Gramsci e o estado

21,629 views

Published on

1 Comment
14 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
21,629
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
520
Comments
1
Likes
14
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Gramsci e o estado

  1. 1. Gramsci e o Estado Carnoy, Martin. Estado e Teoria Política. Campinas, SP: Papirus, 1990
  2. 2. <ul><li>Marx pouco desenvolveu a Teoria Política, centrou o seu pensamento na Economia Política (fundamental para a compreensão do Estado e da Sociedade Civil); </li></ul><ul><li>Gramsci sistematizou uma ciência marxista da ação política: mais do que atividade autônoma, a ciência política é uma atividade humana central, em que a consciência individual é colocada em contato com o mundo social e material.(p. 91) </li></ul><ul><li>Desenvolve um enfoque marxista alternativo para a: </li></ul><ul><ul><li>teoria de Estado: espaço garante a legitimação; </li></ul></ul><ul><ul><li>teoria marxista da política: derrubar o Estado burguês e construir o Estado socialista. </li></ul></ul>
  3. 3. Conceito de Sociedade Civil <ul><li>Trabalha o conceito de hegemonia: predomínio de valores e normas da classe dominante. </li></ul><ul><li>Estado: parte de sua função é promover o conceito único de realidade, papel ampliado na perpetuação das classes, além de manutenção das relações de produção. Mais do que aparelho repressivo, é produtor de hegemonia. </li></ul><ul><li>Diferença de Sociedade Civil e Estado </li></ul><ul><li>Clássicos: a sociedade civil é o reino da ordem sobre o estado de natureza (entra no coletivo abrindo mão da liberdade, ao mesmo tempo que a protege) </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Hegel: Sociedade Civil (vida pré-estatal), reino da dissipação da miséria, da corrupção física e ética. Sociedade Civil dominada pela capacidade intelectual e racional do Estado. </li></ul><ul><li>Marx e Engels: Sociedade Civil X Estado (vistos como antíteses). A Sociedade Civil (estrutura) domina o Estado (superestrutura)p.94. Essa dominação se dá de acordo com a produção material. </li></ul><ul><li>Gramsci: A sociedade civil pertence a superestrutura, fator ativo e positivo no desenvolvimento histórico. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Hegemonia: predomínio ideológico das classes dominantes sobre as subalternas na sociedade civil. </li></ul><ul><li>A filosofia da classe dominante atravessa todo o tecido social e aparece como senso comum. </li></ul><ul><ul><li>Inverte a ideia de Marx: a supremacia da super-estrutura ideológica sobre a estrutura econômica; </li></ul></ul><ul><ul><li>Supremacia da sociedade civil(consenso) sob a sociedade política (força) </li></ul></ul>Hegemonia e Estado
  6. 6. <ul><li>Hegemonia: o poder da consciência e da ideologia (fábrica, escola, família) tem dois significados: </li></ul><ul><ul><li>Processo de controle sobre a sociedade civil pela classe dominante (liderança moral e intelectual); </li></ul></ul><ul><ul><li>Relação classe dominante e dominada plena de contradições e conflitos (não é coesa) através da luta de classes </li></ul></ul><ul><li>Trabalha a ideia de Croce: homem como protagonista da história (pensamento estimula a ação). As escolhas são condicionadas pelo processo histórico(inovativo dialético). Croce e Popper: conceito do homem é sem história (conceito de liberdade e democracia, o Estado liberal conservador – Reformismo) </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Assim é possível trabalhar as análises de Gramsci do papel do Estado, o papel dos intelectuais(e da educação) na superestrutura (transformação histórica) e a necessidade de substituir o Estado burguês pela hegemonia proletária. </li></ul><ul><li>Estado: instrumento de expansão do poder; força repressiva (mantém os grupos subordinados fracos e desorganizados) </li></ul><ul><li>Diferentes visões de hegemonia em Gramsci: </li></ul><ul><ul><li>Oposição entre Estado e Sociedade Civil: hegemonia através da sociedade civil e dominação direta (estado e seus aparelhos coercitivos do Estado) </li></ul></ul><ul><ul><li>Estado inclui sociedade civil </li></ul></ul><ul><ul><li>Estado= sociedade política + sociedade civil (síntese do consentimento e repressão (aparelho de Estado) </li></ul></ul><ul><ul><li>Estado e sociedade civil como idênticos: Consentimento e coerção coextensivos do Estado (reunidos em uma unidade maior: aparelhos ideológicos de Estado – Althusser ) </li></ul></ul>
  8. 8. <ul><li>A segunda visão de Gramsci, será muito utíl para a análise da sociedade capitalista avançada: A autonomia dos aparelhos hegemônicos privados frente ao Estado (diferentes aparelhos hegemônicos na sociedade civil); O Estado fica com aparelhos hegemônicos reprodutivos; </li></ul><ul><li>Possibilita o desenvolvimento da contra-hegemonia na sociedade civil, pois a hegemonia via Estado perpetua a expansão da classe dominantes sobre a sociedade, controle das consciências. Estado concebido como educados , instrumento de racionalização (revolução passiva: impedir a potencialidade revolucionária das massas) </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Como as classes dominadas recuperam a hegemonia(três planos reposta): </li></ul><ul><li>Crise de hegemonia : desintegração da capacidade do Estado de manter a hegemonia dominantes </li></ul><ul><li>Guerra de posição (em contraposição da guerra em movimento) – quatro elementos: </li></ul><ul><ul><li>a) cada país tem sua lógica, diferentes Estados e estratégias; </li></ul></ul><ul><ul><li>b) sitiar os aparelhos de Estado com a contra-hegemonia(organização da classe trabalhadora como a detentora de uma nova cultura, novos valores </li></ul></ul><ul><ul><li>c) consciência de classe como ingrediente chave (identificação profissional; solidariedade; ultrapassa a visão coorporativa e cria a contra-hegemonia que liberte da subordinação; </li></ul></ul><ul><ul><li>d) desenvolvimento ideológico em ação: partido político – elevação da consciência e da educação. </li></ul></ul>
  10. 10. <ul><ul><li>Partido político revolucionário 3 elementos: a) a massa; b) a coesão; c) articulação entre a massa e a coesão. </li></ul></ul><ul><ul><li>O proletariado só pode tomar o Estado se desenvolver a contra-hegemonia. </li></ul></ul><ul><li>Papel dos intelectuais orgânicos : </li></ul><ul><li>diferente de Lenin que trabalha a relação intelectual e massa através do partido de vanguarda, que leva consciência aos trabalhadores, Gramsci vê dois tipos de intelectuais: </li></ul><ul><ul><li>Intelectuais tradicionais, profissionais: ligados a produção de hegemonia </li></ul></ul><ul><ul><li>Orgânicos: cada classe produz o intelectual que representa seus interesses; </li></ul></ul>
  11. 11. <ul><li>Teoria de Estado em Gramsci: uma superestrutura enraizada na classe e no conflito de classes; </li></ul><ul><li>Hegemonia: a classe dominante usa o Estado para garantir o poder coercitivo, mas também o usa para garantir a visão de mundo; </li></ul><ul><li>Gramsci era um educador, mas também acreditava nas qualidades intelectuais da massa e a sua capacidade de criar uma hegemonia de classe. </li></ul>Conclusão

×