Teoria e Prática Científica - Antônio Severino

6,184 views

Published on

Trabalho realizado para a disciplina de Introdução à Pesquisa Científica pela Universidade Federal de São Carlos pela aluna Klicia Mendonça, graduanda de Biblioteconomia e Ciência da Informação

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
6,184
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
145
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Teoria e Prática Científica - Antônio Severino

  1. 1. INTRODUÇÃO À PESQUISA CIENTÍFICA<br />Apresentação de slides sobre o Capítulo III do livro Metodologia do Trabalho Científico, de Antônio Joaquim Severino.<br />Klicia Silva Mendonça<br />São Carlos, 2011<br />1<br />
  2. 2. A Ciência<br />“A Ciência se faz quando o pesquisador aborda os fenômenos aplicando recursos técnicos, seguindo um método e apoiando-se em fundamentos epistemológicos” (SEVERINO, 2007)<br />2<br />
  3. 3. Método Científico<br />A Ciência precisa do método científico porque é o que a diferencia do senso comum e das demais formas de expressão da subjetividade humana.<br />Considera-se como Método Científico, o conjunto de procedimentos e técnicas operacionais, realizados de forma lógica, e que podem revelar as relações causais entre os fenômenos.<br />O método científico se dividem em dois momentos: o Momento Experimental e o Momento Matemático.<br />3<br />
  4. 4. Método Experimental<br />Fase indutiva: processo de generalização<br />O cientista<br />Observa os fatos<br />Formula uma hipótese, ou seja, explica o fato propondo uma relação causal.<br />Verifica experimentalmente: Se confirmada a hipótese, tem-se, então, uma lei<br />4<br />
  5. 5. 5<br />
  6. 6. Método Matemático<br />Fase dedutiva: passagem do universal para o particular<br />O cientista<br />Formula hipóteses mais gerais<br />Verifica de maneira dedutiva: Se confirmada a hipótese, tem-se, então, uma teoria<br />Formula uma hipótese universal<br />Verifica de maneira dedutiva: Se confirmada a hipótese universal , tem-se, então, um sistema<br />6<br />
  7. 7. Formulação<br /><ul><li>Hipótese mais geral
  8. 8. Teoria
  9. 9. Hipótese universal
  10. 10. Sistema</li></ul>Verificação dedutiva<br />Verificação dedutiva<br />7<br />
  11. 11. Graças ao seu Método Científico, à sua técnica e sua eficácia operatória, a Ciência se legitima como um conhecimento válido, universal e verdadeiro.<br />8<br />
  12. 12. Paradigmas Epistemológicos<br />O pressuposto epistemológico refere-se à forma pela qual é concebida a relação sujeito/objeto de conhecimento.<br />Cada modalidade de conhecimento pressupõe um tipo de relação entre sujeito e objeto.<br />9<br />
  13. 13. As Ciências Humanas<br />“Depois de conhecer o mundo físico mediante a aplicação da metodologia experimental-matemática, a ciência se propôs a conhecer o mundo humano, seguindo o mesmo caminho...” (SEVERINO, 2007)<br />10<br />
  14. 14. A Ciência, até o momento, é tida como o único conhecimento verdadeiro e o Método Científico passa a ser visto como a única forma de se alcançar a verdade.<br />Nesse contexto de unicidade metodológica, forma-se, então, a proposta de se criar o sistema das Ciências Humanas.<br />11<br />
  15. 15. Com o desenvolvimento dos estudos sobre os diferentes aspectos da fenomenalidade humana, foi-se percebendo que não prevalecia um paradigma epistemológico único.<br />Existiam diversas possibilidades de como se conceber a relação sujeito/objeto, com resultados igualmente satisfatórios.<br />Pluralismo Epistemológico.<br />12<br />
  16. 16. Foi preciso enriquecer e aprimorar a forma de se fazer ciência, sem abandonar a forma existente.<br />As pesquisas em Ciências Humanas passam a ser feitas sob referências teórico-metodológicas diferentes daquelas usadas até então. <br />13<br />
  17. 17. Funcionalismo<br />O funcionalismo apoia-se no pressuposto da analogia que aproxima as relações existentes entre os diversos órgãos de um organismo biológico e aquelas existentes entre as formas de organização social e cultural.<br />As Ciências Humanas deveriam identificar objetivamente essas relações funcionais, descrevendo seus processos e explicitando suas articulações no interior da sociedade.<br />14<br />
  18. 18. Estruturalismo<br />Para o Estruturalismo, todo sistema constitui um jogo de oposições, de presenças e ausências, formando uma estrutura e gerando uma interdependência entre as partes, de tal forma que as alterações em um elemento atingem todo o conjunto.<br />15<br />
  19. 19. Fenomenologia<br />A Fenomenologia parte do princípio de que todo conhecimento fatual (aquele das ciências fáticas ou positivas) funda-se num conhecimento originário (o das ciências eidéticas) de natureza intuitiva, viabilizando pela condição intencional de nossa consciência subjetiva.<br />16<br />
  20. 20. Hermenêutica<br />A Hermenêutica pressupõe que toda a realidade da existência humana se expressa sob uma dimensão simbólica.<br />Baseia-se em subsídios epistemológicos fornecidos pela Psicanálise, pela Dialética e pelo Estruturalismo.<br />17<br />
  21. 21. Arqueogenealogia<br />A Arqueogenealogia propõe ampliar os espaços da subjetividade.<br />Trata-se de resgatar outras dimensões da vivência humana como o sentimento, a paixão, a vitalidade, as energias instintivas.<br />18<br />
  22. 22. Referência<br />SEVERINO, J. A. Teoria e prática científica. In: ________Metodologia do trabalho científico. São Paulo, Cortez, 2007.<br />19<br />
  23. 23. Obrigada<br />Klicia Silva Mendonça<br />Email: klicia_mendonca@hotmail.com<br />RA: 404969<br />20<br />

×