3° encontro coordenadores intermediários de Educação Integral

1,602 views

Published on

3° encontro entre coordenadores centrais e coordenadores intermediários de Educação Integral da SEDF

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,602
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
74
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

3° encontro coordenadores intermediários de Educação Integral

  1. 1. "Não devemos nos limitar a dar educação ás nossas crianças. Devemos ensiná-las a ser pessoas". Herbert Spencer
  2. 2. A Educação Integral traz um modelo de escolacontemporânea onde a ampliação de tempos, espaços eoportunidades educacionais, possam favorecer aaprendizagem significativa do educando, bem comodesenvolver as competências inerentes aodesenvolvimento da cidadania. Passa pelo entendimento de que a tarefa de educardeve ser compartilhada entre os profissionais daeducação, família, sociedade civil como um todo e,sobretudo, da comunidade onde a escola está inserida. Inserir os jovens da comunidade no contexto escolarna concepção de trazer para o espaço educacional adisseminação da cultura local por meio de atividadesartísticas, culturais, desportivas, de iniciação científica,sustentabilidade, entre outras.
  3. 3.  Jovens estudantes do Ensino Médio, Profissionalizante e EJA, a partir de 16 anos de idade matriculados na rede pública de ensino da Secretaria de Educação do Distrito Federal. Os estudantes com idade inferior a 18 anos deverá apresentar autorização escrita do responsável para fins de efetivação da inscrição.
  4. 4. O referido projeto se justifica pelanecessidade de valorizar a criatividadee a capacidade laborativa dos jovens, assim como disseminar a cultura de voluntariado junto a comunidade escolar.
  5. 5. Selecionar e capacitar jovens paraatuar como monitores do Programa MaisEducação nas escolas públicas deEducação Integral das 14Coordenações Regionais de Ensino daSEDF, na etapa de Ensino Fundamentalda Educação Básica.
  6. 6.  Inserir os saberes populares da comunidade para dentro da escola; Valorizar as habilidades dos estudantes de ensino médio e profissional; Promover a cultura de voluntariado; Ampliar o alcance de nossas ações educacionais tendo em vista a falta de recursos humanos; Preparar os jovens, para, como cidadãos, contribuírem para o desenvolvimento sociocultural em suas comunidades; Proporcionar aos jovens o conhecimento das suas potencialidades e estimulá-los a transformá-las em habilidades; Contribuir para a redução dos índices de evasão dos estudantes envolvidos
  7. 7.  Selecionar e capacitar 1.500 estudantes de Ensino Médio, Profissionalizant e e EJA das 14 Coordenações Regionais de Ensino
  8. 8.  O trabalho de monitor é considerado de natureza voluntária, na forma definida pela Lei n° 9.608 de 18 de fevereiro de 1998, e o ressarcimento das despesas deverá ser calculado de acordo com o número de turmas monitoradas e limitado a R$300,00 (trezentos reais) mensais Este valor é dobrado para atuação em escolas do campo
  9. 9. As inscrições serão realizadas na própria escola, em ficha própria, a qual deverá ser encaminhada à Gerência de Educação Básica para a continuidade do processo.
  10. 10.  Acompanhamento Pedagógico; Cultura e Artes; Cultura Digital; Direitos Humanos em Educação; Educação Ambiental; Investigação no Campo das Ciências da natureza; Comunicação e uso de mídias; Educação Econômica; Promoção da Saúde; Esporte e Lazer.
  11. 11.  Idade: a partir de 16 anos Estar cursando Ensino Médio, Educação Profissional ou Educação de Jovens e Adultos. Apresentar autorização do responsável caso seja menor de 18 anos. Ter histórico de rendimento escolar satisfatório nos últimos três anos de escolarização. Não possuir histórico de repetência ou evasão escolar referente aos últimos três anos de escolarização.
  12. 12.  PROCESSO DE INSCRIÇÃO DOCUMENTAÇÃO CRONOGRAMA E ETAPAS DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO COMISSÃO EXAMINADORA ANEXOS
  13. 13. A formação será de caráter teórico pedagógico envolvendo aspectos filosóficos de Educação Integral, relações interpessoais etrabalhistas, sendo executada em duas etapas: Teórico e Prática.
  14. 14.  Relações interpessoais envolvendo monitor, coordenador, estudantes e demais funcionários da unidade escolar Interesse dos estudantes em participar das oficinas Compromisso e responsabilidade com suas atribuições
  15. 15. PROJETOXADREZESCOLAR
  16. 16.  Implantar o xadrez escolar nas escolas de Educação Integral de tempo integral da SEEDF
  17. 17.  1° semestre de 2012 Implantar o projeto em 28 unidades escolares – 02 escolas em cada CRE 2° semestre de 2012 Implantar o projeto em 56 unidades escolares – 04 escolas em cada CRE A partir de 2013 Ampliar gradativamente para as demais unidades escolares
  18. 18. Oportunizar e incentivar a prática doXadrez na escola, visando favorecer opensamento lógico, capacidade deatenção, memória, imaginação e aconcentração, influenciandodiretamente no desempenho cognitivodos alunos.
  19. 19.  Permitir ao aluno estabelecer vínculos entre os conhecimentos e experiências enxadrísticas e a vida cotidiana, individual e social. Contribuir com o desenvolvimento intelectual, moral e ético da personalidade, propiciando autonomia cognitiva e capacidade de raciocínio. Propiciar ao aluno a oportunidade de analisar, avaliar e propor alternativas de solução às situações da vida diária. Contribuir para a elevação da autoestima. Desenvolver a linguagem enxadrística e sua habilidade de argumentação.
  20. 20.  RECURSOS HUMANOS RECURSOS MATERIAIS RECURSOS FINANCEIROS RECURSOS FÍSICOS
  21. 21. 2 2 2•02 períodossemanais•De 40 min. a 2 21h •Sala de aula •Pátio 24 •Laboratório 2 2 de informática•2 5 kits•02 turmas 2 2•01 para usodosprofessores 2 2 2
  22. 22.  1ª Fase: Seleção das Escolas 2ª Fase: Apresentação do Projeto 3ª Fase: Seleção dos profissionais e alunos envolvidos no processo 4ª Fase: Oficina de Xadrez 5ª Fase: Atividades de grupo – Teoria e práticas de Xadrez 6ª Fase: Encontro Regional de Xadrez 7ª Fase: Encontro Distrital de Xadrez 8ª Fase: Avaliação
  23. 23.  PERÍODO 07/06 A 29/11/2012 QUINTA-FEIRA - MATUTINO PÚBLICO: 50 professores 60 HORAS DIRETAS 30 HORAS INDIRETAS LOCAL: UNB
  24. 24. FINALIDADE Reformulação das Diretrizes Pedagógicas de Educação IntegralCRE Indicar um representante encaminhando o nome, matrícula e lotação via e-mail à CEINT (ceint.sedf@gmail.com) até 15/05/2012
  25. 25. Execução: organização das reuniões e atribuição de tarefas; estudos; compilação de dados; orientações; ajustes; relatórios parciais; redação do documento e demais providências necessárias;Acompanhamento do desempenho das tarefas e apoio dos gestores da CEINT aos representantes das CREs;Plenária para apresentação e aprovação do documento final; (conclusão);Relatório técnico final.
  26. 26.  01 representante da CEINT 02 representantes da GPRES 14 representantes das CREs 01 representante da SUGEPE 02 representantes da SUPLAV 01 representante da GNESP 01 representante da Educação Infantil 01 representante do Ensino Fundamental 01 representante do Ensino Médio 01 representante da Educação Profissional 01 representante da UnB 01 representante da SUBEB
  27. 27. 1° ENCONTRO – DIA 23/05/2012DEMAIS ENCONTROS A SEREM DEFINIDOS NA PRIMEIRA REUNIÃO
  28. 28. Circular n° 10/2012 CRONOGRAMA DE AÇÕES MENSAIS 1º dia útil de cada mês – as escolas deverão encaminhar as planilhas eletrônicas, via correio eletrônico, às GREBs; Até o 3º dia útil de cada mês – as GREBs, deverão encaminhar as planilhas eletrônicas copiladas em uma única planilha da GREB, via correio eletrônico, à Coordenação de Educação Integral;
  29. 29.  Até o 5° dia útil de cada mês – as GREBs deverão entregar na CEINT as planilhas eletrônicas(copiladas) das GREBs, bem como as folhas de frequências, para que sejam enviadas à FAP. A equipe da CEINT/Gerência de Programas Especiais fará a conferência das planilhas impressas e folhas de frequências no momento da entrega, identificando possíveis retificações, no intuito de evitar os freqüentes casos de devolução dos documentos.
  30. 30.  Folha de Frequência do Alunos Bolsista - Preencher todo o primeiro campo com informações referentes ao(a) Aluno(a) Bolsista (nome, CPF, email, telefone, faculdade, curso, semestre, escola, CRE, mês/ano de referência); - Caso o(a) Aluno(a) Bolsista atribua sua ausência à falta de depósito do vale transporte por parte da Fundação de Apoio à Pesquisa – FAP, o mesmo deverá fazer uma declaração de próprio punho mencionando o fato, fazendo referência aos dias em que esteve ausente, e anexá-la à sua Folha de Frequência;
  31. 31.  - Atestado Médico: até 15 dias - a escola deve anexar o original do mesmo à sua Folha de Frequência. a partir de 16 dias - a escola providencia uma cópia, atesta o carimbo de confere com o original e orienta o(a) Aluno(a) Bolsista a entregar o original na FAP.
  32. 32.  - A folha de freqüência deverá vir assinada pelo Coordenador Local de Educação Integral e pela equipe gestora, devidamente identificadas com carimbo/matrícula. Caso a escola não tenha ainda o coordenador, o responsável pela direção deverá assinar nos dois campos; - Fazer uso do campo de observações sempre que a escola precise repassar alguma informação importante sobre o bolsista naquele mês; - A Folha de Frequência do(a) Aluno(a) Bolsista, não poderá conter rasuras.
  33. 33.  - Preencher todo o primeiro campo com informações referentes ao(a) Aluno(a) Bolsista (nome, CPF, email, telefone, faculdade, curso, semestre, escola, CRE, mês/ano de referência); - Fazer uso do campo de observações sempre que a escola precise repassar alguma informação importante sobre o bolsista naquele mês;
  34. 34.  - Preencher o campo com o número de horas efetivamente trabalhadas pelo(a) Aluno(a) Bolsista. O cálculo do número de horas refere- se ao somatório das horas lançadas na folha de freqüência. - O Relatório de Desempenho deverá constar a assinatura do aluno(a) bolsista(a), Coordenador Local de Educação Integral e equipe gestora, devidamente identificadas com carimbo/matrícula. Caso a escola não tenha ainda o coordenador, o responsável pela direção deverá assinar nos dois campos; - Importante: O Relatório do Desempenho do (a)Aluno (a)Bolsista deverá ser arquivado na escola juntamente com a cópia da folha de freqüência, não havendo necessidade de encaminhamento à CEINT;
  35. 35.  Unidade Escolar - Encaminhar no 1º dia útil do mês, por email, planilha eletrônica discriminando mês/ano de referência e demais campos preenchidos corretamente, de acordo com as informações constantes nas Folhas de Frequências. - Entregar planilha impressa devidamente assinada na GREB até o 3º dia útil do mês. - Fazer uso do campo de observações sempre que a escola precise repassar alguma informação importante sobre o bolsista naquele mês;
  36. 36.  GREB - Copilar as planilhas eletrônicas das escolas em uma única planilha, observando a estrutura da mesma, para que não haja alteração. Encaminhar, até o 3º dia útil do mês, à CEINT. - Entregar planilha impressa da GREB devidamente copilada e assinada na CEINT, até o 5º dia útil do mês. - Fazer uso do campo de observações sempre que a escola precise repassar alguma informação importante sobre o bolsista naquele mês;
  37. 37. CRONOGRAMADATA CRE TURNO15/05 TAGUATINGA M/V16/05 CEILÂNDIA M/V17/05 GUARÁ M/V18/05 BRAZLÂNDIA M21/05 N. BANDEIRANTE M/V22/05 GAMA M/V23/05 PLANALTINA M/V
  38. 38. CRONOGRAMADATA CRE TURNO24/05 PARANOÁ M/V25/05 PLANO PILOTO M/V28/05 SANTA MARIA M/V29/05 RECANTO EMAS M/V30/05 SOBRADINHO M/V31/05 SAMAMBAIA M/V01/06 SÃO SEBASTIÃO M/V
  39. 39. CONTATOSgpes.sedf@gmail.comceint.sedf@gmail.com 3901-3194

×