Marketing digital

376 views

Published on

Trabalho sobre Marketing Digital, Jorge Manuel Braga Ribeiro, Curso: MBA Gestão Empresas, MTA Trabalho V, Prof. Vasco Marques, IESF Nov. 2010

Published in: Education, Business, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
376
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Marketing digital

  1. 1. Jorge Manuel Braga Ribeiro Curso: MBA Gestão Empresas MTA Trabalho V, Prof. Vasco Marques IESF Nov. 2010
  2. 2. Ramo de actividade: consultadoria Especialidade: Estudo de soluções para segurança electrónica Market Targets: PME’s, parceiros que se dediquem ao projecto e instalação de infraestruturas em PME´s e companhias de seguros
  3. 3.  Mais importante do que definir quais ferramentas de marketing digital se poderá usar para melhor vender nossos produtos é definir uma estratégia  Essa estratégia deve conter os targets a atingir, ao mesmo tempo que se analisa a concorrência e suas formas de marketing.  Depois de escolher ferramentas (ou mesmo antes) há que definir metas e formas de medir o sucesso da utilização dessas ferramentas.  Se possível testar o plano em pequena escala ou de forma virtual, de forma a prever seu impacto
  4. 4. Definição Targets Análise Concorrência Priorizar uso de ferramentas Definir metas e formas de medida Testar o plano Fluxo de processos a seguir na elaboração de plano:  Os slides a seguir representam somente a escolha das ferramentas e sua prioridade de utilização.  Ao mesmo tempo indicam-se apenas aquelas que terão custos associados diminutos de forma a que qualquer retorno ainda que pequeno, torne o plano com um ROI positivo.
  5. 5. Blogging e Blogger Relations:  Dado que esta empresa vende um tipo especial de serviços: o conhecimento, esta é uma forma de informar os clientes de know adquirido e experiências vividas  Desta forma criar-se-á confiança junto dos clientes  Procura-se igualmente que daqui surjam relações com eventuais experties também com blog, ou mesmo com clientes através de comentários
  6. 6. Video Marketing:  A existência de vídeos no site da empresa, com informações de trabalhos efectuados ou casos de estudo  Pode-se igualmente incorporar testemunhos de clientes  Neste capítulo, vídeos descritivos de soluções técnicas de fabricantes também encaixam
  7. 7. Social Network:  A participação da empresa na rede profissional LinkedIn é determinante  De lá poderão nascer e fomentar várias ligações, como sejam a clientes targets, bem como a parceiros e outros players
  8. 8. Email Marketing:  Numa fase inicial esta ferramenta revelar-se-á como fundamental  Terá duas fases muito importantes:  A identificação de destinatários: listas de empresas, campanhas geográficas ou emails “institucionais” (empresas de seguros)  O conteúdo: oportunidade para divulgar para além da empresa, os canais usados cvomo o blog, redes sociais e o webinars  Esta forma deve ficar como instituída mesmo para clientes já angariados de forma a manter viva relações (pode ser substituído por newsletter, RSS ou similares)
  9. 9. Webinairs:  Dado o “corebusiness” da empresa ser o conhecimento e sua utilização no dominio da segurança electrónica a prática de seminários ministrados por recursos internos ou convidados externos parace uma boa iniciativa  Aproveitando as novas tecnologias, poderá-se efectuar tal como um WEBINAIR  Desta forma garante-se uma audiência superior com custos de organização diminutos
  10. 10. Free Content/Fóruns:  A disseminação de informação de forma gratuita é uma forma igualmente de marcar pontos  Esta poderá tomar forma de epapers ou case studies, presentes no site ou blog  A organização e gestão de fórum da especialidade também contribuirá para a disseminação de informação controlada
  11. 11. Jorge Manuel Braga Ribeiro Curso: MBA Gestão Empresas MTA, Prof. Vasco Marques IESF 2010

×