Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Figuras de linguagem

4,122 views

Published on

Bons Estudo.

Published in: Education
  • Be the first to comment

Figuras de linguagem

  1. 1. DA OBSERVAÇÃO (Mário Quintana) Não te irrites, por mais que te fizerem... Estuda, a frio, o coração alheio. Farás, assim, do mal que eles te querem, Teu mais amável e sutil recreio...www.literapiaui.com.br
  2. 2. 1. Assonância: repetição de sons vocálicos.Ex.: “Sou Ana, da cama / da cana, fulana, bacana / Sou Ana deAmsterdam” (Chico Buarque)2. Aliteração: repetição de sons consonantais.Ex.: “Brancas Bacantes bêbadas o beijam” (Cruz e Sousa)Ex.:”Três tigres tristes para três pratos de trigo / Três pratos de trigo para três tigres tristes”.Balalaica CajuínaBalalaica Existirmos, a que será que se destina?[como um balido abala Pois quando tu me deste a rosa pequeninaa balada do baile vi que és um homem lindo e que se acaso a sinade gala] do menino infeliz não se nos iluminacom um balido abala Tampouco turva-se a lágrima nordestinaabala com balido Apenas a matéria-vida era tão fina[a gala do baile] e éramos olharmo-nos intacta a retinalouca a bala A Cajuína, cristalina em Teresina.laica.
  3. 3. 3. Anáfora: repetição de um termo ou palavra no início dafrase ou verso. Ex.: “Se você gritasse Se você sentisse Se você tocasse o meu coração.”4. Epístrofe: repetição de um termo ou palavra no final dafrase ou verso. Ex.: “Não sou nada. Nunca serei nada. Não posso querer ser nada.” (Álvaro de Campos – Fernando Pessoa)5. Diácope: consiste no emprego repetido de uma ou maispalavras, intercaladas por outras. Ex.: “Tu, só tu, puro Amor com força crua” – (Camões) Ex.: “Amor, meu grande Amor...” Ex.: “há entretanto um verbo, um verbo sempre,” (Mário Faustino)
  4. 4. 6. Epizeuxe: consiste na duplicação de uma palavra(repetição em seguida). Ex.: “Seus olhos verdes, verdes.” Ex.: “talvez interjetivo, verso, verso,” (Mário Faustino)7. Quiasmo: inversão de termos iguais nos versos emforma de X. Ex.: “Ele corava e tremia Tremia e corava eu. Ex.: No meio do caminho tinha uma pedra tinha uma pedra no meio do caminho” (Carlos Drummond de Andrade)
  5. 5. 8. Antítese: aproximação de palavras que se opõem pelo sentido(oposição).Ex.: “Desculpem-me por ter sido longo porque não tive tempo de ser breve”.Ex.: “De repente do riso fez-se o pranto.” (Vinícius de Moraes)Ex.: “Depois da luz se segue a noite escura” (Gregório de Matos)9. Oxímoro: contraste de palavras numa frase ou verso.Ex.: “Velha infância”/Ex.: “Suave veneno”/ Ex.: “Mentiras Sinceras”.Ex.: “Crimes suaves, que ajudam a viver” (Drummond)Ex.: “Com seu povo feliz, que ri das próprias mágoas,” (Da Costa e Silva)10. Paradoxo: uma contradição – opinião contrária ao sensocomum. Consiste numa afirmação seguida de uma negação. Ex.: “Tenho tudo nas mãos (1) , mas não tenho nada (2)” Ex.: “O mito é o nada (1) que é tudo (2)”. (Fernando Pessoa) Ex.: “E cada vez que eu fujo (1) eu me aproximo mais (2)” (Ana Carolina) Ex.: “Somos suspeitos de um crime perfeito (1), mas crimes perfeitos não deixam suspeitos (2)”. (Humberto Gessinger)
  6. 6. 11. Antonomásia: substituição do nome / personagem /personalidade por uma marca (apelido) ou característicamarcante. Ex.: “O Poeta dos Escravos” (Castro Alves) Ex.: “O Rei do futebol” (Pelé) Ex.: “O patrono do Exército brasileiro” (Duque de Caxias)12. Perífrase: trata-se de substituir o nome de umacidade/estado/país/região por uma característica marcante. Ex.: “A capital da República está em festa” (Brasília) Ex.: “A terra do sol nascente é cheia de boas surpresas” (Japão)13. Catacrese: na falta de um termo específico paradesignar um conceito, usa-se outro por “empréstimo”; trata-se de uma metáfora desgastada. Ex.: “Você quebrou o pé da mesa!”; Ex.: “Eles votaram o teto salarial do Judiciário”
  7. 7. 14. Hipérbato: inversão da ordem direta dos termos daoração. Ex.: “Somos do mundo a esperança”. Ex.: “Passeiam, à tarde, as belas na Avenida”. Ex.: “Dança, à noite, o casal de apaixonados no clube”.15. Zeugma: trata-se de uma elipse (omissão de termos)especial, onde ocorre a omissão de um termo que já citadoanteriormente.Ex.: “O galo come milho / O urubu, esterco” (Millor Fernandes) –percebe-se a omissão do verbo come no 2º verso.Ex.: “Nossos bosques têm mais vida / Nossa vida mais amores” (G.Dias) – ocorreu a omissão do verbo têm no 2º verso.Ex.: Ele prefere cinema; eu, teatro. (omissão de prefiro)
  8. 8. 16. Metonímia: apresenta um termo em lugar de outro, combase numa relação de dependência de ambos; é umacomplementação de sentidos. Ex.: “O professor Ismar Tavares já completou 55 carnavais” Ex.: “O meu irmãozinho adora danone ”. Ex.: “Ele adora ler Fernando Pessoa” Ex.: “Não tinha teto em que se abrigasse ”17. Paronomásia: é o uso de sons semelhantes empalavras próximas. Ex.: “... do povo nas vilas, nas favelas, nas filas...” Ex.: “Sou mulato lato no sentido lato” Para a tropa do trapo vazo a tripa, E mais não digo, porque a musa topa. Em apa, epa, ipa, opa, upa.
  9. 9. 18. Prosopopéia ou Personificação: atribuição decaracterísticas humanas a plantas, animais ou seresinanimados.Ex.: “Meu cachorro me sorriu latindo” (Roberto Carlos)Ex.: “O peixinho(...) silencioso e levemente melancólico”. (Mário Quintana)Ex.: “Um frio inteligente (...) percorria o jardim...”(Clarice Lispector).19. Sinestesia: refere-se às sensações que percebemos pormeio do cruzamento de diferentes órgãos dos sentidos.Ex.: “O grito escuro da meia – noite” / “Uma palavra branca e fria”Ex.: "O delicioso aroma do amor" / “Um áspero sabor de indiferença”.20. Anacoluto: consiste em deixar um termo solto na frase.Normalmente, isso ocorre porque se inicia uma determinadaconstrução sintática e depois se opta por outra.Ex.: “A vida, não sei realmente se ela vale alguma coisa”.Ex.: “Ele, nada podia assustá-lo”.
  10. 10. A vós correndo vou, braços sagrados, Pleonasmo Nessa cruz sacrossanta descobertos Aliteração A vós, divinos olhos, eclipsadosApóstrofe Metáfora De tanto sangue e lágrimas abertos, Hipérbole
  11. 11. Pois para perdoar-me, estais despertos, AntíteseE, por não condenar-me, estais fechados. A vós, pregados pés, por não deixar-me,Anáfora A vós, sangue vertido, para ungir-me, Epístrofe A vós, cabeça baixa, pra chamar-me.A vós, cravos preciosos, quero atar-me, Eufemismo braços olhosPara ficar unido, atado e firme. sangue Metonímia Pés cabeça Zeugma Gradação

×