Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

O papel do Comércio Exterior e da Navegação na Globalização Mundial

138 views

Published on

Aula 1 FIA

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

O papel do Comércio Exterior e da Navegação na Globalização Mundial

  1. 1. Introdução ao Shipping Fevereiro/2018
  2. 2. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Programa Tema:IntroduçãoaoShipping Duração:20horas Aulas: 1) OpapeldoComércio Exteriore daNavegaçãona Globalizaçãomundial 2) A relevância doBrasil eseus diferenciais/deficiências paracompetiremum mundoglobalizado 3) Variáveisqueinfluenciam o setor 4) Inteligência deMercadonaNavegação 5) Visitatécnica àBTP
  3. 3. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto LeandroBarreto Formação Acadêmica: • Administração de Empresas /Unitau • MBA Gestão Empresarial /Instituto Trevisan • Pós Graduação Monitoramento Estratégico e Competitivo / FIA-USP • Master “Economie Internacionale”/ Universidade de Grenoble Atividades Profissionais: • Gerente deInteligênciade Mercado da HamburgSud (até Dec.11); •Conselheiro do IBRAMERC(Instituto Brasileiro de Inteligênciade Mercado); • Diretor de Análises Datamar Consulting (Jan.14 – Dez.15); • Colunista do Guia Marítimo (desde Out.15); • Sócio/Consultor naSOLVE – Shipping IntelligenceSpecialists (desde Jan.16); • Professor ePalestrante em diversos cursos eeventos deInteligência, Logística eComércioExterior
  4. 4. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Agora é sua vezde se apresentar Nome: FormaçãoAcadêmica: Experiência Profissional:
  5. 5. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Programa AULA 1 O papel do Comércio Exteriore da Navegação na Globalização mundial
  6. 6. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Globalização?!?!
  7. 7. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto VANTAGENS •Ampliação do mercado •Trocas culturais •Sociedade da Informação •Disseminação de Tecnologias •Maior competitividade (controle da inflação) •etc DESVANTAGENS •Ampliação da concorrência •Desvalorização deculturas locais •Concentração Urbana/Industrial •Expansão do consumo (motor) •Exploração dos recursosnaturais e humanos •etc 200anosem4min Globalização?!?!
  8. 8. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Globalização?!?! A globalização é um dos processos de aprofundamento internacional da integração econômica, social, cultural, política, que teria sido impulsionado pelo barateamento dos meios de transporte e comunicação dos países no final do séculoXX e início do séculoXXI. Fonte: Wikipedia O fatoé que a globalização aumentou a distância entre o produtor e oconsumidor e, consequentemente, a demanda por transporte!!! Interdependênciaentrepaíses COMTRADE-ONU
  9. 9. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Desenvolvimento das "trocas" entre países ao longo dos anos *OrganisationforEconomic Co-operationandDevelopment
  10. 10. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Principais Vendedores/Compradoresinternacionais
  11. 11. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Fluxo internacional de “matéria-prima” – 2010 Comércio entre países WITS - WORLD BANK
  12. 12. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Principais matérias-primas, semimanufaturado e manufaturado
  13. 13. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Principais shipowners
  14. 14. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Case Maersk Tigris Empresas afirmam que apreensão deMaersk Tigris não tem ligaçãocomdisputa decarga Na semana passada, ao transitar pelo estreito de Ormuz, no esquema de separação de tráfego internacional, a embarcação Maersk Tigris foi apreendida por barcos de patrulha iranianos. A apreensão tem sido relacionada a uma disputa de carga que vem acontecendo desde 2005. Porém, de acordo com a Maersk Line, a companhia não recebeu nenhuma confirmação por escrito ou formal quea apreensão eo caso de carga estãoconectados. Emcomunicado,a Rickmers informou quea tripulação doMaerskTigrepermanece segura eque a apreensão é injustificada “e insistimos que a tripulação e onavio devem ser liberados omais rápidopossível”. As companhias informaram ainda que a embarcação é afretada com tripulação da Rickmers Shipmanagement, não sendo pertencente a Maersk Line e nem de propriedade da empresa. “O Maersk Tigris e sua tripulação não são, portanto, de forma alguma parte do caso de disputa de carga, que, alegadamente, de acordo com as autoridades iranianas é a razão por trás da apreensão da embarcação”, disse o comunicado. Um fundo Private Equity, com sede nos EUA é o dono do Maersk Tigris, em um contrato de longo prazo com a Maersk. A Rickmers éa gerenciadora donavio. No último domingo, 03/05, um representante da Maersk Line se reuniu novamente com os Portos e Organização Marítima (PMO, sigla em Inglês) no Irã, e o embaixador dinamarquês para o Irã se reuniu com o Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano. Ontem, 04/05, o embaixador dinamarquês se encontrou com o PMO. As companhias informaram ainda que estão aguardando as notificações escritas (acórdão do Tribunal, a ordem de detenção ou similar) relativos à apreensão do Maersk Tigris ou relativo ao caso de disputa de carga. “Vamos continuar afazer tudo oque pudermos pararesolver esta questão. Anossa principal preocupação continua sendo a segurança da tripulação e da libertação segura donavio”,finalizaram. Guia Marítimo - 06/05/2015
  15. 15. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Tipos de negociações: INCOTERMS Incoterms Fonte: NDF Freight Forwarding Ltd O mundo do seguro marítimo é complexo. Além de contratar coberturas para o navio e a carga as companhias de navegação se juntam em grupos, conhecidos como clubes de proteção e indenização – Protection & Indemnity Clubs, P&I – de modo a diluir o risco de cobertura a danos a terceiros .
  16. 16. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto A importância do seguro de transporte internacional Maersk Londrina, sofreu uma explosão seguida de incêndio, enquanto seguia com destino aos portos brasileiros. Embora tenha cláusula de absorção de claims de avaria grossa, dependendo da extensão das perdas, o armador poderá declarar avaria grossa. No Direito Marítimo, Avaria Grossa significa todos os danos ou despesas extraordinárias decorrentes de um ato intencional, efetuado para a segurança do navio e suas cargas, em uma situação de perigo real e iminente, com o intuito de evitar um mal maior a expedição marítima. Sendo reconhecida a Avaria Grossa pelas autoridades competentes, todas as despesas geradas com o salvamento do navio e cargas serão rateadas proporcionalmente entre os proprietários das cargas embarcadas. Mau tempo
  17. 17. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto A evolução dos Navios
  18. 18. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Principais tipos de Navios
  19. 19. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Outros tipos de Navios
  20. 20. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Tamanhos de Navios
  21. 21. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto21 CMA CGM Tigris LOA: 300m Beam: 48m Draft: 14,8m Capacity: 10.622teu ValeMax LOA: 362m Beam: 65m Draft: 23m Capacity: 400.000ton Cap San Class LOA: 333m Beam: 48m Draft: 14m Capacity: 9.814teu Triple E Class LOA: 400m Beam: 59m Draft: 16m Capacity: 18.270teu BRASIL Mundo Comparativo de grandes navios
  22. 22. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Liner Service X Tramp Service Ao contrário dos Liner Services, os Tramp Services não possuem uma rota, itinerário ou programação fixa. É um navio capaz de carregar a qualquer momento, qualquer carga de qualquer porto para qualquer porto (ex.: mais comuns entre os navios generalcargo).
  23. 23. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto 1956  Aumentode produtividade do navios;  Redução das perdas roubos e avarias à carga;  Redução do custo de embalagem/rotulagem;  Estocagem demercadorias em áreas descobertas;  Possibilidade de operação mesmo em condições climáticas adversas;  Redução nas taxas de capatazia;  Possibilidade de integração entre modais (ex.: Rodoviário e Ferroviário);  Espaços “perdidos” dentro do Contêiner;  Demanda de investimentos emguindastes e retroárea;  Custo dereposicionamento do contêiner vazio;  Custo demanutençãoe reparo dos contêineres;  Incorporaçãoda tara do Contêinerno peso total da mercadoria; Liner Services: A revolução dos contêiner
  24. 24. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Tipos de Container 6 m
  25. 25. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Porta Contêiner: evolução do tamanho
  26. 26. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Porta Contêiner: principais rotas Global container transport flows - 2013in Mio. TEU 7,4 13,8 3,8 2,8 14,1 6,4 North America West Coast – Asia Europe – North America East Coast Asia – Europe Europe – South America East Coast Intra America East Coast Asia – South America West Coast Asia – South America East Coast (excl. S. Africa) Intra Asia
  27. 27. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto 77% Porta Contêiner: principais armadores 88%
  28. 28. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto28 •Capacidades (teu) •Plugs •Comprimento/Loa (m) •Largura/beam (m) •Velocidade (kn) •Custo (US$) •Afretamento (US$/dia) •Consumo (ton@18kn) •Encher o tanque (US$) •Praticagem (R$) •Fila de caminhões (KM) • 333 • 90 • 300.000 • 9.814 • 147 • 2.100 • 116 • 48 • 21 • 3.000.000 • 50.000 QUIZ: os impressionantes números de um navio
  29. 29. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto A diferença entre VOCC, BCO, NVOCC e Freight Forwarder •VOCC -Vessel Operating Common Carrier: são as empresas detransporte marítimo/armadores (ex.: Hapag Lloyd, CMA-CGMorMaersk); •BCO -Beneficial Cargo Owner: são os donos da carga exportadores/importadores que não utilizam terceiros para negociarcom os VOCC/armadores (ex.: Walmart, BRF, JBS); •NVOCC- Non-Vessel Operating Common Carrier: são empresas consolidadoras decarga que não possuem navios oucontêineres, mas que emitem BL e estão sujeitos às mesma obrigações legais deumVOCC(ex. KuehneNagel, DHL, Gefco, Craft); •FREIGHT FORWARDER: são empresas consolidadoras de cargaque não possuem navios, contêineres e que não emitem BL. Embora agenciem/gerenciem toda a operação, não são responsabilizados emcasos de sinistros eavarias da carga(ex.: Amtrans); •3PL– ThirdParty Logistic: Operador logístico terceirizado (ex.: JulioSimões Logística) Resumindo: para o Shippero NVOCCfaz o papel deCarrier,enquantoque para o Carriero NVOCCé visto como um Shipper.
  30. 30. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto A diferença entre VOCC, BCO, NVOCC e Freight Forwarder •Porque alguns BCOs estão cada vez mais utilizando NVOCCse Freight Forwarders ao invés de negociar diretamente com o VOCCs? •Porque alguns VOCCs fomentam os NVOCCse Freight Forwarders ao invés denegociar diretamente com o BCOs? Para os armadores, a maior vantagem é a redução do números de interlocutores (importadores/exportadores buscando informações sobre a carga ou instruções para pagamento e liberação da carga), além da possibilidade de manter um quadro de vendedores/customer service mais enxuto. Por outro lado, os fretes médios são mais baixos. Fonte: https://jaymcgheelogistics.wordpress.com/2014/03/02/bco-vs-vocc-vs-freight-forwarder-vs-nvocc Para os pequenos exportadores/importadores a vantagem está basicamente nos serviços agregados pelos NVOCCs e Freight Forwarders (ex.: despacho, transporte terrestre, acompanhamento da carga) e no custo (já que estes possuem maior poder de barganhar junto aos armadores). Para os médios e grandes exportadores/importadores, além dos serviços agregados, a vantagem é centralização dos assuntos logísticos em poucos interlocutores (simplificando e barateando a gestão).
  31. 31. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto A diferença entre Demurragee Detention Na importação, o armador normalmente estabelece um prazo para a devolução do contêiner, o chamado free time, que pode variar de acordo com a negociação feita com oarmador.Assim, caso esse prazoestabelecido nãoseja cumprido, pode haver a cobrança pela sobre-estadia. Quando a operação é de exportação e o exportador retirar o contêiner vazio para acondicionamento de sua carga, o uso desse contêiner além free time acordadotambém dádireito à acobrança pela sobre-estadia, neste caso chamada detention. A justificativa para a aplicação dessa cobrança é que o armador, na falta do equipamento que deveria ser cedido a outro cliente, terá a necessidade de realizar umleasing decontêiner paraatender a esse outro cliente. Fonte: TWSComex
  32. 32. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto VSAs, Slot Exchange e Slot Charter o que são e porque existem? VSA –Vessel Sharing Agreement: Acordo de compartilhamento de navio estabelecido entre 2 ou mais operadores marítimos que concordarm em operar um serviço regular com rota especifica e utilizando umdeterminado número de navios. Embora a quantidade de navios fornecidos por cada armador possa variar, normalmente todos os navios que compõem o serviço possuem capacidade semelhante. A alocação (espaço) para carregar em cada porto escalado pelo serviço será proporcional a provisão de navios de cada armador. Cada armador arca com os custos operacionais dos seus respectivos navios. Slot Charter: Mesmo não provendo navios, um armador pode participar estruturalmente de determinado serviço através de um acordo para compra de slots (espaço). Ao contrário dos vessel providers – que arcam com os custos dos seus navios, mas não pagam para embarcar nos navios do parceiros – os slot charters pagam aos donos dos navios umvalorproporcional a capacidade adquirida. Slot Exchange: Acordo entre armadoresa fim de trocarespaço em uma determinada escala, viagem ou serviço. Normalmente nãoenvolve transações financeiras. Do pontodevista legal, paraocliente écomose este estivesse embarcando nonavio doarmador queemitiu oBL.
  33. 33. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto VSAs, Slot Exchange e Slot Charter o que são e porque existem?
  34. 34. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Órgãos reguladores Specialized Agency – UN O objetivo da IMO é desenvolver e atualizar regulamentações para o transporte marítimo incluindo: segurança, preocupações ambientais, questões jurídicas, cooperação técnica e a eficiência do transporte. International Convention for the Prevention of Pollution From Ships
  35. 35. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Principais fontes internacionais de informação
  36. 36. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Debate em grupo: •2 GRUPOS: •Grupo 1: Defesada globalização e seus efeitos positivos para ofuturo da humanidade; •Grupo2: Críticas àglobalização e seus efeitos negativos parao futuro dahumanidade; •30min para se reunir •5min para apresentar seus argumentos •Concordamos que a globalização, o capitalismo e o consumismo é o que move o shipping, certo? •Oque entendemos por “desglobalização”? E quais os recentes eventos nesse sentido e quais conseguências isso traria ao shipping?
  37. 37. Direitosreservados–Prof.LeandroBarreto Bibliografia 200anos e 4min https://www.youtube.com/watch?v=cetWBiSrJCc Interdepência entre países http://resourcesfutures.org/ Comércio entre países http://devdata.worldbank.org/TradeMapVisualizer/DataVisualizer.html Incoterms https://www.youtube.com/watch?v=zoY1HG80vcg Mau Tempo https://www.youtube.com/watch?v=NE_ri8PkihE Revolução doContêiner http://www.containerhomeplans.org/2015/04/20-ways-the-shipping-container-took-over-the-world- infographic VÍDEOS SITES

×