Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Mulheres no mundo muçulmano

34,045 views

Published on

  • Be the first to comment

Mulheres no mundo muçulmano

  1. 1. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmano Escola Cooperativa de Vale S. Cosme Situação das mulheres no Mundo Muçulmano Trabalho da disciplina de: Economia C Realizado por: Fátima Sousa, 5297 Orientador: Professor Francisco Carvalho Vale S. Cosme Junho 2012Fátima Sousa Página 1
  2. 2. Situação das Mulheres no Mundo MuçulmanoÍndiceIntrodução ........................................................................................................................ 3Direitos Humanos ............................................................................................................. 4A mulher ........................................................................................................................... 5 2.1 Direitos das Mulheres ............................................................................................. 6 O que são os Direitos das Mulheres.......................................................................... 6 Como surgiram os Direitos das Mulheres ................................................................. 6 Quais são os Direitos das Mulheres .......................................................................... 7 O papel da Mulher na sociedade .............................................................................. 8 Emancipação das mulheres em Portugal e a sua atual situação .............................. 9 Diferenças entre homens & mulheres .................................................................... 10Mundo muçulmano ........................................................................................................ 11 3.1 A mulher no mundo muçulmano .......................................................................... 11 A opressão da mulher é maior no mundo árabe, porquê? ..................................... 12 Curiosidades ................................................................................................................ 17 3.2 Comparação entre a mulher portuguesa e a mulher afegã ................................. 17 -Mulher portuguesa ................................................................................................ 17 -Mulher afegã .......................................................................................................... 21Conclusão........................................................................................................................ 23Webgrafia ....................................................................................................................... 25Fátima Sousa Página 2
  3. 3. Situação das Mulheres no Mundo MuçulmanoIntrodução A temática deste trabalho foi sugerida pelo Professor Francisco Carvalho com ointuito de nos mostrar as várias facetas que os Direitos Humanos podem ter. Assim, eucom este trabalho individual pretendo para além de ter boa nota paraconsequentemente subir a minha nota final a Economia, aprender um pouco maissobre este tema. Um tema que é muito importante para a Humanidade e com asituação que o mundo atravessa é um tema que levanta sempre várias questões. Este trabalho vai-se basear fundamentalmente nos direitos que as mulheresmuçulmanas têm e que apesar disso, ainda continuam a não ter um papel ativo nasociedade. No entanto, irei abordar de uma forma geral o que são os DireitosHumanos e mais tarde os Direitos das Mulheres. Os direitos humanos são os direitos e liberdades básicos de todos os sereshumanos e surgiram em 1789 e a partir daí já existiram três gerações: a 1ª geraçãorecai sobre os direitos individuais, civis e políticos; a 2ª geração abrange os direitoseconómicos, sociais e culturais e por fim a 3ª geração fala dos direitos coletivos. Anos mais tarde, em 1975, as mulheres americanas organizaram umamanifestação para reivindicar os seus direitos e como o golpe foi bem-sucedido, umpouco por todo o mundo, as mulheres ganharam força e coragem para dar voz aosseus direitos. Assim o termo Direito das Mulheres refere-se à liberdade inerente ereclamada pelas mulheres de todas as idades e classes sem preconceito ediscriminação. Porém as mulheres ocupam uma posição de inferioridade na sociedademuçulmana, que ainda continua a subjugar as mulheres!Fátima Sousa Página 3
  4. 4. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmano 1. Direitos Humanos Os Direitos Humanos são os direitos básicos de todos os seres humanos. O conceito de Direitos Humanos apresenta a ideia de liberdade de pensamento,de expressão, e de igualdade perante a lei. Estes são Direitos que todas as pessoas têmdevido á sua condição humana, de forma a viverem em liberdade e dignidade. Eles são um direito inato, ou seja, nasce com a pessoa. Os Direitos Humanos servem para eliminar todo o tipo de discriminação, proteger a vida e a integridade física, assegurar condições mínimas de vida e garantir o exercício dos direitos e das liberdades individuais. A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão nasceu em França em 1789, mas só maistarde, a 10 de Dezembro de 1948, a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou aDeclaração Universal dos Direitos Humanos, que apresenta 30 direitos referentes aoHomem. No entanto, esta Declaração foi passando por várias etapas desde o Cilindro deGiro em 539 a.C., Magna Carta em 1215, Habeas Corpus em 1679, Declaração deDireitos da Virgínia em 1776, Declaração dos Direitos do Homem e do cidadão em1789 e por fim a Declaração Universal dos Direitos do Homem em 1948. Ao longo da história, os Direitos Humanos foram sofrendo uma evolução,passando por diferentes gerações de direitos, como: -1ª Geração de direitos humanos: surgiu no século XV||| e começou com osdireitos individuais, civis e políticos. Como por exemplo: direito de voto, liberdade deexpressão, de reunião, de manifestaçãoFátima Sousa Página 4
  5. 5. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmano -2ª Geração de direitos humanos: surgiu no século X|X e XX e passou aabranger os direitos económicos, sociais e culturais. Como por exemplo: direito ágreve, á segurança social, á educação e ao trabalho. -3ª Geração de direitos humanos: surgiu no século XX e englobou os direitos coletivos. Como por exemplo: direito ao desemprego, á paz, ao desenvolvimento, á qualidade do ambiente, ao usufruto do património da humanidade. Os Direitos Humanos também apresentam algumas características de entre as quais: -Universal: pertencem a todas as pessoas, qualquer que seja a sua condiçãosocial, género, etnia, religião ou nacionalidade. -Interdependente: os direitos humanos estão inter-relacionados -Indivisíveis: todos os direitos humanos são igualmente importantes enecessários não se podendo hierarquizar. - Inalienáveis: não podem ser cedidos ou retirados a ninguém. Deste modo, os Direitos Humanos são algo inatos e que cada pessoa tem odireito de não ser privado desses mesmos direitos. 2. A mulher A mulher não era considerada na sociedade, ou seja, não era tratada por igual,era considerada meramente um objeto. Alguns homens matavam as filhas para nãoterem despesas com o casamento. Na Arábia enterravam-se mulheres vivas comoforma de punição; noutras partes do mundo queimavam mulheres vivas que tinhamficado sem o marido e noutras. Em alguns sítios a mulher era completamenteFátima Sousa Página 5
  6. 6. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmanodependente dos homens, se casasse passava a ser propriedade do marido e em antesde casar era dependente do pai ou de um irmão. A mulher não podia exercer nenhuma função pública ou civil, não podia adotarnem ser adotada e nem podia fazer testamento ou contrato. Os homens casavamquando queriam, divorciavam-se delasquando lhes apeteciam e casavam com onúmero de mulheres que desejavam. Só em 1870 a situação começou amelhorar para o sexo feminino. Mas até hojea mulher no oriente, continua a lutar pelosseus direitos. Atualmente, as reivindicações e movimentos pela garantia dos direitos damulher são assuntos prioritários nas sociedades que lutam contra a injustiça damulher, que faz com que a mulher se sinta aprisionada e injustiçada. Não é dado ámulher o devido valor que ela tem, mesmo sendo ela o alicerce da família, dasociedade e do mundo! 2.1 Direitos das Mulheres O que são os Direitos das Mulheres O termo Direitos das Mulheres refere-se à liberdade inerente e reclamada pelasmulheres de todas as idades. Por vezes esses direitos são ignorados ou ilegalmentesuprimidos por leis ou por costumes de uma sociedade em particular. Como surgiram os Direitos das Mulheres Os Direitos das Mulheres surgiram juntamente com o Dia Internacional daMulher. Em 23 de Fevereiro de 1917 pelo calendário Juliano, que coincidentementeFátima Sousa Página 6
  7. 7. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmanocaiu em 8 de Março pelo calendário gregoriano, o czar russo Nicolau II foi obrigado adeixar o governo e garantir o direito ao voto das mulheres. Somente em 1975, 64 anosdepois da convenção socialista, as Nações Unidas resolveram adotar a data comooficial para celebrar o Dia Internacional da Mulher, que é comemorado por causa deuma manifestação de operárias em Nova Iorque, no ano de 1857. Sendo também umsímbolo de luta revolucionária que se transformou numa jornada mundial de ação dasmulheres pelos seus direitos próprios, contra todas as formas de discriminação. Se considerarmos o desempenho das conquistas europeias, observamos que asfrancesas, ao contrário do que se pensa, foram tardias. Enquanto as britânicas e asalemãs obtiveram o direito ao voto em 1918, pois conquistaram-no por influência daSegunda Guerra Mundial, que possibilitoutambém a criação do exército feminino (contoucom 430 mulheres encaixadas nas ForçasFrancesas Livres, somado a um número muitomaior de voluntárias). As espanholas, por causada vitória da esquerda, conquistaram o direitoao voto em 1931. Entre as mulheres pioneiras em vitórias alcançadas, é relevante ressaltar aalemã Emmy Noether, inventora da álgebra moderna e do “teorema de Noether”, queconseguiu ser admitida como ouvinte na universidade em 1900, tornando-seprofessora em 1915. Quais são os Direitos das Mulheres 1. Direito à vida. 2. Direito à liberdade e à segurança pessoal. 3. Direito à igualdade e a estar livre de todas as formas de discriminação. 4. Direito à liberdade de pensamento.Fátima Sousa Página 7
  8. 8. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmano 5. Direito à informação e à educação. 6. Direito à privacidade. 7. Direito à saúde e à proteção desta. 8. Direito a construir relacionamento conjugal e a planejar a sua família. 9. Direito a decidir ter ou não ter filhos e quando tê-los. 10. Direito aos benefícios do progresso científico. 11. Direito à liberdade de reunião e participação política. 12. Direito a não ser submetida a torturas e maltrato. O papel da Mulher na sociedade Até ao século XX, a mulher era vista apenas como um utensílio que tinha comoúnicas utilidades: parir, criar e educar. O filósofo grego Platão considerava a natureza das mulheres inferior à doshomens, na “capacidade para a virtude”. A mulher era então vista por ele como um serhumano sem raciocínio, comparando-a até aos escravos. Elas não tinham poder deescolha ou de decisão em nada nas suas vidas,nem o marido podiam escolher, limitando-sea serem escolhidas e até a serem passadaspara outro se o marido assim o entendesse.As suas obrigações eram venerar o marido,educar e criar os filhos, cuidar da casa emanter-se submissa ao seu marido. Nopassado, os homens eram a super potência! Porém, surgiu "a emancipação dasmulheres". Atualmente, a vida mudou! Os homens não são tão superiores, como no passado. As mulheres tomaramlugares em alguns deveres que os homens possuíam. Pode então dizer-se que emFátima Sousa Página 8
  9. 9. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmanogeral, a emancipação das mulheres igualou o status social, tornando as mulherescapazes de explorar-se mais e permitir ser bem-sucedidas na carreira. A emancipação das mulheres acabou com a inexistência de restriçõesopressivas impostas pelo sexo, a autodeterminação e a autonomia, assim como arealização dos seus objetivos económicos, políticos e religiosos. O principal objetivo da emancipação da mulher era a liberdade, até porque asmulheres têm direito á igualdade tal como os homens, uma vez que no passado, asmulheres eram apenas objetos. Atualmente, os direitos das mulheres estão numa lista na lei. Não deve havermais violência e discriminação às mulheres. Elas também são seres humanos que têmos seus direitos de vida, liberdade de expressão, igualdade, direito á economia, ácultura e aos direitos sociais. Emancipação das mulheres em Portugal e a sua atual situação A Idade Contemporânea ficou marcada pela luta social de largas massasfemininas, pois as mulheres consciencializaram-se da sua situação discriminatória nasociedade. Esta luta social expressava-se por múltiplas ações comuns, em grande partede formas de organização e movimentos. O objetivo desta luta era a sua aspiração àemancipação e à mudança para um estatuto socialmais dignificante.As conquistas democráticas conseguidas com o 25de Abril de 1974 tiveram uma contribuição degrande relevo da mulher, que participou de formaativa e corajosa na luta reivindicativa económica esocial, para defender a liberdade.O mérito de ter tomado as primeiras medidasverdadeiramente a favor da emancipação damulher, ficou para o primeiro governo operário da história, a Comuna de Paris.Ainda assim, não desapareceram de súbito os preconceitos sobre a mulher, pois essespreconceitos têm na maior parte uma raiz histórica que não reside na essência doFátima Sousa Página 9
  10. 10. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmanosistema socioeconómico, pois ainda hoje as mulheres sentem preconceito apesar devivermos num mundo denominado de “ser tolerante”. Apesar do grande atraso socioeconómico herdado da era colonial e daexploração neocolonialista, que liquidaram em vários países a poligamia e ocasamento de menores, o analfabetismo e elevou-se o nível de cultura das mulheres. Deste modo, Portugal é um país onde a igualdade entre homens e mulheres,deixou de ser algo impensável. A luta contra a discriminação das mulheres é hoje umtroféu a erguer! Diferenças entre homens & mulheres -Educação: Existem 600 milhões de mulheres analfabetas e 320 milhõesde homens. Ainda há cerca de 130 milhões de crianças que não têm acesso ao ensinoprimário, das quais mais de 80 milhões são raparigas.Antigamente, a mulher frequentava apenas o 1ºciclo,saindo depois para aprender a fazer as lidas domésticas. Atualmente, tal já não acontece, uma vez que amulher ganhou a sua própria independência. Hoje em dia,as mulheres até já têm cursos superiores e cargos degrande importância na sociedade! -Trabalho: Antes do século X|X, a mulher limitava-se a cuidar da casa, domarido e dos filhos, porém hoje dia, a mulher para além de trabalhar durante 6 a 8hfora de casa no seu emprego, ainda tem de cuidar da casa, dos filhos e até do marido.No entanto, as mulheres ainda têm um salário inferior ao dos homens, pois por maisque elas se esforcem, continuam a ter de provar dia após dia, que também elas sãocapaz de exercer tarefas tal como os homens!Fátima Sousa Página 10
  11. 11. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmano 3.Mundo muçulmano Mundo islâmico ou mundo muçulmano é o nome dado ao conjunto de paísesque tem o Islamismo como religião seguida pela maioria da população. O Islamismopossui á volta de 1,3 a 1,5 bilhões de seguidores. A grande maioria dos muçulmanosvive no terceiro mundo, ou seja nos países em desenvolvimento, por isso ainda sãoconsiderados pobres. Num passado glorioso, as sociedades muçulmanas foramricas e poderosas. Porém atualmente, isso mudou e a suadecadência tornou-se num estado de impotência de exploração. Todas as importantes religiões do mundo são baseadasnos seus Livros Sagrados, os quais são frequentemente atribuídosa revelações divinas. O livro sagrado do islamismo é “O Alcorão”que é a palavra de Deus, revelada a Mohammad, desde a Suratada Abertura até a Surata dos Humanos, constituindo o derradeiro dos livros reveladosà humanidade. Ele encerra, a sua totalidade, tal como: a felicidade, a reforma entre oshomens, a concórdia no presente e no futuro. Porém, uma parte do islamismo é umpouco violento e preconiza uma guerra para estabelecer o reino de Deus na Terra. Aluta contra ele não é somente um interesse do mundo ocidental como também dagrande maioria dos muçulmanos, que seriam as suas primeiras vítimas. No entanto,sem as transformações profundas na estrutura da desigualdade global que mantémessas populações presas a um ciclo de empobrecimento e de isolamento. 3.1 A mulher no mundo muçulmano No Islamismo ensina-se a origem do homem e da mulher, que provêm damesma essência, possuindo a mesma alma, e com capacidades iguais para os méritosintelectuais, espirituais e morais, pois consideram os direitos da mulher sagrados.Fátima Sousa Página 11
  12. 12. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmano A mulher ocupa uma posição de inferioridade na sociedade muçulmana.Quando falamos na mulher muçulmana, dois símbolos logo nos ocorrem: a burca (éuma veste feminina que cobre todo o corpo, até o rosto e os olhos) e o véu (é umtecido ou peça de vestuário, utilizado por mulheres de diferentes culturas, usado paracobrir totalmente ou em parte a cabeça e a face). Estes sinais surgem na subordinaçãodas mulheres ao homem, apesar da igualdade espiritual. A subordinação da mulher é demonstrada e justificada pela lei, costumes etradições da Civilização Muçulmana, dizendo mesmo que há apenas umreconhecimento dos diferentes papéis dos dois sexos e não uma inferioridade efetiva.Assim, as marcas jurídicas da inferioridade da mulher são as seguintes: -A mulher só pode ter um marido, ao contrário do homem, que pode ter quatromulheres ao mesmo tempo. -A mulher só pode casar com um muçulmano, aocontrário do homem, que pode casar com uma mulherde outra religião. -A mulher apenas pode pedir o divórcio emcasos extremos, ficando a custódia dos seus filhos parao pai e o testemunho do homem tem o dobro do valordo da mulher. -A herança da mulher é duas vezes inferior à dohomem. -A maioria das mulheres vivem na reclusão, poucas foram as que tiverampapéis ativos em questões públicas, embora atualmente haja uma crescenteliberalização do papel das mulheres fora de casa que começou sob a influênciaocidental. A opressão da mulher é maior no mundo árabe, porquê? Há locais em que a mulher não tem direito ao voto, não tem direito àmanifestação e a várias outras coisas. É o que acontece na Arábia Saudita. Mas,novamente é preciso considerar o contexto social e político.Fátima Sousa Página 12
  13. 13. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmano Nesse país, as mulheres também têm liberdades muito restritas, secomparados às outras mulheres do mundo. Porém, como noutras situações históricas,os mais profundamente afetados são as mulheres. Elas são os alvos, pois o regime émuito mais repressivo aos que têm menos recursos físicos ou sociais. A liberdadetambém depende da classe social, pois mulheres e homens da família real têm acessoà educação e recursos ilimitados. Por outro lado, há outros locais em que as mulheres têm acesso à educação, aotrabalho e á liberdade de expressão, como no Líbano e na Palestina. As questõesfemininas que vivem são semelhantes às que as mulheres ocidentais enfrentam.Porém, no mundo árabe, há outros valores que o Ocidente não leva em consideração,mas que são valores humanos, como a dignidade e o respeito à mulher. Num futuro próximo, quando as mulheres viverem plenamente os seus direitosna família, na sociedade e na política, as condições de vida das crianças melhorarãosignificativamente. Até porque a discriminação das mulheres começa no lar e acentua-se em todas as esferas da sua intervenção,desde o local de trabalho até à vida política,com evidentes prejuízos não só para asmulheres, mas, também, para as crianças. Énegado, a muitas mulheres, o direito àparticipação em decisões cruciais da vidadoméstica e até as que dizem respeito à suasaúde. Algumas mulheres muçulmanas são discriminadas toda a vida. Essadiscriminação começa logo à nascença. Nos dois países mais populosos do Mundo(Índia e China) há uma proporção inusitadamente elevada de nascimentos de rapazes.O que sugere que, embora ilegais, as práticas de aborto provocado e de infanticídio,com vista à seleção de bebés masculinos, continuam a ser uma realidade. Para as raparigas de muitos países do Mundo, o destino de desigualdade étraçado logo na infância, quando são privadas de instrução. Entre as 15 milhões decrianças que não vão à escola, a proporção de raparigas é muito mais elevada do queFátima Sousa Página 13
  14. 14. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmanode rapazes. Uma em cada cinco raparigas, nos países em desenvolvimento, nãocompletam o 1.º Ciclo. 10º Ano 11º Ano 12º AnoHomens 3115 192 202Mulheres 342 290 317 No Ensino Agricultura Comunicação Social Homens Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres 15% 85% 45% 55% 45% 55% Nos países em desenvolvimento, apenas 43% das raparigas frequentam oEnsino Secundário. A falta de instrução está diretamente associada a indicadores comoo risco acrescido de morte no parto e o não envio dos filhos para a escola. Na puberdade, surgem os perigos ligados à mutilação genital e ao inícioprecoce da vida sexual. A Unicef estima em 130 milhões o número de mulheres eraparigas que foram vítimas de amputação. Esta prática, além de representar umahumilhação e uma submissão intolerável, tem graves consequências para a saúde,como o aumento da suscetibilidade à sida, complicações no parto, doençasinflamatórias e incontinência urinária. No entanto, as mulheres são vítimas deviolência por diversas formas. Aqui está um gráfico que representa as principais formasde violência contra a mulher muçulmana.Fonte: Centro Demográfico 2009Fátima Sousa Página 14
  15. 15. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmano No Afeganistão, outro país onde as mulheres continuam ainda a ser oprimidas,existem regras que elas têm de obedecer durante o regime da milícia islâmica talibã,como: - É absolutamente proibido às mulheres qualquer tipo de trabalho fora de casa,incluindo professoras, médica, enfermeira, engenheira, etc. - É proibido às mulheres andar nas ruas sem a companhia de um homem (pai,irmão ou marido). - É proibido falar com vendedores homens. - É proibido a mulher ser tratada por médicos homens, mesmo em risco devida. - É proibido o estudo em escolas, universidades ou qualquer outra instituiçãoeducacional. - É permitido chicotear, bater ou agredir verbalmente as mulheres que nãousarem a burca ou que desobedeçam a umaordem talibã. - É permitido chicotear mulheres empúblico se não estiverem com os calcanharescobertos. - É permitido atirar pedras publicamente amulheres que tenham tido sexo fora docasamento, ou que sejam suspeitas de tal. - É proibido qualquer tipo de maquilhagem. - É proibido falar ou apertar as mãos de estranhos. - É proibido à mulher rir alto. - É proibido usar saltos altos que possam produzir sons enquanto andam. - A mulher não pode usar táxi sem a companhia de um homem (pai, irmão oumarido). - É proibida a presença de mulheres em rádios, televisão ou qualquer outro meioFátima Sousa Página 15
  16. 16. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmanode comunicação. - É proibido às mulheres qualquer tipo de desporto ou mesmo entrar em clubes elocais desportivos. - É proibido o uso de roupas que sejam coloridas - É proibida a participação de mulheres em festividades. - É proibido o uso de calças mesmo debaixo do véu. - As mulheres estão proibidas de lavar roupas nos rios ou locais públicos. - As mulheres não se podem deixar fotografar ou filmar. - É proibido às mulheres cantar. - É completamente proibido assistir a filmes, televisão, ou vídeo. A virgindade de uma rapariga muçulmana é propriedade de toda a família, poisas comunidades muçulmanas são as mais afetadas por estas práticas arcaicas, quertenham lugar em países muçulmanos ou na Europa. Além disso, os homicídios e asagressões cometidas em nome da honra de um homem, de uma família ou de umaaldeia envolvem um código complexo onde se misturam costumes e tradições.Todavia, é nos países governados pelo islão que os crimes ditos de honra se multiplicam. Aí condenam os pecados de violação e de adultério. As mulheres não dispõem de quaisquer recursos, pois precisamente pela honra ser uma noção subjetiva se estende à coletividade, pois não dizem respeito apenas ao marido. Muitas vezes analfabetas, sem qualquer meio de garantir a sua subsistência, não tendo dinheiro nempassaporte que lhes permita fugir, acabam por admitir culpas que não têm. A morte ea punição suprema são decididas pelo coletivo familiar ou pelo conselho da aldeia combase nos costumes. A agressão será de preferência confiada a um irmão, e tantomelhor se este for menor de idade, com mais fortes possibilidades de escapar aocódigo penal nacional, ou então a um cunhado, ao pai, a um tio ou a um primo,Fátima Sousa Página 16
  17. 17. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmanoconsoante os casos e as tradições, o crime é feito com uma arma branca ou com umaarma de fogo. Curiosidades -Quase um décimo da população mundial é formada por mulheres domundo muçulmano. -Mais de 2 milhões de mulheres por ano, são submetidas à mutilação genital. -1,3 bilhões de pessoas mergulhadas na pobreza, 70% são mulheres. -2/3 dos 876 milhões de analfabetos mundiais são mulheres. -Na África Sub-Saariana e Sul da Ásia apenas 2 a 7 mulheres em cada grupo de1.000 frequentam o ensino secundário ou a universidade. -Mais de 1,2 milhão de mulheres morrem a cada ano, vitimas de complicaçõesevitáveis, durante a gravidez e o parto. 3.2 Comparação entre a mulher portuguesa e a mulher afegã -Mulher portuguesa A Idade Contemporânea ficou marcada pela luta social de margas massasfemininas, pois as mulheres consciencializaram-se da sua situação discriminatória nasociedade. O objetivo desta luta diversificada das mulheres é a sua aspiração áemancipação e á mudança para um estatuto social mais dignificante. As conquistasdemocráticas conseguidas como o 25 de Abril de 1974, teve uma grande contribuiçãoFátima Sousa Página 17
  18. 18. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmanopara a mulher, que participou de forma ativa e corajosa na luta reivindicativaeconómica e social para defender a liberdade. Apesar do grande atraso socioeconómico herdado da era colonial e daexploração neocolonialista, liquidaram-se em vários países a poligamia e o casamentode menores contratados por familiares, combateu-se o analfabetismo e elevou-se onível de cultura das mulheres. A educação da mulher portuguesa foi neglicenciada praticamente até o séculoXX. O lugar do saber para a mulher estava dentro de casa, nos afazeres domésticos;aquela que muito pensava “boa coisa não era”, porque significava uma ameaça para ohomem. Através de vários séculos alguns autores masculinos propuseram uma linhadiretriz de ação. Nessa altura, Ana Hatherly inverte esta ordem, dando à mulherelementos para alcançar o conhecimento de modo auto-didático, usando a intuiçãopara atingir tal fim. Em Portugal, a presença da mulher na vida pública evidencia que nosencontramos numa sociedade mista, sem discriminação sexual jurídica pelo menos noque se refere a direitos e obrigações. Mas o acesso da mulher ao mundo da atividade política, da produção artística e das manifestações culturais nos mais variados aspetos, está ainda longe de complementar suficientemente a maneira masculina de abordar e desempenhar essas atividades. Supõe, indiscutivelmente, logo à partida, um empobrecimento na qualidade e na quantidade de bens produzidos e postos àdisposição da coletividade. Mudanças sociais de tanta envergadura como as requeridas para a cooperação,aqui propugnada e tão desejável, não se improvisam. Deve precedê-las uma sólidapreparação formativa, desde o Ensino Básico ao Ensino Superior, passando tambémpelas diversas escolas de artesanato, profissionais e de serviços, com as consequentesFátima Sousa Página 18
  19. 19. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmanorepercussões na maneira generalizada de pensar e até nas próprias estruturasarquitetónicas e urbanas. Não há por que negar uma melhor disposição natural para determinadosesforços e trabalhos ligados ao sexo, nem o carácter insubstituível da mãe, sequeremos evitar toda a falha nas atenções que requer a educação da criança e dojovem nos primeiros meses ou anos. Mas isto não implica que seja ela a carregarexclusivamente com todos os cuidados que a higiene, a alimentação e a educação dosfilhos na infância requerem. Não se trata apenas de compensar, com a maior participação do pai no cuidadodos filhos pequenos, o que se pode perder na atenção materna ao lar com o acesso damulher a trabalhos fora de casa. Trata-se de conseguir no interior do lar umavalorização maior do cuidado educacional semelhante à diminuição que o acesso damulher à vida pública imprimiu ao trabalho económico e social. Não é somente o bemparticular da família e dos seus membros que está em jogo. Toda a sociedade, a paz, oprogresso dependem em grande parte de uma sã organização do matrimónio e dafamília, como células do corpo social e vivência prévia necessária para o acesso detodos os cidadãos à vida civil e de todos os cristãos à vida eclesial, como membrosativos e fecundos das respetivas sociedades. Até há meio século na Europa, a reduzida idade média da mulher, a economiapredominantemente familiar e o seu notável papel na transmissão da cultura às novasgerações costumavam levar a mulher, sem frustrações que se vissem, à sua aparenteplena realização. Mas hoje, a instrução tem lugar na escola, a função económicaconcentra-se em instalações industriais, comerciais ou de serviços fora do lar e,terminada a sua idade fecunda, restam à mulher ainda muitos anos de capacidadeprodutiva, nos quais a sua plena satisfação dependerá fundamentalmente do que asua atividade profissional ou o desempenho do seu emprego lhe sejam gratificantes. Aeducação é essencial para a realização plena da igualdade entre mulheres e homens.Os estereótipos, as imagens e as atitudes relativamente às mulheres são obstáculos àigualdade, e poderão ser eliminados através da educação formal, nomeadamenteFátima Sousa Página 19
  20. 20. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmanoatravés dos meios de comunicação social, organizações não-governamentais,programas de partidos políticos e ações concretas. Relativamente ao papel da mulher na educação, em Portugal ela participa maisque os homens quanto aos níveis de ensino, como também em alguns tipos deempregos. Portugal é um país, onde a igualdade entre homens e mulheres, deixou deser uma mera utopia. Os factos históricos, acerca das conquistas femininas, não deixam margem paradúvidas. Em 1867, surge o Primeiro Código Civil, que melhora a situação das mulherese, em 1910 o divórcio era finalmente permitido. Corria o ano de 1824 e o 1º CongressoFeminista e de Educação, marcava um novo progresso na história das mulheres. Erafinalmente, permitido às mulheres trabalhar na Função Pública e mais tarde, votar. Em 1983, são introduzidas alterações de valor inequívoco, relativamente àassistência prestada a mulheres, no campo familiar e a prostituição deixa de serpenalizada. A própria Constituição da República Portuguesa, apresenta alterações de umaimportância extrema, no que compete à igualdade entre homens e mulheres. O princípio da igualdade, da família, casamento e filiação, aparticipação na vida pública, são artigos que a constituiçãoconsagra. A mulher conquista ainda o direito ao trabalho e àsua segurança, à liberdade de escolha de profissão e acessoà função pública, à saúde, ao ensino e à participação políticapor parte de todos os cidadãos, independentemente dosexo, a que pertencem. As mulheres invadem em maiornúmero o universo académico, do que os homens. A mulher conquistou também o merecido auxílio,aos direitos reprodutivos, à maternidade, à invalidez, àreforma e à velhice. Contudo, a violência nas mulheres, é um dos aspetos, maispreocupantes em Portugal. O Código Penal introduziu alterações que, nem sempre sãoFátima Sousa Página 20
  21. 21. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmanoseguidas pelos cidadãos, em relação à violência que praticam. A proteção éassegurada, mas não na sua plenitude. É na área dos serviços sociais, das empresas e da saúde que, encontramos commais frequência, alguém do sexo feminino. Na comunicação social e na vida política, énotória uma subida dos números que, simbolizam a presença das mulheres, nestesramos. No atual governo, existem mulheres na chefia, como por exemplo a ministra daagricultura, a ministra da justiça, entre outras. Deste modo, podemos dizer que amulher portuguesa se instalou na sociedade de “armas e bagagens” e que “veio paraficar”! -Mulher afegã O regime socialista reviu os direitos das mulheres no Afeganistão e concedeu apermissão para não usar véu, aboliu o dote, promoveu a integração das mulheres aotrabalho (cerca dos 245.000 trabalhadores, 40% dos médicos são mulheres) ealfabetização feminina foi reduzida de 98% para 75%, cerca 60% do corpo docente daUniversidade de Cabul são mulheres).Fátima Sousa Página 21
  22. 22. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmano No entanto, ainda existem muitos problemas neste país para as mulheres. Elasainda continuam de luto pelas violações coletivas infligidas a duas afegãs, por seremchicoteadas pelos sujeitos mais retrógrados, por serem leiloadas no mercado público epelas suas jovens filhas. Mas os perpetradores de todos estes crimes são perdoados epor isso disfrutam de completa imunidade, continuando a manter as suas posições deoficiais. Embora as mulheres Afegãs, não esperem nada de diferente do regime, a dordelas torna-se crónica quando o mundo acredita que os EUA e a NATO trouxeram alibertação, a democracia e os direitos humanos e das mulheres para o Afeganistão. No momento as mulheres do Afeganistão vivem uma nova era de catividade eestão nas garras de monstros fundamentalistas. No Afeganistão, as mulheres preferem a dor física à dor da humilhação. Atristeza é velha conhecida destas mulheres. Depois de enfrentar quase duas décadasde guerras, elas foram impedidas pelo Governo de estudar ou trabalhar e o fim dasproibições, há três anos, não mudou muito a situação. Ainda são muitas as mulheres que se atrevem asair às ruas sem burcas e aquelas que decidiramabandona-la para usar apenas o véu cobrindo a cabeçaainda são vistas com alguma desconfiança por parte dapopulação local. As mulheres se escondem sob a burcao medo da reação de famílias conservadoras, maridosautoritários e até dos velhos talibãs, que mesmo forado Governo, ainda tentam fazer valer seu ponto de vista. Na enfermaria de um hospital, a maioria das mulheres não acredita em amorou em nenhum tipo de sentimento de afetuosidade. Assim como elas, centenas, todosos dias, tomam a decisão de se auto – imolar, no que parece ser um silenciosomovimento do protesto das afegãs. Elas queimam-se.Fátima Sousa Página 22
  23. 23. Situação das Mulheres no Mundo Muçulmano O poder masculino, acima de qualquer lei e além de qualquer limite, mata dealguma forma a condição feminina. Deste modo, depois de comparar estes dois países tão distantes, deparamo-noscom uma realidade diferente para as mulheres. Enquanto num, as mulheres jáencontraram o seu papel na sociedade; no outro, as mulheres continuam a viveroprimidas e continuam a lutar, em silêncio, para terem um papel ativo na sociedade.Papel esse, que lhes é retirado dia após dia pelos homens!Fátima Sousa Página 23
  24. 24. Situação das Mulheres no Mundo MuçulmanoConclusão Após ter concluído este trabalho, cujo tema é uma problemática atual, pudeperceber um pouco mais sobre alguns assuntos relativamente ao mundo muçulmano,aos direitos humanos e consequentemente da mulher e sobre a discriminação sentidapor alguns humanos, mesmo em pleno século XX|. Durante a realização deste trabalho, pude constatar que apesar de todos osobstáculos, a mulher vem conseguindo o seu lugar ao “sol”. A mulher é mãe, é dona decasa, é esposa, estuda, trabalha e faz tudo isso de “saltos altos”. Ser Mulher não étarefa fácil! Porém a cada dia que passa o espaço feminino aumenta. Aumenta porquenão cabe mais a ideia de submissão e de dependência de outros tempos. Os tempossão outros, não que o feminismo pretenda mudar o mundo, mas a própria sociedadetende à mudança. Ser mulher é sinónimo de luta e de sucesso! Mas nem tudo é um “mar de rosas”, e espalhadas por este mundo fora, aindaexistem mulheres que são submissas e oprimidas pelos pais, irmãos, maridos, no fundosão discriminadas pela sociedade em que estão inseridas! No entanto, tal situação tem a mudar, porque todos nós lutamos para quetodos, sem exceção, tenham igual acesso a todos os direitos. Até porque sóconstruiremos um mundo mais justo e mais feliz se todos fizerem um esforço coletivo,no mesmo sentido, que neste caso é libertar as mulheres da tirania em que vivem!Fátima Sousa Página 24
  25. 25. Situação das Mulheres no Mundo MuçulmanoWebgrafiahttp://www.notapositiva.com/trab_estudantes/trab_estudantes/filosofia/filosofia_trabalhos/direitosdasmulheres.htmhttp://www.eselx.ipl.pt/ciencias-sociais/tratados/1789mulher.htmhttp://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/infantil/direitodasmulheres.htmwww.porto.ucp.ptwww.humanrights.comhttp://portal.mj.gov.br/sedh/ct/legis_intern/ddh_bib_inter_universal.htmhttp://islam.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=217:a-mulher-muculmana&catid=41:a-mulher-muculmana&directory=2http://www.google.com/search?tbm=isch&hl=pt-PT&source=hp&q=direitos+humanos&gbv=2&oq=direitos+&aq=0&aqi=g10&aql=&gs_l=img.1.0.0l10.8970.11856.0.13369.13.10.2.0.0.0.452.1903.0j1j4j1j1.7.0...0.0.AtBnRZzqzdAhttp://www.google.com/search?q=direitos+das+mulheres&tbm=isch&hl=pt-PT&gbv=2&gs_l=img.1.0.0l10.8970.11856.0.13369.13.10.2.0.0.0.452.1903.0j1j4j1j1.7.0...0.0.AtBnRZzqzdA&oq=direitos+das+mulheres&aq=f&aqi=&aql=http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/guerra-do-afeganistao/mulher-no-afeganistao.phpFátima Sousa Página 25

×