Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
1
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC
CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E DA EDUCAÇÃO – FAED
PLANO DE ENSINO
DEPARTA...
2
4 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
1 Fundamentos para o planejamento da pesquisa em educação
O projeto de pesquisa: Delimitando tem...
3
SEMINÁRIO FINAL DA
DISCIPLINA (SOCIALIZAÇÃO
DOS PROJETOS DE PESQUISA E
PRÁTICA PEDAGÓGICA)
a) clareza e coerência na apr...
4
PEREIRA, A. M. et. al. Manual para elaboração de trabalhos acadêmicos da UDESC: teses, dissertações,
monografias e TCCs....
5
18 SEMANA DE PEDAGOGIA (participar das atividades no horário da aula, fazer um
registro por escrito e enviar através de ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Pesquisa e pratica_pedagogica_em_educacao_iii

408 views

Published on

texto

Published in: Education
  • Hi there! Get Your Professional Job-Winning Resume Here - Check our website! http://bit.ly/resumpro
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Be the first to like this

Pesquisa e pratica_pedagogica_em_educacao_iii

  1. 1. 1 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E DA EDUCAÇÃO – FAED PLANO DE ENSINO DEPARTAMENTO: Pedagogia ANO/SEMESTRE: 2012/2 CURSO: Pedagogia FASE: 5ª DISCIPLINA: Pesquisa e Prática Pedagógica em Educação III TURNO: Matutino CARGA HORÁRIA: 105 h/a CRÉDITOS: 07 PROFESSORAS: Arlete de Costa Pereira (arlecosta@uol.com.br ); Jilvania Lima dos Santos Bazzo (jilvaniabazzo@gmail.com); Rosicler Schafaschek (rosicler.schafa@unisul.br) 1 EMENTA Inserção na realidade educacional formal e não formal. Fundamentos para o planejamento da pesquisa em educação. 2 HORÁRIO DAS AULAS DIA DA SEMANA HORÁRIO CRÉDITOS Terça-feira 7h30 às 11h50 05 Sábado 7h30 às 9h10 02 3 OBJETIVOS 3.1 OBJETIVO GERAL Conhecer a realidade de instituições de educação nos diferentes níveis de ensino, construindo um projeto de pesquisa e prática pedagógica que articule demandas da formação de pedagogos e pedagogas e das unidades escolares (campos de estágio). 3.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS 1. Discutir a relação pesquisa e prática pedagógica, suas implicações políticas e perspectivas para a formação e a prática docente; 2. Identificar os fundamentos teórico-metodológicos da Pesquisa e Prática Pedagógica com vistas à construção e execução de um projeto de pesquisa e/ou docência; 3. Interpretar a realidade educacional formal e não formal em diferentes instituições de ensino; 4. Elaborar projeto de pesquisa e/ou projeto de trabalho/intervenção, articulando as demandas da instituição e as da formação. 5. Interpretar o conceito de infância, refletindo sobre a organização dos tempos, espaços e saberes nos contextos de educação infantil e anos iniciais. 6. Discutir a organização do Ensino fundamental de nove anos (Histórico, Legislação, Possibilidades e Desafios). 7. Explicar o processo de trabalho de especialistas na função da Orientação Educacional e da Supervisão Escolar, articulado as mudanças de perfil dos especialistas no contexto educacional no estado de Santa Catarina. 8. Compreender o processo de educação de jovens e adultos. 9. Elaborar um projeto de pesquisa e/ou docência.
  2. 2. 2 4 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1 Fundamentos para o planejamento da pesquisa em educação O projeto de pesquisa: Delimitando tema, objeto, questões Métodos, procedimentos de pesquisa e produção de conhecimento Perspectivas metodológicas na produção de conhecimento em educação A relação pesquisa, formação e prática docente O campo de estágio: Configurações e demandas 2 Inserção na realidade educacional formal e não formal A nova configuração da educação brasileira: o ensino de nove anos e sua organização A infância: revisitando conceitos A educação infantil Ensino fundamental – anos iniciais EJA – Educação de jovens e adultos Orientação educacional e supervisão escolar: Um novo perfil 5 METODOLOGIA A disciplina será desenvolvida mediante aulas expositivas-dialogadas com uso de data-show; leituras orientadas e dirigidas: discussão coletiva de textos previamente indicados; atividades individuais, em duplas e pequenos grupos; debates sobre as observações realizadas nos campos de estágio; produções textuais; elaboração de diferentes tipos de trabalhos acadêmicos. 6 CRONOGRAMA DAS AULAS MÊS DIAS JULHO 24, 28, 31 AGOSTO 04, 07, 14, 18, 21, 28 SETEMBRO 04, 11, 15, 18, 25 OUTUBRO 02, 09, 16, 23, 27, 30 NOVEMBRO 06, 13, 20, 27 * As aulas aos sábados serão concentradas em 02 horas/aula cada destinadas às orientações individuais/grupo. 7 AVALIAÇÃO ATIVIDADE CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PESO PRODUÇÃO TEXTUAL (Estudos dirigidos, registros de campo e outros trabalhos produzidos em sala de aula ao longo do curso) OBSERVAÇÃO A participação como ouvinte no Seminário de Estágio da FAED com relato escrito sobre o evento poderá se constituir como mais um instrumento de avaliação. a) Capacidade de apreensão das ideias principais dos textos e dos argumentos que as sustentam/ elucidam; b) capacidade de registro, análise e reflexão crítica; c) participação efetiva nas produções realizadas em sala de aula ao longo do curso; d) atendimento às normas da ABNT; e) respeito ao prazo de entrega dos trabalhos solicitados. 10 ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA Clareza na produção do projeto, contemplando: temática pertinente às demandas de formação de pedagogos e das instituições campo; objetivos; fundamentação teórica; procedimentos metodológicos... 10
  3. 3. 3 SEMINÁRIO FINAL DA DISCIPLINA (SOCIALIZAÇÃO DOS PROJETOS DE PESQUISA E PRÁTICA PEDAGÓGICA) a) clareza e coerência na apresentação; b) domínio do conhecimento na exposição; c) envolvimento do grupo durante a exposição; d) utilização didática de recursos audiovisuais; e) relação teoria-prática, crítica da realidade; f) compreensão da mensagem central do texto; g) interpretação do conteúdo; h) comunicação oral coerente com os princípios da norma culta articulada à organização acadêmico/científica. 10 8 BIBLIOGRAFIA 1 BÁSICA ANDRÉ, M. (Org.). O papel da Pesquisa na Formação e na Prática dos Professores. Campinas, SP: Papirus, 2001. AZEVEDO, J. G.; ALVES, N. G. Formação de professores: possibilidades do imprevisível. Rio de Janeiro: Vozes, 2004. DEMO, P. Educar pela Pesquisa. Campinas, SP: Autores Associados. 6ª ed. 2003. DMITRUK, H. B. (Org). Cadernos metodológicos: diretrizes do trabalho científico. Chapecó: Argos, 2012. FARIA, A. L. G. et all (Orgs). Por uma cultura da infância: metodologias de pesquisa com crianças. SP: Autores Associados, 2002. FAZENDA, I. (Org.). Novos Enfoques da pesquisa educacional. 5ª ed.. São Paulo: Cortez, 2004. LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em Educação: Abordagens qualitativas. São Paulo: EPU. 2007. MEKSENAS, P. Pesquisa Social e Ação Pedagógica: conceitos, métodos e práticas. São Paulo: Edições Loyola, 2002. MINAYO, M.C. de S. (Org). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: RJ: Vozes, 1994. TURA, M. L. R. A observação do cotidiano escolar. In: ZAGO, N.;CARVALHO, M.P.; VILELA, R.A.T. (Orgs.) Itinerários de pesquisa. Perspectivas qualitativas na Sociologia da Educação. Rio de Janeiro, DP&A, 2003, p.183-205. 2 COMPLEMENTAR ARROYO, M. G. O Significado da Infância. In: Anais do I Simpósio Nacional de Educação Infantil. Brasília: MEC, p.88-92, 1994. AZANHA, J. M. P. Uma idéia de Pesquisa Educacional. São Paulo: Edusp, 1992. AZEVEDO, I. B. O prazer da produção científica para a elaboração de trabalhos acadêmicos. 11ª ed. rev. e atual. São Paulo: Hagnos, 2001. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Ensino Fundamental de nove anos. Orientações para a inclusão da criança de seis anos de idade. Brasília: MEC, 2007. 2ª edição. CADERNOS PEDAGÓGICOS 10. O especialista em educação na perspectiva da escola cidadã. Prefeitura Municipal de Porto Alegre, 1996. FAZENDA, I. (Org.) Metodologia de Pesquisa Educacional. São Paulo: Cortez, 2001 (pp 137-143). GRINSPUN, M. P. S. Z. (org.) Supervisão e orientação educacional – perspectivas de interação na escola. São Paulo: Cortez, 2003. GUEDES-PINTO, A. L. Memorial de Formação: registro de um percurso. Disponível em: http://www.fe.unicamp.br/ensino/graduacao/downloads/proesf-AnaGuedes.pdf LAKATOS, E. M. Metodologia do trabalho Científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2001. LAVILLE, C.; DIONE, J.A. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. POA: Artes Médicas Sul Ltda: Belo Horizonte., 1999. LUNA, S. V. Planejamento de Pesquisa: uma introdução. São Paulo: EDUC, 1996. MARQUES, M. O. Escrever é preciso: o princípio da pesquisa. Ijuí: Unijuí, 1997. OLIVEIRA, I. B. Aprendendo nos/dos/com os cotidianos a ver/ler/ouvir/sentir o mundo, Educação e Sociedade, Campinas, vol. 28, n.98, p. 47-72, jan./abr. 2007. PERRENOUD, P.; PAQUAY, L.; ALTET, M.; CHARLIE, E. Formando professores profissionais: Quais estratégias, quais competências. Porto Alegre: Artes Medicas, 2001.
  4. 4. 4 PEREIRA, A. M. et. al. Manual para elaboração de trabalhos acadêmicos da UDESC: teses, dissertações, monografias e TCCs. Florianópolis, 2006. Disponível em: http://www.bu.udesc.br. Acesso em 24/07/2008. PIMENTA. S. G.; LIMA, M. S. Estágio e Docência. São Paulo: Cortez, 2004. PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. (Orgs.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002. RAUPP, M. D. Considerações sobre a formação das educadoras de Infância em Portugal e das Professoras de Educação Infantil no Brasil. In: Concepções de Formação das Educadoras de Infância em Portugal e das Professoras de Educação Infantil no Brasil: o discurso dos intelectuais. Tese de Doutorado. Florianópolis: PPGE/UFSC, 2008, p. 64-112. RICHARDSON, R.J. Pesquisa Social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1989. SANTA CATARINA. Secretaria de Estado da Educação. Ensino Fundamental de Nove Anos na Rede Publica Estadual de Santa Catarina. Disponível em: http://www.sed.sc.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=294&Itemid=1 SANTA CATARINA. Secretaria de Estado da Educação. Proposta Curricular. Florianópolis, 1998. SANTA CATARINA. Secretaria de Estado de Educação, Ciência e Tecnologia. Proposta Curricular de Santa Catarina: Estudos Temáticos. Florianópolis: IOESC, 2005. SANTOS, L. L. C. P.; VIEIRA, L. M. F. “AGORA SEU FILHO ENTRA MAIS CEDO NA ESCOLA”: a criança de seis anos no ensino fundamental de nove anos em Minas Gerais. Educ. Soc., Campinas, vol. 27, n. 96 - Especial, p. 775-796, out. 2006. Disponível em http://www.cedes.unicamp.br. SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. 21 ed. São Paulo: Cortez, 2000. SZYMANSKI, H. (org.). A entrevista na pesquisa em educação: a prática reflexiva. Brasília: Plano Editora, 2002. TONUCCI, F. Quando as crianças dizem: agora chega! Tradução Alba Olmi, Porto Alegre: Artmed, 2005. VIANNA, H. M. Pesquisa em educação: a observação. Brasília: Plano Editora, 2003. Série Pesquisa em Educação, v.5. OBSERVAÇÃO: outras leituras poderão ser sugeridas ao longo do semestre de acordo aos projetos de pesquisa e prática pedagógica a serem desenvolvidos, necessidades e/ou interesse do grupo. UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E DA EDUCAÇÃO – FAED CRONOGRAMA PRELIMINAR DAS ATIVIDADES Pesquisa e Prática Pedagógica em Educação Arlete de Costa Pereira (arlecosta@uol.com.br ) Jilvania Lima dos Santos Bazzo (jilvaniabazzo@gmail.com) Rosicler Schafaschek (rosicler.schafa@unisul.br) EMENTA Inserção na realidade educacional formal e não formal. Fundamentos para o planejamento da pesquisa em educação. MÊS Dia Temática / Atividade Julho 1. Fundamentos para o planejamento da pesquisa em educação 24 Apresentação do Plano de Ensino Reflexões sobre a articulação entre Pesquisa e Educação Produção em grupo: dinâmica de apresentação e produção textual (levantamento de ideia-central e argumentos que a sustentam) 31 Planejamento das atividades gerais do semestre O projeto de pesquisa: Delimitando tema, objeto, questões Agosto 07 O projeto de pesquisa (continuidade das discussões e produções) 14 Métodos, procedimentos de pesquisa e produção de conhecimento 21 Perspectivas metodológicas na produção de conhecimento em educação 28 A relação pesquisa, formação e prática docente Setembro 04 - O campo de estágio: Configurações e demandas - Sistematização e socialização das temáticas de pesquisa pelos grupos 2. Inserção na realidade educacional formal e não formal (articulada ao tópico 1) 11 Ida ao Campo de estágio (a entrega do 1º registro escrito sobre o estágio será em 15 de setembro – vide planejamento dos sábados letivos)
  5. 5. 5 18 SEMANA DE PEDAGOGIA (participar das atividades no horário da aula, fazer um registro por escrito e enviar através de correio eletrônico para as professoras) 25 Ida ao Campo de estágio Outubro 02 Ida ao Campo de estágio (e entrega do 2º registro escrito sobre o estágio) 09 Ida ao Campo de estágio (e entrega do 3º registro escrito sobre o estágio) 16 Ida ao Campo de estágio (e entrega do 4º registro escrito sobre o estágio) 23 Entrega do 5º registro escrito sobre o estágio Sistematização dos “dados”/informações para o desenvolvimento da pesquisa 30 Orientação individual/grupo Novembro 06 Apresentação e entrega dos Projetos de Pesquisa e Prática Pedagógica 13 Apresentação e entrega dos Projetos de Pesquisa e Prática Pedagógica 20 Apresentação e entrega dos Projetos de Pesquisa e Prática Pedagógica 27 Seminário de Estágio da FAED 30 Seminário de Estágio da FAED e Avaliação Final da disciplina Dezembro Término do período letivo OBSERVAÇÕES: O tópico 2 – Inserção na realidade educacional formal e não formal) – será desenvolvido de acordo com o nível/modalidade de ensino da Educação Básica escolhido(a) pelos grupos. São três instrumentos de avaliação: (1) Produção de textos construídos durante o curso: cinco registros de campo, três estudos dirigidos e trabalhos diversos produzidos ao longo do semestre em sala de aula, incluindo relato da “Semana de Pedagogia”; (2) Projeto de pesquisa escrito (versão preliminar e final); e (3) Seminário para apresentação oral do referido projeto. TODOS com peso 10. A participação como ouvinte no Seminário de Estágio da FAED com relato escrito sobre o evento poderá se constituir como instrumento de avaliação. SÁBADOS MÊS ATIVIDADES JULHO 28 – Estudo dirigido/ produção a ser enviada via correio eletrônico para Profa. Jilvania Bazzo AGOSTO 04 – Estudo dirigido/ produção a ser enviada via correio eletrônico para Profa. Rosicler Schafaschek 18 - Estudo dirigido/ produção a ser enviada via correio eletrônico para Profa. Arlete de Costa Pereira SETEMBRO 15 – 1º Registro de campo/ produção a ser enviada via correio eletrônico para a professora orientadora (ainda a definir) OUTUBRO 20 – Projeto de pesquisa / produção a ser enviada via correio eletrônico para a professora orientadora (ainda a definir)

×