Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

(Legado 16) gestão de projetos sociais 01

534 views

Published on

gestão de projetos sociais 01

Published in: Government & Nonprofit
  • Be the first to comment

(Legado 16) gestão de projetos sociais 01

  1. 1. Gestão de Projetos Socias (PMD)
  2. 2. Apresentações Bárbara Basso Emílio Boyago
  3. 3. O que já foi visto? • O processo de desenvolvimento do PMD; • Os princípios de gerenciamento de projetos; • O que é um projeto; • Triângulo de gestão; • Porque os projetos falham; • Características do gerenciamento de projetos de impacto social; • Ciclo de vida dos projetos; • Disciplinas de gerenciamento.
  4. 4. O que vamos ver hoje? • Introdução/Ambientação; • Identificação e Design – Gerenciamento das partes interessadas
  5. 5. Triângulo de Gestão (p.11) Escopo Tempo Custo
  6. 6. Gerenciamento de projetos Planejamento, organização, cronograma, liderança, comunicação e controle das atividades para atingir um resultado previamente definido, dentro do prazo, do orçamento e da qualidade desejados. Escopo Tempo Custo RISCO
  7. 7. O desafio do gerente de projetos O desafio para um gerente de projetos é conseguir que outros façam o que o projeto necessita, contando com um grau limitado de autoridade. É um trabalho completo que requer múltiplas habilidades. Que habilidades são necessárias para um gerente de projetos?
  8. 8. As principais habilidades são…
  9. 9. Competências do gerente de projeto (p.14) Competências técnicas (ciência): • Identificação e desenho do Projeto • Inicialização do Projeto • Planejamento do Projeto • Execução do Projeto… Autogerenciamento /Gerenciamento pessoal • Priorização • Atenção a detalhes • Gestão de tempo • Organização • Autodisciplina… Interpessoais/liderança (arte): • Liderança • Resoluçao de conflitos • Motivação de grupos • Formação de equipes • Construção de consensos • Técnicas de negociação • Mobilização de agendas Específicas para desenvolvimento
  10. 10. Competências do gerente de projeto (p.16) • Entender os valores e paradigmas do setor de desenvolvimento • Entender os diferentes interessados envolvidos em projetos de desenvolvimento • Entender e navegar em ambientes de desenvolvimento complexos • Trabalhar efetivamente com um conjunto de parceiros de implementação • Lidar com as pressões exclusivas e os ambientes de desenvolvimento Manifestar sensibilidade cultural Específicas para desenvolvimento
  11. 11. Matriz de valor / complexidade / risco 3 4 1 2 Alto Baixo Simples Complexo Valoreconômicodeseusprojetos Complexidade de seus projetos
  12. 12. Classifique os projetos! A E D C B R$ 970.350,16 Tem 3 diferentes doadores e visa oferecer assistência social, jurídica e psicológica aos moradores deslocados da favela de Paraisópolis por obras de urbanização. Será integrado a um projeto da Prefeitura de São Paulo. R$ 100.321,98 Tem como objetivo acompanhar o desenvolvimento psicomotor de crianças de Educação Infantil (até 5 anos) nas creches da rede municipal de São Paulo localizadas na favela de Paraisópolis para comparar com as creches localizadas no Jardins. R$ 31.297,12 Fruto de rifas e um evento realizado com este fim, este recurso será utilizado em campanhas de adoção de animais resgatados de situações de risco em Paraisópolis. R$ 562.759,00 Visa construir a sede da organização “Paraisópolis Vive”. Tem 5 diferentes doadores institucionais e conta com 11% proveniente de uma campanha de crowdfunding. R$ 20.000,00 Projeto aprovado em edital para o desenvolvimento e implementação de uma campanha e portal web contra a violência doméstica na favela de Paraisópolis.
  13. 13. Matriz de valor / complexidade e risco (p.16) 3 4 1 2 Alto Baixo Simples Complexo Valoreconômicodoprojeto Complexidade do projeto A E D C B
  14. 14. Matriz de valor / complexidade / risco (p.16) 3 4 1 2 Alto Baixo Simples Complexo Valoreconômicodeseusprojetos Complexidade de seus projetos Há alguma relação entre este enquadramento e o nível de conhecimentos e habilidades do gerente?
  15. 15. Gestão de programas e portfólios (p.11) • A gestão de programas é o processo de gerenciar um grupo de projetos conexos de forma coordenada para obter benefícios e um grau de controle que não seriam possíveis com a gestão individual de cada projeto. Diferentemente dos projetos, programas são dirigidos geralmente por uma direção centralizada que coordena um grupo de projetos para alcançar os objetivos estratégicos e benefícios do programa. • Na gestão de portfólio se supervisiona o desempenho do conjunto de projetos e programas da organização.
  16. 16. Portfólios, programas e projetos (p.11) • Pergunta: por que unir um ou mais projetos em um programa? Quais os motivos? Portfólio Sub Portfólio Projeto Programa Projeto Projeto Programa Projeto Programa Projeto Projeto
  17. 17. Ciclo de vida do Projeto (p.18) Monitoramento, avaliação e controle Identificação e design do projeto Definição do projeto Transição do projeto Porta de decisão
  18. 18. Como as fases do Ciclo de Vida de Projetos interagem? (p.21) Inicio do projeto Final do projeto Identificação e Desenho do projeto NíveldetrabalhoeInteraçãodasfases Definição do projeto Planejamento do projeto Implementação / Execução do projeto Transição do projeto Monitoramento, avaliação e controle do projeto Revisan
  19. 19. INTRODUÇÃO Seção 1 : Projetos do setor de desenvolvimento Diferença de um Projeto de Desenvolvimento para o Setor Comercial Responsabilidade do gerente de projeto (não assume responsabilidade pessoal) – Sucesso geral Monitoramento, avaliação e controle Identificação e design do projeto Definição do projeto Transição do projeto Porta de decisão DM&A Técnicas Interpessoais Autogerenciamento Específicas CONSOLIDANDO
  20. 20. Identificação e Design do Projeto - O projeto certo - Abordagens para a identificação das necessidades - Gerenciamento das Partes Interessadas - Gerenciamento da Justificativa - Definição da Intervenção - Marco Lógico
  21. 21. Identificação e Design no Projeto (p.22) Monitoramento, avaliação e controle Identificação e design do projeto Definição do projeto Transição do projeto Porta de decisão
  22. 22. Por que identificação e design? (p.22) Identificação e design do projeto
  23. 23. Por que identificação e design? (p.22) Estamos fazendo o projeto certo? 1) Coletar de dados; 2) Análise de dados; 3) Identificação da lógica de intervenção do projeto. Identificação e design do projeto
  24. 24. Conceito Design Implementação Término Níveldecustosedetrabalho Oportunidade para gerenciar a mudança de forma econômica Custos para mudanças Por que identificação e design? (p.23)
  25. 25. Estudo de caso – Projeto Rio Delta Uma recente avaliação verificou que a deterioração da qualidade da água no Município do Rio Delta resultou em esgotamento dos estoques de pesca; redução da captura e queda na renda das famílias de pescadores, havendo uma incidência cada vez maior de doenças e enfermidades transmitidas pela água, particularmente entre famílias pobres e crianças com menos de cinco anos de idade. A situação atual é resultado da descarga de dejetos fecais, resíduos domésticos e comerciais, e água residual inadequadamente tratada no rio. Alguns dos vários fatores que contribuem para o problema incluem: Baixa conscientização pública dos perigos do despejo de resíduos domésticos. Baixo acesso e uso de instalações sanitárias para a eliminação de dejetos fecais. Além do mais, a supervisão da Agência de Proteção Ambiental sobre a indústria têxtil local tem sido ineficiente e, algumas vezes, corrupta. Todos esses fatores levaram a altos níveis de dejetos fecais e resíduos domésticos/comerciais no rio. Em consequência de baixos orçamentos e planejamento ruim por parte do governo local, mesmo entre empresas que tratam seus resíduos, a água residual tratada não cumpre os padrões ambientais. Já assistiram o vídeo? https://vimeo.com/130 943549
  26. 26. Estudo de caso – Projeto Rio Delta Uma recente avaliação verificou que a deterioração da qualidade da água no Município do Rio Delta resultou em esgotamento dos estoques de pesca; redução da captura e queda na renda das famílias de pescadores, havendo uma incidência cada vez maior de doenças e enfermidades transmitidas pela água, particularmente entre famílias pobres e crianças com menos de cinco anos de idade. A situação atual é resultado da descarga de dejetos fecais, resíduos domésticos e comerciais, e água residual inadequadamente tratada no rio. Alguns dos vários fatores que contribuem para o problema incluem: Baixa conscientização pública dos perigos do despejo de resíduos domésticos. Baixo acesso e uso de instalações sanitárias para a eliminação de dejetos fecais. Além do mais, a supervisão da Agência de Proteção Ambiental sobre a indústria têxtil local tem sido ineficiente e, algumas vezes, corrupta. Todos esses fatores levaram a altos níveis de dejetos fecais e resíduos domésticos/comerciais no rio. Em consequência de baixos orçamentos e planejamento ruim por parte do governo local, mesmo entre empresas que tratam seus resíduos, a água residual tratada não cumpre os padrões ambientais.
  27. 27. Passo 1 – Coleta de Dados (p.26) Contexto do Projeto Interessados no projeto Pontos positivos Sucessos e capacidade Oportunidad es e visão da comunidade Ambiente biológico/físic o Redes organizaciona is Infraestrutura Instituições jurídicas, policiais e políticas Condições sociais e culturais R
  28. 28. Passo 1: Coleta de Dados – Identificação das Necessidades (p.24) Um grupo de membros da comunidade requer um centro de saúde (sentem falta) As mulheres precisam caminhar 10Km até o centro de saúde mais próximo (tem que) Um médico indica que as taxas de mortalidade infantil estão acima das taxas aceitáveis Pesquisas mostram que as taxas de vacinação são muito mais baixas que em outras comunidades Projeto Delta Fonte:JonathanBradshaw
  29. 29. Passo 1: Coleta de Dados – Identificação das Necessidades (p.24) Um grupo de membros da comunidade requer um centro de saúde (sentem falta) As mulheres precisam caminhar 10Km até o centro de saúde mais próximo (tem que) Um médico indica que as taxas de mortalidade infantil estão acima das taxas aceitáveis Pesquisas mostram que as taxas de vacinação são muito mais baixas que em outras comunidades Projeto Delta Fonte:JonathanBradshaw
  30. 30. Passo 1: Coleta de Dados – Identificação das Necessidades (p.24) Um grupo de membros da comunidade requer um centro de saúde (sentem falta) As mulheres precisam caminhar 10Km até o centro de saúde mais próximo (tem que) Um médico indica que as taxas de mortalidade infantil estão acima das taxas aceitáveis Pesquisas mostram que as taxas de vacinação são muito mais baixas que em outras comunidades Projeto Delta Necessidades sentidas – foco nos pensamentos e sonhos da própria comunidade. Necessidades expressas – são inferidas por observação das ações da comunidade.
  31. 31. Tipo de Dados (p.26) Dados secundários • Revisão de documentos e livros • Revisão de registros Dados qualitativos primários • Chuva de ideias • Diagramas de afinidade • Aprendizado por observação • Questionários • Grupos focais • Análise de riscos • Linha do tempo • Exercícios de classificação de prioridades Dados quantitativos primários •Pesquisas de conhecimento, prática e cobertura •Testes padronizados •Instrumentos de observação padronizados •Medições antropométricas
  32. 32. Dados secundários • Revisão de documentos e livros • Revisão de registros Dados qualitativos primários • Chuva de ideias • Diagramas de afinidade • Aprendizado por observação • Questionários • Grupos focais • Análise de riscos • Linha do tempo • Exercícios de classificação de prioridades Dados quantitativos primários •Pesquisas de conhecimento, prática e cobertura •Testes padronizados •Instrumentos de observação padronizados •Medições antropométricas Tipo de Dados (p.28) Como estes dados serão usados?
  33. 33. Passo 1: Coleta de Dados – Identificação das Necessidades (p.24) Geralmente será coletada de forma qualitativa primária (ou com dados pré- existentes da organização) Geralmente será coletada de forma quantitativa secundária – ou por dados internos da organização (primário) Geralmente, dados quantitativos secundários. Geralmente, dados quantitativos primários ou secundários. Necessidade sentida Necessidade normativa Necessidade expressa Necessidade Comparativa
  34. 34. Desenvolvendo o Projeto Certo: Uma Mensagem para a Liberdade Ideia inicial - Mensagem para Liberdade (concurso de ideias da Fundação Rockfeller): Criação de um aplicativo para denunciar casos de imigrantes em situação de trabalho análogo à escravidão na cadeia da moda. Mensagem para Liberdade - Projeto final: - Processo de capacitação para fortalecimento e estruturação das oficinas da cadeia da moda; - Website de cadastro de varejistas e de oficinas formalizadas, para possibilitar a conexão entre os dois lados; - Conselho do projeto formado por varejistas, centros de apoio e donos de oficinas. - Diagnóstico Externo : pesquisa de partes interessadas, entrevistas em profundidade com imigrantes que atuam em oficinas de costura, entrevistas com centros de suporte a imigrantes, com donos de oficinas e com grandes marcas de varejo. - Percepções: - Pessoas envolvidas não se percebem na situação de trabalho análogo à escravidão; - Muitos dos donos das oficinas não possuem condições para se legalizar e falta suporte - Os grandes varejistas terceirizam a produção por meio de intermediários – a aproximação entre varejistas e oficinas legalizadas poderia ajudar.
  35. 35. Passo 2: Análise de Dados (p.29) Análise do Estado Futuro Análise do Estado Atual
  36. 36. Gerenciamento das Partes Interessadas (p.124) Para quê? Identificação Análise Envolvimento Comunicação
  37. 37. Interessados no projeto Identificação dos Interessados (p.124) Usuários Governança Fornecedores Influenciadores Dependentes Sustentadores Contexto do Projeto Interessados no projeto Pontos positivos Sucessos ecapacidade Pportunidades evisão da comunidade Ambiente biológico/físico Redes organizacionais Infraestrutura Instituições jurídicas, policiais epolíticas Condições sociais e culturais - Verificar sobreposição; - Dividir categorias; - Mudança dos interessados Importante: P
  38. 38. Identificação dos Interessados • Beneficiarão diretamente dos produtos e/ou serviços do projeto.Usuários • Interesse em como as coisas são gerenciadas . Pode incluir: Comissões, grupos de coordenação, patrocinadores, Auditores e reguladores; Financiadores Interessados da Governança • Participam ativamente no trabalho do projetoFornecedores • Capacidade de mudar a direção do projeto (mídia local, funcionários do governo, interessados comerciais e líderes de comunidade) Influenciadores • Querem algo do projeto além do produto ou serviço final planejado (outros projetos ou unidades que precisam de um dos resultados/produtos do projeto) Dependentes • Apoiar o produto após a conclusão do projetoSustentadores
  39. 39. Análise dos Interessados (p.126) Mapear Diagrama de Venn Explorar Matriz das Partes Interessadas
  40. 40. Projeto Delta: Diagrama de Venn (p.127) (A partir da perspectiva das famílias de pescadores) Governo local – serviços de saúde e saneamento Agência de Proteção Ambiental Departamento de Pesca Cooperativas de pesca Fornecedores de peixes Famílias de pescadores Domicílios urbanos como consumidores Análise preliminar: Voluntário(a) ??? Indústria X
  41. 41. Projeto Delta: Diagrama de Venn (p.127) Governo local – serviços de saúde e saneamento Agência de Proteção Ambiental Departamento de Pesca Cooperativas de pesca Fornecedores de peixes Famílias de pescadores Domicílios urbanos como consumidores Análise preliminar: O setor X é muito influente, mas remoto. A APA é remota e intimamente alinhada com os interesses da indústria. As cooperativas de pesca representam os interesses dos pescadores e têm um relacionamento próximo com os varejistas. O Departamento de Pesca tem influência na lista Indústria X (A partir da perspectiva das famílias de pescadores)
  42. 42. Diagrama de Venn – Passo a passo Identificar em relação a qual parte interessada será feito o diagrama de Venn. Geralmente é interessante fazer em relação aos beneficiários diretos, em relação à equipe executora do projeto, ou em relação ao contratante. São estas que acabam dando informações mais úteis para a realização do projeto. Mas o Diagrama de Venn pode ser feito em relação a outras as partes (um diagrama para cada) envolvidas no projeto. Convidar as pessoas relevantes para desenvolver o Diagrama de Venn. Se for em relação aos beneficiários, convide-os (ou um grupo deles). Se for em relação à equipe, convide-a. Convide sempre um número de pessoas que possa participar de um processo de facilitação (de acordo com o número de facilitadores). Quais materiais? Utilize flipchart, canetinhas e post-its. A utilização de um quadro branco também pode ser bastante útil!
  43. 43. Diagrama de Venn – Como facilitar? 1. Questione os convidados sobre quais são as organizações, instituições ou órgãos relevantes em relação ao assunto/problema do projeto. Faça uma lista destas organizações. 2. Faça uma marcação no flipchart ou no quadro branco indicando a parte interessada em relação a qual as outras estão sendo analisadas. 3. Aloque a posição das outras partes interessadas em relação à parte central. A distância entre a atuação e a proximidade delas no dia-a-dia deve ser expressada pela alocação no Diagrama. Isto é, aquelas que estão mais próximas (que possuem boa relação, que desenvolvem atividades em conjunto, com comunicação fluida) deverão ser colocadas mais próximas no diagrama também. Aquelas que estão distantes (que a comunicação não é fluida, com comunicação ruim, sem atividades em conjunto) deverão ser representadas com distância no diagrama. 4. Depois, o grupo definirá o tamanho de cada parte interessada. O tamanho identifica a influência que a parte interessada tem em relação ao assunto/problema do projeto. Quanto maior o círculo, maior a influência que a instituição/organização/órgão terá para resolver ou atrapalhar na resolução do problema. 5. Por último, valide o Diagrama com os participantes!
  44. 44. Diagrama de Venn – Projeto Acesso à Água Diagrama de Venn – Projeto Acesso à Água Indústria de plantação de eucaliptoPrefeitura local Famílias da comunidade de Atoleiro Igrejas ONGs Escolas Exemplo de uma comunidade no município de Veredinha Vale do Jequitinhonha – MG. O diagrama foi construído a partir da reflexão sobre a redução de água naquele município, tendo em visto que as plantações de eucalipto têm utilizado grande parte da água nos reservatórios, mananciais e lençóis freáticos. Quais conclusões tiramos deste Diagrama de Venn?
  45. 45. Conclusões Diagrama de Venn • 1- As famílias demonstram forte relação com Igrejas, ONGs e Escolas, ou seja, pode-se dizer que há uma relação saudável entre esses atores na temática e que precisa ser potencializada (análise pela proximidade dos círculos); • 2- As famílias demonstram fraca relação com prefeitura e indústria, ou seja, pode-se dizer que a relação está enfraquecida e precisa ser trabalhada (análise pela distância dos círculos); • 3- Na visão das famílias, a Igreja, ONGs e escolas não têm “poder” e influência para resolver o problema (análise pelo pequeno tamanho dos círculos); • 4- Para as famílias, a prefeitura e indústria têm poder e influência para atuar na resolução daquele problema (análise pelo tamanho grande dos círculos).
  46. 46. Matriz de análise das partes interessadas (p.128) Características básicas e interessados Benefícios e como eles são afetados pelo problema Capacidade e motivação para viabilizar mudanças Ações possíveis para tratar dos benefícios dos interessados Famílias de pescadores 20.000 famílias, trabalhadores de baixa renda, empresas familiares de baixa produção, organizadas em cooperativas informais. Mulheres envolvidas ativamente no processamento de peixes • Manter e melhorar o meio de subsistência • A poluição está afetando o volume e a qualidade da pesca • A saúde da família está sofrendo, especialmente mães e crianças • Profundo interesse em medidas de controle da poluição Influência política limitada, dada a fraqueza da estrutura organizacional • Capacidade de apoio para organizar e fazer lobby • Reduzir a poluição Identificar e desenvolver fontes alternativas de renda Indústria têxtil Operação industrial de média escala, mal regulamentada e sem sindicatos. Bem relacionada com o partido governista. Registro ambiental ruim • Manter/aumentar lucros • Uma certa preocupação com a imagem pública • Preocupação com custos dos regulamentos ambientais em vigor • Ter recursos financeiros e técnicos para empregar tecnologias novas e mais limpas • Motivação atual limitada para a mudança • Aumentar a conscientização do impacto social e ambiental • Mobilizar a pressão política para influenciar o comportamento da indústria • Fortalecer e pôr em prática as leis ambientais Casas 45.000 casas descartam lixo doméstico no rio que também é usado como fonte de água potável e para pesca • Consciência da poluição da indústria têxtil e do impacto na qualidade da água • Quer descartar o próprio lixo longe de casa Quer acesso à água limpa • Compreensão limitada do impacto da saúde de seu próprio descarte de água/lixo doméstico • Parecem dispostos a pagar por melhores serviços de gerenciamento de resíduos • Aumentar a consciência das implicações de suas próprias práticas de descarte de resíduos • Trabalhar com as comunidades e o governo para tratar de problemas de saneamento e de água.
  47. 47. Gerenciamento das Partes Interessadas Identificação Análise Envolvimento Comunicação Identificação e Desenho Planejamento
  48. 48. O que você achou? Compartilhe conosco sua opinião sobre a sessão de hoje: http://www.surveygizmo.com/s3/2160098/PMD-Pro1-Sess-o-01
  49. 49. O que vimos hoje? • Matriz valor, complexidade, riscos • Projetos x Programas x Portfólios • Gestão de projetos, programas, portfólios • Ciclo de vida de projetos e como os ciclos interagem • Princípios do gerenciamento de projetos • Identificação e Desenho do Projeto • Coleta de dados • Necessidades de Bradshaw • Gerenciamento das partes interessadas
  50. 50. Até a próxima!

×