Apresentaçãode Tombini na Comissão de Assuntos Econômicos

3,004 views

Published on

Dia 02/04/2013

Published in: Economy & Finance
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,004
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2,296
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentaçãode Tombini na Comissão de Assuntos Econômicos

  1. 1. Audiência PúblicaComissão de Assuntos Econômicosdo Senado FederalAlexandre TombiniPresidente do Banco Central do BrasilAbril de 2013
  2. 2. Sumário executivo• A perspectiva para o cenário externo continua sendo de baixo crescimento por um período prolongado• A recuperação da atividade econômica tem se materializado de forma gradual e a perspectiva é de ritmo mais intenso• O investimento voltou a crescer no 4T12 e indicadores antecedentes sugerem crescimento também no 1T13• A inflação mostra-se persistente nos últimos meses 2
  3. 3. Economia brasileira Cenário ExternoAtividade Econômica Inflação 3
  4. 4. Sumário do cenário externo• Cenário externo segue complexo, com nível de incerteza acima do usual e com perspectiva de baixo crescimento por um período prolongado• Economias avançadas - restrições quanto ao manejo de suas políticas monetárias e fiscais• Área do Euro - episódios recentes reforçam a avaliação de que vulnerabilidades remanescem• Estados Unidos - sinais consistentes de recuperação• Economias emergentes - ritmo de atividade tem se intensificado, amparado pela resistência da demanda doméstica 4
  5. 5. Economia global – expectativas de crescimento 2013 Mundo (%) Zona do Euro (%)3,2 1,23,0 0,82,8 0,42,6 0,02,4 2.4 -0.22,2 -0,4 mai 12 set 12 jan 13 nov 12 jul 12 mar 12 mar 13 jan 13 set 12 mai 12 nov 12 jul 12 mar 12 mar 13 EUA (%) China (%)2,7 8,62,5 8,5 8,42,3 8,32,1 8,21,9 1,90 8.1 8,11,7 8,0 jul 12 nov 12 mar 12 mar 13 mai 12 set 12 jan 13 jul 12 nov 12 mar 12 mar 13 mai 12 set 12 jan 13 Fonte: Expectativas Bloomberg (29 de março de 2013) 5
  6. 6. Taxas de desemprego – Área do Euro e EUA Mercado de trabalho reflete evoluções distintas das economias dos EUA e Área do Euro 13 11,9% 12 jan/12 11 10 9 % 8 7,7% 7 fev/13 6 5 4 jan 07 jan 08 jan 09 jan 10 jan 11 jan 12 jan 13 jul 07 jul 08 jul 09 jul 10 jul 12 jul 11 Desemprego EUA Desemprego Zona do EuroFonte: Bloomberg 6
  7. 7. Economia brasileira Cenário ExternoAtividade Econômica Inflação 7
  8. 8. Atividade econômica• A recuperação da atividade econômica tem se materializado de forma gradual e a perspectiva é de ritmo mais intenso• A indústria mostra sinais de retomada, inclusive com maior nível de disseminação• O setor de serviços manterá crescimento moderado• A safra de grãos deve bater novo recorde em 2013• Continuam presentes importantes fatores de sustentação da demanda (emprego, renda e crédito)• Investimento voltou a crescer no 4T12 e indicadores antecedentes sugerem crescimento também no 1T13 8
  9. 9. PIB – variação acumulada em 4 trimestres Previsão de mercado 4,0 3,5 3,2 3,0 3,0 % em 4 trimestres 2,5 2,5 2,0 1,9 1,9 1,5 1,3 1,2 1,0 0,9 0,9 0,5 0,0 1T 12 2T 12 3T 12 4T 12 1T 13* 2T 13* 3T 13* 4T 13* 1T 14* *Focus (28/mar)Fonte: IBGE e BCB 9
  10. 10. Dinâmica de crescimento das economias em 2012* Japão 1,5 China 2,0 China 1,5 México 0,8 México 1,3 Austrália 0,6 Australia 1,2 Canadá 0,5 Alemanha 0,5 Estados Unidos 0,3Estados Unidos 0,5 Brasil 0,3 Canadá 0,3 Alemanha 0,3 Brasil 0,1 França -0,1 Área do Euro -0,1 Área do Euro -0,2 Reino Unido -0,1 Japão -0,2 França -0,1 1º T 2012 Espanha -0,4 2º T 2012 Espanha -0,4 Reino Unido -0,4 Itália -0,8 Itália -0,7 (1,0) (0,5) 0,0 0,5 1,0 1,5 2,0 -1 -0,5 0 0,5 1 1,5 2 2,5 China 2,0 China 2,1 México 0,8 Reino Unido 1,0 Austrália 0,6 Estados Unidos 0,8 Brasil 0,6 Australia 0,7 Canadá 0,2 México 0,4Estados Unidos 0,0 Brasil 0,4 Japão 0,0 Alemanha 0,2 Reino Unido -0,3 Canadá 0,2 França -0,3 França 0,1 Área do Euro -0,6 4º T 2012 Área do Euro -0,1 3º T 2012 Alemanha -0,6 Itália -0,2 Espanha Espanha -0,3 -0,8 Japão -1,0 Itália -0,9 -2 -1 0 1 2 3 (2,0) (1,0) 0,0 1,0 2,0 3,0 Fonte: Bloomberg * Crescimento observado trimestral dessazonalizado. 10
  11. 11. Crescimento esperado do PIB em 2013 China 8,1 México 3,5 Brasil 3,1 Austrália 2,6 Mundo 2,4 Estados Unidos 1,9 Canadá 1,6 Japão 1,2 Reino Unido 0,9 Alemanha 0,7 França 0,0 Área do Euro -0,2 Itália -1,2 Espanha-1,5 -2 0 2 4 6 8 10Fonte: Expectativas Bloomberg (29 de março de 2013) 11
  12. 12. Indústria• Indústria cresceu no 3T12 e 4T12• Sinais de consistência da recuperação da produção industrial − Nível de utilização subindo gradualmente − Crescimento da produção mais difundido entre os setores − Criação de vagas de trabalho nos últimos meses• Indicadores antecedentes sugerem que a indústria cresceu novamente no 1T13, a despeito do resultado da produção industrial em fevereiro• Ambiente potencialmente favorável ao crescimento da produção e do investimento − Estoques em níveis adequados − Melhores condições de competitividade 12
  13. 13. Indicadores da indústria Estoque na indústria Confiança da indústria110 68 115 FGV (dir.)106 62 110 CNI (esq.)102 56 10598 50 100 PMI (esq.)94 44 95 mar 12 mar 13 set 11 mar 11 set 12 mar 11 set 12 mar 12 mar 13 set 11 85 Utilização da Capacidade (%) Difusão (%)* 80 84 Média móvel 12 meses 83 70 82 60 Mensal 81 80 50 jan 12 jul 12 jan 13 jan 11 jul 11 jul 12 jan 11 jan 12 jan 13 jul 11 * Subsetores com variação positiva até janeiro/13 Fonte: FGV / CNI / Markit / IBGE 13
  14. 14. 2002 = 100 Média móvel 6 meses (dessazonalizado)Fonte: IBGE 124 126 127 125 jan 12 fev 12 mar 12 abr 12 mai 12 jun 12 jul 12 ago 12 set 12 out 12 Produção industrial recuperando nov 12 dez 12 jan 13 fev 1314
  15. 15. Serviços: ritmo de crescimento sustentado • O setor de serviços em trajetória de crescimento há dezesseis trimestres − Esse desempenho é reflexo da mudança estrutural observada na economia brasileira nos últimos dez anos • A expectativa é de que o setor de serviços continue crescendo nos próximos trimestres em ritmo mais próximo do crescimento dos outros setores 15
  16. 16. Setor de serviços – perspectiva de expansão Índice de Confiança de Serviços (FGV)* PMI Serviços (Markit)**140 60135 58 > 50  Expansão130 56125 54120 52115 50110 48 > 100  Otimismo105 46 < 50  Retração100 44 95 < 100  Pessimismo 42 90 40 jul 11 jan 12 jan 13 jan 12 jan 13 jul 11 jul 12 jan 11 jul 12 jan 11 * Até mar 13 * *Até fev13Fonte: FGV / Markit 16
  17. 17. Agropecuária• Produção de grãos deve bater novo recorde em 2013 − Fatores climáticos adversos impactaram negativamente a produção agrícola no início do ano anterior. Isso não ocorreu nesse início de ano• Plano safra garante oferta de crédito para expansão da produção agrícola no ciclo 2012/2013 − O montante de recursos programados para financiar a safra 2012/2013 é 7,5% superior ao da safra anterior 17
  18. 18. Safra recorde de grãos esperada para 2013 Produção de grãos 183 185 2013/2012 180 ∆ = 13% 175 170 165 162 160 160 Milhões de toneladas 155 150 145 140 135 130 125 120 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013* *Estimativa de fevereiro de 2013Fonte: IBGE 18
  19. 19. Crédito assegurado para expansão do setor Oferta de crédito para a agricultura Fontes de recursos 2012/13 120 • Dep. à vista: R$ 42 bi. • Poupança rural: R$ 25 bi. +7,5% 115 • BNDES: R$ 24 bi. 110 • Demais: R$ 24 bi. 107 100 100 R$ bilhões 90 80 70 60 50 Safra 2010/2011 Safra 2011/2012 Safra 2012/2013Fonte: MAPA 19
  20. 20. Fatores de sustentação da demanda• Ocupação e renda dos trabalhadores em expansão, com sinais de moderação na margem − Mudanças estruturais observada nos últimos anos contribuíram para levar a taxa de desemprego ao mínimo histórico• Oferta de crédito crescendo em ritmo sustentável• As vendas no varejo continuam apresentando crescimento robusto 20
  21. 21. Taxa de desemprego na mínima histórica Empregos formais criados Taxa de desemprego (% dessaz.) desde 2007 (milhões) 10 8,8 milhões 13 9 12 8 11 7 10 6 5 12 meses até fev 13% 9 0,75 milhão 4 8 3 7 2 fev 13 6 5,3% 1 5 0 * mar 11 dez 02 nov 03 jan 02 set 05 ago 06 jun 08 fev 12 jan 13 out 04 abr 10 mai 09 jul 07 jan 12 jan 07 jan 08 jan 09 jan 10 jan 13 jul 07 jul 08 jul 09 jul 10 jul 11 jul 12 jan 11 *Até fev 13Fonte: BCB / IBGE / MTE 21
  22. 22. Ocupação e renda – moderação O número de pessoas ocupadas e a renda dos trabalhadores continuam crescendo, mas o ritmo de expansão moderou-se nos últimos meses 9 8 7 +6,2% 6 % 12 meses* 5 4 +3,9% 3 +2,2% 2 1 0 abr 11 ago 11 abr 12 ago 12 dez 12 mai 11 nov 11 dez 11 mar 12 mai 12 nov 12 out 11 out 12 fev 13 mar 11 jul 11 jul 12 jan 13 jan 11 fev 11 jun 11 set 11 jan 12 fev 12 jun 12 set 12 Pessoal ocupado Rendimento real Massa de rendimentos* Até fevereiroFonte: IBGE 22
  23. 23. Mercado de crédito Pessoa Física Pessoa Jurídica 34,3 Financiamento imobiliário 85,0 34,8 Repasse externo 52,2 23,1 Financiamento a 55,4 Crédito rural exportações 31,5 24,8 Financiamentos 28,7 Incentivo ao 18,7 imobiliários financiamento de Consignado 33,4 para aquisição de 18,5 bens de capital e 17,8 para inovação Crédito rural 12,6 (Circular 3622) Crédito pessoal (não 11,9 consignado) 13,5 15,7 BNDES 13,6 11,0 Cartão de crédito 15,7 11,1 Capital de giro 18,2 6,3 9,9 Aquisição de veículos Fev 13*: +16,2% ACC Fev 13*: +17,3% 8,8 15,8 0 20 40 0 20 40 60 80 100 fev 13* 2012 fev 13* 2012 Total (Fev 13*): +16,8%* Var. % do saldo em 12 meses até fevereiro. Fonte: BCB 23
  24. 24. % variação em 12 meses 0 2 4 6 8 10 12 14Fonte: IBGE jan 10 abr 10 jul 10 out 10 Vendas no varejo jan 11 Comércio varejista abr 11 jul 11 out 11 jan 12 abr 12 Comércio ampliado jul 12 out 12 jan 13 7,9% 8,3%24 *Até jan 13
  25. 25. Investimento voltou a crescer (1)• No quarto trimestre de 2012, a formação bruta de capital fixo voltou a crescer• Indicadores antecedentes apontam para crescimento no primeiro trimestre − A produção e as importações de bens de capital no início de 2013 já mostram crescimento• A participação do Brasil no fluxo de investimento estrangeiro direto (IED) vem crescendo e em 2012 fomos o 3º país que mais recebeu IED* − O IED tem sido disseminado entre os diferentes setores da economia* Considerando China e Hong Kong conjuntamente 25
  26. 26. Investimento voltou a crescer (2) 2,0 1,8 1,5 % Var. (T / T-1, dassazonalizado) 1,0 0,9 0,5 0,5 0,1 0,0 -0,5 -1,0 -0,7 -0,9 -1,5 -2,0 -1,9 -2,5 -2,2 1T 11 2T 11 3T 11 4T 11 1T 12 2T 12 3T 12 4T 12Fonte: IBGE 26
  27. 27. Importação de bens de capital 20 15 14,2 13,2 10,5 % Var. interanual ( T / T-12 ) 10 9,2 7,2 4,8 4,1 5 2,0 0 -2,1 -5 -3,4 -4,9 -7,1 -6,9 -10 -11,5 -15 mar 12 mai 12 nov 12 jul 12 set 12 jan 12 jan 13Fonte: Funcex 27
  28. 28. Brasil é um dos principais destinos para IED 2010 2011 2012 EUA 197,9 EUA 226,9 EUA 146,7 China 114,7 China 124,0 China 119,7 Belgica 85,7 Belgica 103,3 Hong Kong 72,5 Hong Kong 82,7 Hong Kong 96,1 Brasil 65,3 Reino Unido 50,6 Brasil 66,7 Reino Unido 62,5 Singapura 48,6 Australia 65,8 França 58,9 Brasil 48,5 Singapura 64,0 Singapura 54,4 Alemanha 46,9 Russia 52,9 Austrália 48,5 Rússia 43,3 Reino Unido 51,1 Canada 47,2 Irlanda 42,8 Canada 41,4 Rússia 44,1 Espanha 40,8 França 40,9 Irlanda 39,6 Austrália 35,2 Alemanha 40,4 Índia 27,3 Suiça 32,5 Itália 34,3 Chile 26,4 França 30,6 India 31,6 Luxemburgo 22,6Arábia Saudita 29,2 Espanha 29,5 Belgica 19,3 0 50 100 150 200 0 50 100 150 200 0 50 100 150Fonte: UNCTAD 28
  29. 29. IED – destinação disseminada Ingressos de IED – Participação no Capital (não inclui empréstimos intercompanhia) 35 32,1 30 25 21,8 US$ bilhões 19,6 19,8 20 15 10,1 10 6,7 5 0 Agropecuária Indústria Serviços Média 2008-2012 2013* *12 meses até fevereiroFonte: BCB 29
  30. 30. Economia brasileira Cenário ExternoAtividade Econômica Inflação 30
  31. 31. Inflação• Inflação de 2012 desviou-se da meta em função do choque de preços de alimentos (commodities e in natura) e do repasse da desvalorização cambial• Inflação tem se mostrado resistente nos últimos meses − Pressão dos preços de alimentos in natura − Inflação de serviços voltou a subir − Maior difusão do aumento de preços na economia 31
  32. 32. Decomposição da taxa de inflação de 2012 7 100% 5,84 6 5 Pontos percentuais 4 49,7% 2,90 3 2 13,5% 12,5% 10,2% 8,3% 5,8% 1 0,79 0,73 0,60 0,48 0,34 0 IPCA Livres* Admin.** Choque Repasse Expect. Inércia oferta cambial * Excluindo repasse cambial, inércia, choque de oferta e expectativas. ** Excluindo inércia.Fonte: BCB / Relatório de Inflação (março de 2013) 32
  33. 33. IPCA – Inflação resistente nos últimos meses 0,9 0,86 8,0 0,79 0,8 7,0 0,7 0,64 0,60 6,0 0,59 0,57 0,60 0,6 0,56 5,0 % 12 meses % mensal 0,5 0,45 0,43 0,41 4,0 0,4 0,36 3,0 0,3 0,21 2,0 0,2 0,1 0,08 1,0 0,0 0,0 mar 12 mai 12 jan 12 set 12 jan 13 nov 12 jul 12 IPCA mensal (direita) IPCA 12 meses (esquerda)Fonte: IBGE 33
  34. 34. % 12 meses -5 10 15 20 0 5 fev 05 jun 05Fontes: IBGE / BCB out 05 fev 06 jun 06 out 06 fev 07 jun 07 out 07 Alimentação e bebidas fev 08 Preços de alimentos jun 08 out 08 fev 09 jun 09 out 09 fev 10 jun 10 out 10 fev 11 jun 11 out 11 fev 12 IPCA exceto Alimentação e bebidas jun 12 out 12 fev 13 peso de alimentação e bebidas no IPCA: 24,3% 13,9% 5,0%34
  35. 35. IPA agrícola X Alimentação domicílio IPCA 50 40 30 % 12 meses 20 10 0 -10 jan 13 jan 07 jan 08 jan 09 jan 10 jan 11 jan 12 IPCA - Alimentação no domicílio IPA-M AgrícolaFonte: IBGE / BCB 35
  36. 36. Preços de serviços 10 8,7% 9 8 7 % 12 meses 6 5,1% 5 4 3 2 1 0 fev 11 ago 05 ago 06 ago 07 ago 08 ago 09 ago 10 ago 11 ago 12 fev 05 fev 06 fev 07 fev 08 fev 09 fev 10 fev 12 fev 13 Serviços IPCA exceto Serviços peso de serviços no IPCA: 34,7%Fontes: IBGE / BCB 36
  37. 37. Índices de difusão – IPCA 70 66,2 (%) - média móvel 12 meses 65,8 65 65,2 60 55 50 Jul-07 Jul-08 Jul-09 Jul-10 Jul-12 Jan-11 Jul-11 Jan-08 Jan-09 Jan-10 Jan-12 Jan-13 IPCA geral Alimentação no domicílio IPCA (ex alimentação no domicílio)Fonte: IBGE / BCB 37
  38. 38. Projeções para a inflação 10 Cenário de Referência 8 (juros constantes de 7,25% a.a.) Período Referência Mercado 6 % ao ano 4 2013 1 6,5 6,5 2 2013 2 6,7 6,7 0 2013 3 6,0 6,0 -2 2T 13 1T 12 2T 12 3T 12 4T 12 1T 13 3T 13 4T 13 1T 14 2T 14 3T 14 4T 14 1T 15 2013 4 5,7 5,8 2014 1 5,4 5,4 10 Cenário de Mercado 2014 2 5,2 5,3 8 2014 3 5,3 5,2 6 % ao ano 2014 4 5,3 5,1 4 2015 1 5,4 5,2 2 0 Obs.: inflação acumulada em 12 meses (%a.a.) -2 4T 12 1T 14 1T 12 2T 12 3T 12 1T 13 2T 13 3T 13 4T 13 2T 14 3T 14 4T 14 1T 15Fonte: BCB 38
  39. 39. % 12 meses 10 12 14 16 18 0 2 4 6 8 dez 99Fonte: IBGE e BCB dez 00 dez 01 dez 02 IPCA dez 03 dez 04 dez 05 dez 06 dez 07 Inflação no regime de metas dez 08 dez 09 dez 10 RI mar/13 - cenário referência dez 11 dez 12 dez 1339 dez 14
  40. 40. Considerações Finais 40
  41. 41. Considerações finais• A recuperação da atividade econômica tem se materializado de forma gradual e a perspectiva é de ritmo mais intenso• A inflação tem se mostrado mais resistente nos últimos meses• O Banco Central está acompanhando a evolução do cenário econômico para avaliar a necessidade de adotar outras medidas 41
  42. 42. Audiência PúblicaComissão de Assuntos Econômicosdo Senado FederalAlexandre TombiniPresidente do Banco Central do BrasilAbril de 2013 42

×