Francisco Luiz

1,972 views

Published on

Published in: Business
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,972
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
56
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Francisco Luiz

  1. 1. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Sistema Ferroviário no Brasil Francisco Luiz Baptista da Costa Diretor de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Projeto Brasil – 25º Fórum de Debates São Paulo – 12 de dezembro de 2005
  2. 2. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Sistema Federal de Transportes Rodovias • 72 mil km, dos quais 58 mil km pavimentados Ferrovias • 29 mil km, operados pelo setor privado Portos • 30 portos marítimos e 10 portos interiores • operados, basicamente, pela iniciativa privada. Hidrovias • 28 mil km de vias navegáveis interiores • potencial de mais 15 mil km de novas vias.
  3. 3. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Matriz de Transportes Em bilhões de TKU (toneladas-quilômetro-útil) 33 3 4,2% 0,4% Modo: 108 Rodoviário 13,6% Ferroviário Aquaviário Dutoviário Aéreo 182 485 20,7% 61,2% (25% - 2005) T o t a l: 794 bilhões de TKU em 2002
  4. 4. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Matrizes de Transportes – Comparativo Internacional Rússia 81% 8% 11% Canadá 46% 43% 11% Austrália 43% 53% 4% EUA 43% 32% 25% China 37% 50% 13% Brasil 24% 62% 14% Ferroviário Hidroviário Rodoviário
  5. 5. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Extensão da Malha Ferroviária Comparativo Internacional Extenção da Malha Área do País País Ferroviária (km) (km²) Brasil 29.798 8.511.965 Estados Unidos 307.000 9.369.091 França 34.076 551.000 Japão 21.037 378.000 México 23.619 1.958.201 Argentina 38.197 3.761.274 Alemanha 43.500 357.022 África do Sul 21.303 1.223.201 Fontes: ANTT em Números, ANTC, Sites de internet
  6. 6. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Matriz de Transportes X Economia Matriz de Transportes balanceada geraria US$ 2,5 bilhões/ano em economia com custos logísticos*. Este re-equilíbrio requer medidas institucionais Investimentos significativos. Implementação gradual e no longo prazo * Fonte: Banco Mundial
  7. 7. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Custos Logísticos e Transportes Os custos de transporte representam 31% do custo logístico Custos logísticos / PIB Brasil – 20% Canadá – 12% Portugal – 12,7% Taiwan – 13% Fonte: AG Consultoria (Infra-estrutura de Transportes – Investimentos 2003-2010) citando J. Guasch/BIRD
  8. 8. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Capacidades dos Transportes MODAIS HIDRO FERRO RODO 1 Comboio 2,9 Comboios Hopper 172 Carretas Duplo Tietê (86 vagões) Bi-trem Graneleiras (4 chatas e empurrador) Capacidade de Carga 6.000 t 3,5 km Comprimento 150 m 1,7 km Total (26 km em movimento) Fonte: Caramuru, DH, TCL
  9. 9. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Comparativo de Fretes por Modal HIDROVIA FERROVIA RODOVIA 40,00 65,00 100,00 R$ T por 1.000 KM Os fretes acima dependem de cada origem/ fluxo/ modal e concessionária Fonte: Caramuru
  10. 10. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Transportes e Investimento Público
  11. 11. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes A Origem dos Problemas Investimentos em Transportes / PIB (%) % 1,8 1,6 1,4 1,2 (1) 1,0 0,8 0,6 0,4 0,2 - 76 78 80 82 84 86 88 90 92 94 96 98 00 02 04 (1) Fundo Rodoviário Nacional – período 1945 a 1988. ANO
  12. 12. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Investimentos Públicos X Economia Níveis dos gastos públicos em infra-estrutura são metade do que eram na década de 1980. Parte da redução decorre da transferência de atividades para o setor privado Outra parte reflete restrições fiscais que geraram atrasos na conclusão de obras essenciais e em obras de manutenção Orçamento da União disponível para investimentos públicos caiu nos últimos 10 anos Brasil aplicou menos de 1% do PIB nos últimos anos
  13. 13. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Investimentos Públicos X Economia Déficit de investimentos, juntamente com crescimento da economia interna e de exportações contribuem para aparecimento de gargalos que interferem no potencial de crescimento Recuperação Econômica do Brasil exige aumento do investimento em Infra-estrutura Há o reconhecimento da relação investimento público e sustentabilidade fiscal
  14. 14. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Investimentos Públicos X Economia 1/3 da diferença entre as taxas de crescimento econômico do Brasil e de países da Ásia (Tigres Asiáticos) decorre de gastos em investimentos Países asiáticos aplicam em média 5% do PIB – últimos 10 anos Estudo do Banco Mundial indica que taxa de crescimento do Brasil poderia aumentar substancialmente se qualidade e quantidade da intra-estrutura fosse igual à da Coréia do Sul Fonte: Banco Mundial
  15. 15. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Evolução do Orçamento do MT 6.500.000 5.000.000 4.000.000 3.000.000 2.000.000 1.000.000 0 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 mil R$ Investimentos realizados Investimentos previstos na Lei Orçamentária Investimentos contingenciados
  16. 16. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Perspectivas
  17. 17. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Exportações e Importações ACUMULADO EM 12 MESES / US$ MILHÕES 120.000 111.206 110.000 101.478 100.000 91.850 90.000 79.935 80.000 73.084 71.098 68.194 70.000 65.633 62.538 59.303 60.000 57.367 51.982 48.291 50.000 48.129 47.579 46.404 40.000 ago/00 jun/01 set/02 fev/03 dez/03 mai/04 ago/05 jan/01 nov/01 jul/03 out/04 mar/00 abr/02 mar/05 Exportação / Exports Importação / Imports
  18. 18. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Exportações Mensais – US$ milhões Jan 2003 a Ago 2005 12.000 11.000 10.000 9.000 8.000 7.000 6.000 5.000 4.000 3.000 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez 2005 2004 2003
  19. 19. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Nova Fronteira Agrícola Potencial de 85 milhões de t / ano de grãos (15,4 milhões ha) CERRADOS AP RR Área total 204.000.000 ha Área arável 127.000.000 ha MA AM CE PA RN PB PI Pastagens cultivadas 49.000.000 ha PE AL RO AC SE TO MT Culturas anuais 10.000.000 ha BA GO Perenes e florestais 2.000.000 ha DF MG ES MS Áreas potenciais 127.000.000 ha RJ SP Áreas ocupadas 61.000.000 ha PR SC Região de Cerrado RS Fronteira agrícola 66.000.000 ha Fonte: SENAR
  20. 20. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Produção nacional de soja: 95.000 – Duplicou nos últimos 5 anos 86.000 – Potencial para duplicar 78.000 novamente até 2010 70.600 66.500 Quebra 64.200 de Safra (59.000) mil t 52.800 51.875 42.769 39.058 34.127 31.377 Taxa de crescimento 9% 14% 10% 21% 2% anual 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Fonte - ABIOVE
  21. 21. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Perspectivas Brasil - Grãos Safra 2004/05 Estimativas: área plantada de 48,5 milhões de Ha. Produção de grãos de 119,5 Perspectivas de Demanda por Transportes milhões de toneladas (*recalculada em março/2005 em função da seca no RS) 130,0 119,1 122,4 120,0 PRODUÇÃO 110,0 Milhões hectares/toneladas 100,0 100,3 97,1 90,0 80,0 83,0 82,4 81,2 78,9 70,0 76,5 76,0 73,8 68,3 68,2 60,0 57,8 ÁREA PLANTADA 50,0 47,3 40,0 43,8 40,2 38,9 38,4 38,4 37,8 37,8 37,9 36,8 36,9 30,0 36,4 35,6 35,0 Fonte: CONAB 90/91 91/92 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/2000 2000/01 2001/02 2002/03 2003/04
  22. 22. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes
  23. 23. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Desafios Infra-estrutura: área estratégica de governo • Transportes: a primeira das áreas prioritárias Necessidade básica: • Superar gargalos em rodovias, ferrovias e portos • Criar condições ao crescimento socioeconômico Investimentos em transportes • R$ 6,5 bilhões em 2005 • Desafio gerencial
  24. 24. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Ferrovias
  25. 25. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Características da Malha Ferroviária • Malha Ferroviária Nacional 29.798 km 13 concessões operadas por 7 grupos privados e 1 estatal (Valec) • Malha Ferroviária Federal Concedida 28.671 km • Concessões da RFFSA 25.896 km • Demais Concessões 2.776 km Frota em Operação • Locomotivas 2.125 • Vagões 74.400 Fonte: ANTT
  26. 26. Ferrovias Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes 29 mil km de ferrovias, Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes operados pelo setor privado Ferrovias 28 mil km de ferrovias, operados pelo setor privado 1
  27. 27. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Características Malha antiga, construída na primeira metade do Século XX exceção de linhas no Sul e Sudeste. outra realidade nacional, concentrada na faixa litorânea Transporte de granéis sólidos, agrícolas e minerais voltados para exportação. Dificuldades de integração da malha (diferenças de bitola). Malha tecnicamente obsoleta, excetuando-se a Ferronorte e a Ferrovia Carajás, e com baixa produtividade: material rodante com idade média elevada e quantidade insuficiente de vagões e locomotivas pontes, passagens de nível, inclinação dos trechos e curvas em padrões pouco produtivos
  28. 28. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Cenário Pré-Concessões Déficit anual: R$ 300 milhões (US$ 100 milhões) Receitas insuficientes frente às despesas Atrasos sistemáticos no atendimento aos compromissos Ativos operacionais em processo contínuo de degradação Incapacidade de investimento Efetivo de pessoal superior às necessidades Agilidade e agressividade comercial dificultadas pela legislação Desatenção na exploração empresarial do patrimônio não operacional
  29. 29. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Concessões Ferroviárias TOTAL BITOLA - km CONCESSIONÁRIAS km Larga Métrica Mista NOVOESTE – Ferrovia Novoeste S. A. 1.621 1.621 FCA – Ferrovia Centro-Atlântica S. A. 182 6.898 7.080 MRS – MRS Logística S.A. 1.632 42 1.674 FTC – Ferrovia Tereza Cristina S.A. 164 164 ALL – América Latina Logística do Brasil S.A. 11 6.575 6.586 FERROESTE – Estrada de Ferro Paraná Oeste 248 248 EFVM – Estrada de Ferro Vitória a Minas 898 898 EFC – Estrada de Ferro Carajás 892 892 CFN – Companhia Ferroviária do Nordeste S.A. 4.516 18 4.534 FERROBAN – Ferrovias Bandeirantes S.A. 1.513 2.422 301 4.236 FERRONORTE – Ferrovias Norte do Brasil 512 512 VALEC Engenharia, Construções e Ferrovias S.A. 226 226 4.968 23.342 361 28.671 TOTAL
  30. 30. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Resultados das Concessões Ferroviárias Saneamento econômico-financeiro do Setor Reversão do patrimônio líquido negativo para positivo de todas as Concessionárias, exceto Brasil Ferrovias e FERROPAR Equacionamento econômico e operacional das Concessionárias FERRONORTE, FERROBAN e NOVOESTE (Brasil Ferrovias) e FERROPAR Regulamentação Implantada Ajustes Operacionais
  31. 31. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Resultados das Concessões Ferroviárias ANO Indicadores 2001 2002 2003 2004 Investimento (R$ milhões) 815 623 1.072 1.890 Carga (Milhões/TU) 305 321 345 379 Produção (Bilhões/TKU) 162 170 183 206 ANO Frota 2002 2003 2004 Locomotivas 1.895 1.987 2.125 Vagões 67.795 62.932 74.400 ANO Produção da indústria 2002 2003 2004 2005 (*) Vagões 294 2.028 4.502 9.000 (*) Expectativa de encomendas
  32. 32. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Crescimento da Produção de Vagões (un.) 6000 5000 4000 3000 2000 1000 0 98 01 04 71 74 77 80 83 86 89 92 95 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 20 20 Fonte: Abifer
  33. 33. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Cenário Pós-Concessões período 1996 a 2003 Investimentos das Concessionárias R$ 6,31 bi Crescimento da Produção 40% de 128,4 para 179,9 bilhões de tku Redução do índice de acidentes (1997-2003) 52% de 75,0 para 35,7 acidentes/milhão de trem.km Arrecadação das Concessões e Arrendamentos R$ 1,57 bi Minério de ferro responde por 60% da carga ferroviária
  34. 34. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Ação em Ferrovias • Reestruturação operacional das malhas • Fortalecimento empresarial das concessões • Criação de mecanismo eficaz para fiscalização e controle do desempenho das concessionárias • Expansão e aumento da capacidade das ferrovias • Eliminação de conflitos urbanos • Trem regional e turístico de passageiros
  35. 35. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Ação em Ferrovias Agenda Ferrovias - destaques • Reestruturação da Brasil Ferrovias • Engenharia financeira da Nova Transnordestina • Continuidade da Ferrovia Norte-Sul • Contornos Ferroviários •Contorno de São Félix - Cachoeira/BA • Ferroanel de São Paulo • Variante Guarapuava-Ipiranga/PR • Continuidade Ferronorte – Alto Araguaia/Rondonópolis/MT
  36. 36. Ministério dos Transportes NOVA FERROVIA TRANSNORDESTINA Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes AP BELÉM Objetivo: Criação de um novo Porto de Itaqui corredor ferroviário de alta SÃO LUIS capacidade, em bitola larga, PORTO DE PECÉM interligando Eliseu Martins, no Piauí, FORTALEZA MA PI PA aos portos de Suape, em CRATEÚS CE TERESINA Pernambuco, e Pecém, no Ceará NATAL P. CARNEIRO RN permitindo a integração multimodal na Região Nordeste e MISSÃO PB JOÃO PESSOA VELHA ARARIPINA proporcionando a redução de custos PE RECIFE TO SALGUEIRO ELISEU MARTINS e o aumento da competitividade. PORTO DE SUAPE PETROLINA AL MACEIÓ PALMAS SE ARACAJU VITÓRIA BA SALVADOR GO MG 18 ES
  37. 37. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Ferrovia Norte-Sul Extensão Total: 1.550 km Açailândia até Anápolis incluindo acesso ao Porto Seco Extensão Construída: 215 km Açailândia até Estreito (Aguiarnópolis) Em operação, com 1 milhão ton/ano Em obras: 41 km a partir de Anápolis 40 km Aguiarnópolis – Ribeirão Campo Alegre 58 km Ribeirão Campo Alegre – Babaçulândia Em licitação 50 km Babaçulândia – Araguaína O trecho Estreito – Araguaína (148 km) deve operar em meados de 2006
  38. 38. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Carregamento total na Ferrovia Norte-Sul para 2012 • O trecho norte (até Gurupí) é o que apresenta maior potencial de carga em um horizonte de médio prazo, o que justifica a sua seleção para estruturação de PPP. • O trecho sul será construído com recursos do Orçamento Geral da União.
  39. 39. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Ferrovia Norte-Sul ETAPAS Km Orçamento referencial. ESTREITO iniciativa privada (R$ mil) 295 km 1 Estreito - Guaraí 295 619.500 2 Guaraí - Palmas 150 315.000 GUARAÍ 3 Palmas - Gurupi 220 462.000 150 km TOTAL 665 1.396.500 PALMAS Diferença de Orçamentos: 32% 220 km A modelagem em etapas vincula a expansão da ferrovia ao aumento da carga na área de influência. GURUPI Meio Ambiente: já existe a licença prévia de todo o traçado. As licenças de instalação e operação Araguaína estão em fase final de renovação.
  40. 40. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Contornos Ferroviários - Nordeste • Cachoeira – São Felix Contorno 17 km R$ 70 mi • Camaçari – Aratu Variante 26 km R$ 55 mi • Alagoinhas Viadutos 6 km R$ 20 mi • Candeias Contorno 3,5 km R$ 11 mi • Santo Amaro Cachoeira – São Felix Contorno 8 km R$ 60 mi
  41. 41. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Contornos Ferroviários - Sudeste •Serra do Tigre Variante 280 km R$ 1 bi ou Retificação 150 km R$ 280mi •Travessia Belo Horizonte Retificação 10 km R$ 80 mi •Araraquara Contorno 18 km R$ 50 mi •Santos Margens Esq. e Dir. R$ 80 mi •Rio de Janeiro Acesso ao porto – Favela do Arará •Montes Claros Contorno 18 km R$ 60 mi •Conflitos Urbanos Diversos municípios R$ 70 mi Favela do Arará - Rio
  42. 42. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Contornos Ferroviários - Sul •Ipiranga – Guarapuava Variante 130 km – R$ 330 milhões •Curitiba Variante 43 km – R$ 100 milhões •São Francisco do Sul Contorno 8 km – R$ 22 milhões •Paranaguá Viadutos 3,5 km – R$ 20 milhões •Conflitos Urbanos Diversos Municípios – R$ 80 milhões Paranaguá
  43. 43. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Ferroanel de São Paulo Volta Boa Redonda Vista Campinas Campo Limpo Paulista Rio de São José Janeiro dos Campos Sepetiba Manoel Feio São Paulo Mairinque Vila Califórnia Alumínio Legenda Rodovias Evangelista Rodoanel de São Paulo de Souza Santos Ferrovias Ferroanel de São Paulo
  44. 44. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes 66 Km – US$ 240 M FERROANEL Norte Ferroanel de São Paulo 48 Km – US$ 160 M FERROANEL Sul
  45. 45. •Alumínio Sorocaba ETAPA I Campinas ETAPA II Mairinque _ •Jundiaí •C. Limpo Paulista •Fco. Morato P. Altino_ •Jaraguá A. Branca_ •Lapa •Evang.. Perequê •B.Funda de Souza •LUZ Brás_ •Roosevelt Ipiranga _ Eng. Gualbe rto _ •R.G.da Ministério dos Transportes Serra Secretaria de Política Nacional de Transportes •C. Ermelino •M. Feio Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes •Pinheirinho •Suzano Ferroanel – Etapas de Implantação S. J. dos Campos •Mogi
  46. 46. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Ferroanel de São Paulo – orçamento preliminar • Infra-estrutura – 1ª etapa • Segregações R$ 83 MM • Obras do Ferroanel Norte R$ 566 MM • Desapropriações R$ 148 MM • TOTAL R$ 797 MM
  47. 47. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Variante Guarapuava - Ipiranga Guarapuava – Ipiranga Variante Ferroviária 130 km – R$ 330 milhões
  48. 48. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Maringá Londrina Ipiranga Cascavel Ponta Grossa Curitiba Paranaguá Guarapuava Novo traçado
  49. 49. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Principais Desafios Pós-Concessões • Invasão da faixa de domínio nos centros urbanos e nos acessos aos portos → parceria com a ANTF, Ministério das Cidades e municípios Passagens de nível críticas → parceria com a ANTF e dinamização do PRONURB / DNIT Contornos urbanos críticos → parceria com a ANTF e inclusão no PPI São Félix, Barra Mansa, São Francisco do Sul Ferroanel como PPP Malha pouco extensa para o atendimento da demanda → Ferronorte, Nova Transnordestina, inclusão da Norte-Sul no PPI e como PPP Integração operacional deficiente entre concessionários → ANTT
  50. 50. Ministério dos Transportes Secretaria de Política Nacional de Transportes Departamento de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes Francisco Luiz Baptista da Costa francisco.costa@transportes.gov.br Tel (61) 3311-7822 Fax (61) 3311-7600

×