Resumo do livro a meta

30,452 views

Published on

Published in: Education
1 Comment
8 Likes
Statistics
Notes
  • Jogando.net/MU *030*

    Boa tarde amigos,

    Venham conhecer nossos Servidores de Mu
    Online Season 6 http://www.jogando.net/mu/
    >>muitos kits novos;
    >> Nossos GMs online em todos os servers
    Fazem eventos todos os dias:
    Fazemos sua Diversão com qualidade,há mais de 5 anos
    Servers ON 24 horas por dia.
    Vários Server esperando por você.Venha se divertir de verdade.
    >>>CURTA nossa Fan page no Facebook e concorra a prêmios.
    SORTEIO de 2 pacotes de 100 JCASHs mais 15 dias VIP Premium
    >>>Conheçam também Animes Cloud -> http://www.animescloud.com, mais de 20.000 videos online,feito exclusivo para sua diversão.
    Site http://www.jogando.net/mu/ Benvindos ao nosso servidor.
    Wartemix Divulgadora Oficial !
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
30,452
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8
Actions
Shares
0
Downloads
552
Comments
1
Likes
8
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Resumo do livro a meta

  1. 1. Resumo do Livro A MetaO livro A Meta relata a história de um gerente de fábrica, Alex Rogo, que passava porvárias dificuldades na administração desta fábrica.Alex possuía em sua fábrica, máquinas de última geração e embora precisou demitirvárias pessoas, ainda sim possuía mão de obra o suficiente para que o processoprodutivo de sua empresa cumprisse os prazos de entrega dos pedidos.Não era o queacontecia.Uma das dificuldades era que a empresa não apresentava ganhos.Havia estoque derefugos da produção altos, atrasos constantes na entrega dos pedidos o que dava umretorno mínimo para a fábrica de montagens.Apresentando todas essas dificuldades e sem saber como resolvê-las, Alex é intimadopor Bill Peach – Vice Presidente da UNICO – a criar uma solução para que a fábrica seerga e passe a gerar bons resultados em três meses caso contrário esta seriafechada.Alex então começa a se preocupar bastante, pois com o fechamento da fábrica,milhares de pessoas iriam ser demitidas e ao seu ver, por incompetência de sua parte pornão saber como administrar esses problemas que havia tendo.Logo depois de receber o ultimato de Peach, Alex passa a pensar como salvar a fábricae lembra que em uma viagem que fizera encontrara com seu antigo professor dafaculdade de física, Jonah e que lhe havia dito como estava o funcionamento de suafábrica.Alex então, contando as dificuldades que passava na administração de suafábrica e falando da alta tecnologia que possuía com seu robôs em sua produção e oquanto eles eram eficientes, foi surpreendido por Jonah com uma pergunta: qual é ameta da sua empresa?, Alex então começou a lhe dar uma série de respostas onde Jonahsempre colocava em questão o fato de ele ter toda a tecnologia e mão de obraespecializada e a fábrica não gerar os resultados esperados pelo vice presidente daÚNICO.Foi aí que Alex começou a perceber que a fábrica que não adiantava tantaeficiência, pois haveria vários outros fatores que comprometeriam o crescimento edesenvolvimento da montadora que só mais tarde ele descobriria.Depois da conversa que tivera com Jonah no aeroporto, Alex passa a ter várias dúvidase novamente procura Jonahpara esclarece-las.Alex não tinha tempo para resolver todosos problemas, e estava desesperado pois a fábrica não conseguia apresentar resultados esua vida pessoal, seu casamento estava a beira de acabar, pois ele não tinha tempo parasua família.No entanto, sabendo que não poderia continuar com toda aquela pressão psicológica emque se encontrava, resolveu reunir sua equipe e expor o que estava acontecendo.Contoudo prazo que Peach dera para que fosse solucionado os problemas da empresa senão afábrica seria desativada e falou também de Jonah, seu professor de física da faculdade,com quem tivera uma conversa sobre os problemas relacionados com a fábrica.De imediato, sua equipe, formada por Stacey Potazenik que administrava o controle doinventário, Lou que era da contabilidade e Bob que trabalhava na produção com osrobôs reuniu-se e foi aí que Alex passou a ter conhecimento do que havia em suafábrica.A pedido de sua equipe, Alex procurou Jonah novamente.
  2. 2. Neste telefonema, Jonah explica três regras operacionais para gerenciamento de umaempresa: ganho, inventário e despesa operacional.Ganho: índice pelo qual a empresa ganha dinheiro através das vendas.Inventário: investimento de dinheiro na compra de coisas que se pretende comprar.Despesa operacional: dinheiro que a empresa gasta afim de transformar o inventário emganho.A empresa não apresentava ganhos, tinha altíssimo inventário e vários empregadostinham um tempo ocioso e a despesa operacional era alta.Ao voltar a empresa, Alex explica essas três regras para sua equipe que coloca váriasrestrições quanto a implantação destas na fábrica.Com muito custo e muita conversa,sua equipe passa a entender a necessidade e a aplicação que essas regras teriam nafábrica e que se poderia mudar muitos coisas dentro da empresa e passam a adotá-lascomprometendo-se para que essas regras funcionem.Depois que Jonah explica a Alex essas três regras operacionais, ele e sua equipecomeçam a traçar a meta da empresa, que era obter ganhos.Maiscomo?Durante aimplantação, surgem várias dúvidas, até mesmo a Alex.Novamente, Alex procura Jonah e vai até Nova York para sanar as dúvidas que aindatinha em relação as regras que havia lhe passado.Durante a conversa, Jonah cita flutuações estatísticas e eventos dependentes doiseventos pelos quais Alex, junto com sua equipe deveriam dar atenção na fábrica comrelação aos equipamentos.Só que em um primeiro momento, Alex não sabia comoimplantar estes eventos em sua fábrica e foi embora com esta dúvida.Jonah, antes de sedespedir disse a Alex que não havia um sistema perfeito de produção como eleimaginava:não se pode igualar a demanda com a produtividade.Foi em um final de semana, que Alex acompanha seu filho em uma excursão, e é aí queele aplica os conceitos de flutuação estatística e eventos dependentes percebendo quedurante o passeio, na fila formada pelos escoteiros, existia jovens com passos diferentes,ou seja, as flutuações estatísticas; e notou que o andar de um jovem dependia do ritmodos outros: eram eventos dependentes e começou a pensar em como implantar isso nasua empresa.Em um jogo de palitos, elaborado por Alex, ele provou a si mesmo que nãohavia como se ter um sistema perfeito, como Jonah lhe dissera pois não havia comoigualar a demanda com a produtividade pois sempre haveria algum problema queimpedisse que isso ocorresse.No meio da excursão com os garotos, Alex percebera que a fila dispersara muito e queeles não estavam conseguindo alcançar a velocidade de que se precisava para terminar opercurso no tempo determinado.Foi ai que Alex percebeu que precisa mudar a ordem dafila para que a caminhada se tornasse mais rápida.Mais não foi o suficiente.Herbie, umgarotinho gordo que fazia parte da excursão fora passado a líder e mesmo assim, nãohouve grande alteração na velocidade com que a fila andava.Alex, percebendo que ogaroto fazia um enorme esforço pediu que os companheiros andassem atrás do
  3. 3. Herbie.Afila continuou sem dispersão, mais os garotos diminuíram sua velocidade poisHerbie não conseguia andar mais que já estava andando.Foi então que Alex pediu paraque a tropa parasse e foi pedir Herbie sua mochila para que ele a levasse afim de queHerbie pudesse caminhar melhor.Aí foi a surpresa: a mochila de Herbie pesava muito eisso o atrapalhara de caminhar mais rápido.Alex então passa a dividir os pertences deHerbie para toda a turma.Herbie passa então a caminhar mais rápido.Voltando a fábrica, Alex fala que pode perceber o que Jonah queria dizer em relação asflutuações estatísticas e eventos dependentes e disse que era preciso identificar dentroda fábrica esses problemas que poderiam estar tanto nos operários quanto nasmáquinas.Só que havia um problema, como ele poderia identificar isso dentro de suafábrica?Mais uma vez ele procura a ajuda de Jonah e o explica tudo que acontecera emseu final de semana e que descobrira o significado de flutuações estatísticas e eventodependentes mais que não sabia como aplica-los.Jonah percebendo que Alexapresentava interesse, explicou-lhe como identificar as flutuações estatísticas e eventodependente em sua fábrica lhe explicando o que seria gargalo e não gargalo sendo: osnão-gargalos, que não atrasavam o processo de fabricação das peças, e os gargalos quenecessitavam de mais tempo para finalizar determinada peça, e por isso deveriamfuncionar a todo o momento.Depois de desligar o telefone, Alex faz a comparação do gargalo com o garoto Herbieda excursão, onde sua equipe começa a entender realmente do que Alex falava.Todossaíram da sala de reuniões para identificar os “HERBIES” (gargalos) no processo dafábrica.A semana passava e Alex, além dos problemas na fábrica, estava pensativo em relaçãoao seu casamento, já que sua esposa Julie deixara sua casa e seus filho sem tempodeterminado para voltar.Alex se sentia mal por tudo que estava acontecendo e aomesmo tempo não podia se abater, pois a existência da fábrica dependia da suacapacidade de melhorar os rendimentos desta junto a sua equipe.Na semana seguinte, a equipe se reúne novamente.Dois gargalos foram encontrados queeram a NCX-10 e o auto forno onde as peças ficavam um tempo maior para seremprocessadas e acabadas.O problema da NCX-10 era que, como sendo um gargalo, sua produção não poderiaparar em hipótese alguma, pois ela era que ditava o rítimo das demais demandas daprodução, ela era um gargalo e determinava a capacidade efetiva da fábrica.Só quehavia um problema, os operários, de acordo com o contrato feito com o sindicato, teriaque ter a cada 4 horas trabalhadas, 20 a 30 min de descanso e era justamente nessetempo que a máquina parava, pois não havia operário para operá-la.Mais um problema apareceu para que Alex pudesse resolver.As peças ficavamestocadas aos montes do lado da NCX-10 porque enquanto ela estava parada, os outrosoperários e máquinas trabalhavam normalmente gerando acúmulo do material quedependia da NCX-10 para ser acabado e liberado para outro processo.O fluxo deveriaser um pouco menor do que a demanada pois assim não teria como se ter peçasestocadas e perder dinheiro.As peças que faltavam na empresa com freqüência,passavam pela NCX-10(gargalo) o que atrasava a entrega dos pedidos e a produção.
  4. 4. Alex não sabia o que fazer, e novamente procurou Jonah que agora foi até sua fábricapara analisar o que havia acontecido.Chegando na fábrica, Alex e sua equipe acompanham Jonah em uma excursão pelafábrica.Foram direto nos gargalos que encontraram .No caminho Jonah disse que o fatode a empresa possuir gargalos não impede que ela ganhe dinheiro e que muitas fábricasque não os possuem tem excesso de capacidade o que não é muito bom.A necessidade da fábrica naquele momento era aumentar o ganho e melhorar o fluxo decaixa e para isso Jonah sugeriu que aumentasse a capacidade da fábrica.Mais comofazer isso se não havia dinheiro para comprar mais máquinas?O problema era que osgargalos não estavam mantendo um fluxo suficiente para satisfazer a demanda e ganhardinheiro.O objetivo então era encontrar capacidade suficiente para que os gargalos setornem iguais à demanda.Para que isso ocorresse era preciso verificar a qualidade daspeças que entravam nos gargalos para que não gerasse refugos como havia acontecendoevitando assim a perda de tempo no processo e a peça que no caso seria de um customuito alto em grande quantidade como estava tendo.Jonah então sugeriu: certificar deque o tempo do gargalo não está sendo desperdiçado(como disse anteriormente emrelação as paradas dos operário), outra coisa era o processamento de peças que jáapresentavam defeitos e a terceira era fazer o gargalo trabalhar em peças que não tinhanecessidade naquele momento.A equipe de Alex tinha que fazer com que os gargalostrabalhassem apenas no que se precisava para o dia e deveria tirar cargas dos gargalos epassa-las para os não gargalos.Depois da visita de Jonah, a primeira decisão tomada foi a mudança da inspeção daqualidade (C.Q) para verificar as peças que entram nos gargalos.Logo depois,para destacar a prioridade das peças, adotou-se cores vermelhas e verdescom numerações em que as vermelhas estariam em todos os materiais que precisam serprocessados por um gargalo e eram prioridade.Só que Alex e sua equipe esqueceu quequase todas as peças passavam pelos gargalos e que demandava mais tempo paraprocessa-las em um gargalo, como nos auto fornos, do que num não gargalo.A produçãocomeçou a obter resultados mais chegou um tempo em que os gargalos foramsobrecarregados demais e as peças com etiquetas verdes que não tinham maiorprioridade, ficavam estocadas esperando pelas peças que passariam pelos gargalosaumentando assim o inventário e atrasando as entregas que viriam por falta de peças.No decorrer dos dias e acompanhando o processo, Alex e sua equipe descobriram que20% da carga de peças não precisam de tratamento térmico e isso foi bom, pois iriareduzir a eficiência de algumas operações, mais iria tornar a fábrica mais produtiva.A fábrica por alguns momentos produzia a todo vapor, tudo estava funcionando, até queestoques de inventários na montagem final das peças estavam sendo acumulados porfalta de material que eram processados nos gargalos, pois estavam sobrecarregadodemais.A solução era que teriam que liberar mais material para as peças com etiquetavermelhas de acordo com a necessidade de cada gargalo e rigorosamente nesse índicede precisão.Isso seria feito da seguinte maneira: à medida que cada lote sair do gargalo,
  5. 5. pode-se atualizar as informações e requisitar o material necessário, o de etiquetasvermelhas.Adotando estas medidas e várias outras, Alex e sua equipe, comprometidos no processode melhoria, conseguem reduzir o inventário e aumentar os ganhos apesar deinicialmente a eficiência ter tido uma pequena queda salvando a empresa dodesativamento e consegue ainda, manter esse processo.Com o sistema implantado em sua fábrica e com a continuidade de seu trabalho com suaequipe, Alex consegue a promoção de que sempre quis, foi promovido a Diretor dadivisão ao qual pertencia sua fábrica e consegue manter seu casamento.Introdução. O livro “A Meta” trata das dificuldades enfrentadas pelo gerente de umafábrica, em administrar sua empresa, com o objetivo de evitar a falência. Como tem umtempo limitado para melhorar o desempenho da fábrica, o gerente não mede esforçosem encontrar e descobrir procedimentos, para tornar competitiva a fábrica sob suaresponsabilidade. Vem então a evolução do processo de raciocínio da teoria dasrestrições, que pode ser entendida como uma ampliação do pensamento da tecnologia deprodução otimizada, atingindo, assim, a meta, que corresponde ao propósito global daorganização. O gerente da fábrica UniCo, Alex Rogo, trabalhava sob pressão, suaunidade estava indo mal. Bill Peach vice-presidente da divisão, estava lhe cobrando aentrega de um pedido atrasado, para atender o referido pedido não mediu esforços,ultrapassou limites e normas internas, agregando altos custos extras, estava nervoso eaborrecido, nada funcionava, a vida conjugal também ia mal porque Alex não tinhatempo para a família. Vem a tona todo um pensamento da nomeação ao cargo, a vidacomo trabalhador, o esforço, a análise da mudança, a insatisfação no despenho do cargo.Enfim, veio a comunicação da reunião e a notícia de melhoramentos na produtividadeem todos os locais para evitar a falência. A chave era enfocar as restrições (gargalos) –fortalecer os elos fracos da corrente melhorando assim o fluxo de resultados eaumentando o lucro. Alex Rogo é estimulado por um mentor, Jonah, a conseguir tirarsua fábrica do sufoco, descobre que para salvar sua empresa tem que ganhar dinheiro.Essa era a meta. A meta da empresa com fins lucrativos deve ser a de “ganhar dinheiro”tanto no presente como no futuro. O enfoque principal é a maximização do resultado daempresa, criando mecanismos para avaliar como as decisões de produção afetam olucro. Nem sempre o lucro é diretamente proporcional à eficiência. “A produtividade éo ato de fazer uma empresa ficar mais próxima de sua meta” (Goldratt, 1997, p.37) “Ameta é reduzir a despesa operacional e o inventário aumentando simultaneamente oganho" (Goldratt, 1997, p.99). “Ganho é o índice pelo qual o sistema gera dinheiroatravés das vendas” “Inventário é todo o dinheiro que o sistema investiu na compra decoisas que ele pretende vender”. “Despesa Operacional é todo o dinheiro que o sistemagasta a fim de transformar o inventário em ganho”. Sempre com auxilio do mentorJonah, Alex e sua equipe vão descobrindo prioridades e ampliando conhecimentos paravencer os obstáculos que não permitem a empresa gerar lucro. No decorrer do processoverificaram que o fato de dar aos robôs mais coisas para produzir aumentou suaeficiência, mas, desde então, estavam terminando cada mês com excesso dessas peças.Perceberam que estavam transformando o tempo ocioso em tempo de processoaumentando as pilhas de inventário e a despesa operacional. “Existe uma provamatemática que mostra claramente que, quanto a capacidade é diminuída exatamente atéa demanda do mercado, o ganho cai e o inventário aumenta até o teto.” (Goldratt, 1997,p.99) “A grande jogada ocorre quando os eventos dependentes estão combinados com
  6. 6. outro fenômeno chamado flutuações estatísticas”. (Goldratt, 1997, p.116). Identificar asrestrições do sistema e aprender como administrar a fabrica de acordo com suasrestrições era o objetivo. “Seus gargalos não estão mantendo um fluxo suficiente parasatisfazer a demanda e ganhar dinheiro” (Goldratt, 1997, p.173). A teoria da fila. “Ronestava determinado o ritmo. Toda vez que alguém andava mais devagar do que Ron, afila ficava maior. Se um dos garotos desse um passo com um centímetro a menos do queRon o comprimento da fila inteira poderia ser afetado”. (Goldratt, 1997, p.116). Mas, oque aconteceria quando alguém andava mais rápido do que Ron? Os passos mais longosou mais rápidos não deveriam compensar os outros? As diferenças não fazem asmédias? NÃO. A capacidade de ir mais rápido do que a média era restrita. Ela dependiade todos os outros que estavam na frente. Extensão da trilha – Inventário. DespesaOperacional – Energia dos garotos para andar (qualquer coisa que transformasse oinventário em ganhos) O que deduz da excursão “é que não devemos olhar para cadaárea e tentar ajusta-la. Devemos tentar otimizar o sistema inteiro”.(Goldratt, 1997,p.158) Dois tipos de recursos: · Gargalos – é aquele recurso cuja capacidade é igual oumenor do que a demanda colocada nele. · Não gargalos – qualquer outro recurso cujacapacidade é maior que a demanda colocada nele. O que temos de fazer é encontrarcapacidade suficiente para que os gargalos se tornem mais iguais à demanda demercado. Estamos fazendo nossos gargalos trabalharem em peças que não contribuirãopara o ganho. Tempo perdido em um gargalo significa perda de ganho. “Todas as vezesque um gargalo termina uma peça vocês estão tornando possível a expedição de umproduto acabado” (Goldratt, 1997, p.180). Façam os gargalos trabalharem apenas noque contribuirá para o ganho hoje, orientou Jonah, esta é uma maneira de aumentar acapacidade dos gargalos, outra é tirar a carga dos gargalos passando-os para os nãogargalos. O planejamento do fluxo de produção deve ser desenvolvido tendo comofoco as restrições físicas existentes no processo produtivo, o que permite a redução doinventário sem perda do ganho ou aumento de despesas operacionais. A técnica dacombinação da produção denominada tambor-pulmão-corda que forma um ritmo a todalinha de produção. · O tambor – principal recurso restritivo, dita o ritmo da produção. ·O pulmão – os estoques temporários colocados estrategicamente para o abastecimentoser contínuo. · A corda – obriga os demais componentes do sistema a manter o ritmodeterminado pelo tambor Segundo Goldratt na TOC a palavra chave deixa de sergargalo e passa a ser restrição, a qual é definida como qualquer coisa que limita osistema na busca do atingimento de sua meta. A unidade de Alex Rogo encerrou o prazocom resultados inesperados, o atraso de entrega nos pedidos desapareceu, o serviço aocliente havia melhorado, o ganho estava alto, conquistou a confiança do mercado e oconvite para gerenciar a produtividade em uma divisão da UniCo proporcionousatisfação pessoal ao ser de certa forma reconhecido. Ao atingir a meta da empresaidentificou também a restrição no relacionamento familiar e encontrou medidas paraviver com tranqüilidade. Esse processo de otimização contínua é à base de todos osaplicativos da teoria das restrições e, os cinco passos válidos a seguir segundo o livro ameta são: 1. IDENTIICAR a restrição do sistema2. EXPLORAR a restrição dosistema3. SUBORDINAR tudo o mais a decisão acima4. ELEVAR a restrição dosistema5. SE num passo anterior a restrição for quebrada, volte ao passo 1. MAS nãodeixe que a INÉRCIA se torne a restrição do sistema. Usando esse processo podemosenfocar nossos esforços nos poucos pontos de um sistema que determinam seudesempenho (nas suas restrições), e assim podemos melhorar significativamente seudesempenho no curto prazo. Restrição aqui quer dizer “qualquer coisa que impeça umsistema de atingir um desempenho maior em relação a sua meta”. Com essa definiçãopodemos dizer que todo sistema tem uma restrição, caso contrario seu desempenho seria
  7. 7. infinito (a lucratividade da empresa seria infinita). CONCLUSÃO “A Meta”, escrito naforma de romance, demonstra a dificuldade do gerente de uma fábrica em administrarsua unidade, que está prestes a entrar em processo de falência. Alex Rogo, gerente,atormentado por tentar melhorar a eficiência de sua fábrica, sendo que esta frustraçãoatingia também sua vida conjugal, pois não tinha tempo disponível para a família. Coma ajuda de um mentor, Jonah, Alex é estimulado com o intuito de salvar sua empresaenfocando as restrições, fortalecendo os elos fracos da corrente, melhorando o fluxo deresultado e aumentando o lucro. Descobriu que identificar as restrições do sistema eadministrar a fábrica de acordo com estas restrições era o objetivo. Através da técnicada combinação da produção, denominada tambor-pulmão-corda, formou um ritmo paratoda linha de produção. O tambor é o principal recurso restrito, ditando o ritmo daprodução; o pulmão, sendo os estoques temporários colocados estrategicamente para oabastecimento ser contínuo e, finalmente a corda, obriga os demais componentes dosistema a manter o ritmo determinado pelo tambor. A ênfase fundamental das idéias doautor é o alcance que ele denomina meta da organização, ou seja, ganhar mais dinheiroatravés de uma adequada gestão da produção. O ponto focal da sua teoria é que toda aempresa, no processo de atingir a sua meta, apresenta sempre uma ou mais restrições.Se assim não fosse, a empresa teria lucro infinito. A restrição é definida como qualquercoisa que limita um melhor desempenho de um sistema, como o elo mais fraco de umacorrente, ou ainda, alguma coisa que a empresa não tem o suficiente. Agindo dessaforma, Alex Rogo conseguiu vencer o prazo com resultados inesperados, conquistandoa confiança do mercado e o convite para gerenciar a produtividade em uma divisão dagrande fábrica, proporcionando, inclusive satisfação pessoal ao ser reconhecido.Resumo 2O livro relata a história de um administrador de um fábrica que se encontrava em estadoterminal, a forma como ele descobre os problemas que existem e como os soluciona.Alex Rogo, gerente de uma indústria de montagens, passa, logo no início do livro pordificuldades em sua fábrica por causa do atraso das entregas dos pedidos. Apesar daeficiência de suas máquinas e funcionários, o retorno era mínimo. Tudo começa quandoBill Peach - vice presidente da UniCo- visita a fábrica de Alex e dá-lhe uma sentença:um prazo máximo de três meses para que sua fábrica apresentasse resultados; casocontrário, a fábrica seria fechada. Surge aí a grande úlcera de Alex: salvar a fábrica dofechamento e impedir que centenas de funcionários venham a ser demitidos. Em umareunião com os gerentes das divisões, Alex lembra-se de uma conversa que teve comum antigo professor de física, Jonah. Neste encontro, seu mentor perguntou-lhe qual eraa meta de sua fábrica. Ele pensou e respondeu que a meta de sua fábrica era o aumentoda eficiência e, consequentemente, da produtividade. Depois reuniu-se em sua fábrica,com sua equipe e falou do problema que estavam passando e da conversa que ele tevecom Jonah. Após ele e sua equipe discutirem sobre muitas teorias sobre qual poderia sermeta da fábrica, eles descobrem que a meta era ganhar dinheiro e que todas as demaisvoltavam para esta última. Sabendo que as suas cabeças estavam em jogo, a equipecompromete-se ainda mais para tentar salvar a fábrica. Isso faz com que a equipe mudea sua ideologia para atingir a meta da qual eles descobriram. Mas alguns problemasexternos atrapalharam o processo de união da equipe, como casamento de Alex, queestava em crise e, por isso, a equipe não podia contar com a sua total dedicação, que eraessencial. Em outra conversa com Jonah, ele explica para Alex que existem três regrasoperacionais para gerenciamento de uma empresa: ganho, inventário e despesaoperacional Ganho,índice pela qual o sistema ganha dinheiro através das vendas.
  8. 8. Inventário,investimento de dinheiro na compra de coisas que pretende comprar. DespesaOperacional,dinheiro que o sistema gasta a fim de transformar o inventário em ganho.Alex apresenta essas três medidas para a sua equipe, que teve certa restrição à suaadoção, mas entram em consenso e passam a adotá-las na fabrica. Porém, demonstramter bastante dúvidas em como relacioná-las. Então sua equipe pede para ele marcar outraconversa com Jonah, desta vez em New York. Nesta conversa, Jonah fala e explicasobre flutuações estatísticas e eventos dependentes, dois conceitos que deveriam serobservados nas máquinas da fábrica. Jonah também esclarece a Alex que não existe umsistema perfeito de produção, como ele pensava: não se pode igualar a demanda com aprodutividade. Todos os conceitos que Alex aprendeu foram detectados durante umaexcursão que liderou. Ele percebeu nesse passeio que existia jovens com passosdiferentes, ou seja, as flutuações estatísticas; e notou que o andar de um jovem dependiado ritmo dos outros: eram eventos dependentes. Além do mais, a inexistência do sistemaperfeito e comprovado pelo jogo dos palitos. De volta a fábrica, Alex relata seuraciocínio a equipe e adota um sistema de nomeação para as suas máquinas: os não-gargalos, que não atrasavam o processo de fabricação das peças, e os gargalos, quenecessitavam de mais tempo para finalizar determinada peça, e por isso deveriamfuncionar a todo o momento. Os gargalos eram a NCX-10 e o auto forno. Para mostrar aprioridade das peças que deveriam passar pelos gargalos, a equipe colocou corvermelha, e cor verde, nas que passavam nos não-gargalos. Com estas e outras medidasadotadas, eles conseguem reduzir o inventário e aumentar o ganho. Apesar da eficiênciater caído inicialmente, isso não afetou o desempenho da fábrica. Ao apresentar suasnovas teorias e os resultados de sua fábrica eles conseguem salvá-la do fechamento.Então, após solucionar os problemas de sua fábrica e desenvolver um método paramantê-la naquele estado atual, Alex recebe uma proposta para ser o novo diretor dadivisão, à qual pertencia sua fábrica. Ele aceita e deixa sua equipe no controle dafábrica. Este livro mostra-nos claramente duas metas: a de Alex; que era salvar a fábricaem três meses, para que não a fechassem, além de tentar evitar o fim de seu casamento.E a meta da fábrica, que era ganhar dinheiro (aumentar o ganho) nas vendas, entregar asmercadorias no tempo determinado e voltar a ser uma fábrica produtiva. Através de suaexperiência na fábrica, Alex consegue transmitir ao leitor as dificuldades de um gerentee as formas pelas quais as resolvia, através de indagações. Todo este processo foi deextrema importância para que ele pudesse alcançar seu objetivo maior, o de ocupar ocargo mais alto da corporação. Esta é a META de todos na vida.Resumo 3IntroduçãoNa Década de 70, Goldratt, enquanto estudante de física em Israel, elaborouuma formulação matemática para o planejamento de produção denominada "OPT"tecnologia da produção otimizada. Na Segunda metade da década de 80, Goldrattampliou essa formulação e desenvolveu a Teoria das Restrições.O enfoque principal daTeoria as Restrições é a maximização do resultado da empresa, criando mecanismospara avaliar como as decisões de produção afetam o lucro. Nem sempre o lucro édiretamente proporcional à eficiência. "A produtividade é o ato de fazer uma empresaficar mais próxima de sua meta. Todas as ações que fazem com que a empresa fiquemais próxima de sua meta são produtivas." (Goldratt, 1997,p.37)A teoria das restriçõescondena a utilização de medidas físicas para a avaliação de desempenho, apoiando-seem medidas "financeiras" e fazem críticas "à filosofia JIT, por ignorar esse assunto, e aTQM por incentivar a utilização de medidas não financeiras"A meta daempresa:SegundoGoldratt, a meta da empresa com fins lucrativos devem ser a de
  9. 9. "ganhar dinheiro" tanto no presente como no futuro. Essa abordagem não conflita com amissão da empresa, que deve ser definida pelos seus proprietários, já que a lucratividadeé condição necessária à sobrevivência de qualquer negócio, o que garante suacontinuidade."A garantia de continuidade da empresa é obtida quando o valor dos benseconômicos dos bens e serviços que a empresa produz que oferece ao mercado e torna-se superior ao valor econômico dos recursos (bens e serviços) que a empresa obtém domercado e consome no processo produtivo de agregação de valor."Shank reafirma aquestão dos bottle-necks, a teoria das restrições. "Só pode atravessar o sistema umaquantidade de produtos ou serviços que o gargalo possa suportar. Todos os custos, todosos estágios da cadeia de valor devem ser atribuídos proporcionalmente aogargalo.""Você tem de satisfazer as exigências do cliente com um produto de qualidade,ou em pouco tempo não terá mais uma empresa." (Goldratt, 1997,p.44) Medidas para oalcance da meta"A meta é reduzir a despesa operacional e o inventário, aumentandosimultaneamente o ganho." (Goldratt, 1997)"São medidas que expressam a meta deganhar dinheiro muito bem, mas também permitem que vocês desenvolvam regrasoperacionais para dirigir sua fábrica. Elas são três: ganho, inventário e despesaoperacional." (Goldratt, 1997)As medidas operacionais globais definidas pela TOCsão:Ganho - "Ganho é o índice pelo qual o sistema gera dinheiro através das vendas "Inventário - "O inventário é todo o dinheiro que o sistema investiu na compra de coisasque ele pretende vender." Despesas Operacionais - "Despesa operacional é todo odinheiro que o sistema gasta a fim de transformar o inventário em ganho." "É melhornão levar o valor agregado em consideração. Isso elimina a confusão de decidir se umdólar gasto é um investimento ou uma despesa." (Goldratt, 1997:70)Ganho (ouThroughput)É o índice pelo qual uma organização gera dinheiro através das vendas.Produção não é necessariamente ganho, segundo a TOC, enquanto o produto não évendido. O ganho corresponde ao preço de venda menos o montante de valores pagosaos fornecedores pelas matérias primas diretas, incluindo comissões, taxasalfandegárias, etc., não importando quando foram comprados. Pode-se observar queesse conceito equivale ao custeio variável, já que nenhuma parcela de custo fixo éalocada ao produto.InventárioInventário, neste contexto, compreende todo dinheiro queo sistema (organização) investe na compra de coisas que ele pretende vender. Esseconceito inclui o estoque de matérias-primas, produtos em processo, produtos acabados,e ainda outros ativos como máquinas e construções, que são registrados pelo valor pagoaos respectivos fornecedores. Quanto aos estoques de produtos em processo e produtosacabados, nenhum valor deve ser agregado, como energia elétrica ou mão de obra,sendo avaliados exclusivamente pelas matérias primas diretas e portanto identificadasao produto. Despesas OperacionaisDespesas operacionais incluem todo o dinheiro que osistema (organização) gasta para transformar inventário em ganho. Do ponto de vistaprático, segundo Guerreiro, (1996) o modelo considera que todo o dinheiro gasto comalgo que não possa ser guardado para um futuro faz parte da Despesa Operacional.Alémdesses gastos, incorporam-se a essa despesa os valores de bens que faziam parte doinventário e foram utilizados e desgastados no período (como a Depreciação deMáquinas).Dessa forma, todo dinheiro envolvido no negócio - vendas, custos einvestimentos - pode ser classificado em uma das três categorias anteriormente citadas.Parâmetros auxiliaresComo parâmetros auxiliares para a avaliação de desempenho, ou ograu com que a meta está sendo atingida, a Teoria das Restrições estabelece:LucroLíquido : Medido como a diferença entre ganho (throughput) , definido como vendamenos o montante de valores pagos aos fornecedores pelas matérias primas diretas, e asdespesas operacionais, conforme definida acima, incluem todo o dinheiro que o sistema(organização) gasta para transformar inventário em ganho. Esse indicador reflete quanto
  10. 10. dinheiro a empresa está gerando em um determinado período. Retorno sobreinvestimento dimensiona o esforço necessário para o alcance de um determinado nívelde lucro e é obtido dividindo o lucro líquido pelo inventário, lembrando que este últimoinclui todo dinheiro que o sistema (organização) investe na compra de coisas que elepretende vender. Fluxo de caixa é considerado uma situação necessária para asobrevivência da empresa, ao invés de propriamente um indicador. A excursão - Ateoria das filas"Existe uma prova matemática que mostra claramente que, quando acapacidade é diminuida exatamente até a demanda do mercado, o ganho cai e oinventário aumenta até o teto." (Goldratt, 1997:99)"A grande jogada ocorre quando oseventos dependentes estão combinados com outro fenômeno chamado flutuaçõesestatísticas." (Goldratt, 1997:100)Ron estava determinando o ritmo. Toda vez quealguém andava mais devagar do que Ron, a fila ficava maior. Se um dos garotos desseum passo com um centímetro a menos que o Ron, o comprimento da fila inteira poderiaser afetado. (Goldratt, 1997:116)Mas, o que aconteceria quando alguém andava maisrápido do que Ron? Os passos mais longos ou mais rápidos não deveriam compensar osoutros? As diferenças não fazem as médias?NÃO. A capacidade de ir mais rápido doque a média era restrita. Ela dependia de todos os outros que estavam na frente.Extensãoda trilha - inventárioDespesa operacional - energia dos garotos para andar (qualquercoisa que transformasse o inventário em ganho)À distância do primeiro garoto aoúltimo aumentava = inventário estava aumentando, o ganho era influenciado pelosíndices flutuantes e o que significava que, em relação ao crescimento do inventário, oganho do sistema inteiro caía". (Goldratt, 1997:117)O que se deduz da excursão "é quenão devemos olhar para cada área e tentar ajustá-la. Devemos tentar otimizar o sistemainteiro." (Goldratt, 1997:158)Há dois tipos de recursos:Gargalos - é aquele recurso cujacapacidade é igual ou menor do que a demanda colocada nele. Não gargalos - qualqueroutro recurso cuja capacidade é maior do que a demanda colocada nele. "Não se deveequilibrar a capacidade com a demanda, mas sim, equilibrar o fluxo do produto atravésda fábrica com a demanda do mercado". (Goldratt, 1997:158)Sincronização daprodução ( logística tambor- pulmão- corda)O planejamento do fluxo de produção deveser desenvolvido tendo como foco as restrições físicas existentes no processo produtivo,o que permite a redução do inventário sem perda do ganho ou aumento de despesasoperacionais.Goldratt apresenta no livro "The race" a técnica da sincronização daprodução denominada tambor-pulmão-corda, que consiste na imposição de umacadência a toda linha de produção.O tambor - principal recurso restritivo, dita o ritmo daprodução.O pulmão - os estoques temporários colocados estrategicamente para oabastecimento ser contínuo.A corda - obriga os demais componentes do sistema amanter o ritmo determinado pelo tambor.Na TOC a palavra-chave deixa de ser gargalo epassa a ser restrição, a qual é definida pro Goldratt como qualquer coisa que limite osistema na busca do atingimento de sua meta. (Teoria das Restrições e programaçãolinear)MODELO DE DECISÃO DA TEORIA DAS RESTRIÇÕESO modelo dedecisão subjacente a Teoria das restrições apoia-se na otimização do ganho e naminimização das despesas operacionais e do nível de inventário. Entretanto, todas asempresas têm, pelo menos, um fator que limite seu ganho (throughput); do contrário,seu desempenho poderia ser melhorado indefinidamente. Remover a restrição emelhorar a performance da organização deveria ser o objetivo da administração.Goldratt propõe cinco passos para auxiliar os administradores a identificarem esuperarem as restrições:A teoria das restrições é mostrada por Goldratt; "a capacidadeda fábrica é igual à capacidade de seus gargalos. O que quer dizer que os gargalosproduzam em uma hora, é o equivalente ao que a fábrica produz em uma hora. Porisso... uma hora perdida em um gargalo é uma hora perdida no sistema inteiro."1 -
  11. 11. Identificar as restrições do sistema Nesta primeira etapa devem ser identificadas asrestrições existentes no sistema. Todo o sistema deve ter pelo menos uma restrição, masnormalmente terá um número muito pequeno de restrições.Goldratt sugere que políticasdentro das organizações também podem estar incluídas entre as restrições, as quais,entretanto, não são facilmente identificadas já que estão incorporadas à culturaorganizacional (por exemplo, nunca produzir um lote em quantidades inferiores ao lotestandard).2 - Decidir como explorar as restrições do sistemaExplorar as restrições dosistema significa tirar o máximo proveito delas, ou seja, obter o melhor resultadopossível dentro dessa condição. Por exemplo, se a restrição for o mercado, isto é, acapacidade de produção está acima da demanda do mercado, uma forma de exploraresta restrição é entregando 100% dos pedidos pontualmente. Em outro exemplo, vamossupor que a restrição seja o tempo disponível de uma máquina. Explorar esta restriçãosignifica fabricar os produtos que geram melhor resultado em cada hora trabalhada, ouaumentar o número de turnos de operação da mesma.3 - Subordinar qualquer outra coisaà decisão anteriorRecursos restritivos ou gargalos determinam o ganho dasorganizações. Se um recurso não-restrição estiver trabalhando numa taxa maior que arestrição, então estará havendo um aumento dos estoques. Portanto, todos os recursosnão-restrição devem ser utilizados na medida exata demandada pela forma empregadade exploração das restrições.4 - Elevar as restrições do sistemaAs restrições limitam acapacidade da empresa continuar melhorando seu desempenho, e portanto deve serminimizada ou eliminada. As etapas dois e três objetivam o funcionamento do sistemacom melhor eficiência, utilizando da melhor forma possível os recursos escassosdisponíveis. Se após a terceira etapa permanecer alguma restrição, deve-se elevar ousuperar a restrição, acrescentando uma maior quantidade do recurso escasso do sistema.A restrição estará quebrada e o desempenho da empresa subirá até um determinadolimite, quando passará a ser limitado por algum outro fator. A restrição foi mudada.5 -Se, nos passos anteriores, uma restrição for quebrada, volte ao passo 1, mas não deixeque a inércia se torne uma restrição do sistemaTendo em vista que sempre surgirá umanova restrição após a Quarta etapa, o ciclo deve ser reiniciado novamente a partir daprimeira etapa. Uma recomendação importante é no sentido de que a inércia não setorne uma restrição do sistema. A inércia dentro das organizações gera restriçõespolíticas, ou seja, em muitas situações pode não existir restrições físicas de capacidadede produção, de volume de materiais, de demanda do mercado, porém o sistema operade forma ineficiente em função de políticas internas de produção e logística.Otimizaçãoda produção na teoria das restriçõesPara otimização da produção Goldratt desenvolveuo software OPT _ OptimizedProduction Technology. O software trabalhaprimeiramente com a identificação dos gargalos, os quais representam as restrições noâmbito da produção.No sentido da otimização da produção, Goldratt propõe a máxima"a soma dos ótimos locais não é igual ao ótimo total", ou seja, a maximização daeficiência e eficácia de todos os recursos do processo produtivo.E estabelece noveprincípios caracterizados de acordo com o pressuposto que toda linha de produçãopossui gargalos e sempre haverá, num dado momento, aquele de maior poder restritivo.Balancear o fluxo e não a capacidade. A teoria das restrições advoga contra obalanceamento da capacidade e a favor de um balanceamento do fluxo de produção nafábrica. Assim, e ênfase recai sobre o fluxo de materiais e não sobre a capacidadeinstalada dos recursos. Isto só é possível através da identificação dos gargalos(restrições) do sistema, ou seja, dos recursos que vão limitar o fluxo do sistema comoum todo. A abordagem tradicional preconiza o balanceamento da capacidade dosrecursos e, a partir daí, tenta estabelecer um fluxo suave, se possível contínuo.O nível deutilização de um recurso não restrição não é determinado pelo seu próprio potencial e
  12. 12. sim por uma outra restrição do sistema. Esse princípio determina que a utilização de umrecurso não-restrição seja parametrizada em função das restrições existentes no sistema,ou seja, pelos recursos internos com capacidades limitadas ou pela limitação dedemanda do mercado.A utilização e ativação de um recurso não são sinônimos Esseprincípio é estabelecido a partir do emprego de dois conceitos distintos: utilização eativação. A utilização corresponde ao uso de um recurso não-restrição de acordo com acapacidade do recurso restrição.A ativação corresponde ao uso de um recurso nãorestrição em volume superior à requerida pelo recurso restrição. A ativação de umrecurso mais do que suficiente para alimentar um recurso gargalo limitante , segundo oenfoque da teoria das restrições , não contribui com os objetivos da otimização daprodução, pelo contrário prejudica. O fluxo se mantém constante, limitado pelo recursogargalo, gerando estoque que aumenta as despesas operacionais. Esse princípio não éaplicado nas formas convencionais de programação de produção.Qualquer tempoperdido no gargalo, seja através da preparação de máquinas, da produção de unidadesdefeituosas, ou da fabricação de produtos não demandados pelo mercado, diminui otempo total restrito, disponível para atender o volume máximo possível do sistema,determinado justamente pelo recurso restritivo.Neste contexto a Teoria das restriçõesadvoga que só existe benefício na melhoria da eficiência do processo produtivo, isto é,redução dos tempos de máquinas ou processos, se estes forem os fatores restritivos,diferentemente do que usualmente acontece nas fábricas onde a preocupação emmelhorar a eficiência não é sempre seletiva.Uma hora economizada onde não é gargaloé apenas uma ilusão. Conforme já mencionado no item anterior, é importante toda aeconomia de tempo nos recursos gargalos. Assim, como os recursos restritivosdeterminam o ritmo de produção dos não restritivos, não existe nenhum benefício naeconomia de tempo nestes últimos, já que tal economia de tempo redunda na aociosidade deste recursoConclusãoGoldratt critica a abordagem da contabilidade decustos que preconiza o rateio de custos fixos com conseqüente alocação aos produtosacabados ou em processo, por criar ganhos irreais e incentivar formação de estoques.Como pode-se comprovar através do estudo do caso apresentado, as interpretações dosvalores calculados pelo método de absorção podem levar a decisões equivocadas.Nateoria das restrições, o custo do produto deixa de existir em dessa forma, o processodecisório é fundamentado nas medidas operacionais globais. Esse enfoque tem reflexosna forma como os valores relativos a custo são mensurados e organizados no sistema deinformações da empresa, como pode ser observado no estudo do caso apresentado.Cabesalientar que nenhum método ou sistema de mensuração por si só é capaz mudar arealidade física e operacional, que é alterada tão somente pela ação dos gestores sobreos meios de produção. Existem várias formas dessa realidade ser retratada, e a Teoriadas restrições é uma delas, coerente com a necessidade de informações para tomada dedecisões, sobretudo as de curto prazo.Contudo, a teoria supra citada não atende àsnecessidades empresariais no que diz respeito à avaliação de desempenho econômico eao processo de mensuração econômica do patrimônio da empresa, tendo no GECON -sistema de Informação para Gestão Econômica um complemento importante econceitualmente convergente.CEETEPSFATEC CARAPICUÍBAResumo: A Meta
  13. 13. Autor: Eliyahu M. Goldratt e Jeff CoxProfessor: LimadNome: Pamella Fernandes da SilvaTurma: 2º Ciclo Logística Matutino01 de Outubro 2011CAPÍTULO 1Alex Rogo, gerente de fábrica, chega ás 07:30 ao trabalho para adiantar o serviço queficou pendente do dia anterior. Chegando próximo aos escritórios, observa que há umaMercedes vermelha estacionada em sua vaga. A única pessoa que poderia fazer isso,seria Bill Peach, vice-presidente da fábrica.Já com a adrenalina em alta, entra na fábrica ancioso para saber o que Peach estariafazendo ali tão cedo, e já pensando que esse dia com certeza não seria como os outros,afinal, o vice-presidente estava ali.Quando entrou na fábrica, já vieram quatro funcionários falando ao mesmo tempo,Dempsey, o supervisor noturno; Martinez, o representante do sindicado; um dos horistase Ray, o encarregado do centro de usinagem. Todos estavam impacientes e estavaimpossível entender o que estava acontecendo. Depois de muito falatório, Rogoconseguiu acalmá-los e enfim perguntar o que estava houve. Foi quando lhe explicaramque Peach havia chegado a cerca de uma hora antes dele e que estava perguntando sobreo Pedido 41427. Para ajudar, ninguém sabia nada deste Pedido e Peach fez com quetodos saíssem as pressas para descobrir o que aconteceu.Quando descobriram que este serviço não estava nem perto de ser expedido, Peachesbravejou com todos, dizendo para parar com tudo que estavam fazendo e se aplicarema este Pedido. Então, quando menos esperavam, concluíram que todas as peçasnecessárias estavam em pilhas prontas e só faltava uma peça. O vice-presidente, umdiplomata como todos sabiam, passou por cima do supervisor e mandou Ray começar afazer a peça que estava faltando. Este por sua vez achou um absurdo, já que ele e seuassistente haviam gasto pouco mais de uma hora para fazer outra Urgência que lhehaviam passado. Acabou discutindo com Peach que o ameaçou dizendo que se não ofizesse, seria despedido.Quando Rogo e Peach sentaram para conversar sobre o que estava acontecendo, foidado ao Rogo um prazo de três meses para melhorar a situação, pois aquele Pedido41427 era só um problema dentre todos os outros que o estavam fazendo perderdinheiro.Rogo ficou pensativo e então resolveu acompanhar os processos da fábrica, indo até aprodução. Andando por lá, encontrou Bob Donovan, gerente de produção, que por sinalnão estava muito feliz. Ele vinha trazer a notícia de que o operador da máquina quePeach havia discutido, pediu demissão e que para ajudar a única máquina que havia na
  14. 14. fábrica que produzia as peças que estavam faltando para expedir o Pedido 41427, paroude funcionar. Rogo chegou a pensar que fosse sabotagem masDonavan disse que orapaz estava tão perturbado que isso teria ocasionado isso. Ambos estavam preocupadoscom o que fariam, pois encontrar um substituto a altura seria muito difícil.CAPÍTULO 2Por volta das 18h30min, Rogo vai para casa comer alguma coisa e logo retornar afábrica. Chegando em casa, encontra sua esposa Julie, pronta para sair para jantar,conforme ele havia prometido na noite anterior quando estavam fazendo as pazes. Noentanto, devido aos problemas que estavam acontecendo na fábrica, Rogo teve quecancelar seu jantar, deixando Julie triste em casa.Julie não gostava da cidade, pois não tinha amigos e ficava sozinha o dia todo. Rogonasceu ali e por isso tinha simpatia pela cidade. Eles estavam ali há 6 meses e para Julie,isso fora uma eternidade.Rogo chegou na fábrica e imediatamente foi atrás de Donavan para saber como estava oandamento das coisas. Assim que o encontrou, perguntou se conseguiriam expedir oserviço, mas Donavan não sabia responder. A máquina estava consertada, mas aindahaviam muitas peças a serem feitas.Por fim, passava um pouco das 11 da noite, o pedido foi expedido. Rogo parabenizouDonavan e os dois foram jantar, felizes pelo sucesso, pois não esperavam expedir aindaeste dia. Eles conversaram sobre os problemas da fábrica e tomaram algumas cervejas.Rogo ficou pensando se o problema não era ele, pensando que a fábrica estava ruim,mas existiam piores. Porém, estava ciente de que a fábrica estava perdendo dinheiro.Perdido em muitos pensamentos, percebeu que já estava tarde e foi embora.CAPÍTULO 3Rogo acorda com Julie encima dele, batendo com força no despertador que já estavatocando há três minutos. Eram 06h03min quando ele levantou. Tinha uma reuniãomarcada ás oito horas com Peach e todos os gerentes de fábrica e sua equipe foramconvocados.Alex não tinha idéia do que seria a reunião, mas Bill havia pedido para levarem todos osrelatórios. O mais irônico era que para estarem todos ali no horário marcado, outrosgerentes teriam que pegar avião na noite anterior e a empresa acarretaria este gastosmais as hospedagens. Então será que Peach estaria perdendo o controle da situação?Estaria ele esquecendo a estratégia no desespero de ganhar?Há alguns anos ele era diferente, era mais forte, mais confiante e não tinha medo denovos desafios. Rogo fazia parte da equipe de Peach e eles se davam muito bem.Tomavam café no fim do expediente quase todos os dias e isso fazia com que os outrosfuncionários pensassem que ele era um grande puxa saco. Mas Alex pensava que talvezpor isso Bill gostava tanto dele, por que ele não era.
  15. 15. Certa vez, em uma reunião anual de vendas, Rogo, Peach e outros rapazes fizeram amaior bagunça no hotel que acabou terminando em briga de Rogo segurando Peach paranão bater nos seguranças que foram tirá-los do elevador que estavam cantando.Foi Peach que lhe deu confiança e todo crédito e estímulos para terminar o Mestrado eque lhe deu a chance de digirir uma fábrica. E agora, estavam gritando um com o outro.Eram 07h50min quando Alex chegou a fabrica e encontrou Nathan Selwin. Ele oparabenizou pela nomeação para a equipe de Peach e Nathan logo começou a contar oprovável motivo deles estarem ali para aquela reunião. Falou que caso o desempenhonão melhorasse até o final do ano, a divisão iria à venda.Rogo ficou extremamente surpreso, pensando que se isso acontecesse nem mesmoPeach teria um emprego. Mas e ele? Sim, ele poderia estar na rua em três meses.Nathan pediu a Alex que não sabia de nada e foi embora. Alex estava tão atordoadocom o que acabara de saber que chegou ao decimo-quinto andar e nem se lembrava emque momento pegou o elevador.As oito horas em ponto, Rogo sentou à mesa e Bill já estava ali, em pé e a sua frente umretroprojetor. Rogo olhou a sua volta e todos estavam olhando para Peach, menos HiltonSmyth que estava a olhar para ele. Hilton também era um gerente de fábrica e Rogo nãogostava dele. Dizia que Hilton falava demais, que fazia coisas novas, e quando sepercebia, não passava de coisas que todos faziam.Quando Rogo resolve se concentrar no que Bill estava dizendo, ele estava passando apalavra a Ethan Frost, chefe de contabilidade. Ele começou falando exatamente o queele havia ouvido naquela manhã, que em todos os lugarem o ultimo trimestre forahorrível e que a divisão estava correndo um grande risco. Eles precisariam “apertar oscintos”.Bill começou a falar, dizendo o que eles teriam que fazer para enfrentar este desafio.Mas Rogo não conseguia se concentrar. Procurou uma caneta para fazer algumasanotações, mas a única coisa que achou num de seus bolsos foi um charuto que não selembrava de onde surgiu. Até que se lembrou.CAPÍTULO 4Há duas semana antes, Rogo estava usando este mesmo terno. Estava viajando eesperando uma conexão no aeroporto de O’Hare. Procurou um lugar para se sentar, atéque avistou ao lado de um senhor que estava em pé e fumando um charuto,imediatamente foi ao lugar se sentar. Se aproximando do senhor, percebeu que aquelerosto lhe era familiar e então o ficou olhando. Quando ele se aproximou, o senhorlevantou o rosto da revista que estava lendo e também o ficou olhando, com cara dequem também o conhecia.Rogo o reconheceu, era Jonah seu professor de física. Ele também o reconheceu e elescomeçaram a conversar, Alex contando sobre sua vida e qual rumo havia tomado desdeque saiu da faculdade. Disse que estava indo para um Congresso que fora convidado
  16. 16. sobre robótica, pois a fábrica que estava trabalhando era uma das melhores no ramo. Foientão que Jonah começou a se interessar mais pelo assunto.Conforme Rogo ia falando sobre a robótica utilizada na fábrica e que isso teriaaumentado a produtividade, Jonah o ia questionando, deixando-o cada vez maisconfuso, pois a cada informação que ele passava ao seu antigo professor, ele ia“adivinhando” o que estava acontecendo na fábrica, como se já soubesse de tudo e issoera apenas uma questão de lógica.Foi quando Jonah precisava correr para não perder a viagem e Alex o foi acompanhandoaté o avião para colher mais informações que pudesse ajudar na melhoria da fábrica, noentanto, tudo que o professor falava, o deixava mais confuso. Mas antes de partir, Jonahfalou que ele saberia o que fazer quando soubesse qual era sua meta.CAPÍTULO 5Rogo resolveu fumar o charuto durante a reunião com Peach. Ele não tinha a mínimaidéia do que estavam falando, mas olhava em volta e todos estavam concentrados,alguns anotando, outros comentando. Ele pensava no que Jonah havia lhe falado, saber ameta. Algo tão simples ali na reunião nada foi perguntando. Somente palavras técnicas.Mas será que alguém ali estava entendo tudo que Peach estava dizendo?Ás dez em ponto, Bill parou para um intervalo. Alex deixou que todos saíssem e ficouali sentado pensando no que estaria fazendo ali. Pensou se toda aquela conversa fariaque ele não perdesse seu emprego, se melhoraria a situação de sua fábrica. Entediado,arrumou suas coisas e foi embora. Encontrou Hilton antes de pegar o elevador que logoperguntou se ele estaria abandonando a reunião. Logo respondeu que tinha problemasque precisavam de sua atenção na fábrica.Rogo ia entrando pelos portões da fábrica, sentiu que não deveria entrar ali naquelemomento. Não se sentia pronto para encontrar alguém e então foi almoçar numapizzaria próxima a fábrica. Pediu uma pizza e algumas cervejas e foi no alto da colinacomer. De lá ele avistava a fábrica, e ali observando-a, almoçando e tomando algumascervejas, se sentiu mais a vontade e começou a pensar em qual seria a meta.Pensou em muitas coisas até que levantou a última hipótese e nela creu que seria averdadeira meta. Então, pegou um bloco de papel em sua pasta e anotou tudo quepensou, inclusive o que supunha a meta: comprar sem pagar muito, empregar bompessoal, alta tecnologia, fazer produtos, fazer produtos de qualidade, vender produtos dequalidade, conquistar uma participação no mercado e por fim ganhar dinheiro. A metaera ganhar dinheiro e para isso, deveria cumprir tudo que vinha antes deste propósito.Depois de chegar a essa conclusão, sentiu que era hora de voltar.CAPÍTULO 6Chegando a fábrica, Rogo decidiu não entrar por onde todos os viriam, já que era óbvioque todos o estavam esperando para atacar. Então, entrou por um lugar estratégico, onde
  17. 17. ninguém o visse. Chegou a sua sala e quase não conseguiu enxergar o telefone de tantosrecados, supôs que seriam de Bill Peach.Lou, chefe da contabilidade apareceu na porta do escritório, dizendo que Peach havialigado a tarde para saber uns números que deveriam ser apresentados na reunião. Dissetambém que ele parecia estar bem nervoso. Lou passou as informações que Bill queria eestava preparando outros números que ficara de passar no dia seguinte. Rogo pediu queantes, mostrasse a ele.Quando Lou ia se retirando, Alex pediu que o sentasse um instante para lhe fazer umapergunta. Então perguntou a ele como poderia fazer para saber se a fábrica estavaganhando dinheiro. Lou então lhe explicou algumas medidas, concluindo que deveriaapresentar lucro liquído, RSI (Retorno Sobre Investimento) e fluxo de caixa.Rogo acabou lhe contando a situação da fábrica, deixando Lou um pouco apreensivo, jáque faltava-lhe apenas dois anos para a aposentadoria.Quando se deu conta, Alex viu que passava das dez horas e lembrou que não havialigado para Julie. Apreensivo, ligou e ela atendeu secamente. Lhe disse que havia feitojantar e que devido sua demora, ela e os filhos jantaram sem ele. Disse que sua filha oficou esperando pois tinha uma surpresa para lhe entregar. Rogo tentou explicar queteve um dia ruim, mas Julie desligou antes mesmo que ele pudesse se despedir.Naquela altura do campeonato, ele julgou inútil voltar imediatamente para casa, entãocolocou seu capacete e óculos e foi dar uma volta na fábrica. Saiu a procura de Eddie, osupervisor noturno. Queria saber como estava o andamento das coisas, e então omandou chamar.Quando Eddie estava vindo em sua direção, se lembrou de que tinha alguma coisa neleque não gostava, mas não sabia o que. Foi então que observando-o andar, se deu contade que era isso. Um jeito “muito regular”, como se tivesse seguindo um manual decomo andar.Eddie se aproximou e após Rogo perguntar a situação, foi lhe falando tudo que jáesperava, ou seja, tudo atrasado. Falando naturalmente, como se aquilo já fosse normal,estar em atraso se tornou algo natural.Alex pensou por um momento em lhe perguntar se todo aquele trabalho que estavasendo feito, estava lhes dando lucro liquido. Mas sabia que isso para Eddie, não passavade assunto de outro departamento, logo, não era de seu interesse e preocupação. Pensouem pergunta-lhe sobre os três itens, foi quando Eddie percebeu que Alex estava olhandopara ele de forma engraçada.CAPÍTULO 7Quando chegou em casa, as luzes estavam apagadas, exceto uma luz. Julie haviadeixado o jantar como havia dito. Sharon, sua filhinha o estava esperando para mostrarseu boletim com notas 10. A menininha estava contando à seu pai sobre a escola,quando meia hora mais tarde, acabou adormecendo.
  18. 18. Rogo não conseguia dormir, então ficou sentado na cozinha, ainda pensando no quefazer com a UniCo. Pensava se talvez não fosse melhor a fazer o que todos estavamfazendo, que era entregar currículo ou podia continuar tentando. Ele sentia que sefizesse isso, estaria fugindo e isto ele não podia fazer.Quando finalmente foi deitar, viu que Julie estava do mesmo jeito que deixara há vinte euma horas antes. Deitou-se ao lado dela e ficou acordado, olhando para o teto. Foientão, que decidiu procurar Jonah.CAPÍTULO 8Alex, mal conseguia andar na manhã seguinte. Quase que automaticamente, foi diretopara a duxa. Passou por Julie que não tinha muito o que dizer e pelas crianças, que jáestavam notando algo errado.Rogo só conseguia pensar em como faria para encontrar Jonah. Chegando à fábrica,pediu que Fran fizesse uma espécie de barricada na porta de sua sala, para evitar quealguém entrasse. Quando sentou em sua mesa, Fran interfonou avisando que era BillPeach na linha. Ele estava irritado por sua ausência na reunião e disse que devido isso,teriam algumas coisas para resolver.Minutos mais tarde, Rogo chamou Lou para que o ajudasse com as respostas paraPeach, quando terminaram meia dúzia de pessoas entraram para uma reunião que jáhavia desmarcado na semana passada. Quando se deu conta, já passavam das sete horas,e não havia entrado em contato com Jonah.Alex se lembrou de um antigo caderno de endereços que tinha na época que estudava eresolveu ir procura-lo em sua mãe. Ligou para Julie para avisá-la e seguiu o caminho.Chegando lá, já perguntou à sua mãe se sabia onde estava e ela disse que talvez no sótãoou no porão. Após horas procurando e sem achar, sua mãe se lembrou de suaescrivaninha em seu antigo quarto que ele dividia com seu irmão Danny. E lá estava.Começou a ligar, conseguiu alguns contatos de pessoas que trabalham com Jonah, atéque enfim conseguiu o número de onde ele trabalhava. Infelizmente, não conseguiufalar com ele de imediato, mas deixou recado. Quatro horas depois Jonah retornou.Eles conversaram por alguns minutos, pois Jonah estava apressado. Mas foi Rogoconseguiu tirar algumas dúvidas e conseguiu mais algumas informações. Jonah lhefalou sobre três medidas que havia inventado, sendo elas: Ganho, índice pelo qual osistema ganha dinheiro; Inventário, é todo o dinheiro que o sistema investiu na comprade coisas que ele pretende vender; Despesa operacional, é todo o dinheiro que o sistemagasta a fim de transformar o inventário em ganho.Alex queria saber como aplicar isso a meta, mas Jonah já não podia falar mais, ntãopegou o telefone de seu escritório para que pudesse retornar depois.Após desligar, Rogo ficou olhando para as três medidas e acabou caindo no sono.Quando acordou, viu os raios de sol pela janela e então subiu para seu antigo quarto.Cinco horas depois, acordou se sentindo um “waffle”.
  19. 19. CAPÍTULO 9Eram onze horas quando Alex acordou. Assustado, telefonou para Fran para avisar-lheque não tinha desaparecido. Pegou alguns recados para ele, e um deles lhe deixouintrigado. Granby, o presidente da UniCo iria até sua fábrica para tirar uma foto com umdos robôs para uma entrevista. Ele estava desesperado, pois na situação que seencontrava a fábrica, a visita do presidente era algo um tanto arriscado.Sua mãe o fez tomar café antes de sair. Eles conversaram um pouco sobre o que estavaacontecendo na fábrica, sua mãe tentou lhe falar algo que pudesse ajudar, mas o queajudaria naquela situação? Saindo de lá, resolveu passar em casa para se arrumar.Chegando em casa, percebeu que o carro de Julie não estava na garagem. Talvez elaestivesse um tanto furiosa, pensou ele.Rogo chegou na fábrica uma hora e foi direto para a sala de Lou. Lou já foi lheentregando uma pilha de relatórios que tinham que passar para a divisão, mas Rogo jáfoi interrompendo, dizendo que tinha assunto mais importante que aquele. Lou o olhoucom surpresa, pois o que havia de ser mais importante que os relatórios para Peach?Alex começou a perguntando se com a entrada dos robôs na fábrica, houve aumento devendas. Lou não entendeu o por que da pergunta, mas Alex pediu que pegasse algunsrelatórios para constatarem.Concluíram que não houve aumento de vendas e então ele pediu que Lou visse osrelatórios de inventário. Lou disse que aí já seria assunto de Stacey.Stacey Potazenik, administrava o controle de inventário da fábrica. Rogo não sabiamuito ao seu respeito, mas sabia que ela trabalha muito. Ele então perguntou sobre oinventário e Stacey disse que eles haviam aumento muito, já que a eficiência dos robôsestavam em trinta por cento, então para aumenta-la começaram a produzir mais, mesmosem pedidos ou até mesmo quando precisava para expedir algum serviço. Alex quissaber o por que, então Stacey disse que isso já seria com Bob.Ele pediu que Bob fosse chamado e então perguntou à ele o por que ocorria de as vezester peças em excesso e não aquelas que realmente estão precisando. Bob apenas disseque isso muito acontecia mesmo, mas não deu uma explicação mais sensata.Rogo então concluiu que não estavam administrando de acordo com a meta. Os trêsficaram sem entender o que seria esta meta e então disse que ele teria que lhes explicaralgumas coisas.CAPÍTULO 10Uma hora e meia mais tarde, Rogo tinha revisado as coisas com eles. Os três estavamsurpresos e perguntaram quem lhe havia dado essas medidas. Alex respondeu que seuprofessor de física. Ficaram ainda mais surpresos.Rogo, Lou, Stacey e Bob, discutiram por um bom tempo o que poderiam fazer paraaplicar essas três medidas. Bob de ínicio achou que essas medidas não tinham
  20. 20. absolutamente nada a ver com a fábrica, uma vez que ali era produção. Então os outrostrês se empenharam a lhe explicar, dando exemplos de cada objeto de lá.Por fim, Stacey, Lou e Bob disseram a Rogo por que ele não ia atrás de Jonah, paraconversar mais sobre o assunto e ele aceitou. Ligou para seu escritório, no entato ele jánão estava mais. Sua secretária informou que antes dele sair, ligou duas vezes mas Frandisse que ele estava em reunião. Informou também que Jonah estaria em Nova Iorque elhe deu o endereço do hotel, para um possível encontro. Então, ele ligou para o hotel e arecepcionista transferiu a ligação, Jonah atendeu com voz de sono, estava dormindo epor isso não puderam conversar. Eles então marcaram de tomar café na manhã seguinte,ás sete horas, assim poderiam conversar melhor.Alex volta para sua sala e encontra Fran, que o olha com surpresa. Ela lhe passa osrecados do dia, inclusive os das duas ligações de Jonah. Ele então a pede para arrumaruma forma de ir para Nova Iorque ainda aquela noite.CAPÍTULO 11Julie não entendia. Estava furiosa por que mais um vez Alex ia se ausentar e esse tipo denotícia vinha para ela muito de última hora. Ela já estava cansada de Alex colocar afábrica em primeiro lugar e a família em segundo. Mas ele não tinha tempo para discutire precisava ir rapidamente, se não perderia o avião. Ele avisou a Julie que ligariaquando chegasse no hotel, mas ela disse que talvez não estivesse em casa.Eram 07h10min quando estava no saguão esperando por Jonah. Rogo estavaimpaciente, não pelo atraso de Jonah, mas por Julie. Ele sabia que eles não estavamnada bem. Quando chegou ao hotel, como havia avisado tentou lugar várias vezes, masninguém atendeu. Tentou até conseguiu um voô de volta, mas aquele horário não tinha.Pensativo, ouve a voz de Jonah o chamando.Eles foram para o restaurante tomar café e logo começaram a conversar sobre a situaçãoque inquietava Alex. Jonah quis saber se as três medidas lhe ajudaram e ele disse quesim, porém achava que ainda não era suficiente, pois não sabia como isso ajudaria asalvar a fábrica. Quando Rogo citou o “salvar a fábrica”, Jonah ficou sem o entender eentão ele explicou em detalhes o que estava acontecendo.Para Rogo a conversa não foi tão produtiva quanto esperava. Ele queria respostas maisconcretas e não enigmas a resolver. Jonah lhe falou sobre flutuações estatísticas e lheexplicou que isso significava não poder dar números precisos, ou seja, apesar se basearem idéias.Como Jonah estava com pressa, pois sua agenda é incrivelmente cheia, ele precisou irembora e disse apenas para Rogo lhe telefonar quando tiver aplicado as combinaçõesdas medidas com as flutuações estatísticas.Rogo então pegou um táxi para ir embora.CAPÍTULO 12
  21. 21. Uma vez Rogo ouviu uma estória na UniCo de um homem que foi deixado pela família,pois só trabalhava. Chegando em casa, temia que o mesmo acontecera com ele. Olhoubem para a casa, mas viu o carro de Julie na garagem, ficando bem aliviado. Olhou parao céu e agradeceu.Entrando em casa, viu Julie sentada na cozinha. Ela estava com os olhos vermelhos.Alex perguntou por onde ela andou durante a noite e ela disse que foi até um bar comJane, uma amiga. Ele lhe explicou que o problema que estava acontecendo na fábricaera diferente dos outros que já tivera, e que este tomaria todo o seu tempo. Julie entãolhe pediu que o que pudesse, trouxesse para resolver em casa, assim ela e as criançaspelo menos poderiam vê-lo. Então ele prometeu que tentaria.CAPÍTULO 13Às sete horas da manhã no sábado, Dave acordou seu pai. Era o dia de ajudar ocomandante da tropa, como prometera à seu filho. Rogo havia se esquecido, murmurou,mas se levantou. Uma hora e dez mais tarde lá estavam eles na entrada do bosque. Rogopercebeu um monte de escoteiros e só ele de adulto.Antes de falar qualquer coisa, chamou o comandante da tropa mas ele não pode ir poisestava doente, logo, ele que seria o responsável. Pegou então o mapa, ele sabia que oplano era caminhar pela trilha e chegar a “Garganta do diabo”. Eram 16 km e elecalculou que chegariam ali por volta das três horas, ali passariam a noite e pela manhãseguinte retornariam ao ponto de partida, onde seus pais estariam os esperando.No trajeto, Rogo começou a aplicar os eventos dependentes e as flutuações estatísticasque Jonah havia falado. Concluiu que cada garoto era um evento dependente quevariava em suas flutuações estatísticas. Fez isso observando suas velocidades e espaçosque criavam entre eles, e como isso refletia no grupo todo.Pensou tudo isso e como podia usar o mesmo raciocínio na UniCo. Concentrado em seupensamento, quase atropelou o garoto da frente e viu que Ron, o garoto que haviacolocado para guiar o grupo, estava parado. Perguntou por que havia parado e elerespondeu que era hora do almoço.CAPÍTULO 14O resto dos garotos exclamaram que não deveriam almoçar ali e sim no Rio Rampageao meio-dia. Ron disse que já eram meio-dia e ainda assim os meninos disseram queeles então não deveriam nem estar ali. Rogo então fez uma votação de quem estava comfome, e esta foi unânime. Ali era o lugar perfeito para almoçar, já que tinha mesas e atéchurrasqueiras.Enquanto comia um lanche, Alex estava pensando em tudo que havia raciocinado nocaminho e como podia aplicar isso na empresa. Então, olhou em volta e achou umacaixa de fósforos e umas bandejas e viu que um dos meninos estava jogando dois dados.As ordenou uma do lado da outra, dentro delas colocou em cada uma seis fósforos epediu os dados emprestados ao garoto. Montou um sistema balanceado.
  22. 22. Quando se deu conta, todos os meninos estavam em volta dele observando o que eleestava fazendo e perguntaram se era um jogo. Ele disse que sim, e cinco garotosquiseram jogar: Dave, Andy, Ben, Chuck e Evan. Eles apostaram que quem perdesse,teria que lavar a louça de noite. O jogo era simples, eles jogariam os dados e o númeroque desse, era a quantidade de fósforos que eles movimentariam para a bandeja ao lado.Assim, Rogo montou em uma folha de papel, um gráfico que por fim, demonstrouexatamente o que estava acontecendo em sua fábrica: excesso de inventário, aumento dedespesas operacionais e por fim pouco ganho.Por fim, quem teve que lavar a louça foi Evan, que não ficou nem um poucoentusiasmado com isso. Por gostarem do jogo, os meninos quiseram jogar novamentepara saber quem faria a comida desta vez. Rogo estava feliz por estar caminhando porum lado bem positivo, já que seus enigmas estavam se resolvendo.Seguiram a caminhada.CAPÍTULO 15Por alguns instantes, Rogo observou a fila e viu que tudo estava acontecendonovamente. Herbie, o garotinho mais lento de todos estava a sua frente, então se elequisesse andar mais rápido, não podia pois tinha que se alinhar de acordo com avelocidade do garoto. Foi aí que veio a solução: ele colocou Herbie para guiar, de inicioos meninos acharam ruim pois o mais lento guiando? Depois de algumas reclamações, eum dos garotos perguntar à Herbie o que ele carregava em sua mochila, Rogo pediu queele parasse e foi verificar. Viu que o menino estava carregando coisas demais namochila e então dividiu as coisas entres os outros meninos. Incrívelmente, Herbiecomeçou a andar e eles conseguiram fazer 6 km em duas horas.Enfim, chegaram ao acampamento, montaram suas barracas, jantaram e Alex ajudouEvan e Dave a lavar as louças. Dave e o pai dormiram na mesma barraca e o garotodisse que estava orgulhoso dele, pois ele fez com que chegassem mais rápido. Oagradeceu por ter aceito a responsabilidade, já que nenhum outro pai o quisera.Instantes depois, só se ouvia o barulho dos meninos dormindo, grilos e pneus na estradade alguém que estava correndo.CAPÍTULO 16Dave e o pai chegaram por volta das 16h30min em casa. Estavam exaustos pelacaminhada, mas Alex pensou que poderia levar todos para jantar fora. Dave viu que nagaragem não estava o carro de Julie, mas o pai disse que ela poderia ter saído paracomprar alguma coisa.Quando entrou no quarto, viu que a porta do guarda-roupas estava aberto, foi verificar eviu que algumas das roupas de Julie não estava lá. Dave entrou no quarto com umenvelope que disse estar na mesa da cozinha. Rogo esperou que ele saísse para abrir. Oenvelope dizia que depois deste final de semana, ela sabia que a situação não mudaria,
  23. 23. então precisava de um tempo para pensar. Dizia também que deixou Sharon na casa damãe dele.Rogo ficou pasmo e pediu que Dave ficasse em casa, caso sua mãe ligasse para pedir onúmero de onde ela ligava para que ele retornasse. Ele foi buscar Sharon na avó.Chegando lá, sua mãe já atônita, começou a falar que Julie estava muito estranha, queno dia anterior a tarde, deixou a menina lá e nem saiu do carro. Quando ela foi seaproximar, ela saiu com o carro.Quando chegou em casa, Rogo explicou aos filhos que a mãe precisou de ausentar,talvez um dia, para pensar um pouco no que estava a deixando zangada, mas que elavoltaria.Ele ligou para Jane, amiga de Julie, mas ninguém atendeu. Ligou para seus pais, maseles pareciam não saber de nada. No entanto, os deixou preocupados. Rogo então ligoupara a policia, mas eles precisavam de uma prova de que um crime acontecera. Ficouentão deitado em sua cama, olhando para o teto. Passada meia-noite, ouviu umaarrancada de um carro na esquina, foi olhar mas era apenas alguém fazendo a volta.CAPÍTULO 17Segunda-Feira de manhã fora um desastre. As crianças tentando fazer o café da manhã,brigando. Sharon acabou perdendo o ônibus da escola. Rogo levou Dave na porta evoltou para buscar Sharon. Ela estava deitado, dizendo que estava doente. O pai lhe deua opção de ficar na casa da avó ou ir pra escola e ela então decidiu ir estudar.Chegou passada das nove horas, pegou seus recados com a Fran e foi para sua sala.Tinha um recado “Urgente” de Hilton Smyth, Alex retornou e ele estava furioso. Disseque estava esperando um pedido que estava atrasado, Rogo apenas lhe disse ia pedir quealguém verificasse e lhe retornasse. Smyth o ameaçou dizendo que sabia que a situaçãodele com Peach não estava boa, e caso esse pedido atrasasse, ele teria que conversarcom o vice-presidente. Rogo o colocou no lugar, dizendo que isso não era da conta delee então Hilton falou para ele dar uma olhada na correspondência, e se despediu. Acorrespondência era de Peach, informando a promoção d e Hilton. Todos os gerentes defábrica teriam que lhe prestar relatórios.Rogo se reuniu com Lou, Bob, Stacey e Ralph Nakamura, para lhes explicar o queaprendera naquele fim de semana. Nenhum entendeu de cara o que ele quis dizer, entãoFred entrou procurando por Bob, para falar sobre o problema de Hilton e Rogo teveuma idéia. Já que ninguém estava entendendo como na prática eles aplicariam tudoaquilo que Rogo havia explicado, então ele decidiu usar o problema de Hilton para lhesexplicar na prática. Até fizeram uma aposta de que não seria expedido ainda aquele dia.Alex colocou num papel uma programação básica onde a equipe de Peter ia trabalharnas peças e os robôs de Donavan. De acordo com a equipe de Peter terminaria as 16horas e a dos robôs, as 17 horas. Por fim, eles não conseguiram expedir no horário, poiso caminhoneiro não podia esperar, mas a equipe de Peter conseguiu terminar primeiroque os robôs, fazendo com que Alex ganhasse a aposta. Quando Bob ia pagá-lo, eledisse para dar a Peter para pagar uma rodada de café em agradecimento a equipe dele.
  24. 24. Graças a isso, eles conseguiram entender na pratica o que Rogo estava dizendo.CAPÍTULO 18Quando Rogo chegou em casa naquela noite, estava um clima agradável. As criançasestava feliz e sua mãe havia feito uma deliciosa janta. Julie havia ligado, falou com osfilhos, disse que os amava, mas não quis deixar o telefone de onde estava. Apenas lhesexplicou que precisava ficar um tempo longe, mas que estava bem.A terça-feira foi melhor, Alex e sua mãe conseguiram colocar as crianças na escola atempo. Ás oito e meia, Alex chegou a fábrica e na sua sala já estavam a sua esperaStacey, Bob, Lou e Ralph. Eles conversaram sobre o episódio do dia anterior echegaram a conclusão que precisam de Jonah novamente.Após alguns instantes, Fran conseguiu contato com ele. Rogo lhe contou sobre seusdescobrimentos no final de semana e como aplicaram no episódio do dia anterior. Jonahficou feliz, mas não podia conversar muito, já que estava no dez minutos de intervalo deuma apresentação. Ele explicou-lhes sobre ter gargalos na empresa. Disse que umrecurso com gargalo é quando a capacidade é igual ou menor que a demanda domercado e sem gargalo é quando a capacidade é maior que a demanda colocada nele.Eles ficaram confusos, mas tinha que descobrir se lá havia gargalos. Durante diasprocuraram em relatórios, mas nada foi achado. Até que decidiram seguir o raciocíniode Rogo no acampamento e procurar da mesma forma que ele achou Herbie. Foram embusca dos expedidores para saber quais peças faltam com mais frequência. Então assimencontram duas máquinas, sendo elas a NCX-10 e a do departamento de tratamentotérmico.Agora estavam confusos de como mudar toda a estória, através do raciocínio do Herbie.Já que se precisassem de dinheiro, teriam que falar com Peach e isso significava terperdido o juízo.CAPÍTULO 19Alex jantou com sua mãe e seus filhos naquela noite. Ele estava aborrecido com osproblemas da fábrica e acabou dividindo isso com eles. Eles tentaram ajudar, dizendoque se existem duas máquinas lerdas, era só apressá-las. Ele agradeceu a ajuda e disseque tinha que buscar Jonah no aeroporto.Do aeroporto, Jonah e Alex foram direto para a fábrica e no caminho Alex foi lhefalando todos os problemas. Chegando lá, Stacey, Bob, Lou e Ralph já estavam osesperando. Eles foram andando pela fábrica, e a equipe mostrando tudo, até quechegaram no primeiro gargalo, a NCX-10. Jonah lhes fez algumas perguntas sobre amáquina, uma delas, o por que ela estava parada naquele momento, sendo que ela é umgargalo. Bob respondeu que seu operador estava fazendo intervalo de 10 minutos, já queo sindicado exigia isso. Jonah então lhes explicou que um gargalo não deve terintervalos e eles deviam transferir isso de alguma forma. Depois foram até o segundogargalo e lá o professor viu as pilhas de inventários. Perguntou-lhes se ali havia alguma
  25. 25. peça que não precisaria passar pelo forno e eles disseram que não. Ele perguntou se nãohavia alguma forma dos engenheiros reaverem a situação, mas entraram num consensode que isso levaria certo tempo para aprovação. Jonah então perguntou se eles tinhamControle de Qualidade, foram até lá e viram um pallet cheio de peças. Deu-lhes a ideiaentão, para otimizar os processos, levar o C.Q ao lado da NCX-10. Aos poucos, aequipe ia entendendo como integrariam a nova política á produção.Na manhã seguinte, estavam todos sentados a mesa tomando café. Julie estava ligandotodos os dias para os filhos, mas nunca dizia onde estava. Desta vez, Sharon e Daveouviram de fundo no telefone música com violino, que seu avô, pai de Julie sempreouvia. Alex ficou feliz e agradeceu os filhos pela atenção que tiveram. Se levantou parair trabalhar e se despediu deles.CAPÍTULO 20Assim que chegou ao escritório, Alex pediu a Fran para organizar uma reunião com aequipe. Mas ele só conseguia pensar em seu casamento, então ligou para os pais deJulie. Depois de bastante insistência, a mãe dela, Ada, acabou confirmando que elaestava lá, mas não queria falar com ele.Ás dez horas teve início. Ele perguntou à eles o que acharam da conversa com Jonah nanoite anterior e todos falaram um pouco. Estavam espantados com a exatidão que elelhes mostrou. Decidiram como ínicio, mudar o C.Q. ao lado da NCX-10, para ver osefeitos iniciais e depois alterar os intervalos da máquina. O próximo passo era descobriros materiais dos gargalos, que eram prioridade. Então precisariam das ordens de serviçopor ondem se atraso, para fazerem as prioridades primeiro.Naquela tarde, Rogo resolveu ir atrás de Julie. Pediu a sua mãe que não avisasse ascrianças e ele também não avisou nem a Julie e nem aos seus pais. Quando chegou lá,Ada o viu e foi trancando a porta, dizendo para que fosse embora se não chamaria apolícia. Ele ficou dentro do carro esperando e quando estava anoitecendo, Julie saiu.Eles foram dar uma volta, ela lhe disse que não sabia se queria o divórcio, que precisavapensar. Ele pediu que voltasse para casa e ela disse que não estava pronta. Eleperguntou se ela estava saindo com outro homem, ela irritada voltou correndo para acasa dos pais. Quando ele estava dentro do carro, ele disse que a amava e a queria devolta, ela se comoveu, o beijou e logo entrou correndo. Ele então foi embora.CAPÍTULO 21Alex voltou para casa muito deprimido. Ficou pensando no que seria dele sem Julie e seteria que começar a chamar outras mulheres pra sair. Perdido em pensamentos, pegou otelefone e discou. O pai de Julie atendeu e passou para ela. Alex a chamou para sair nosábado ás 07h30min.Na manhã seguinte, Ralph e Stacey passaram para Alex a lista em ordem de atrasoscomo ele havia solicitado. Foram direto aos supervisores dos gargalos e lhes disseramque a partir dali eles deveriam seguir aquela lista e não interfiri-la.
  26. 26. Após a reunião, Rogo foi conversar com O’Donell, presidente do sindicato local. Eleestava furioso com a quebra de contrato, mas Rogo lhe explicou toda a situação. Aindaassim, ele ficou de pensar e daria um retorno.Quando voltou para a fábrica, foi direto na NCX-10 e ela estava parada. Procurou porMário, supervisor da seção e ele disse que não tinham material. Rogo ficou furioso eperguntou por que ele então não deu continuidade ao próximo item da lista e ele nãotinha mais o que falar. Foi imediatamente fazer.Rogo foi atrás de Bob para saber o que estava acontecendo e quando o encontrou, eleestava conversando com o chefe de seção sobre o assunto. E aquilo estava acontecendopor que eles não tinham a informação de que estava havendo aquela mudança nafábrica. Agora a questão era tornar isso acessível a todos.Organizaram palestras na sexta-feira e explicaram toda a situação a todos. Colocaramcomo procedimento, identificação nas caixas para prioridades. Etiquetas vermelhas paraas “urgências” e verdes para as “menos urgentes”, assim teria um procedimento a seguire todos estavam cientes.Quando acabou a palestra, chegando a seu escritório o telefone tocou. Era O’Donelldizendo que podiam fazer a mudança de horário. Rogo contou a Donovan e com aspequenas vitórias, a semana terminou.Sábado ás 19h29min, Alex estava em frente a casa dos pais de Julie, segurando umbuquê. Se despediram dos pais dela e ele até brincou dizendo que a traria de volta ás dezhoras.CAPÍTULO 22Na segunda-feira todos viram o bom resultado que as novas ações tinham trazido.Estavam todos entusiasmados com a melhora.Naquela tarde, houve uma reunião com Elroy Langston, gerente de C.Q. e BarbaraPenn, que cuidava da comunicação com os empregados. Eles tinham propostas paraaperfeiçoar o que já estava em andamento. Penn falou sobre colocar uma fita amarelapara identificar as peças vermelhas que deveriam ser tratadas como “ouro”. Ela fariauma espécie de faixa para colocar nas seções, onde os chefes veriam e mostrariam aoshoristas. Penn e Langston achavam que dariam certo e Alex gostou da idéia. Elesgostariam que Bob tivesse participado da reunião, porem ele havia sumido.Minutos depois, ele ligou. Pedindo que Rogo fosse até a doca de recebimento.Chegando lá, Bob estava com duas máquinas bem velhas, que havia conseguido comum amigo. Aquelas máquinas, fariam o mesmo trabalho que a NCX-10. Eles entãoteriam a capacidade de que precisavam.Testaram as máquinas e após alguns segundos, ouvia-se um barulho vindo do centrodelas. Alex riu e confirmou que estavam no negócio.
  27. 27. CAPÍTULO 23Era meio da semana e estava chovendo muito. Alex pensava em Julie. Eles estavam seencontrando sempre, mas nunca mais falaram sobre o casamento. Uma batida na portainterrompe seu pensamento. Era Fran, anunciando que Ted Spencer estava querendofalar com ele. Ela já adiantou que soubera de uma briga dele com Ralph Nakamura.Rogo pediu que ele entrasse.Ted estava furioso com Ralph pois ele estava querendo que ele anotasse vários dados detempo das peças no forno. Ele ficara irritado com isso e disse não saber a funcionalidadedisso tudo. Para dispensá-lo logo, Rogo disse que falaria com ele e que depoisinformava-o. Pediu que chamasse Ralph e quis saber o motivo das solicitações dele. Eleexplicou que estava acontecendo algo de errado, pois num dia da semana passou pelodepartamento de tratamento térmico e viu algumas peças que já deveriam ter tirado hátrês horas do forno, mas lá não havia ninguém para tirar por que Ted havia mandado osajudantes ajudar em outro departamento. Rogo ficou furioso e pediu que Ralph fizessetodos os relatórios que precisasse tanto com os fornos quanto com a NCX-10.Rapidamente, Alex chamou Bob para contar-lhe a situação deixando-o furioso. Elesacertaram então que nesse departamento teriam duas pessoas que ficariam ali e dali nãosairiam.Dias depois, algo estranho aconteceu. Eles perceberam que no turno da noite, as peçassaiam bem mais que as de manhã e então foram verificar o que estava acontecendo.Mike Haley o responsável noturno lhe explicou o que fazia para adiantar o serviço pararetirada e reposição do forno, inclusive deu uma idéia que Rogo achou excelente eimediatamente pediu que Bob a colocasse em prática. Haley passaria a trabalhar pelamanhã e estaria com os engenheiros colocando sua idéia em prática, aumentando acapacidade dos fornos.Tudo estava caminhando inacreditavelmente e o pessoal do décimo-andar nãoacreditariam nisso.CAPÍTULO 24Era sexta-feira e o pessoal do primeiro turno estava indo embora. Toda a equipe entrouna sala de Rogo com um champagne, para comemorar a visível melhora, nosinventários, na capacidade, na eficiência que deram aumento nos ganhos. Festejaram atétarde e depois do escritório, foram para um bar. Eram uma meia quando Rogo voltavapara casa. Estava tão bêbado que Stacey precisou leva-lo para casa. Chegando lá, eletropeçou na porta, perdeu o equilíbrio e caiu encima de Stacey que riram juntos. A luzda sala acendeu e era Julie, furiosa. Pegou seu carro e foi embora.Na manhã seguinte, além da ressaca estava mal pelo que havia acontecido a noite.Tentou falar com Julie, porem mais uma vez sua mãe disse que ela não queria mais falarcom ele.
  28. 28. Na segunda-feira, logo que chegou Stacey o procurou. Pediu o telefone para ele paraque pudesse explicar a Julie o que aconteceu e ele então lhe passou. Além disso, Staceytambém lhe passou que talvez haviam mais gargalos e que precisariam fazer algo. Rogoentão lhe pediu que fizesse o possível para descobrir o que estava acontecendo.Mais tarde Julie ligou, embaraçada, pedindo desculpas pois havia interpretado mal.Disse que quis lhe fazer uma surpresa, e acabou acontecendo o que aconteceu.Marcaram um encontro para quarta-feira.CAPÍTULO 25Na manhã seguinte, Alex foi buscar Jonah no aeroporto. Às dez horas estavam na salade reuniões da fábrica. A equipe lhe explicou o que estava acontecendo e ele achouimprovável que tivesse mais gargalos, afinal o ganho havia sido de vinte por cento. Elesderam uma volta pela fábrica e parar em frente e NCX-10. Jonah pegou um giz ecomeçou a lhes explicar algumas coisas básicas sobre a relação de gargalos com nãogargalos.Após muita conversa e explicações, conclui-se que ele fizeram das fresadoras, gargalos.Por isso o aumento dos inventários. Como as peças dos gargalos foram priorizadas,enquanto houvesse peças da etiqueta vermelha, não se devia processar as verdes, estasforam se acumulando.Jonah também lhes mostrou que eficiência não é sinônimo de ganho. Já que os gargalose os não gargalos não estavam caminhando juntos, logo houve excesso de inventários,eficiência e não ganhos.Eles queriam saber o que fazer agora e Jonahpediu que enquanto estivesse no caminhoda sala de reuniões, pensassem um pouco sobre tudo que viram.CAPÍTULO 26A solução daquele problema não estava tão aparente para Rogo. Ele estava sentado nacozinha pensando em como colocar em prática, quando vieram seus dois filhos e lheperguntaram o que estava fazendo. Ele lhes explicou usando o exemplo doacampamento e Herbie. Eles quiseram ajudar, então Alex lhes deu dez minutos parapensar numa solução. Dez minutos depois eles voltaram, cada um com uma idéia.Sharon disse para usar tambor para que os meninos marchassem juntos e seguissem omesmo ritmo. Dave disse para amarrar cordas em suas cinturas com o mesmo espaço,assim seriam obrigados a andar na mesma velocidade e o espaço seria igual. Alex achouas idéias bem criativas. Ele prometeu dar o que eles queriam na medida do possível eeles pediram sua mãe de volta. Alex lhes explicou que estava tentanto e perguntou sepor enquanto, não podia ser um cinema.Depois que as crianças foram dormir, Alex ficou lá pensando se Julie voltaria.Comparando seus problemas conjugais, os da fábrica eram bem fáceis.
  29. 29. Naquele mesmo dia, na sala de reunião Jonah retomou a conversa e conclui-se quecolocar todos para trabalhar, ou seja, aumentar a capacidade era ineficiente, logo, nãohaveria problema em algumas pessoas ficarem ociosas às vezes, contanto que issoaumente os ganhos.Bob ficou preocupado com os relatórios finais que eram enviados a divisão. Eramprocedimentos gerenciais e então perguntou a Rogo sobre como fariam com isso. Rogode imediato disse que precisariam arriscar e que fariam as mudanças sim. Se a eficiênciabaixasse, paciência.CAPÍTULO 27Na reunião mensal com todos os gerentes, Frost elogiou Rogo o que deixou Hilton bemirritado. Peach iniciou a reunião dizendo que como a fábrica de Rogo foi a única queapresentou melhoras, ele seria o primeiro a apresentar os relatórios. E assim foi, eleexplicou as melhoras em todos os sentidos. No final, Peach lhe parabenizou secamente,o que lhe deixou inconformado pois ele esperava mais de Bill.No fim da reunião Rogo foi atrás de Bill que o convidou para conversar em sua sala.Bill lhe disse que Rogo lhe deu um mês bom, será que ele daria dois meses ou trêsmeses? Lançou então a Rogo que para não fechar a fábrica ele não queria apenas ummês melhor e sim quinze por cento de melhoras.Rogo foi embora em alta velocidade, pensando na conversa com Bill. Quando se deuconta do horário e de onde estava, sabia que chegaria na fábrica no horário de ir embora.Como estava próximo a estrada para cidade dos pais de Julie, resolveu ir até lá. Sentiasaudades dela e das crianças que estavam lá desde o inicio das férias.Chegando na casa dos Barnetts, foi bem recebido e saiu para um passei com a família.Depois foi dar uma volta só com Julie a beira do rio, e ficaram sentados alguns instantesnum banco. Conversaram sobre Julie voltar para casa, mas ela estava confusa ainda.Disse que estavam indo bem do jeito que estava, mas achava que se ela voltasse, seria amesma coisa. Brigariam, discutiriam e isso ela não queria mais. Voltaram para casa dospais dela, se despediu das crianças e quando ia saindo com o carro, ouviu-a gritando porele. Voltou e ela perguntou se ele viria no sábado e ele confirmou. Felizes, ele sedespediu e foi embora.CAPÍTULO 28Alex chegou em casa, o telefone tocou e era Jonah. Ele queria saber como estavam ascoisas e disse que devido a um problema, eles ficariam semanas sem se falar. Não podialhe explicar agora a situação, mas um dia quem sabe.Rogo lhe contou na melhora na fábrica e sobre reunião que tivera com Bill Peach. Falousobre os quinze por cento que ele queria para não fechar a fábrica e como ele não sabiao que fazer. Jonah lhe falou que como não poderiam falar durante semanas, teriam queresolver isso ali naquele momento e então lhe deu umas dicas.
  30. 30. Na manhã seguinte, reunião todo o pessoal num restaurante e pagou-lhes o almoço.Contou que falou com Jonah na noite anterior e que ele lhe falou sobre diminuir oslotes, que faria com que diminuiria no tempo da produção e as entregas seriam maisrápidas. De inicio Bob ficou assustado, mas depois de mais conversa, Rogo oconvenceu. Então eles acertaram que poderiam prometer aos clientes, entregas emquatro semana, mas para isso precisaria conversar com Jons, do marketing. Marcou umareunião com ele na sexta-feira de manhã.Como marcado, houve a reunião e Rogo lhe explicou como estavam bem na fábrica eque eles precisavam de mais negócios para manter a fábrica. Disse que usando o novosistema que Ralph desenvolvera podiam prever um dia antes, fazendo que suas entregasfossem entregas mais rápido. Então Alex apostou com ele um par de sapatos Gucci eJons aceitou. Se eles não conseguissem expedir na data prometida, ele daria os sapatos aJons e vice-versa.CAPÍTULO 29Julie e Rogo resolveram ir aproveitar a casa vazia, compraram vinho, pão e queijo e alificaram juntos. Dormiram, quando Alex acordou assustado, estava tendo um pesadelo.Preocupado com a situação da fábrica, desceu e ficou sentado na janela pensando noque faria, não conseguia dormir. De repente Julie estava ali embaixo procurando por elee eles começaram a conversar. Alex começou a lhe explicar o que o estava afligindo eela tentando o entender.Quando Alex chegou ao escritório pela manhã, Lou foi até sua sala dizendo que podiaajudar com os custos dos produtos. Lhe explicou que seria totalmente contra as regrasde Frost e que se ele identifica-se estas alterações, eles estariam em águas ferventes.Rogo disse que se nada acontecesse em relação a melhora, já estariam em águasferventes, então era melhor arriscar.Minutos mais tarde Johnny telefonou dizendo que recebeu uma proposta de um antigocliente BuckyBurnside. Ele queria mil peças em duas semanas. Eram muitas peças paraum tempo tão curto, mas com alguns pensamentos em mente, Rogo disse que verificariaas possibilidades e retornaria ainda a tarde.Conversou com a equipe e depois de algumas análises, decidiram fazer uma contraproposta a Burnside: entregar 250 peças por semana em quatro semanas. Ligou paraJonhny que ficou de passar a proposta a eles. Mais tarde, ele retornou a ligação na casade Alex dizendo que o negócio fora fechado e que eles até gostaram de receber porsemana.CAPÍTULO 30No inicio do mês seguinte, houve a reunião com os novos valores de custo. Estava todaa equipe do início esperando por Lou, com os valores. Quando ele chegou, todos jáafoitos queriam saber se chegaram aos quinze por cento e Lou disse que além disso,chegaram a dezessete por cento. Eles mal podiam acreditar no andamento das coisas.

×