Os livros poéticos II – O livro de EclesiastesO quarto livro dos cinco livros poéticos da Bíblia    (Um dos livros sapienc...
IntroduçãoO livro de Provérbios é tão   singular na Bíblia que,  recentemente um pastorescritor, escreveu um livro sobre e...
Por exemplo, como entender  alguns dos textos abrangidospela nossa leitura desta semana:“Melhor é o dia da morte do queo d...
Segundo o escritor deste livro,  “o Eclesiastes retrata a vida como ela é, suas facetas mais    obscuras, sem floreios e  ...
Como já afirmamos desde o estudo do livro de Jó, havia no Oriente antigo  uma preocupação muito grande quanto aos fatos   ...
O livro de Eclesiastes tem uma diferença bemmarcante para os outros dois de Salomão (Pv e CC).Ele procura harmonizar na vi...
Este será então o terceiro livro dos chamados poéticos (II) que estudaremos neste 1T12, conforme podemos    ver no Supleme...
Os livros poéticos II                               O livro de Eclesiastes                                     Estudo 12  ...
Mais do que nunca no exercício que fazemos  Do estudo da Palavra de Deus neste livro de   Eclesiastes, deve saltar aos nos...
Alguns destaques do capítulo 71.O aprendizado com as adversidades da vida:[7.3] Melhor é a mágoa do que o riso, porquea tr...
Alguns destaques do Capítulo 8                         1.   Respeito à autoridade e mistérios deDeus:                     ...
Destaques do Capítulo 9 - A bênção e o sofrimento a todos atingem:a[9.1]: Deveras a tudo isto apliquei o meu coração,para ...
Destaques do Capítulo 10                            Mais uma vez, a sabedoria é exaltada                        sempre ass...
Destaques do Capítulo 11 – Conselhos para o bem viver[11.1] Lança o teu pão sobre as águas, porquedepois de muitos dias o ...
Alguns destaques do Capítulo 12 – O bom proveito e o nosso dever                       [12.1] Lembra-te também do teu Cria...
Concluindo o livro, 4 versículos                       para arrematar os conceitos                           e princípios ...
CONCLUSÃO Um livro com este conteúdo  é para ser lido e estudado com um espírito crítico bemapurado, para que possamosreti...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

“Vi que o homem não pode compreender”

23,789 views

Published on

Estudo do Segundo Trimestre de 2012: Os livros poéticos II – O livro de Eclesiastes - EBD - JUERP

Published in: Spiritual
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
23,789
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
21,801
Actions
Shares
0
Downloads
34
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

“Vi que o homem não pode compreender”

  1. 1. Os livros poéticos II – O livro de EclesiastesO quarto livro dos cinco livros poéticos da Bíblia (Um dos livros sapienciais da Palavra de Deus)
  2. 2. IntroduçãoO livro de Provérbios é tão singular na Bíblia que, recentemente um pastorescritor, escreveu um livro sobre ele, com o título de“O livro mais mal humoradoda Bíblia” (Ed Renê Kivitz – Editora Mundo Cristão). Realmente, como crentes em Cristo, hoje, a leitura do livro pode nos levar a alguns conflitos de interpretação bem significativos.
  3. 3. Por exemplo, como entender alguns dos textos abrangidospela nossa leitura desta semana:“Melhor é o dia da morte do queo do nascimento... Melhor é ir à casa onde há luto do que ir àcasa onde há banquete... Melhor é o fim duma coisa do que o princípio...Para isto, só mesmo indo ao fim do capítulo (7) e ler:“Deus fez o homem reto, mas os homens buscaram muitos artifícios”
  4. 4. Segundo o escritor deste livro, “o Eclesiastes retrata a vida como ela é, suas facetas mais obscuras, sem floreios e amenizações. Ed René mostra que existe um sentido paranossa existência e permanência na terra e revela comoencontrar esse sentido tomando as decisões certas, atendo-se ao que realmente importa. Ele enfoca que, mesmo com tantas adversidades, a vida vale a pena ser vivida!” Realmente o que Salomãopretendeu foi fazer-nos pensare refletir sobre as contradições do viver.
  5. 5. Como já afirmamos desde o estudo do livro de Jó, havia no Oriente antigo uma preocupação muito grande quanto aos fatos da vida e da morte,da bênção e da maldição, da sorte ou do azar,da riqueza ou da pobreza. Os sábios daquela épocaeram levados a investigar esses temas sob os prismas da filosofia, da teologia, da história, domisticismo e até mesmo do bom senso popular.
  6. 6. O livro de Eclesiastes tem uma diferença bemmarcante para os outros dois de Salomão (Pv e CC).Ele procura harmonizar na vida o confronto entre o bem e o mal, atingindo o homem em seu viver. Para um comentarista secular, “Eclesiastes é o livro do homem sem Deus. Deus não acusa esse homem, mas deixa que ele fale dos seus sucessos e insucessos, do seu pessimismo e otimismo, da sua esperança e desespero”.Mas esse homem se volta para Deus e descobre verdades consoladoras. O "Sábio" aconselha os jovens a se lembrarem do seu Criador nos dias da sua mocidade,antes que o corpo volte para o pó da terra, e o espírito volte para Deus, que o deu (Ec 12.7).
  7. 7. Este será então o terceiro livro dos chamados poéticos (II) que estudaremos neste 1T12, conforme podemos ver no Suplemento acima: o livro de Eclesiastes.
  8. 8. Os livros poéticos II O livro de Eclesiastes Estudo 12 “Vi que o homem não pode compreender” Os mistérios dos atos de Deus Texto bíblico Eclesiastes 7 a 12 Texto áureo: Eclesiastes 8.17:“Então contemplei toda a obra de Deus, e vi que o homem nãopode compreender a obra que ser faz debaixo do sol, pois por mais que o homem trtabalhe para a descobrir, não a achará; embora o sábio queira conhecê-la, nem por isso a poderá compreender.
  9. 9. Mais do que nunca no exercício que fazemos Do estudo da Palavra de Deus neste livro de Eclesiastes, deve saltar aos nossos olhos e mentes o texto de Deuteronômio 29.29”As coisas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus, mas as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que observemos todas as palavras desta lei.”
  10. 10. Alguns destaques do capítulo 71.O aprendizado com as adversidades da vida:[7.3] Melhor é a mágoa do que o riso, porquea tristeza do rosto torna melhor o coração.[10]: Não digas: Por que razão foram os diaspassados melhores do que estes? porque nãoprovém da sabedoria esta pergunta.[13] Considera as obras de Deus; porque quem poderá endireitar oque ele fez torto?[15] Tudo isto vi nos dias da minha vaidade: há justo que perecena sua justiça, e há ímpio que prolonga os seus dias na suamaldade.[20] Pois não há homem justo sobre a terra, que faça o bem, enunca peque.[25] Eu me volvi, e apliquei o meu coração para saber, e inquirir,e buscar a sabedoria e a razão de tudo, e para conhecer que aimpiedade é insensatez e que a estultícia é loucura.[29] Eis que isto tão-somente achei: que Deus fez o homem reto,mas os homens buscaram muitos artifícios.
  11. 11. Alguns destaques do Capítulo 8 1. Respeito à autoridade e mistérios deDeus: [8.5] Quem guardar o mandamento não experimentará nenhum mal; e o coração do sábio discernirá o tempo e o juízo. [6] Porque para todo propósito há tempo e juízo; porquanto a miséria do homem pesasobre ele. [7] Porque não sabe o que há de suceder; pois quem lho daráa entender como há de ser?[11] Porquanto não se executa logo o juízo sobre a má obra, o coraçãodos filhos dos homens está inteiramente disposto para praticar o mal.[15] Exalto, pois, a alegria, porquanto o homem nenhuma coisa melhortem debaixo do sol do que comer, beber e alegrar-se; porque isso oacompanhará no seu trabalho nos dias da sua vida que Deus lhe dádebaixo do sol.[16] Quando apliquei o meu coração a conhecer a sabedoria, e a ver otrabalho que se faz sobre a terra (pois homens há que nem de dia nemde noite conseguem dar sono aos seus olhos),[17] então contemplei toda obra de Deus, e vi que o homem não podecompreender a obra que se faz debaixo do sol; pois por mais que ohomem trabalhe para a descobrir, não a achará; embora o sábio queira
  12. 12. Destaques do Capítulo 9 - A bênção e o sofrimento a todos atingem:a[9.1]: Deveras a tudo isto apliquei o meu coração,para claramente entender tudo isto: que os justos,e os sábios, e as suas obras, estão nas mãos deDeus; se é amor ou se é ódio, não o sabe o homem;tudo passa perante a sua face. [2] Tudo sucede igualmente a todos: o mesmo sucede ao justo e ao ímpio, ao bom e ao mau, ao puro e ao impuro; assim ao que sacrifica como ao que não sacrifica; assim ao bom como ao pecador; ao que jura como ao que teme o juramento. [3] Este é o mal que há em tudo quanto se faz debaixo do sol: que a todos sucede o mesmo. [7] Vai, pois, come com alegria o teu pão e bebe o teu vinho com coração contente; pois há muito que Deus se agrada das tuas obras. [9] Goza a vida com a mulher que amas, todos os dias da tua vida vã, os quais Deus te deu debaixo do sol, todos os dias da tua vida vã; porque este é o teu quinhão nesta vida, e do teu trabalho, que tu fazes debaixo do sol. [10] Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças; porque no Seol, para onde tu vais, não há obra, nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma. [11] Observei ainda e vi que debaixo do sol não é dos ligeiros a carreira nem dos fortes a peleja, nem tampouco dos sábios o pão, nem ainda dos prudentes a riqueza, nem dos entendidos o favor; mas que a ocasião e a sorte
  13. 13. Destaques do Capítulo 10 Mais uma vez, a sabedoria é exaltada sempre associada à riqueza ou à nobreza, pois esta era a situação cultural da época. O pobre não tinha chance de crescer:[10:2]: O coração do sábio o inclina para a direita, mas o coração dotolo o inclina para a esquerda.[3] E, até quando o tolo vai pelo caminho, falta-lhe o entendimento, eele diz a todos que é tolo.[12] As palavras da boca do sábio são cheias de graça, mas os lábiosdo tolo o devoram.[13] O princípio das palavras da sua boca é estultícia, e o fim doseu discurso é loucura perversa.[14] O tolo multiplica as palavras, todavia nenhum homem sabe o quehá de ser; e quem lhe poderá declarar o que será depois dele?[18] Pela preguiça se enfraquece o teto, e pela frouxidão das mãosa casa tem goteiras.
  14. 14. Destaques do Capítulo 11 – Conselhos para o bem viver[11.1] Lança o teu pão sobre as águas, porquedepois de muitos dias o acharás.[2] Reparte com sete, e ainda até com oito;porque não sabes que mal haverá sobre a terra.[4] Quem observa o vento, não semeará, e o queatenta para as nuvens não segará.[5] Assim como tu não sabes qual o caminho do vento, nem como seformam os ossos no ventre da que está grávida, assim também nãosabes as obras de Deus, que faz todas as coisas.[6] Pela manhã semeia a tua semente, e à tarde não retenhas a tuamão; pois tu não sabes qual das duas prosperará, se esta, se aquela,ou se ambas serão igualmente boas.[9] Alegra-te, mancebo, na tua mocidade, e anime-te o teu coraçãonos dias da tua mocidade, e anda pelos caminhos do teu coração, epela vista dos teus olhos; sabe, porém, que por todas estas coisasDeus te trará a juízo.[10] Afasta, pois, do teu coração o desgosto, remove da tua carne omal; porque a mocidade e a aurora da vida são vaidade.
  15. 15. Alguns destaques do Capítulo 12 – O bom proveito e o nosso dever [12.1] Lembra-te também do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos em que dirás: Não tenho prazer neles;[2] antes que se escureçam o sol e a luz, e a lua, e as estrelas, etornem a vir as nuvens depois da chuva; [3] no dia em que tremerem osguardas da casa, e se curvarem os homens fortes, e cessarem osmoedores, por já serem poucos, e se escurecerem os que olham pelasjanelas, [4] e as portas da rua se fecharem; quando for baixo o ruídoda moedura, e nos levantarmos à voz das aves, e todas as filhas damúsica ficarem abatidas; [5] como também quando temerem o que éalto, e houver espantos no caminho; e florescer a amendoeira, e ogafanhoto for um peso, e falhar o desejo; porque o homem se vai à suacasa eterna, e os pranteadores andarão rodeando pela praça; [6] antesque se rompa a cadeia de prata, ou se quebre o copo de ouro, ou sedespedace o cântaro junto à fonte, ou se desfaça a roda junto àcisterna, [7] e o pó volte para a terra como o era, e o espírito volte aDeus que o deu. [8] Vaidade de vaidades, diz o pregador, tudo évaidade.
  16. 16. Concluindo o livro, 4 versículos para arrematar os conceitos e princípios emanados da palavra inspirada: [12.9] Além de ser sábio, o pregador também ensinou aopovo o conhecimento, meditando, e estudando, e pondo em ordem muitos provérbios. [10] Procurou o pregador achar palavras agradáveis, e escreveu com acerto discursos plenos de verdade.[13] Este é o fim do discurso; tudo já foi ouvido: Teme aDeus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é todo o dever do homem. [14] Porque Deus há de trazer a juízo toda obra, e atétudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau.
  17. 17. CONCLUSÃO Um livro com este conteúdo é para ser lido e estudado com um espírito crítico bemapurado, para que possamosretirar dos ensinamentos nele contidos as verdades que o Senhor quer nos mostrar.Leia versículo a versículo, pare um pouco e feche os olhos.Indague-se então: O que este texto quer me dizer? Isto chama-se reflexão! E é a isto que nos convida o livro de Eclesiastes!!!

×