TransparêNcias ReuniãO Cosec 13 10 08 Paulo Rabello

1,431 views

Published on

Apresentação de Paulo Rabello de Castro na Cosec

Published in: Economy & Finance, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,431
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
507
Actions
Shares
0
Downloads
23
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

TransparêNcias ReuniãO Cosec 13 10 08 Paulo Rabello

  1. 1. Evolução da Crise Financeira Global e Alternativas Estratégicas do Brasil Paulo Rabello de Castro Outubro 2008 1
  2. 2. PARTE I Crise Financeira Global Perguntas Chave: Qual o provável tamanho do problema? Estamos no fundo do poço? 2
  3. 3. “A TEMPE$TADE” por Alan “Shakespeare” Greenspan Dramatis Personae Alan Greenspan, ele mesmo Bernanke e Paulson Banqueiros de Investimento Incorporadores Imobiliários Hedge Funds Asseguradores de Crédito Agências de Risco Reguladores e Fiscais do Mercado BRICs e Não-BRICs Emergentes Povo Consumidor e Hipotecado Participação Especial: George W. Bush 3
  4. 4. EUA: Ciclos Monetários e Militares EUA: TAXA DE JUROS (Fed Funds) 20 Fonte: RC Databank / Fed BASIS POINTS BARRIS 15 BOMBAS 10 BOMBAS BARRIS 5 Gestão Paul Volcker 0 1957 1963 1969 1975 1981 1987 1993 1999 2008 4
  5. 5. Poupança pessoal americana Média móvel de 12 meses como proporção da renda % da renda total 14 12 10 8 6 4 2 0 jan/60 jan/66 jan/72 jan/78 jan/84 jan/90 jan/96 jan/02 jan/08 Fonte: U.S. Department of Commerce: Bureau of Economic Analysis 5
  6. 6. EUA: A Composição da Dívida Privada POUPANÇA LÍQUIDA Valores Reais, a preços de 2008 Fonte: The New York Times 6
  7. 7. Circuito de Produção de Alavancagem INVESTIDORES $$$ SYNTHETIC CDO MBS, CDO, CDS MORTGAGE PESSOAS FÍSICAS E FANNIE MAE FREDDIE MAC SIV’s JURÍDICAS $$$ $$$ Alocação de Recursos $$$ (Diversificação CDS de riscos) INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS Aplicação MORTGAGE $$$ $$$ MBS, CDO, CDS (recuperação de rentabilidade) PESSOAS FÍSICAS E SIV’s JURÍDICAS ANTECIPAÇÃO + (SECURITIZAÇÃO) LIQUIDEZ $$$ SYNTHETIC CDO NOVOS MORTGAGES + INVESTIDORES E APLICAÇÃO REFINANCIAMENTOS 7
  8. 8. Crescimento do “SUBPRIME” Participação do Subprime nos Empréstimos Hipotecários 16% 14,0% 14% 13,2% 13,5% 11,5% 12% 10% 8% 6% 5,3% 4% 3,4% 2,4% 2,1% 2,4% 2,6% 2% 0% 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007* * dados do 1º semestre de 2007 Fonte: Mortgage Bankers Association of America 8
  9. 9. Posições “fora do balanço” em US$ bilhões CITIGROUP BANK OF AMERICA JP MORGAN PL - US$ 160 PL - US$ 163 PL - US$ 163 OFF-BALANCE OFF-BALANCE OFF-BALANCE 8 VEZES 9 VEZES 13 VEZES US$ 1.281 US$ 1.496 US$ 1.723 ATIVOS TOTAIS ATIVOS TOTAIS ATIVOS TOTAIS US$ 2.100 13 VEZES 9 VEZES 13 VEZES US$ 1.554 US$ 1.776 WACHOVIA MERRILL LYNCH WaMu PL - US$ 75 PL - US$ 35 PL - US$ 26 OFF-BALANCE OFF-BALANCE 1,5 VEZES 2 VEZES OFF-BALANCE US$ 149 US$ 46 US$ 23 1 VEZES 27 VEZES ATIVOS TOTAIS ATIVOS TOTAIS ATIVOS TOTAIS 10 VEZES 11 VEZES US$ 812 US$ 966 US$ 310 Fonte: SEC 9
  10. 10. Alavancagens Comparadas Índice de Capital Efetivo excluindo posições off-balance 21,5% Alavancagem* 64,3 *número de vezes do PL 8,5% 1,6% BRASIL EUA FANNIE MAE / FREDDIE MAC 11,8 4,7 BRASIL EUA FANNIE MAE / FREDDIE MAC Fonte: Banco Central, FED, SEC 10
  11. 11. Bancos Europeus também estão no coração do problema, fazendo companhia aos bancos norte-americanos Fonte: Credit Flux 11
  12. 12. A Bolsa dos EUA está pendurada nos anúncios do FED 15.000 DOW JONES Devolução Tributária para Injeção de US$ 168 bi 14.000 Aprovação de Pacote de 13.000 Rolagem de US$ 700 bi Redução de Redução de Juros Juros 12.000 Reduções de Anúncio do Juros 11.000 MLEV Redução de Juros 10.000 Redução de Juros 9.000 2/1/07 2/5/07 2/9/07 2/1/08 2/5/08 9/10/08 12
  13. 13. A “torneira” de Bernanke Financiamentos diretos e leilões a termo para os bancos membros (US$ bilhões) O FED 600 decide não mais 500 bancar 400 300 A crise se 200 agrava. Novo Pacote 100 0 ago/07 out/07 dez/07 fev/08 abr/08 jun/08 ago/08 out/08 dez/08 Fonte: Federal Reserve 13
  14. 14. FED: A Chuva de Papéis “Micados” em Carteira Semana Variação (US$ bilhões) terminada em Em uma Em um Bilhões de dólares 8/10/08 semana ano A – ATIVOS do FED 1.495 + 104 + 636 1 – Posições em Treasuries 491 +2 - 289 2 - Acordos de recompra de títulos 81 - 2 + 43 3 - Leilões a termo 149 -1 + 149 4 - Outros empréstimos 420 + 52 + 420 5 - Carteira líquida do Maiden Lane LLC 29 +0 + 29 641 bi 6 - Outros ativos do FED 325 + 50 + 284 B – Moeda em Circulação, Ouro e DES 52 +0 + 0 PROVISÃO DE RESERVAS DO FED (A+B) 1.547 + 104 + 636 Fonte: Federal Reserve 14
  15. 15. BRICs: Os Ganhadores da Era Greenspan China: Reservas Internacionais em US$ bilhões 2.000 1.800 1.600 3ª FASE 1ª FASE 2ª FASE 1.400 quot;PRESENTE DOS DECOLAGEM NIVELAMENTO EUAquot; 1.200 1.000 800 (+) US$ 1,5 Trilhão 600 400 200 0 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 jun/08 Fonte: Banco Popular da China 15
  16. 16. BRICs: Os Ganhadores da Era Greenspan Rússia: Reservas Internacionais em US$ bilhões 600 550 500 450 1ª FASE 2ª FASE 3ª FASE NAUFRÁGIO DECOLAGEM EXPANSÃO 400 350 300 (+) US$ 533 Bilhões 250 200 150 100 50 0 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 ago/08 Fonte: FMI 16
  17. 17. BRICs: Os Ganhadores da Era Greenspan Índia: Reservas Internacionais em US$ bilhões 350 300 1ª FASE 2ª FASE DECOLAGEM BOOM 250 200 (+) US$ 246 150 Bilhões 100 50 0 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 ago/08 Fonte: FMI 17
  18. 18. BRICs: Os Ganhadores da Era Greenspan Brasil: Reservas Internacionais em US$ bilhões 220 200 180 2ª FASE 3ª FASE 1ª FASE RECUPERAÇÃO LENTA quot;PRESENTE DA 160 NAUFRÁGIO DO REAL DO NAUFRÁGIO CHINAquot; 140 120 100 (+) US$ 154 Bilhões 80 60 40 20 0 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 set/08 Fonte: Banco Central 18
  19. 19. Participação dos destinos das exportações chinesas Ásia 46% Ásia África 2% Europa América Latina 3% América do Norte EUA EUA Oceania e Ilhas do 21% Europa 22% 2% América Latina 4% Fonte: Banco Popular da China 19
  20. 20. Participação de cada região nas importações chinesas Ásia 66% Ásia África Europa América Latina América do Norte EUA Oceania e Ilhas do Pacífico Outros Europa EUA América Latina 15% 7% 4% Fonte: Banco Popular da China 20
  21. 21. PARTE II Alternativas para o Brasil Perguntas Chave: Qual o grau de exposição do país? Qual o mix mais apropriado de políticas macro? 21
  22. 22. Juros em desalinho 35 Selic Nominal Fonte: RC Databank 30 25 Taxa Selic Praticada 20 15 10 Equação de Equilíbrio: Taxa de Risco Taxa de 5 Juros Reais x País = Juros Reais dos EUA (EMBI) de Equilíbrio quot;Taxa de Equilíbrioquot; * pressupõe expectativa de variação cambial zero 0 jan/00 out/00 jul/01 abr/02 jan/03 out/03 jul/04 abr/05 jan/06 out/06 jul/07 ago/08 22
  23. 23. Moeda tem sempre dois lados 130 Valorização Nominal de Câmbio: Moedas Nacionais / Dólar JAPÃO 120 ARGENTINA 110 MÉXICO 100 CHILE EURO 90 CHINA 80 70 60 BRASIL 50 dez/04 jul/05 fev/06 set/06 abr/07 nov/07 jun/08 out/08 23
  24. 24. Taxa de câmbio - moeda / US$ País última cotação % Variação desde: 7/out jan/07* out/07* ago/08* Brasil 2,31 8,1% 28,4% 43,2% Argentina 3,21 4,1% 1,7% 6,0% Chile 594,50 9,7% 18,7% 15,0% México 12,12 10,6% 12,0% 19,8% Canadá 1,11 -6,0% 13,3% 4,9% Austrália 1,39 8,5% 24,7% 22,2% Rússia 26,14 -1,4% 5,0% 7,8% China 6,82 -12,5% -9,1% -0,4% Singapura 1,46 -4,9% -0,2% 4,1% Índia 47,78 8,1% 21,4% 11,4% U.K. 0,57 11,3% 16,2% 7,2% Europa 0,73 -4,8% 4,3% 9,6% Ajuste médio** 2,6% 11,4% 12,6% Moeda Real estava cotada R$ 2,14 R$ 1,80 R$ 1,61 a com ajuste médio, o real R$ 2,20 R$ 2,01 R$ 1,81 subiria para *Taxa média mensal ** Média simples 24
  25. 25. Pistas sobre o tamanho do estrago real 25
  26. 26. Pistas sobre o tamanho do estrago real 26
  27. 27. Pistas sobre o tamanho do estrago real 27
  28. 28. Pistas sobre o tamanho do estrago real 28
  29. 29. Pistas sobre o tamanho do estrago real 29
  30. 30. BLACK OCTOBER Estratégias para o Brasil pós-Bolha 30
  31. 31. Estratégia DEFENSIVA – ÂNCORA DE JUROS - Meta de Apreciação Cambial – Desinflação induzida - Política de Juros Ativa – sobrecarga financeira - Política Fiscal Expansionista – tropicália “keynesiana” Estratégia PROATIVA – ÂNCORA FISCAL - Convergência Cambial - Política de Juros “neutra” expansão monetária gradual - - Política Fiscal Contencionista – “deficit nominal zero” - Reforma Tributária – carga converge para 30% até 2020 31
  32. 32. Estratégia PROATIVA 1) Aumento de 10% na produtividade pública 2) Meta de 30% de Carga Tributária em 2020 3) Fim da Indexação ao IGP 4) Incentivos novos à Poupança Previdenciária 5) Meta de Investimento: 25% do PIB 6) Meta de Crescimento 2010–14: 6% ao ano 32

×