Liberdade é viver sem drogas.

22,815 views

Published on

2 Comments
20 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
22,815
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3,621
Actions
Shares
0
Downloads
1,138
Comments
2
Likes
20
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Liberdade é viver sem drogas.

  1. 1. <ul><li>LIBERDADE É VIVER SEM </li></ul>
  2. 2. CONCEITO As drogas são substâncias químicas, naturais ou sintéticas, que provocam alterações psíquicas e físicas a quem as consome e levam à dependência física e psicológica. Seu uso sistemático traz sérias conseqüências físicas, psicológicas e sociais, podendo levar à morte em casos extremos, em geral por problemas circulatórios ou respiratórios. É o que se chama overdose. Além das drogas tradicionais, os especialistas também incluem na lista o cigarro e o álcool.
  3. 3. Segundo a Organização Mundial da Saúde, &quot;droga é toda a substância que, introduzida em um organismo vivo, pode modificar uma ou mais de suas funções&quot;. É entendida também como o nome genérico de substâncias químicas, naturais ou sintéticas, que podem causar danos físicos e psicológicos a seu consumidor. Seu uso constante pode levar à mudança de comportamento e à criação de uma dependência, um desejo compulsivo de usar a droga regularmente, ao mesmo tempo que o usuário passa a apresentar problemas orgânicos decorrentes de sua falta .
  4. 5. “ Os consumidores de cocaína são os que mais procuram tratamento para se livrar da dependência, que é feito por meio de psicoterapias que promovem a abstinência às drogas e do uso de antidepressivos em 60% dos casos. Atualmente, mais de 5% dos brasileiros são dependentes químicos de alguma droga.” <ul><li>JUSTIFICATIVA </li></ul><ul><li>Os adolescentes estão entre os principais usuários de drogas. Calcula-se que 13% dos jovens brasileiros entre 16 e 18 anos consomem maconha. Nos últimos tempos cresceu o uso de crack e drogas sintéticas, como o ecstasy. </li></ul>
  5. 6. TIPOS DE DROGAS <ul><li>  Depressoras - Substâncias que diminuem a atividade cerebral, deixando os estímulos nervosos mais lentos. Fazem parte desse grupo o álcool, os tranqüilizantes, o ópio (extraído da planta Papoula somniferum) e seus derivados, como a morfina e a heroína. </li></ul>
  6. 7. TIPOS DE DROGAS Estimulantes - Aumentam a atividade cerebral, deixando os estímulos nervosos mais rápidos. Excitam especialmente as áreas sensorial e motora. Nesse grupo estão as anfetaminas, a cocaína (produzida das folhas da planta da coca, Erytroxylum coca) e seus derivados, como o crack.
  7. 8. TIPOS DE DROGAS <ul><li>Perturbadoras - São substâncias que fazem o cérebro funcionar de uma maneira diferente, muitas vezes com efeito alucinógeno. Não alteram a velocidade dos estímulos cerebrais, mas causam perturbações na mente do usuário. Incluem a maconha, o haxixe, os solventes orgânicos (como a cola de sapateiro) e o LSD . </li></ul>
  8. 9. TIPOS DE DROGAS <ul><li>Drogas com efeito misto - Combinam dois ou mais efeitos. A droga mais conhecida desse grupo é o ecstasy, metileno dioxi-metanfetamina (MDMA), que produz uma sensação ao mesmo tempo estimulante e alucinógena. </li></ul>
  9. 10. TIPOS DE DROGAS
  10. 11. <ul><li>ÁLCOOL </li></ul>
  11. 12. ÁLCOOL
  12. 13. MACONHA <ul><li>Os efeitos físicos mais freqüentes são avermelhamento dos olhos, ressecamento da boca e taquicardia (elevação dos batimentos cardíacos, que sobem de 60 - 80 para 120 - 140 batidas por minuto). </li></ul><ul><li>Com o uso contínuo, alguns órgãos, como o pulmão, passam a ser afetados. Devido à contínua exposição com a fumaça tóxica da droga, o sistema respiratório do usuário começa a apresentar problemas como bronquite e perda da capacidade respiratória. Além disso, por absorver uma quantidade considerável de alcatrão presente na fumaça de maconha, os usuários da droga estão mais sujeitos a desenvolver o câncer de pulmão. </li></ul>
  13. 14. MACONHA <ul><li>O consumo da maconha também diminui a produção de testosterona. A testosterona é um hormônio masculino responsável, entre outras coisas, pela produção de espermatozóides. Portanto, com a diminuição da quantidade de testosterona, o homem que consome continuamente maconha apresenta uma capacidade reprodutiva menor. </li></ul>
  14. 16. COCAÍNA <ul><li>A cocaína é uma droga psicoativa que estimula e vicia, promovendo alterações cerebrais bastante significativas. A mesma é extraída da folha da coca, e se consumida por muito tempo, ocasiona danos cerebrais e diversos outros problemas de saúde.  </li></ul><ul><li>Aceleração ou diminuição do ritmo cardíaco, dilatação da pupila, elevação ou diminuição da pressão sanguínea, calafrios, náuseas, vômitos, perda de peso e apetite são alguns dos efeitos biológicos da cocaína . </li></ul>
  15. 17. CRACK 1. O crack é queimado e sua fumaça aspirada passa pelos alvéolos pulmonares. 2. Via alvéolos o crack cai na circulação e atinge o cérebro 3. No sistema nervoso central, a droga age diretamente sobre os neurônios O crack bloqueia a recaptura do neurotransmissor dopamina,mantendo a substância química por mais tempo nos espaços sinápticos. Com isso as atividades motoras e sensoriais são superestimuladas. A droga aumenta a pressão arterial e a frequência cardíaca. Há risco de convulsão, infarto e derrame cerebral 4. O crack é distribuído pelo organismo por meio da circulação sanguínea.
  16. 18. ECSTASY Os principais efeitos do ecstasy são uma euforia e um bem-estar intensos, que chegam a durar 10 horas. A droga age no cérebro aumentando a concentração de duas substâncias: a dopamina, que alivia as dores, e a serotonina, que está ligada a sensações amorosas. Por isso, a pessoa sob efeito de ecstasy fica muito sociável, com uma vontade incontrolável de conversar e até de ter contato físico com as pessoas. O ecstasy provoca também alucinações.
  17. 19. ECSTASY Os malefícios causados pela droga ao corpo do usuário são ressecamento da boca, perda de apetite, náuseas, coceiras, reações musculares como cãimbras, contrações oculares, espasmo do maxilar, fadiga, depressão, dor de cabeça, visão turva, manchas roxas na pele, movimentos descontrolados de vários membros do corpo como os braços e as pernas, crises bulímicas e insônia.
  18. 20. TIPOS DE USUÁRIOS <ul><li>Ocasional - Utiliza um ou vários produtos, de vez em quando, se o ambiente for favorável e se a droga estiver disponível; não rompe suas relações afetivas, profissionais e sociais. </li></ul><ul><li>Experimentador - Limita-se a experimentar a droga – curiosidade, desejo d novas experiências, pressão do grupo. </li></ul>
  19. 21. TIPOS DE USUÁRIOS <ul><li>Habitual - Faz uso freqüente da droga observam-se sinais de ruptura em nível afetivo, profissional e social. </li></ul><ul><li>Dependentes - Vive exclusivamente pela droga, para droga e com a droga; rompe todos os vínculos, provocando a marginalização. </li></ul>
  20. 22. SINTOMAS DO DEPENDENTE QUÍMICO <ul><li>Abandono progressivo de prazeres e outros interesses na vida para dedicar atenção quase exclusiva para a droga. </li></ul><ul><li>Persistência no uso da droga, apesar das conseqüências claramente nocivas. </li></ul><ul><li>Tendência a negar ou minimizar o consumo da droga. </li></ul>
  21. 23. SINTOMAS DO DEPENDENTE QUÍMICO <ul><li>Precisa de drogas de acordo com seu desejo, possuidora de um poder mágico de suprir todas as suas necessidades, projeta na droga a imagem idealizada. </li></ul><ul><li>Sua vigência do tempo é premente está sempre sob um sentimento e urgência e imediatismo. </li></ul><ul><li>Situações de espera, mesmo que de alguns minutos, lhe resultam insuportáveis, como se fosse uma tortura, não podendo tolerar a espera para que um desejo seja atendido. </li></ul>
  22. 24. SINTOMAS DO DEPENDENTE QUÍMICO <ul><li>Substituição da reflexão pela ação impulsiva, atua para evitar o desprazer. </li></ul><ul><li>Baixa tolerância a estados de tensão, frustração, o que faz querer ser saciado já, irritabilidade (mudança de humor); </li></ul><ul><li>Não suporta a dor, impotente para sofrer, insegurança, passividade. </li></ul><ul><li>Baixa auto-estima. </li></ul>
  23. 25. SINTOMAS DO DEPENDENTE QUÍMICO <ul><li>Angústia de separação. </li></ul><ul><li>Perda de confiança nas instituições e nos valores tradicionais, falta de ambição, de combate e de competição. </li></ul><ul><li>Mudança de amigos, passatempos e interesses. </li></ul><ul><li>Deterioração física e mental. </li></ul>
  24. 26. ANTES E DEPOIS
  25. 27. PREVENÇÃO E TRATAMENTO Os especialistas afirmam que o melhor modo de combater as drogas é a prevenção. Informação, educação e diálogo são apontados como o melhor caminho para impedir que adolescentes se viciem. Para usuários que ainda não estão viciados, o tratamento recomendado são a psicoterapia e a participação em grupos de apoio. Para combater o vício, além das terapias são usados medicamentos que reduzem os sintomas da abstinência ou que bloqueiam os efeitos das drogas.
  26. 28. VIVA LIVRE DESSA DROGA
  27. 29. FAÇA A DIFERENÇA NA SUA VIDA. AFINAL...

×