Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Inserçao da criança na creche

299,677 views

Published on

  • Be the first to comment

Inserçao da criança na creche

  1. 1. ABEU-CENTRO UNIVERSITÁRIO CAMPUS 2 CURSO PEDAGOGIAÁrea de Conhecimento: Exercício da Ação Docente na Educação Infantil IProfessora: Valéria Teixeira C. ReisData: 5/9/2012 A INSERÇÃO DA CRIANÇA NA CRECHE Adaptação, quer dizer acomodação, ajustamento, ou seja, a aceitação, asubmissão a uma determinada situação. Educação não combina com submissãoe, por isso, prefiro falar em inserção, ou seja, a criança vai se inserir em umainstituição educativa. O momento de entrada da criança na creche ou na pré-escola é, geralmente, a sua primeira experiência em termos de separação dafamília. As propostas educacionais vêm incluindo a inserção gradual da criança,respeitando as suas exigências e a de seus pais, e também permitindo que oprofessor conheça individualmente as novas crianças que ingressam na creche. A inserção de uma criança pequena em uma instituição é um fato delicadopor três motivos: Existe uma dificuldade objetiva na separação entre pais e criança. Confiar uma criança à creche não é ainda considerado um fato “natural”, e é visto quase sempre, inicialmente, como uma solução para uma necessidade. Muitas mulheres vivem ainda com sentimento de culpa de terem que deixar seu filho em uma creche, ficando sujeitas a pressões psicológicas por parte da família ou da sociedade. Será que esta separação afeta só a criança? Na verdade, a quem atingeesta separação? Afeta a criança, mas também toda família. A separação causa traumas? Aseducadoras italianas Susanna Mantovani e Nice Terzi, falam que os temores deque a creche ocasione “traumas pela separação” não possuem fundamentoconcreto. Mantovani e Terzi explicam que temos que ficar atentos para não 1
  2. 2. confundir sofrimento, trauma, com certo “cansaço” de crescer, de enfrentar asnovidades. É bom lembrarmos que um certo nível de frustração às vezes énecessário ao crescimento. Devemos compreender que as crianças, e emespecial, os menores, ainda não se expressam bem verbalmente e, por isso,manifestam seus sentimentos por meio do corpo. É comum, portanto, que além dechorar elas possam adoecer recusar alimentos, dormir demais, irritar-se etc. Nãose trata de um problema de saúde, é apenas a sua maneira de expressar o queestá sentindo. Mas afinal, como propiciar a inserção? O ideal é que a creche ou pré-escolaofereça para as famílias um sistema gradativo de inserção para cada criança.Assim, se for possível para os pais, a criança, durante os primeiros dias, ficará nacreche apenas algumas horas e gradativamente este tempo vai sendo aumentadoaté chegar àquilo que os pais desejam. A criança preciosa saber que seu pai e/oua sua mãe necessita trabalhar, mas que voltará mais tarde para apanhá-la. Acriança, certamente, não aceitará essa explicação e protestará, mas é melhor quesaiba a verdade, expresse os seus sentimentos e descubra com tempo que ospais não estão enganando-a, pois voltam todos os dias para buscá-la. Oimportante é não exagerarmos no carinho, para não parecer um sentimento falso,respeitando o jeito de ser de cada criança. É interessante que o professor saiba dealgumas particularidades da vida da criança, como, de que histórias ela maisgosta, qual é o seu alimento preferido, se tem algum bichinho de estimação etc.De uma forma gradual, a criança vai se acostumando com o novo ambiente, osnovos horários e as diferentes relações de amizade e convivência. Mas o que nãopodemos deixar de considerar é que a creche precisa ser sempre fonte de prazer.Vale ainda lembrar que a instituição de Educação Infantil é diferente do ambientefamiliar. Escola não é casa , assim como a professora não é uma segunda mãe.Pressupostos teóricos A inserção na creche é vista como uma experiência que “separa aquilo que era unido e une aquilo que era separado”. A inserção é o início de uma relação a três: criança-pais-professores. 2
  3. 3. A creche é um universo de comunicação interpessoal onde o comportamento de cada pessoa influencia e é influenciado pelo comportamento de outra pessoa. A comunicação é considerada fundamental na relação educativa.Objetivos de uma boa inserçãoEm relação às crianças: Favorecer um distanciamento gradual do objeto de apego, ou seja, a família ou a casa; Favorecer o conhecimento do novo ambiente por meio da presença e da mediação dos pais; Favorecer o estabelecimento de relações com os professores e com os colegas; Favorecer a exploração do ambiente-creche e a curiosidade pelos jogos e brinquedos.Em relação aos pais: Favorecer um distanciamento gradual do filho; Favorecer o conhecimento do novo ambiente, da organização do dia e da metodologia pedagógica; Favorecer um relacionamento de colaboração e não de rivalidade com os professores.Em relação aos professores: Favorecer o conhecimento, por meio da observação, de cada criança na sua relação com os seus pais; Favorecer gradualmente a mudança de interesse das crianças: dos pais para si mesmos e para os seus colegas; 3
  4. 4. Favorecer um relacionamento de colaboração e não de rivalidade com os pais.Estratégias (apresentadas segundo ordem cronológica em que sãorealizadas) • Reunião geral. • Entrevista não-diretiva. • Questionário. • A inserção – conduzida através das seguintes estratégias: Efetivada em pequenos grupos de crianças; Com a presença do pai ou da mãe; Para os professores, é solicitado, principalmente, observar as dinâmicas que se estabelecem entre pais e filhos; Presença de jogos e brinquedos que terão dupla função: dar conforto emocional às crianças e atrair o interesse e a curiosidade das crianças.Referência Bibliográfica:MANTOVANI, Susanna; Terzi, Nice. A INSERÇÃO. IN: BONDIOLI, Anna eMANTOVANI, Susanna (orgs.). Manual de educação infantil: 0 a 3 anos – umaabordagem reflexiva. Porto Alegre: ArtMed, 1998. 4

×