestre.São causados por forças internas. O diastrofismo se manifesta de duas maneira através da epirogênese e orogênese. 78
  79. 79. Movimentos Epirogênicos• Epirogênicos - do grego épeiros = continente• São movimentos verticais que provocam abaixamento ou soerguimento da crosta terrestre.• Pode provocar o rebaixamento de litorais pelas invasões do mar (transgressão marítima) . 79
  80. 80. Movimentos Epirogênicos• Ou o levantamento da costa pelo recuo dos oceanos (regressão marinha).• Pode também soerguer ou rebaixar os leitos dos rios, modificando seu trabalho erosivo.• Ocorrem em áreas relativamente mais estáveis. 80
  81. 81. Movimentos Orogênicos• Orogênicos - do grego ôros = montanha• Resultado de movimentos verticais ou horizontais. São movimentos de pequena duração no tempo geológico, mas muito intenso• Como resultado deste movimento temos: dobras(dobramentos) e as falhas(falhamento) ou fraturas. 81
  82. 82. As Dobras• Ocorrem se as rochas atingidas não oferecerem grande resistência às forças internas.• Os dobramentos ocorreram em diferentes eras geológicas (pré-cambriana e Cenozóica) 82
  83. 83. Orogênese 83
  84. 84. Falhas ou Fraturas• Ocorrem em áreas onde as rochas são rígidas e resistentes às forças internas e “quebram-se” em vez de dobrar.• Caracterizam-se pôr um desnível do terreno: uma parte elevada e outra rebaixada. 84
  85. 85. Vulcanismo• Chamamos de vulcanismo os fatos e fenômenos geográficos relacionados com as atividades vulcânicas, através dos quais o magma do interior da Terra chega até a superfície. 85
  86. 86. Vulcanismo(Gêiseres) 86
  87. 87. Vulcanismo(Gêiseres) 87
  88. 88. Vulcanismo(Gêiseres)• Manifestações vulcânicas secundárias• Expelem água quente no sentido vertical.• Seus jatos podem durar segundos ou semanas e atingir muitos metros de altura.• Seu funcionamento dependem da quantidade e da temperatura da água subterrânea. 88
  89. 89. Vulcanismo(Gêiseres)– Quando a temperatura da água se torna muito elevada, formam-se jatos de água no sentido vertical. A água expelida do interior da Terra se infiltra lateralmente no solo, é novamente aquecida e recomeça o ciclo das águas quentes. 89
  90. 90. Vulcanismo(Fontes Termais)• Caldas novas(GO) 90
  91. 91. Vulcanismo(Fontes Termais)• Caldas Novas(GO) 91
  92. 92. Vulcanismo(Fontes Termais)• As águas atingem camadas mais profundas, tornando-se aquecidas. Quando aflora, com temperaturas elevadas, constitui uma fonte termal. 92
  93. 93. O círculo de Fogo 93
  94. 94. O círculo de Fogo• A maior parte dos vulcões se localiza ao longo ou próximo do limite de placas tectônicas.São os chamados vulcões de limite de placas. Porém alguns deles localizam-se no interior de uma placa, sendo pôr isto chamados de vulcões intra placas, cujo exemplo mais conhecido é o arquipélago havaiano, situado no interior da placa do Pacífico. 94
  95. 95. O círculo de Fogo• Temos vulcões tanto nos limites de divergência , como nos de convergência.• Nos limites divergência, geralmente nos fundo do mar, ocorrem quase 80% das manifestações vulcânicas da Terra. 95
  96. 96. Abalos Sísmicos ou Terremotos• Uma das manifestações mais temidas e destruidoras dos movimentos da crosta terrestre.• Ocorrem quando as forças tectônicas atuam prolongadamente em áreas de rochas duras, elas provocam fraturas ou o deslocamento de camadas.Seu ma das camadas se mover horizontalmente ou verticalmente, serão produzidas ondas vibratórias que se espalham em várias direções, causando um terremoto. 96
  97. 97. Abalos Sísmicos ou Terremotos• Portanto, o terremoto é produzido pôr acomodações geológicas de camadas internas da crosta ou pela movimentações das placas.• Em limites transformantes, onde não há convergência nem divergência de placas. Podemos citar como exemplo a falha de San Andreas , na Califórnia, EUA e a falha da Anatólia, na Turquia. 97
  98. 98. Abalos Sísmicos ou Terremotos• O ponto onde o terremoto se origina recebe o nome de Centro ou Foco.• O ponto da superfície terrestre diretamente acima do centro é o Epicentro, onde o terremoto é sentido com maior intensidade.• O aparelho utilizado para medir a intensidade de um terremoto é o Sismógrafo, que segue a escala Richter - uma escala com 10 graus, cada um indicando uma intensidade 10 vezes maior que a anterior 98
  99. 99. Abalos Sísmicos ou Terremotos 99
  100. 100. Abalos Sísmicos ou Terremotos 100

×