(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES2012©LARES
PREVENÇÃO ÀS DROGASPREVENÇÃO ÀS DROGAS
QUALIDADE DE VIDAQUALIDADE DE V...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
DEFINIÇÃO
“O trabalho é inerente à condição humana. Por meio do
trabalho o ser h...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
TRABALHADOR: biopsicossocial (subjetividade,
linguagem, raciocínio critico, afet...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
 CONDIÇÕES DE TRABALHO condições
físicas, químicas e biológicas do ambiente de ...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
OMS (1946) e CF (1988) “Saúde é o estado de
completo bem estar físico, mental e ...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
De 12% de todas as doenças de um país, 18%
necessitam de algum tipo de ajuda 30...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
TRANSTORNOS MENTAIS QUE MAIS
AFASTARAM DO TRABALHO DE 2007 A 2012,
NO BRASIL (OM...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
QUALIDADE DE VIDA (OMS)
a.Ocupacional: satisfação pessoal, trabalho e lazer
b.Fí...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO
 Saúde, alimentação e abrigo,
 Plano de incentiv...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
 A cultura da pressa e do descartável (excitação,
euforia, ansiedade).
 Cultur...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
O termo DROGA vem do holandês antigo
“droog”, que significa folha seca. Para a O...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
LEGISLAÇÃOLEGISLAÇÃO
Lícitas: Comercialização legal, algumas com restrição: o ál...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
Há registro do uso de drogas desde os tempos pré-bíblicos. O álcool,
maconha e t...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
um em cada cinco acidentes de trabalho é
provocado pelo consumo de drogas.
20 ...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
DROGAS E AMBIENTE DE TRABALHODROGAS E AMBIENTE DE TRABALHO
• Faltas, atrasos e s...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
PROGRAMA DE PREVENÇÃO AS DROGAS
OBJETIVO GERAL
Contribuir com melhorias na quali...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
• Desestimular o consumo de álcool e/ou drogas;
• Estimula...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
Indicadores: identificar causas e/ou propor melhorias.
Abuso e à Dependência de...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
FAMÍLIA E AMIGOS: parceiros importantes no
processo da entrada dos trabalhadores...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
Para o trabalhador:
• Palestras de Sensibilização: Drogas, Dependência
Química C...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
Para os familiares:
• Palestras de Sensibilização: Drogas, Dependência
Química e...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
Crianças e Adolescentes
• Palestra de Sensibilização
• Dinâmicas
• Materiais ilu...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
Para a instituição
• Capacitação para Chefias e Lideranças
• Formação de grupos ...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
As lideranças existentes em uma
instituição são parceiras importantes no
process...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
Para o pós- tratamento
• Gerenciamento de Caso
• Gerenciamento de Estresse
• Cir...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
FASES DO PROGRAMA
PERSONALIZADO
1 - Política Interna de Drogas
2 - Gestores, lid...
(11) 3699.4245www.lares.psc.br
2013©LARES
Equipe LARES
Silvia Rezende Azevedo – Psicóloga e Pedagoga - CRP 06/57937-5
Coor...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Como criar um Programa de Qualidade de Vida e Prevenção às Drogas nas Empresas

3,278 views

Published on

Palestra ministrada por Mônica Dias Santos Leite - Psicóloga - CRP 06/91797 - Coordenação do Programa Prevenção ao Uso indevido de Drogas da Clínica LARES; Pós-graduada em Dependência Química e Gestão Pública, CL/GE Terapia Cognitivo Comportamental, aplicação de Escolas Humor Beck.

Published in: Business

Como criar um Programa de Qualidade de Vida e Prevenção às Drogas nas Empresas

  1. 1. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES2012©LARES PREVENÇÃO ÀS DROGASPREVENÇÃO ÀS DROGAS QUALIDADE DE VIDAQUALIDADE DE VIDA AMBIENTE DE TRABALHOAMBIENTE DE TRABALHO Osasco * 2013Osasco * 2013
  2. 2. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES DEFINIÇÃO “O trabalho é inerente à condição humana. Por meio do trabalho o ser humano desenvolve suas potencialidades, ao mesmo tempo em que recebe e expressa solidariedade. Por isso o trabalho não deve ser tratado como simples mercadoria, devendo ser reconhecido como um direito individual e um dever social, que deve ser exercido em condições justas” A.Prazer e bem-estar: salário/renda permite aquisição de bens diversos, provimento pessoal e familiar, sentimento de utilidade e pertencimento. B.Angústia e sofrimento: condições e organização inadequadas. C.Identidade social: médico, comerciante, motorista, bancário, gari. SAÚDE MENTAL E TRABALHO (Dalmo Dallari. Direitos humanos e cidadania)
  3. 3. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES TRABALHADOR: biopsicossocial (subjetividade, linguagem, raciocínio critico, afetividade). TRABALHO: bem organizado contribui para o desenvolvimento da inteligência, criatividade, relações interpessoais. GLOBALIZAÇÃO: alterou nossa relação com o trabalho, novos modos de sofrimento psíquico (supervalorização da ação, pró-ativivismo, obrigação de ser forte, desafios permanentes, gestão da excelência). SAÚDE MENTAL E TRABALHO (Christophe Dejours, Psiquiatra e Psicanalista)
  4. 4. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES  CONDIÇÕES DE TRABALHO condições físicas, químicas e biológicas do ambiente de trabalho (temperatura, vibrações, radiações, poeiras, ruídos) afetam as condições físicas do trabalhador.  A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO divisão técnica e social (hierarquia, controle sobre o processo de trabalho, autonomia, ritmo, jornada/pausas e o controle desses por parte da empresa, relações interpessoais) afeta a saúde mental do trabalhador. (Christophe Dejours, Psiquiatra e Psicanalista) SAÚDE MENTAL E TRABALHO
  5. 5. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES OMS (1946) e CF (1988) “Saúde é o estado de completo bem estar físico, mental e social”... É a medida em que uma pessoa ou grupo é capaz, por um lado, de realizar aspirações e satisfazer necessidades e, por outro, de lidar com o meio ambiente. É um recurso para a vida diária, não o objetivo dela; abrange os recursos sociais e pessoais, bem como as capacidades físicas, é um conceito positivo. Saúde Mental engloba o bem estar subjetivo, a autonomia, a competência, a auto- eficácia, a auto-realização do potencial intelectual e emocional da pessoa. (OMS, 2001) SAÚDE MENTAL E TRABALHO
  6. 6. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES De 12% de todas as doenças de um país, 18% necessitam de algum tipo de ajuda 30% gera algum tipo de desconforto e 5 a 10% são transtornos graves, sendo que o alcoolismo já está no 3º lugar em afastamento do trabalho .  As licenças medicas para tratamento do alcoolismo sofreu aumento anual e gradativo (2006 a 2011, 69,9%, de 24.489 para 41.534). Ministério da Previdência Social, OMS, Ministério da Saúde (2001) SAÚDE MENTAL E TRABALHO
  7. 7. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES TRANSTORNOS MENTAIS QUE MAIS AFASTARAM DO TRABALHO DE 2007 A 2012, NO BRASIL (OMS, MS, PSB) 1º Transtornos do humor (Depressão, TAB). 2º Transtornos neuróticos - Ansiosos e reações ao estresse (TOC, fobias sociais, pânico, TAG, TEPT). 3º TRANSTORNO POR USO DE ÁLCOOL E3º TRANSTORNO POR USO DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS.OUTRAS DROGAS. 4º Transtornos psicóticos (esquizofrenia e psicoses). 5º Transtornos orgânicos – por lesão ou disfunção cerebral (demências, delírios, alzheimer). SAÚDE MENTAL E TRABALHO
  8. 8. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES QUALIDADE DE VIDA (OMS) a.Ocupacional: satisfação pessoal, trabalho e lazer b.Físico: nutrição, auto cuidado, não usar drogas, exercícios físicos. c.Intelectual: atividades que envolvem o uso da mente (conhecimento). d.Emocional: estado mental positivo, relações positivas, lidar c/ estresse. e.Social: relacionamento e envolvimento de amizade e familiares. f.Espiritual: busca de significado na existência, valores e crenças. g.Ambiental: recursos naturais, reciclagem, poluição
  9. 9. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO  Saúde, alimentação e abrigo,  Plano de incentivo carreira,  Respeito e Reconhecimento,  Apreciação e valor para a empresa,  Trabalho com o mínimo de desconforto físico/psíquico,  Fazer um trabalho agradável ou não tão desagradável,  Ter um salário coerente ao trabalho que faz,  Atividades coerentes as suas habilidades e competências, Formas saudáveis de se relacionar consigo e outros.
  10. 10. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES  A cultura da pressa e do descartável (excitação, euforia, ansiedade).  Cultura da felicidade artificial (consumismo, individualismo, desperdício e uso de drogas). Felicidade tem relação direta com o que se é e não com o que se tem (esperança, solidariedade, cooperação, altruísmo, valorização de si e do outro). QUALIDADE DE VIDA E TRABALHO REFLEXÃO
  11. 11. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES O termo DROGA vem do holandês antigo “droog”, que significa folha seca. Para a OMS são substâncias naturais, semi-sintéticas ou sintéticas que ao serem introduzidas em um organismo vivo tem a capacidade de alterar o seu funcionamento. O QUE SÃO...
  12. 12. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES LEGISLAÇÃOLEGISLAÇÃO Lícitas: Comercialização legal, algumas com restrição: o álcool e tabaco (venda proibida a menores de 18 anos) e medicamentos vendam com prescrição médica. Ilícitas: Proibidas por lei. ORIGEM (Naturais, Semissintéticas, Sintéticas)ORIGEM (Naturais, Semissintéticas, Sintéticas) N:N: Plantas (Cannabis sativa, Tabaco, Erythroxilon coca)Plantas (Cannabis sativa, Tabaco, Erythroxilon coca) SS:SS: Plantas com processamentos (maconha, cigarro, cocaína)Plantas com processamentos (maconha, cigarro, cocaína) S:S: Produzidas em LProduzidas em Laboratórios (LSD , Ecstasy).aboratórios (LSD , Ecstasy). EFEITO no SNCEFEITO no SNC ((Estimulantes, Depressoras e Perturbadoras)Estimulantes, Depressoras e Perturbadoras) O QUE SÃO DROGAS?
  13. 13. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES Há registro do uso de drogas desde os tempos pré-bíblicos. O álcool, maconha e tabaco são drogas usadas desde antigas civilizações (medicinal, alimento ou religiosos-rituais. DROGAS DEPRESSORAS EFEITOS: Sonolência, Relaxamento Muscular,  Ansiedade,  Alerta,  Memória,  Aprendizagem,  Coordenação motora. DROGAS: Álcool, BZD (tranqüilizantes, ansiolíticos, hipnóticos), Solventes (cola, tiner, gasolina), Analgésicos (codeína,morfina, heroína). DROGAS ESTIMULANTES EFEITOS: Agitação, Excitação, Insônia,  Fome, Taquicardia, PA. DROGAS: Anfetaminas (ecstasy, rebites, moderador de apetite) Cocaína (pedra, pasta, pó), Nicotina (cigarro, charuto), Cafeína (café, chocolate, energéticos), Esteroides e Anabolizantes. DROGAS PERTUBADORAS EFEITOS: Delírios (grandeza ou persecutórios), Alucinação (visual ou táteis),  Tempo e Espaço. DROGAS: Maconha, LSD, Ecstasy, Cogumelo, Ayahuasca.
  14. 14. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES um em cada cinco acidentes de trabalho é provocado pelo consumo de drogas. 20 a 25% dos acidentes de trabalho envolvem pessoas sob efeito do álcool. Somente o consumo de bebidas alcoólicas é responsável por 50% do absenteísmo - terceira causa de faltas ao trabalho, e licenças médicas do brasileiro - três vezes mais que outras doenças, sendo por isso gerador da redução da capacidade produtiva em até 67%. DROGASDROGAS E AMBIENTE DE TRABALHOE AMBIENTE DE TRABALHO Organização Internacional do Trabalho (OIT) Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (A FIESP)
  15. 15. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES DROGAS E AMBIENTE DE TRABALHODROGAS E AMBIENTE DE TRABALHO • Faltas, atrasos e saídas. • Aumento da rotatividade (afastamentos e licenças). • Problemas disciplinares. • Baixa produtividade. • Conflito interpessoal com colegas e lideranças. PROGRAMA DE PREVENÇÃO AS DROGAS
  16. 16. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES PROGRAMA DE PREVENÇÃO AS DROGAS OBJETIVO GERAL Contribuir com melhorias na qualidade de produtos e serviços, intervindo nos níveis de saúde e segurança do trabalhador e principalmente na diminuição dos prejuízos decorrentes do uso e abuso de álcool, tabaco e outras drogas.
  17. 17. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES OBJETIVOS ESPECÍFICOS • Desestimular o consumo de álcool e/ou drogas; • Estimular a procura espontânea por ajuda; • Identificar o usuário e oferecer tratamento adequado; • Ações de apoio e valorização dos colaboradores; • Redução de faltas, atrasos e demissões; • Redução do índice de acidentes de trabalho; • Melhoria de produtividade e qualidade do ambiente de trabalho. 2012©LARES PROGRAMA DE PREVENÇÃO AS DROGAS
  18. 18. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES Indicadores: identificar causas e/ou propor melhorias. Abuso e à Dependência de Drogas • Absenteísmo (ausência no trabalho) • Produtividade e qualidade no trabalho • Alterações no estilo de vida • Alta freqüência de acidentes no trabalho • Relações interpessoais e emocionais conflituosas • Comprometimentos Financeiros • Conflitos Familiares • Problemas Educacionais e/ou Acadêmicos • Problemas Médicos – Clínicos • Problemas de Ordem Legal / Judicial 2012©LARES PROGRAMA DE PREVENÇÃO AS DROGAS
  19. 19. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES FAMÍLIA E AMIGOS: parceiros importantes no processo da entrada dos trabalhadores no programa, além de encaminhar os casos, complementam a história clínica e podem apoiar na continuidade do tratamento. CODEPENDÊNCIA: Famílias e amigos podem ficar adoecidos físico, social e emocionalmente. Desenvolver um conjunto de sinais e sintomas pelo excesso de cuidado com o dependente químico, chega negar a sua própria existência em função da vida do outro. 2012©LARES PROGRAMA DE PREVENÇÃO AS DROGAS
  20. 20. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES Para o trabalhador: • Palestras de Sensibilização: Drogas, Dependência Química Codependência, Tratamento, Qualidade de Vida, Estresse, Ansiedade e Depressão. • Entrevistas de Triagem / Avaliação do Padrão de Uso: Experimental, Recreativo e Problemático (Abuso e Dependência) • Aconselhamento em Dependência Química. • Psicoterapia Individual e em grupo. • Construção do Projeto de Vida. PROGRAMA DE PREVENÇÃO AS DROGAS
  21. 21. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES Para os familiares: • Palestras de Sensibilização: Drogas, Dependência Química e Codependência, Tratamento, Qualidade de Vida, Estresse, Ansiedade e Depressão. • Aconselhamento em Dependência Química. • Grupo de Apoio a Família dos Dependentes. • Psicoterapia Individual e em grupo. PROGRAMA DE PREVENÇÃO AS DROGAS
  22. 22. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES Crianças e Adolescentes • Palestra de Sensibilização • Dinâmicas • Materiais ilustrativos PROGRAMA DE PREVENÇÃO AS DROGAS
  23. 23. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES Para a instituição • Capacitação para Chefias e Lideranças • Formação de grupos de multiplicadores e de apoio. • Oficinas • Parcerias com Rede de Apoio: Grupos de Mutua- Ajuda, Clinicas de Internação e Comunidades Terapêuticas. • Gerenciamento de Estresse. • Circuito ZEN da Clínica Lares. PROGRAMA DE PREVENÇÃO AS DROGAS
  24. 24. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES As lideranças existentes em uma instituição são parceiras importantes no processo de identificação, pré- orientação e encaminhamento de casos de uso abusivo de drogas e dependência química. São as pessoas chaves na administração das resistências em relação à participação de uma programa de tratamento. PROGRAMA DE PREVENÇÃO AS DROGAS
  25. 25. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES Para o pós- tratamento • Gerenciamento de Caso • Gerenciamento de Estresse • Circuito ZEN - Clínica Lares PROGRAMA DE PREVENÇÃO AS DROGAS
  26. 26. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES FASES DO PROGRAMA PERSONALIZADO 1 - Política Interna de Drogas 2 - Gestores, lideres e assemelhados 3 - Sensibilização na Instituição 4 - Diagnóstico/Triagem 5 - Encaminhar para o Pré-Tratamento 6 - Encaminhar para o Tratamento 7 - Pós Tratamento PROGRAMA DE PREVENÇÃO AS DROGAS
  27. 27. (11) 3699.4245www.lares.psc.br 2013©LARES Equipe LARES Silvia Rezende Azevedo – Psicóloga e Pedagoga - CRP 06/57937-5 Coordenadora Técnica da Clinica LARES, Cursos e aprimoramentos em Dependência Química e Co-dependência. Mônica Dias Santos Leite – Psicóloga - CRP 06/91797 Coordenadora do Programa de Qualidade de Vida e Prevenção ao Uso indevido de Drogas, Pós Dependência Química, Gestão Pública, Terapia Cognitivo Comportamental. Marcia Bulbow Furlan – Psicóloga - CRP 06/50291-9 Coordenadora do Programa de Qualidade de Vida e Gerenciamento do Estresse, Especialização em Psicopedagogia, Coaching & Mentoring, Pós- graduanda em Psicoterapia de Casal e Família, Consultora em Recursos Humanos PROGRAMA DE PREVENÇÃO AS DROGAS

×