Estatística dos registos anuais de ocorrências no domínio do saber estar 2010 - 2011
Instituição Local Área Científica Área de Formação Tipo de Formação Objectivos Descrição Autor Documentos Agrupamento de E...
Apresentação do trabalho O presente relatório tem como objectivo principal mostrar a regularidade formal e de critério no ...
Desenvolvimento  Para que fosse viável o registo sistemático das ocorrências no domínio do saber estar, tal como está cons...
Pensamos que estes descritores são equilibrados e devem reflectir a preocupação do professor em não só acumular números ma...
Comecemos pelos números parcelares e globais:
Em que a média de ocorrências por semana são: E os totais globais por categoria são:
Convém deixar vincado que não existem registos nos descritores respeitantes aos recados nas caderneta do aluno e diário de...
Vamos agora aos gráficos: primeiro a turma do 5º ano e depois as turmas do 6º ano, com a evolução comparativa dos registos...
 
 
 
Em que o total anual de registos por categoria está distribuído:
E a média anual de ocorrências por categoria é:
A média de ocorrências por aluno é:
A média de ocorrências por semana lectiva é:
A média de ocorrências por turma é:
E neste momento já é possível apresentar os números de comparação com o ano lectivo anterior e verificar a sua evolução nu...
 
 
Conclusão  Em primeiro lugar registe-se que há um aumento significativo de ocorrências de um ano lectivo para o outro, no ...
fim…
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Relatório 2010 2011 ocorrências no domínio do saber estar

706 views

Published on

Published in: Education, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
706
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Relatório 2010 2011 ocorrências no domínio do saber estar

  1. 1. Estatística dos registos anuais de ocorrências no domínio do saber estar 2010 - 2011
  2. 2. Instituição Local Área Científica Área de Formação Tipo de Formação Objectivos Descrição Autor Documentos Agrupamento de Escolas de Carcavelos Carcavelos Ciências Sociais e da Educação Estatística e análise qualitativa e quantitativa de dados Auto-formação Ilustrar a recolha manual e sistemática de registos de ocorrências no domínio do saber estar na disciplina de Educação Visual e Tecnológica [2º ciclo] Apresentação de elementos gráficos que demonstram a evolução dos registos ao longo do ano lectivo, por turma leccionadas, de acordo com os descritores e indicadores definidos Arq to . Luiz Carvalho Junho de 2011 Apresentação do trabalho Desenvolvimento Conclusão
  3. 3. Apresentação do trabalho O presente relatório tem como objectivo principal mostrar a regularidade formal e de critério no registo de ocorrências no domínio do saber estar em sala de aula, de acordo com os descritores definidos. Este é o primeiro ano em que o autor se abalança a realizar um relatório sistemático da evolução dos registos ocorridos, coisa que pretende ir actualizando para os anos lectivos anteriores. A finalidade principal deste trabalho prende-se com a necessidade de dar conta das questões dúbias que se colocam em torno da avaliação das aprendizagens dos alunos, para além dos critérios definidos nas escolas, pois a ideologia de avaliação que se propaga via hierárquica é a do resultado estatístico [sucesso escolar] em detrimento do esperado sucesso educativo pois o domínio do saber estar não é tido em conta com o peso ‘real’ que os critérios deviam determinar. Basta atender às pressões realizadas pelo Director em relação a disciplinas e professores que apresentam resultados ‘fora da norma’, não se sabendo muito bem o que é norma, nem muito menos se questiona o porquê desses resultados. Pensamos ilustrar os registos com as tabelas e gráficos suficientes para que, de uma sua leitura, cada um possa tirar as suas ilações.
  4. 4. Desenvolvimento Para que fosse viável o registo sistemático das ocorrências no domínio do saber estar, tal como está consagrado nos critérios de avaliação e como resulta do entendimento do autor, foram criados descritores que os enquadram. Deles damos aqui conta:
  5. 5. Pensamos que estes descritores são equilibrados e devem reflectir a preocupação do professor em não só acumular números mas, principalmente, ter à mão um conjunto de registos que lhe possibilitem adequar estratégias de actuação ao contexto da turma e do aluno, quando tal se mostre viável. Todos os números ora apresentados são passíveis de consulta online, como é costume em (quase) todos os documentos de produção do autor e, no caso vertente, passando pela consulta da cópia do registos manuscritos. Registos do 1º período… aqui . Registos do 2º período… aqui . Registos do 3º período… aqui . Para que a concretização dos registos manuais sejam possíveis já foram experimentadas várias grelhas que deram forma a uma ficha de registo a utilizar por período escolar, facilitando-os ao nível de espaço e de contexto. É de realçar que este tipo de registos têm anos, mas só agora achei por bem vertê-los à forma de relatório. Não se pense que a accountability é o motor deste desiderato, tout court , mas a necessidade de deixar transparência, rigor e evidência do que sempre ‘existiu’. Vamos então ao que interessa.
  6. 6. Comecemos pelos números parcelares e globais:
  7. 7. Em que a média de ocorrências por semana são: E os totais globais por categoria são:
  8. 8. Convém deixar vincado que não existem registos nos descritores respeitantes aos recados nas caderneta do aluno e diário de bordo, assim como para a higiene e segurança, pois não era prática consistente e regular, de modo a fazerem-se comparações. No entanto os descritores foram considerados, para que de futuro se estabeleça a necessária regularidade de registo. Como de um primeiro relatório se trata, não há uma grande preocupação com indicadores que vão para além do óbvio, como é o caso dos que agora se apresentam:
  9. 9. Vamos agora aos gráficos: primeiro a turma do 5º ano e depois as turmas do 6º ano, com a evolução comparativa dos registos nos 3 períodos lectivos e o acumulado em cada uma das turmas diferenciado pelas categorias.
  10. 13. Em que o total anual de registos por categoria está distribuído:
  11. 14. E a média anual de ocorrências por categoria é:
  12. 15. A média de ocorrências por aluno é:
  13. 16. A média de ocorrências por semana lectiva é:
  14. 17. A média de ocorrências por turma é:
  15. 18. E neste momento já é possível apresentar os números de comparação com o ano lectivo anterior e verificar a sua evolução num gráfico de acumulado por categorias:
  16. 21. Conclusão Em primeiro lugar registe-se que há um aumento significativo de ocorrências de um ano lectivo para o outro, no geral e nas categorias consideradas. Este acréscimo só não se verifica na categoria ‘material’, o que só pode ser um bom sinal mas que não deixa de causar estranheza. Penso que não se deve a excesso de zelo este aumento significativo dado que o rigor com a aplicação dos critérios dos descritores é o mesmo, logo há a verificar que as condições em que os alunos chegam ao 2º ciclo vão sendo sistematicamente piores, nomeadamente quanto ao domínio do saber estar em sala de aula e quanto à assumpção das responsabilidades que lhes são acometidas em sede do ‘Estatuto do Aluno’. Questões de interiorização de regras básicas que, provavelmente, não vêm sendo trabalhadas no 1º ciclo. Regista-se um acréscimo de registos entre o 1º e o 2º períodos, em todas as turmas e um decréscimo em metade das turmas do 2º para o 3º períodos. Pretende-se que este seja o primeiro de um conjunto de reflexões dedicadas ao desenvolvimento profissional e à actividade docente, a par de outras iniciativas que já decorrem de forma mais regular, como os já citados relatórios sobre o desenvolvimento da componente individual do professor.
  17. 22. fim…

×