Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Vila Industrial

473 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Vila Industrial

  1. 1. industrial Vila TFG ESTUDO URBANOAline Feleti|Ana
  2. 2. LOCALIZAÇÃO
  3. 3. HISTÓRICO Primeiro bairro de trabalhadores da cidade, seu surgimento data do início do século XX a partir de lotes ainda rurais onde criavam-se pequenos animais e curtia-se couro Tem sua história íntimamente ligada a das ferrovias. Estas acabaram por configurar a malha urbana, separando a vila do centro e das áreas nobres da cidade Vila de segregados (fisica e socialmente), seus habitantes consistiam em operários imigrantes trazidos para trabalhar nas companhias férreas e ocupantes de casas de leprosos e do presídio. Desde sua fundação, a vila evoluiu no sentido leste-oeste, seguindo o mesmo traçado urbano em forma de tabuleiro. A partir do fim da década de 40, com a construção da via Anhanguera, sua ocupação se intensificou no sentido norte-sul pelas vias que ligavam o centro ao resto da cidade e a rodovia trazendo assim um impulso à transformação da paisagem. Porém a partir daí, houve uma estagnação do crescimento e um certo abandono do local com a falta de manutenção e medidas urbanas que liguem a vila a cidade de forma mais homogênea.
  4. 4. OTOS HISTÓRICAS
  5. 5. LEGISLAÇÃO A zona de estudos encontra-se na AP 20, UTB 55 dentro do plano diretor da cidade de Campinas Seu Plano de gestão local está em estudo num convênio entre a Prefeitura e a Unicamp e os parâmetros que serão usados para sua elaboração devem garantir que: - A expansão urbana deve ser controlada equilibrando as atividades e otimizando a infra-estrutura; - Deve-se prever recuperação e revitalização das áreas centrais; Pertence ao eixo de requalificação urbanapor porte e geração de tráfego; - Limitação de usos incômodos onde propõe-se segundo o plano diretor Art. 28: - Permitir o adensamento e incrementar a ocupação; - Implementar operação urbana consorciada; - Incentivar hotéis, habitação e atividades culturais noturnas; - Priorizar investimentos públicos para as áreas ocupadas e com carência de infra-estrutura; - Implantar sistema viário inter-bairros de forma a integrar a configuração radial do sistema atual, promovendo a interligação dos sub-centros;
  6. 6. LEGISLAÇÃO -PLANOS EXISTENTESComo diretrizes pontuais e específicas podem ser citadas: - Recuperação do túnel de pedestres sob a estação cultura; - Valorização do teatro Castro Mendes com a mudança da sededa Orquestra sinfônica de Campinas; - Restauração da Vila Manoel Freire - Criação de um plano de revitalização da vila industrial. Segundo a lei complementar nº 4 de 17 de Janeiro de 1996 as características históricas da Vila Industrial devem ser preservadas
  7. 7. PLANOS PROPOSTOS -Ao analisar o fluxo viário, é importante considerar o potencial desta região a TAVmédio e longo prazo, a respeito dos investimentos do setor público e privadopara implantação do TAV – Trem de alta velocidade. Espera-se novas estações,além da valorização da infra estrutura de transporte, a revitalização a memórialocal. Contudo A esse fluxo soma-se ao transito, acima descrito, que já seencontra saturado o que pode vir a piorar ainda mais o transito das estreitasruas.
  8. 8. FLUXOS Av, Lix da Cunha CENTRO Sentido Bosh,Anhanguera A área apresenta Trânsito de passagem, gerado pelos deslocamentos de veículos principalmente para acesso às rodovias, ao terminal rodoviário, e Sentido ao centro da cidade. Aceso a Rod. Anhanguera Outro fator importante no aumento dos Av. Prestes Rod. Santos deslocamentos é o expressivo Maia Drumont Fluxo gerado pelo terminal rodoviário, e de estudantes para a Universidade IBTA/ Veris.
  9. 9. FLUXOS Área de estudo A linha férrea configura uma Sentido das barreira vias Linha de ônibus Linha férrea Área verde Ponto Nodal
  10. 10. LUXOS - MOBILIDADE Vias Asfaltadas Asfalto sobre paralelepípedo Trafego de pedestres Trafego de Veículos
  11. 11. BENS TOMBADOS Teatro Municipal José de Castro Mendes - Vilas Manoel Dias e Manoel Freire - Processo Processo 002/97 - Resolução n°. 46 de 003/90 - Resolução nº. 19 de 24/11/1994 13/05/2004 Endereço do Imóvel: Praça Correa de Lemos, s/n Podemos dizer que a Vila Industrial foi um bairro de trabalhadores. Surgiram O Teatro Castro Mendes foi inaugurado prédios nas rua Doutor Sales de Oliveira no ano de 1970, tornando-se o principal e na Pereira Lima, onde os moradores teatro da cidade de Campinas. No ano eram em sua grande maioria imigrantes. de 1974 ele recebeu algumas reformas, e passou a ser importante para as produções nacionais.
  12. 12. BENS TOMBADOS Conjunto Arquitetônico - Processo 001/02 - Processo 008/89 Resolução n . 85 de 04/05/2009 Endereço do Imóvel: Rua Sales de Oliveira, 429 Endereço do Imóvel: rua Francisco e 433 - Processo 008/89 - Theodoro Resolução nº. 009 de 28/04/1992 Foram feitas habitações de pequeno Quando Campinas passava por porte, evitando assim que os operários transformações devido a vinda do café fossem morar em locais distantes. A para a cidade, que estava em alta no intenção era abrigar os conterrâneos, final do século XIX, os trabalhadores se obtendo comércio no andar inferior e instalaram próximos as indústrias. habitação no andar superior. Atualmente conhecida como Vila Industrial, já foi chamada também de “Campo de Sant’Anna” e “Imigração”.
  13. 13. QUIPAMENTOS PÚBLICOS Fonte: Site da ENDEC COLÉGIO PADRE JULIO CHEVALIER ENDEC METROCAMP RENOVATUS COLÉGIO EEI BRANCA DE NEVE Fonte: Site da
  14. 14. SO E OCUPAÇÃO DO SOLO
  15. 15. TERRENO NATURAL 670 700 675 690 695 685 680
  16. 16. GABARITO Construções com mais de 6 m Construções com até 6 m
  17. 17. ENCIALIDADES – ANÁLISE CRÍTICA Problemáticas: - Segregação que evita o acesso de pedestres ao bairro; - Dificuldade interna de locomoção; - Infra-estrutura viária insuficiente para o tráfego; - Degradação do patrimônio histórico cultural e conjunto arquitetônico; - Falta de manutenção da infra-estrutura urbana; Potencialidades: áreas verdes. - Poucas - Identificamos na área potencial de programa voltado a atividades culturais publicas e privadas como: Centro cultural, teatro, museus, cursos e oficinas... - Explorar o acesso as rodovias, ao centro de campinas, e como ponto de conexão ao subúrbio da cidade; - Investimentos em adensamento do vazio urbano no antigo pátio da FEPASA.

×