Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Testesdiagnóstcos22 05

Related Audiobooks

Free with a 30 day trial from Scribd

See all
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Testesdiagnóstcos22 05

  1. 1. Testes diagnósticos Roberto de Andrade Medronho Faculdade de Medicina UFRJ
  2. 2. Processo de decisão clínica que baseia-se, conscientemente ou não, em probabilidade Uso dos testes diagnósticos Identificar/confirmar a presença de doença ou situação relacionada à saúde Avaliar a gravidade do quadro clínico Estimar o prognóstico Monitorar a resposta a uma intervenção DIAGNÓSTICO
  3. 3. AS APARÊNCIAS PARA A MENTE SÃO DE QUATRO TIPOS • As coisas são o que parecem ser, • ou são e não parecem ser; • ou não são, mas parecem ser, • ou não são, nem parecem ser. Epictetus, Séc. II D.C.
  4. 4. A Relação entre Parecer e Ser Não são mas parecem ser São mas não parecem ser Não são e nem parecem ser As coisas são o que parecem serParecer + - Ser + -
  5. 5. Falso positivo Falso negativo Verdadeiro negativo Verdadeiro positivo Teste + - Doença + - A Relação entre Teste e Doença
  6. 6. DOENÇA Sensibilidade = a / (a + c) Especificidade = d / (b + d) Sensibilidade e Especificidade
  7. 7. Sensibilidade (S): é a probabilidade de um teste dar positivo na presença da doença, isto é, avalia a capacidade do teste detectar a doença quando ela está presente. S = ca a + Especificidade (E): é probabilidade de um teste dar negativo na ausência da doença, isto é, avalia a capacidade do teste afastar a doença quando ela está ausente. E = db d +
  8. 8. Uso dos testes Sensíveis  Necessário para o diagnóstico de doença potencialmente grave  Afastar doenças em fase inicial do diagnóstico  O resultado negativo é mais útil: melhor VPN Específicos  Particularmente necessário quando um resultado falso positivo pode ser muito lesivo  Confirmar um diagnóstico sugerido por outros dados  O resultado positivo é mais útil: melhor VPP Obs: os testes sensíveis também são úteis no rastreamento (screening) de doenças em grupos populacionais
  9. 9. DOENÇA VPP = a / (a + b) VPN = d / (b + d) Valor preditivo
  10. 10. Valor preditivo positivo (VPP): é a proporção de verdadeiros positivos entre todos os indivíduos com teste positivo. Expressa a probabilidade de um paciente com o teste positivo ter a doença. VPP = ba a + Valor preditivo negativo (VPN): é a proporção de verdadeiros negativos entre todos os indivíduos com teste negativo. Expressa a probabilidade de um paciente com o teste negativo não ter a doença. VPN = dc d +
  11. 11. DETERMINANTES DO VALOR PREDITIVO  sensibilidade  especificidade  prevalência da doença na população →probabilidade pré-teste  valores preditivos positivo e negativo →probabilidade pós-teste P)(1E)(1P)(S PS VPP −×−+× × = P)(1EPS)(1 P)(1E VPN −×+×− −× =
  12. 12. Valor preditivo positivo em função da prevalência 0% 20% 40% 60% 80% 100% 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35% 40% 45% 50% Prevalência VP+ S=99%; E=99% S=95%; E=95% S=70%; E=99% S=99%; E=70%
  13. 13. Valor preditivo negativo em função da prevalência 0% 20% 40% 60% 80% 100% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% Prevalência VPN S=99%; E=99% S=95%; E=95% S=70%; E=99% S=99%; E=70%
  14. 14. Valor Preditivo Varia com a prevalência (probabilidade pré-teste) da doença Para um mesmo teste, quanto maior a prevalência maior o VPP e menor o VPN Faixa ideal de uso do teste: prevalência entre 25% e 65% Quanto mais sensível, melhor o VPN Quanto mais específico, melhor o VPP
  15. 15. Variação dos valores preditivos de um teste com sensibilidade e especificidade de 90%, segundo a prevalência da doença
  16. 16. TE para diagnóstico DC, meta-análise: sensibilidade = 70% e especificidade = 80% Gianrossi et al, 1989
  17. 17. Probabilidade pré-teste (%) para diferentes tipos de dor torácica em diversos grupos populacionais* Sexo Idade Dor torácica não anginosa Angina atípica Angina pectoris típica Mulher 30-39 anos 1 4 26 Mulher 60-69 anos 19 54 91 Homem 30-39 anos 5 22 70 Homem 60-69 anos 28 67 94 *Adaptado de Sackett et al. 6
  18. 18. DOENÇA Razão de verossimilhança pos: a / a + c b / b + d Razão de verossimilhança neg: c / a + c d / b + d Chance ou Odds = p / 1-p Razão de Verossimilhança
  19. 19. RAZÃO DE VEROSSIMILHANÇA É definida como a razão entre a probabilidade de um determinado resultado de um teste diagnóstico em indivíduos portadores da doença e a probabilidade do mesmo resultado em indivíduos sem a doença Para um teste dicotômico (positivo/negativo): Razão de verossimilhança para o teste positivo (RV+): expressa quantas vezes é mais provável encontrar um resultado positivo em pessoas doentes quando comparado com pessoas não doentes RV+ = Razão de verossimilhança para o teste negativo (RV-): expressa quantas vezes é mais provável encontrar um resultado negativo em pessoas doentes quando comparado com pessoas não doentes RV- =
  20. 20. DOENÇA Prevalência: a + c a + b + c + d Acurácia: a + d a + b + c + d Outras medidas
  21. 21. Distribuição dos valores sangüíneos de glicose em uma população normal e diabética Hipotética Real
  22. 22. Efeito da definição de diferentes níveis de glicemia nos resultados falso positivo e falso negativo
  23. 23. Ponto de corte com o mínimo erro possível
  24. 24. Trade-off entre sensibilidade e especificidade no diagnóstico de diabetes
  25. 25. Curva ROC da glicemia pós-prandial (2h) mg/100mL
  26. 26. Curva ROC Sensibilidade (Proporçãodeverdadeiropositivo) 1-especificidade (Proporção de falso positivo)
  27. 27. TESTES EM PARALELO Diagnóstico rápido. Ex: situações de emergência O resultado positivo é considerado se um dos dois testes resultar positivo +++ = BATp  onde, Tp+ = teste em paralelo positivo A+ = resultado positivo do teste A B+ = resultado positivo do teste B Sensibilidade combinada dos testes em paralelo pode ser calculada utilizando-se as regras para o cálculo da probabilidade para a união de dois eventos independentes: Sp = SA + SB – SA x SB onde, Sp = sensibilidade combinada dos testes em paralelo SA = sensibilidade do teste A SB = sensibilidade do teste B O resultado negativo dos testes em paralelo somente será considerado se os dois testes resultarem negativos. Assim, utilizando-se as regras para o cálculo da probabilidade condicional, a especificidade combinada dos testes em paralelo pode ser calculada como: Ep = EA x EB onde, Ep = especificidade combinada dos testes em paralelo EA = especificidade do teste A EB = especificidade do teste B
  28. 28. Teste S (%) E (%) VPP (%) VPN (%) A 80 70 22,86 96,92 B 90 90 50 98,78 A e B 98 63 22,74 99,65 Sensibilidade, especificidade e valores preditivo positivo e negativo dos testes A, B e da combinação em paralelo de A e B
  29. 29. TESTES EM SÉRIE Processos diagnósticos que não requerem urgência. Ex: pacientes de ambulatórios ou internados para investigação diagnóstica Usados também em casos de testes que são muito caros ou que oferecem risco para o paciente Os testes são aplicados seqüencialmente e o segundo teste somente será aplicado se o primeiro resultar positivo +++ = BATp  onde, Tp+ = teste em série positivo A+ = resultado positivo do teste A B+ = resultado positivo do teste B A sensibilidade combinada dos testes em série pode ser calculada utilizando-se as regras para o cálculo da probabilidade para a interseção de dois eventos: Ss = SA x SB onde, Ss = sensibilidade combinada dos testes em série SA = sensibilidade do teste A SB = sensibilidade do teste B A especificidade combinada dos testes em série pode ser calculada, utilizando-se as regras para o cálculo da probabilidade, da seguinte forma: Es = EA + EB - EA x EB onde, Es = especificidade combinada dos testes em série EA = especificidade do teste A EB = especificidade do teste B
  30. 30. Teste S (%) E (%) VPP (%) VPN (%) A 80 70 22,86 96,92 B 90 90 50 98,78 A e B 72 97 72,73 96,89 Sensibilidade, especificidade e valores preditivo positivo e negativo dos testes A, B e da combinação em série de A e B
  31. 31. “Medicina é a arte da incerteza e a ciência da probabilidade” William Osler

    Be the first to comment

    Login to see the comments

Views

Total views

1,265

On Slideshare

0

From embeds

0

Number of embeds

78

Actions

Downloads

13

Shares

0

Comments

0

Likes

0

×