Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Queda do Regime Fascista

13,160 views

Published on

Fascismo Queda

Published in: Business, Travel

Queda do Regime Fascista

  1. 1. Queda do Regime Salazarista
  2. 2. <ul><li>  A restauração da democracia teve lugar quando, a 25 de Abril de 1974, um movimento militar pôs fim ao autoritarismo que tinha caracterizado a ordem política deposta. </li></ul><ul><li>O movimento das forças armadas, formado por jovens oficiais que suportavam o esforço de guerra levado a cabo, desde 1961, contra os movimentos de libertação das colónias de Angola, Moçambique e Guiné, constituiu o núcleo director de uma revolta que pôs termo a 48 anos de regime totalitário nascido em 1926. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Causas </li></ul><ul><li>A queda do Regime Salazarista deu-se devido a vários factores: </li></ul><ul><li>Isolamento do país; </li></ul><ul><li>Fraco desenvolvimento económico; </li></ul><ul><li>Emigração </li></ul><ul><li>Permanente contestação ao Regime; </li></ul><ul><li>Aparecimento de movimentos de luta pela liberdade; </li></ul><ul><li>Problemas criados pela Guerra Colonial; </li></ul><ul><li>Fracasso da política Marcelista; </li></ul><ul><li>Descontentamento dos militares e do povo; </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Isolamento do país </li></ul>O Isolamento Cultural foi causa directa da existência de censura e da própria política geral de Salazar. Portugal viu-se afastado da evolução natural do Mundo e do próprio continente europeu, no qual se encontra inserido e do qual é membro por direito próprio. Livros, filmes e peças de teatro, que o mundo ocidental reconhecida já na época, como verdadeiras obras-primas da cultura europeia e mundial, foram considerados como demasiadamente corajosos, defendendo Salazar a ideia de que o povo português não era suficientemente adulto para tomar contacto com elas, nem estava preparado para as entender.
  5. 5. <ul><li>Fraco desenvolvimento económico </li></ul>Salazar fez mergulhar o País numa situação de grande isolamento económico, não aceitando nem interferências nem ajudas de países ricos como os Estados Unidos da América.
  6. 6. <ul><li>O nosso país manteve-se essencialmente ligado a uma agricultura tradicional, pouco mecanizada e produtiva. </li></ul><ul><li>O estado do desenvolvimento da agricultura nacional não se encontrava a par dos nossos parceiros europeus, nomeadamente, dos países industrializados. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Emigração </li></ul>Na década de 60, Portugal não conseguira ainda acompanhar o ritmo de desenvolvimento da Europa. Este atraso afectava as populações rurais, que se viram assim forçadas a emigrar. Deste modo, entre 1960 e 1970, verificou-se um grande surto migratório. As populações migram para os grandes centros urbanos, sobretudo Lisboa e Porto (migração interna), e emigram para fora do país, sobretudo para a França e Alemanha.
  8. 8. <ul><li>Aparecimento de movimentos de luta pela liberdade </li></ul><ul><li>O ano de 1961 ficou assinalado pela perda dos territórios indianos e pelo início da guerra de África. </li></ul><ul><ul><ul><li>1961 – em Março deste ano, o Norte de Angola seria palco dos primeiros movimentos de carácter anti - colonialista, os quais se iriam manter e endurecer durante a década que então se iniciava. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>1963 – a luta pela independência é iniciada na Guiné-Bissau. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>1964 – iniciam-se os movimentos de libertação no Norte de Moçambique. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Estes movimentos de independência colonial foram apoiados política, económica e militarmente pelas grandes potências internacionais – EUA, URSS e China – que detinham nestes territórios muitos interesses económicos e estratégicos. </li></ul></ul></ul>
  9. 9. <ul><li>Os problemas criados pela guerra colonial (efeitos da guerra) </li></ul><ul><li>A Guerra Colonial fez com que houvesse várias perdas: </li></ul><ul><li>Humanas; </li></ul><ul><li>Pesados custos económicos – a Guerra Colonial fez com que tivesse de se mandar dinheiro para África, que poderia ter sido aplicado no investimento e modernização do país; </li></ul><ul><li>Assim a economia interna das ex–colónias africanas beneficiou com esta política. </li></ul>
  10. 10. Devido a esta guerra, instalou-se um clima de terror nos jovens portugueses e nas respectivas famílias, sempre que estes eram chamados a cumprir comissões de 2 anos na guerra, após a recruta e a especialidade, pois diariamente viam chegar navios com as urnas dos militares que morriam em África .
  11. 11. <ul><li>Fracasso da política marcelista </li></ul><ul><li>Devido a várias pressões, nomeadamente das alas mais conservadoras do regime, o espírito de tolerância deu lugar à manutenção do clima repressivo que caracterizou o Estado Novo. </li></ul><ul><li>Após a doença e substituição no poder de Salazar por Marcelo Caetano, este, foi pressionado duramente no sentido de um regresso aos tempos mais rigorosos do Salazarismo. </li></ul><ul><li>A repressão política e a censura acirravam as suas fileiras. Marcelo já não tinha autoridade hierárquica real sobre as forças armadas. </li></ul><ul><li>Quando o golpe militar saiu à rua, não apareceu ninguém para defender o regime. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Descontentamento generalizado: </li></ul><ul><li>Militares </li></ul><ul><li>Os militares estavam muito descontentes, pois estavam fartos da Guerra, das mortes e estavam muito cansados, não queriam continuar a lutar. </li></ul><ul><li>Povo </li></ul><ul><li>O povo estava revoltado com as mortes como consequência da Guerra Colonial, principalmente os familiares dos militares. </li></ul><ul><li>Com a crise económica, o atraso cultural, a falta de liberdade… </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Preparação do movimento das Forças Armadas </li></ul>Em 1973, alguns membros das forças armadas portuguesas iniciaram um movimento clandestino de conspiração contra o regime instituído – Movimento da Forças Armadas (MFA). Os capitães que, na sua grande parte, constituíam este movimento começaram a preparar uma acção concertada entre todos, de forma a derrubar o Governo de Marcelo Caetano e Américo Tomás. Desta forma, na madrugada do 25 de Abril de 1974, deu-se o Golpe de Estado. O MFA, que conseguira a adesão das principais unidades militares do País, iniciou as operações sob o comando do Major Otelo Saraiva de Carvalho. Não encontrando uma resistência significativa por parte da forças do regime, o MFA conseguiu facilmente levar a bom termo os seus objectivos.
  14. 14. <ul><li>No dia 25 de Abril de 1974 caía o Estado Novo e era constituída uma Junta de Salvação Nacional presidida pelo general António de Spínola. </li></ul><ul><li>Inscrito no programa de acção política do novo poder, este tinha como objectivo dominante e imediato a restauração das instituições políticas democráticas.          </li></ul>
  15. 15.    Foi graças à revolução de 25 de Abril de 1974 que os portugueses puderam libertar-se das medidas impostas por António de Oliveira Salazar e por Marcelo Caetano e colocar um ponto final na ditadura que já durava há 48 longos anos!
  16. 16. <ul><li>Principais conquistas de Abril: </li></ul><ul><li>Democracia </li></ul><ul><li>Liberdade </li></ul><ul><li>Igualdade </li></ul><ul><li>Direito de Voto </li></ul><ul><li>Direito de Associação política </li></ul><ul><li>Liberdade de Expressão </li></ul>

×