Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Conhecimento não se terceiriza

642 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Conhecimento não se terceiriza

  1. 1. Conhecimento não se terceiriza Roberto Meizi Agune1 José Antônio Carlos2 “Viva como se você fosse morrer amanhã. Aprenda como se fosse viver para sempre.” Mahatma Gandhi I. Introdução Com freqüência, observamos debates acalorados sobre a conveniência da terceirização para as atividades o setor público. Recorrentemente, vemos também discussões sobre o tamanho ideal do estado. Os que defendem o estado grande, são “saudados” pela “torcida” adversária como dinossauros da administração. Já os adeptos do estado mínimo são tachados pela “galera” contrária como neoliberais a serviço de “tio sam”. Nesta interminável guerra de torcidas, normalmente quem perde é o Estado. Neste texto, dois funcionários públicos de carreira, procurarão oferecer a sua visão do problema, formada ao longo de mais de 30 anos de trabalho em projetos de governo. A premissa deste artigo é que a discussão de questões tais como se terceirizar é bom ou mal, ou do adequado tamanho do estado constituem falsos problemas, que segundo nosso julgamento, só servem para enfraquecer um setor público historicamente combalido, em um momento onde mudanças complexas tendem a aprofundar o abismo entre o serviço público e as demandas sociais. A discussão que nos parece relevante deve procurar responder a seguinte pergunta: nós queremos um estado burro, “maria vai com as outras” ou um setor público forte que efetivamente contribua para a contínua melhoria das condições de vida da cidadania? O tamanho do estado e a terceirização, nesta abordagem podem ser “bandidos” ou “mocinhos”. Está distribuição de papeis, por sua vez, irá depender da importância que se vier a conferir ao processo de criação de conhecimento no setor público. Este processo, sim, nos parece o divisor de águas entre o atraso e o avanço. Grande ou pequeno, terceirizador ou operador, sem um política estratégica voltada para a de criação de conhecimento e fomento a inovação, o estado terá sempre um denominador comum, a ineficiência. 1 Superintendente do Núcleo de Capacitação em TIC, Compras Governamentais e Serviços Terceirizados da Fundação do Desenvolvimento Administrativo (Fundap). 2 Consultor da Fundap, coordenador dos cursos de Gestão do Conhecimento.

×