Introdução design thinking

965 views

Published on

Principles and foundations of Design Thinking.
Portuguese presentation.

Published in: Design
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
965
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
102
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Introdução design thinking

  1. 1. DESIGN THINKING INTRODUÇÃO Joana Cerejo
  2. 2. Introdução Design e DT Evolução do Design Cultura de Inovação Sumário Design Thinking Processo Criativo DT Tools
  3. 3. Design está por todo o lado... Está presente em quase qualquer revista de negócios.
  4. 4. em Produtos...
  5. 5. em Serviços...
  6. 6. Restaurante El Bulli. em Experiências...
  7. 7. Design está em todos os canais de comunicação
  8. 8. Design & Criatividade Criatividade é essencialmente a capacidade de idealizar algo novo. Enquanto o design é o processo de conceber algo novo. Von Stamm (2003, p.17) defende que: “Design is a conscious decision-making process by which information (an idea) is transformed into an outcome, be it tangible (product) or intangible (service).”
  9. 9. Design Thinking É uma abordagem multidisciplinar focada na resolução de problemas, por meio da geração de novas ideas, através da compreensão das necessidades dos utilizadores e consumidores finais.
  10. 10. Design Thinking Design Processo Colaborativo Open Source Criatividade Aplicada Potencial Humano Construído e Aberto Processo Pessoal Fórmula Secreta Criatividade Intuitiva Talento Místico Privado
  11. 11. Design Thinking é uma metodologia/processo com foco na criação de várias tipologias de soluções para diferentes tipos de desafios. Combina o rigor lógico de áreas científicas com um ambiente mais descontraído e criativo. Design Thinking mune os seus profissionais com novas ferramentas para a criação de soluções sustentáveis e desejáveis.
  12. 12. Para muitas empresas, Design Thinking é o caminho pelo qual eles criam e consebem o seu futuro, através: - Resolução de Problemas; - Criação de novas estratégias; - Criação de novos produtos, respondendo a necessidades do mercado; - Criação de novos Breadings; - Exploração de novas tecnologias.
  13. 13. Contextualização A história do Design é marcada pela diversidade de pensamento dentro da profissão. Actualmente é uma ferramenta para desenvolvimento, inovação e produtividade.
  14. 14. Design deixou de se restringir apenas aos valores estéticos e qualidades funcionais para se dedicar ao desenvolvimento e conceptualização de experiências, serviços e ambientes. Charles Owen (2004, p.3), defeniu design como “a profession that is concerned with the creation of products, systems, communications and services that satisfy human needs, improve people’s life and do all of this with respect for the welfare of the natural environment”
  15. 15. Le Corbusier Mudou pensamento de design no sentido dos mesmos valores da ciência. Pois as suas obras de arte e design eram baseadas na objectividade, racionalidade e no Homem - Ergonomia.
  16. 16. 1880 1890 1900 1910 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1980 1990 2000 World d World War War I W d W II World War I Graphic Design Arts an C a r s and Craf by William A. Dwiggins Art Nouveau r uveau a Glasgow G sg w Jugendstil u g ds W en r We s ä e Wiener Werkstätte Plakatstil Futurism Deutscher Werkbund Da Dada Neo ad Neo-Dada o De Stijil Constructivism Deconstructivism Bauhaus New Typography ph phy Functionalism Art Deco ec eco c Modernism dern sm n Postmodernism International M de n Style te na i a Modern e Pop-Art Industrial Design byJoseph Claude Sinel Swiss International Style Op-Art Radical Design Digital Design Menphis
  17. 17. Segundo Buchanan (1992, p.19) “The history of design is not merely a history of objects. It is a history of the changing views of subject matter held by designers and the concrete objects conceived, planned, and produced as expressions of those views.”
  18. 18. Pela mudança de paradigma do design, houve: - Alterações no modo como os serviços e produtos são pensados e desenhados; - Nova procura pelo valor intrínseco dos produtos e serviços; - Foco no ser humano, a fim de compreender o que faz com que um produto ou serviço seja atrativo, útil, prestável e/ou desejável.
  19. 19. Inovar em design é tornar os projectos tecnicamente possíveis, economicamente viáveis, mercadologicamente interessantes e emocionalmente envolventes.
  20. 20. Espiral do conhecimento pensamento dedutivo pensamento indutivo pensamento abdutivo Design Thinking Design Thinking caracteriza-se pela sua forma de pensar abdutivamente “a lógica do que poderia ser?”, em vez de lógica dedutiva “o que deveria ser?” ou lógica indutiva “o que é? “.
  21. 21. Cultura de Inovação Em tempos de austeridade e de recessão económica, há um natural apelo à criatividade dos indivíduos. Design Thinking é a ampliação do conceito de design, muito além da actuação na produção industrial, passando a ser aplicado em qualquer situação, tanto em objectivos tangíveis como em sistemas intangíveis.
  22. 22. Inovar Desenvolver um bom design, já não se sustenta apenas na geração de várias e boas ideias. É, antes de tudo, ter visões mais robustas baseadas em conhecimento multidisciplinar e colaborativo.
  23. 23. Enquadramento Teórico Existem vários exemplos que demonstram que a empregabilidade do Design Thinking porpociona bons resultados. Contudo, não existem muitos exemplos e estudos que expliquem porque é que isso acontece. Moggridge (2007) defende que já é reconhecido que o Design Thinking trás resultados positivos. Porém, à falta de conteúdos que demonstrem como se atingue esses resultados positivos.
  24. 24. recurso para a organização /projecto parte do sistema organizacional /projecto núcleo central da organização /projecto design é a organização /projecto
  25. 25. Pelo Design Thinking, podemos colocar em prática, por meio da colaboração e co-criação, uma abordagem multidisciplinar para o desenvolvimento de ideias e soluções inovadores que incluam pessoas no processo criativo. “Design Thinking é uma abordagem centrada nas pessoas, no ser humano, para atingir a inovação, que surge das ferramentas do designer e integra as necessidades das pessoas, as possibilidades da tecnologia e os requisitos de mercado”. Tim Brown
  26. 26. Design Thinking Design Thinking Fourth Order of Design Third Order of Design Second Order of Design First Order of Design
  27. 27. Um dos principais princípios do design thinking é o foco no utilizador e consumidor final. Há uma forte preocupação em procurar satisfazer as necessidades do Homem, através da sua partição em todo o processo de criação e desenvolvimento, com foco no seu envolvimento em toda a actividade. (Lockwood, 2009).
  28. 28. Holistic* Design thinking tem uma forte base holística, porque, defende uma análise global e um entendimento geral dos fenómenos. Anderson (2007). Co-creative Actua como uma ponte entre o projecto e todos os stakeholders envolvidos neste, mas com foco na optimização de processos (Stickdorn & Schneider 2012; Ambrose & Harris 2010). * Que defende uma visão integral e um entendimento geral dos fenómenos.
  29. 29. Multidisciplinar Design thinking baseia-se na multidisciplinaridade de equipas. Utiliza uma vasta gama de métodos e ferramentas de várias disciplinas, a fim de explorar e compreender a totalidade do fenómeno e de todas as pessoas envolvidas num determinado projecto. (Stickdorn & Schneider 2012)
  30. 30. Problem Solving Os desafios enfrentados em I&D são sobretudo “wicked problems”. Os processos e ferramentas utilizados pelo design thinking são flexíveis e permitem um eficiente equilíbrio para este tipo de contextos. (Buchanan1992; Martin 2009; Kolko 2011) Abductive Thinking Através do raciocínio abductivo, os designers são capazes de trabalhar sob dados incompletos e manipula-los a fim de reinventar e inovar os conteúdos. Assim, o pensamento abductivo tornou-se num dos aspectos centrais do design thinking. (Martin 2009; Kolko 2011; Golsby-Smith, 1996)
  31. 31. Processo Criativo O processo de design é o que coloca o design thinking em acção — é uma abordagem estruturada para a criação de ideias. Design thinking é um processo altamente interactivo. Deve ser conduzido por um leque de pessoas com diferentes formações e experiências.
  32. 32. Five stages Discovery / InterpretationI Exploration deation Experimentation Evolution PrototypeI Select Seven stages Define Research Ideate mplement Learn
  33. 33. Autores como Stemple e badke_Schaub (2002) e Brown (2009) defendem que o processo de design tem 4 fases:
  34. 34. Contexto Tradicional Início do Projecto Fim do Projecto Contexto DT Início do Projecto Fim do Projecto
  35. 35. Discovery / Exploration / Investigation Research Concept generation Ideation Brief, Goal Problem Decision / Delivery Presentation Output Rapid Prototyping Evaluate Refine
  36. 36. Tool Stakeholder Maps Tool Tool Actores Map Personas Tool Tool Mind Map Diagram Exploration Tool Tool Context Panorama Brainstorming Tool Tool Use Cases Issue Cards Tool System Map Tool Scenario Building
  37. 37. Tool Tool Group Sketching Moodboard Tool Tool SDO Task Analysis Grid Creation Tool Customer Journey Map Tool Interaction Table
  38. 38. Tool Brand Matrix Tool Tool Storyboard Evidencing Tool Tool Touchpoints Matrix Blueprint Reflection Tool Tool Cultural Probes Motivation Matrix Tool Desktop Walktrough Tool Character Profiles
  39. 39. Tool Role Play Tool Tool Poster Mock Up Implementation Tool Tool Role Script Experience Prototyping Tool Storytelling Tool Templates
  40. 40. Organizing ideas into common themes. Is a creative process used for gathering and organizing large amounts of data, ideas and insights by evidencing their natural correlations.
  41. 41. This tool supports the representation of service solutions through the description of the system networking.
  42. 42. Personas can provide a range of different perspectives on a service / product, allowing teams to define and engage different interests and / or groups that may exist within their target market.
  43. 43. The interaction table is a perfect tool for managers to design the sensory aspects of the service in a structured way.
  44. 44. customer journey map is an oriented graph that describes the journey of a user by representing the different touch points that characterize his interaction with the service.
  45. 45. touchpoints matrix merges some features of the customer journey maps with some features of the system maps and is based on the use of personas.
  46. 46. Involves the entire project team, service blueprinting allows organizations to clarify competitive positioning by facilitating the comparison of the desired service and actual service, or company and competitor processes. Mapping dual processes for the identification of key service quality gaps is a highly useful application of blueprinting.

×