3. gestao organizacao trabalho-pedagogico (1)

5,883 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
5,883
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
110
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

3. gestao organizacao trabalho-pedagogico (1)

  1. 1. Gestão educacional e organização do trabalho pedagógico Alberto Albuquerque Gomes
  2. 2. Ementa <ul><li>A gestão da escola como processo coletivo. A organização do trabalho escolar. Bases sociológicas da gestão escolar. A organização da escola face às consolidações da sociedade capitalista. A sociedade contemporânea e os movimentos de reforma e mudanças da escola. O impacto do modelo da administração empresarial sobre a organização escolar. A organização democrática da escola pública: bases legais e os desafios O conceito público e privado e suas implicações na organização escolar. O papel do gestor escolar na organização dos espaços educativos. Planejamento, acompanhamento e avaliação do trabalho pedagógico. Relação escola/comunidade. Política educacional no contexto das políticas públicas. </li></ul>
  3. 3. Objetivos <ul><li>Possibilitar ao aluno: </li></ul><ul><li>Refletir sobre a gestão colegiada como exercício de participação e incremento do processo de democratização da escola; </li></ul><ul><li>Refletir sobre a possibilidade de gestão democrática da escola conforme preconiza a LDB; </li></ul><ul><li>O papel dos conselhos e colegiados na gestão da escola; </li></ul><ul><li>Analisar a relação escola - comunidade com vários atores sociais; a escola como interface entre a sociedade adulta e as crianças e jovens em desenvolvimento; </li></ul><ul><li>Refletir sobre o papel do gestor escolar frente à escola e à sociedade em transformação; </li></ul><ul><li>Refletir sobre as políticas educacionais preconizadas nos diplomas legais (Constituição Federal – 1988 e Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB/EN nº 9394/96) </li></ul>
  4. 4. Conteúdo <ul><li>A gestão escolar e a legislação educacional </li></ul><ul><li>A organização do trabalho escolar: o papel do gestor </li></ul><ul><li>O projeto pedagógico da escola: possibilidades e limites </li></ul><ul><li>Relação escola/comunidade: papéis sociais dos atores do cotidiano escolar </li></ul><ul><li>Políticas educacionais no contexto das políticas públicas </li></ul>
  5. 5. Metodologia de ensino <ul><li>Aulas expositivas </li></ul><ul><li>Seminários </li></ul><ul><li>Exibição de filmes temáticos </li></ul>
  6. 6. Referências bibliográficas <ul><li>ABRANCHES, Mônica. Colegiado Escolar : espaço de participação da comunidade. São Paulo: Cortez, 2003. </li></ul><ul><li>ALARCÃO, ISABEL. Professores reflexivos em uma escola reflexiva . São Paulo: Cortez, 2003 (Coleção Questões da Nossa Época) </li></ul><ul><li>ARROYO, Miguel. Ofício de Mestre : imagens e auto-imagens. Petrópolis: Vozes, 2000. </li></ul><ul><li>BRASIL. Constituição (1988). Consitituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 1988. </li></ul><ul><li>BRASIL. Lei nº 9394/96 de 24 de dezembro de 1996. Estabelece as diretirzes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União. Brasília, DF; 23 dez. 1996. </li></ul><ul><li>CADERNOS de Formação: Organização e Gestão do trabalho na escola . São Paulo: UNESP, 2004. </li></ul><ul><li>Cadernos de Formação: Legislação Educacional . Volumes 1 e 2. São Paulo: UNESP, 2004. </li></ul><ul><li>GUIMARÃES, Célia Maria & MARIN, Fátima Aparecida Dias Gomes. Projeto Pedagógico: considerações necessárias à sua construção. Nuances: Revista do curso de Pedagogia . Nº 4, V. 4, p. 35-47, 1998. </li></ul>
  7. 7. Origens da escola pública <ul><li>Didática Magna – 1636 - expressa as transformações daquele momento de transição do feudalismo para o capitalismo. </li></ul><ul><li>Comênio - Didática Magna (1636) apresentou diretrizes gerais para funcionamento da instituição escolar moderna. </li></ul><ul><li>Dentre as diretrizes apresentadas por Comênio podemos apontar: </li></ul><ul><li>A construção da infância moderna; </li></ul><ul><li>Aliança entre a família e a escola por meio da qual a criança vai se soltando da órbita familiar para a órbita escolar; </li></ul><ul><li>Organização da transmissão dos saberes baseada no método de instrução simultânea, agrupando-se os alunos; </li></ul><ul><li>A construção de um lugar de educador, de mestre, reservado para o adulto portador de um saber legítimo. </li></ul>
  8. 8. Origens da escola pública <ul><li>Emílio – Século XVIII - expressão do pensamento pedagógico da modernidade. </li></ul><ul><li>Ensaio pedagógico no qual Rousseau procura traçar as linhas gerais que deveriam ser seguidas com o objetivo de fazer da criança um adulto bom. </li></ul><ul><li>Trata dos princípios para evitar que a criança se torne má, já que o pressuposto básico do autor é a crença na bondade natural do homem. </li></ul><ul><li>Outro pressuposto de seu pensamento consiste em atribuir à civilização a responsabilidade pela origem do mal. </li></ul><ul><li>Os objetivos da educação comportam dois aspectos </li></ul><ul><li>o desenvolvimento das potencialidades naturais da criança </li></ul><ul><li>Seu afastamento dos males sociais. </li></ul>
  9. 9. Origens da escola pública <ul><li>A escola pública é uma conquista que tem suas origens na Revolução Francesa. </li></ul><ul><li>A instrução pública em países da Europa amplia-se durante o século XIX. </li></ul><ul><li>O avanço da industrialização apela para uma mão de obra cada vez mais qualificada, gerando a necessidade de escolas. </li></ul><ul><li>Os debates sobre o ensino público exigem um sistema educacional que atenda os interesses sociais do período. </li></ul><ul><li>O projeto de instrução pública evidenciada no século XIX propunha o progresso material, intelectual e moral dos homens. </li></ul>
  10. 10. Origens da escola pública <ul><li>Podemos notar que, tanto em Comênio quanto em Rousseau já comparecem os fins da educação de massas. </li></ul><ul><li>Difundem ainda a crença no poder da escola como fator de progresso, modernização e mudança social. </li></ul><ul><li>Com o desenvolvimento industrial articulou-se a idéia de uma escola nova para a formação do homem novo. </li></ul>
  11. 11. Origens da escola pública no Brasil <ul><li>A leitura dessas obras pela elite ilustrada brasileira sugere que no Brasil também se difundia a concepção de um novo homem, assim como na Europa. </li></ul><ul><li>Podemos perceber que se acreditava que a educação poderia levar o Brasil a se tornar uma nação desenvolvida como as nações européias. </li></ul>
  12. 12. Origens da escola pública no Brasil <ul><li>A educação das classes populares suscitou o debate sobre como organizar o sistema nacional de ensino no Brasil. </li></ul><ul><li>Esse sistema tinha por objetivo organizar o ensino elementar de forma racionalizada e padronizada para atender um grande número de crianças - escola de massas. </li></ul>
  13. 13. Origens da escola pública no Brasil <ul><li>O fenômeno da escolarização em massa, a partir da 2ª metade do século XIX, apresentou algumas peculiaridades: </li></ul><ul><li>A obrigatoriedade; </li></ul><ul><li>A responsabilidade estatal pelo ensino público; </li></ul><ul><li>A secularização do ensino e da moral; </li></ul><ul><li>A nação e a pátria como princípios norteadores da cultura escolar; </li></ul><ul><li>A educação pública como projeto de consolidação de uma nova ordem social. </li></ul><ul><li>O objetivo da escola pública nas primeiras décadas do século XX era a escolarização das camadas populares integrando os trabalhadores urbanos. </li></ul>
  14. 14. Características da escola de massas <ul><li>Escola de massas - turmas seriadas, fundamentadas na classificação dos alunos pelo nível de conhecimento em agrupamentos supostamente homogêneos, implicando a constituição das classes. </li></ul><ul><li>Supunha: </li></ul><ul><li>adoção do ensino simultâneo </li></ul><ul><li>racionalização curricular </li></ul><ul><li>controle e distribuição dos conteúdos e do tempo </li></ul><ul><li>introdução de um sistema de avaliação </li></ul><ul><li>divisão do trabalho docente </li></ul><ul><li>edifício escolar com várias salas de aula e vários professores. </li></ul><ul><li>Esse modelo revelava-se adequado ao desenvolvimento da sociedade capitalista, principalmente nos processos de urbanização e industrialização. </li></ul>
  15. 15. Escola Pública brasileira no alvorecer da República <ul><li>República e a instrução escolar – transformação dos súditos em cidadãos. </li></ul><ul><li>O povo deveria ser educado para a vida democrática. </li></ul><ul><li>Na escola eram depositadas as esperanças de preparar essa sociedade para o novo tempo no qual haveria efetiva demanda do exercício dos direitos políticos. </li></ul><ul><li>O século XIX presencia a expansão da escola pública, universal e gratuita nos países desenvolvidos, nos quais a eliminação do analfabetismo significava, qualificação para o trabalho técnico industrial. </li></ul><ul><li>O Brasil não correspondia a tal realidade. </li></ul><ul><li>Formas arcaicas de produção, abundância de mão-de-obra e baixa densidade demográfica e de urbanização representavam a delimitação de nossa estrutura agrário-exportadora na virada do século. </li></ul>

×