Successfully reported this slideshow.

O COMPUTADOR COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA

136 views

Published on

Apresentação de monografia sobre o computador como ferramenta pedagógica.

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

O COMPUTADOR COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA

  1. 1. O Computador como Instrumento Pedagógico Diálogo sobre teoria e prática. Luiza Ferreira de Barros Filha FASS - 2009
  2. 2. OBJETIVOS GERAIS Apresentar o computador como possível ferramenta pedagógica no Ensino Fundamental. Destacar a importancia do planejamento das propostas que se utilizam do computador. Apontar três aspectos relacionados às mudanças na educação e a relação com o computador, possível instrumento pedagógico
  3. 3. OBJETIVO ESPECÍFICO O computador pode ser um instrumento pedagógico capaz de auxiliar no aprendizado de alunos do Ensino Fundamental?
  4. 4. METODOLOGIA José Manoel Moran, José Armando Valente, Bill Gates, Maria Helena Bettega, M.E.C. Observação de Aula de Informática Elaboração do estudo de caso Principais Autores:
  5. 5. ELEMENTOS DO REFERENCIAL TEÓRICO Desenvolvimento das Tecnologias Computacionais “Os primeiros computadores começaram a surgir durante a década de 40, naturalmente com propósitos militares. Os principais usos eram a codificação e decodificação de mensagens e cálculos de artilharia”. Morimoto (2002)
  6. 6. ELEMENTOS DO REFERENCIAL TEÓRICO Definindo o Termo Informática “A informática nasceu da idéia de auxiliar o homem nos trabalhos rotineiros e repetitivos, em geral cálculos e gerenciamento”. Lancharro, Lopez e Fernandez, (1991, p.1)
  7. 7. ELEMENTOS DO REFERENCIAL TEÓRICO Iniciativas do Governo Brasil • “Visam garantir aos alunos o acesso ao conhecimento de uma tecnologia utilizada na sociedade moderna.” Tajra (2000 apud Bettega 2004, p.30) Estados Unidos • “A tecnologia nas escolas americanas era do giz e quadro negro, o número de escolas que usavam computadores como recurso educacional era muito pequeno.” Ahl (1977 apud Valente 1999, p.3)
  8. 8. ASPECTOS ABORDADOS A mudança do papel do educador. Novas estratégias inspiradas pelas potencialidades do computador. Planejamento das atividades com informática.
  9. 9. A MUDANÇA NO PAPEL DO EDUCADOR Detentor do conhecimento Basea-se em crenças pessoais Condiciona o aprendizado do aluno a sua presença PARADIGMA INSTRUCIONISTA Mediador, facilitador Curioso, entusiasmado O aluno no centro do processo de aprendizagem PARADIGMA CONSTRUCIONISTA
  10. 10. NOVAS ESTRATÉGIAS “As disciplinas agora são mais inovadoras, não tem só aquela coisa, é só livro, o computador ajudou muito a fonte de pesquisa [como fonte de pesquisa] acho que a escola melhorou cem por cento.”. Gláucia Basílio, Aluna da Escola Municipal Professora Leonilda Montandon Araxá, Minas Gerais
  11. 11. A COMUNIDADE E A ESCOLA “O encanto residia no fato de que ali estava aquela máquina imensa, cara, de gente grande, e nós garotos, podíamos controla-la. Éramos jovens para dirigir [...], mas podíamos dar ordens àquela máquina enorme e ela obedecia sempre.” GATES (1995, p.13)
  12. 12. O PLANEJAMENTO As aulas devem ser planejadas levando-se em consideração: os objetivos e os conteúdos de aprendizagem; as potencialidades do recurso tecnológico para promover aprendizagens significativas; os encaminhamentos para problematizar os conteúdos utilizando tecnologia; e os procedimentos da máquina que são necessários conhecer para sua manipulação. PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS QUARTO E QUINTO CICLO, 1998, p.53
  13. 13. O PLANEJAMENTO “Deve-se considerar para quem se dirige, porque e qual a especificidade que guarda e necessita explicar.” Soares, 2006 p 123
  14. 14. PROPOSTA INICIAL
  15. 15. REFORMULANDO
  16. 16. PRATICANDO
  17. 17. RETOMANDO A PROPOSTA
  18. 18. CONSIDERAÇÕES FINAIS O professor - fundamental no contexto educacional com o computador. O sucesso está vinculado a uma proposta integradora e que promova uma aprendizagem significativa. O professor deve ser o centro de seu aprendizado. Assunção de sua natureza inacabada.
  19. 19. CONSIDERAÇÕES FINAIS “Divinizar ou diabolizar as tecnologias ou a ciência é uma forma altamente negativa e perigosa de pensar errado” Paulo Freire

×