Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Jogos de empresa

3,194 views

Published on

Aula inicial sobre jogo de empresas para conexão entre teoria e prática no ensino superior de administração. É uma técnica de aprendizagem vivencial recomendada pelo Ministério da Educação (MEC) para as Instituições de Ensino Superior (IES) nos cursos de gestão e administração de empresas.

Conheça nosso site http://www.jogos-de-empresas.com.br

Published in: Education
  • Be the first to comment

Jogos de empresa

  1. 1. Jogo de empresas Didática para o ensino superior Prof. Dr. Luiz Antonio Titton
  2. 2. Agenda 1. O que são os jogos de empresas 2. Abordagem didática dos jogos de empresas 3. Metodologia da aplicação da técnica 4. Características 5. Referencial dos jogos de empresas modernos
  3. 3. O que são os jogos de empresas É necessário compreender suas partes integrantes para, então, apresentar uma definição do que são os jogos de empresas. Passo a passo, serão demonstradas as suas partes.
  4. 4. O que são os jogos de empresas Mas, antes de avançar é preciso fazer uma correção: Quando se fala em jogo de empresas, o que se está realmente querendo dizer é “jogo de simulação de empresas”, uma vez que há outros jogos semelhantes que adotam outros temas como os jogos de guerra, que são jogos de simulação de guerra – feitos para exercitar forças militares. Portanto, existe o termo simulação embutido nele.
  5. 5. O que são os jogos de empresas Jones (1995) apresentou uma interpretação que os jogos de simulação são a conjugação de dois aparatos distintos: 1) jogos, com suas características de competição, cooperação, regras e jogadores; 2) simuladores, com seus componentes possuírem construtos, modelos e implementações.
  6. 6. O que são os jogos de empresas Ambos aparatos existem por si mesmos, e essa associação pode ser visualizada como uma intersecção deles: JOGOS SIMULAÇÕES Jogos de simulação As empresas são, na verdade, o tema desses jogos de simulação. Titton, 2011
  7. 7. O que são os jogos de empresas Essa visão é importante porque no Ensino Superior é essencial que essa atividade contenha elementos reconhecidos pela teoria que é ensinada. Ou seja, o fato de ser um jogo não significa que o seu funcionamento possa ser aceito de qualquer forma, independente do conteúdo didático do curso. O risco de usar um jogo de simulação em que o funcionamento do simulador não tem relação correta com a teoria é de se ensinar como certo o que pode ser errado.
  8. 8. O que são os jogos de empresas Então, para o Ensino Superior, o que são jogos de empresas adequados? Revendo cada uma das partes: Jogo: em princípio, a forma como se desenvolve o jogo no que se refere a competição, cooperação, regras e jogadores deve obedecer aos preceitos éticos e didáticos do ensino superior. Simulador: o simulador deve ser 100% coerente com a teoria ensinada no curso e não uma interpretação da realidade feita pelo seu criador. Empresas: as empresas virtuais devem simular empresas factíveis, existentes no mundo real e que sirvam para o aprendizado de adultos (andragogia).
  9. 9. Abordagem didática Abordagem Descrição Tradicional Aulas expositivas. Forma o aluno dedutivo com apresentação da matéria de forma concreta em que o conteúdo não é repensado ou reelaborado. Comportamentalista Aula predominantemente expositiva. A experimentação controlada é base da formação do conhecimento. A vivência é reforçada positivamente nos aspectos desejados ou negativamente nos aspectos indesejáveis do aluno. Ênfase nos recursos audiovisuais, instrução programada, tecnologias de ensino, adota a ideia de que existiriam máquinas de ensinar. Humanista O professor atua como facilitador da aprendizagem, proporcionando motivação e condições para enfrentar desafios. Dá ênfase nas relações inter-pessoais que resultam em crescimento focado na personalidade do aluno. O conteúdo é selecionado a partir dos interesses do aluno. Sóciocultural O professor atua como coordenador do aprendizado do aluno que é conscientizado do processo de sua formação. Busca-se a consciência crítica a partir de diálogo e grupos de discussão. Cognitiva O professor busca a autonomia intelectual do aluno através do desenvolvimento de sua personalidade de instrumento lógico-racional. É oferecida a oportunidade de aprender por si mesmo, evitando-se rotinas, fixação de respostas e hábitos. Os alunos devem buscar as soluções para os problemas desenvolvendo, assim, sua inteligência baseada no ensaio, na tentativa a partir de suas pesquisas, no erro e nos acertos. É o “aprender a pensar”. Titton, 2011
  10. 10. Abordagem didática Entre as abordagens mostradas no quadro anterior, os jogos de empresas são extremamente aderentes com a abordagem cognitiva. O aluno busca, na teoria, a solução para os problemas que são apresentados sem solução. Nessa abordagem, ele aprende a pensar. Veja como esse aparato não se enquadra nas abordagens: Tradicional: não se dá uma aula expositiva de jogos de empresas, o aparato tem como característica a vivência na atividade. É um esforço centrado no aluno, não no professor. Comportamentalista: Não são máquinas de ensinar, a competição não é adequada nessa abordagem que reforça os aspectos positivos e condiciona negativamente os erros. Humanista: não há nenhuma aderência com essa abordagem porque o aluno não escolhe os problemas que irá enfrentar. Embora o professor atue como facilitador do aprendizado nos jogos de empresas, o foco não está no interesse pessoal de cada um, mas no que o simulador oferece. Sócio cultural: Não é um aparato voltado para a aprendizagem a partir do diálogo conectada com a prática histórica real. É exatamente um simulador e não a realidade em si.
  11. 11. Metodologia da aplicação da técnica Titton, 2011 baseado em Tanabe, 1973
  12. 12. Características dos jogos de empresas modernos Até metade da década de 1950: Utilização de cartões e tabuleiros para representar os componentes da simulação. Até o fim do século passado: Sistemas computacionais baseados em programação procedural (clipper, basic, planilhas eletrônicas) Até o metade da década de 2010: Sistemas baseados em internet (html, php, etc) A partir daí: sistemas em cloud, usando web, smartdevices e computação em nuvem. (C#,Java,IOS,Android) Titton, 2011
  13. 13. Referencial e bibliografia consultada MEBAN Jogos de empresas, disponível em http://www.jogos-de-empresas.com.br TANABE, M. Jogos de empresas, Dissertação. Mestrado em administração de empresas, Fac.Econ.Adm.Cont.da USP, obra não publicada, São Paulo, 1973 TITTON, L.A. Arquitetura para orientar a seleção de JSE por IES: contribuição para o ensino de logística, tese de doutorado, Fac.Econ.Adm.Cont.da USP, obra não publicada, São Paulo, 1973 disponível em http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde19082011-195540/pt-br.php Titton, 2011
  14. 14. Obrigado  São Paulo, 2014
  15. 15. Autorização Você tem autorização para utilizar total ou parcialmente essa apresentação desde que citada a fonte. Agradeceria o envio de seu trabalho para mim, também. Luiz Antonio Titton titton@jogos-de-empresas.com.br Quer saber mais? Peça para receber outros materiais sobre jogos de empresa no meu site: www.jogos-de-empresas.com.br Titton, 2011

×