A COMUNICAÇÃO NA ERA DIGITAL Como a internet está mudando o comportamento e a relação empresa-funcionário-sociedade Setemb...
A banda Restart exemplifica o novo conceito de estética para os adolescentes. Esta reflexão atinge vários campos, entre el...
NOVOS CONCEITOS Os personagens Shreek e Fiona representam a nova estética dos ídolos, que não precisam mais ter corpos esc...
NOVOS CONCEITOS O chef de cozinha espanhol Ferran Adriá dono do badalado restaurante El Bulí, transforma texturas sólidas ...
NOVOS CONCEITOS Dentro desta linha de pensamento, também surge um novo conceito, uma ideia diferente que temos sobre vário...
NOVOS CONCEITOS São imagens das sedes do Google e do Facebook no Vale do Silício. Elas revelam que as organizações mudaram...
PÓS – MODERNIDADE
Novo e remodelado indivíduo, que busca romper com o tempo, com o espaço e com as coisas, tais como as conhecemos. É um ind...
<ul><li>Redistribuição e realocação dos poderes de derretimento – Estado, Igreja, Imprensa, Família. Nem um molde está sen...
<ul><li>Todas essas novas configurações do ambiente social global vão exigir das organizações novas posturas, necessitando...
<ul><li>Globalização </li></ul><ul><li>Diversidade </li></ul><ul><li>Preocupações éticas </li></ul><ul><li>Responsabilidad...
<ul><li>Visão de comunicação marcada pela flexibilidade e diferença; </li></ul><ul><li>Linguagem e negociação social do si...
<ul><li>Transformação para conhecimento e informação como forma mais importante de capital da organização; </li></ul><ul><...
UM NOVO PARADIGMA Ferramenta Forma de comunicação Característica Atores Fala Um para um Comunicação horizontal Emissor e r...
<ul><li>O uso de ferramentas 2.0 representa uma prática revolucionária? </li></ul><ul><li>Exemplos: Vaticano e monarquia b...
INFORMAÇÃO COMUNICAÇÃO COMO PRODUTO  UNIDIRECIONALIDADE PARADIGMA ASCENDENTE E DESCENDENTE  DADOS RESTRIÇÃO DE INFORMAÇÃO ...
EMPREGADO PÚBLICO INTERNO LUTA PELO PODER CENTRALIZAÇÃO ESTRUTURAS GIGANTES COMPETIÇÃO INFORMAÇÃO DIRETOR FOCO NA HIERARQU...
<ul><li>Acesso e disponibilidade (dados) </li></ul><ul><li>Igualdade (aproximar quem produzir de quem consome) </li></ul><...
<ul><li>A chegada de uma nova tecnologia de comunicação que quebra paradigmas induz mudanças na maneira de gerar conhecime...
<ul><li>Não é fácil ser 2.0; </li></ul><ul><li>2.0 não é uma única voz; </li></ul><ul><li>É difícil estabelecer comunicaçã...
REDE MUNDIAL DE GENTE
<ul><li>BAUMAN, Zigmunt.  Identidade. Rio de Janeiro: JZE, 2005. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.  </li><...
Rodrigo Padron 11 8294 4127 | 11 3323 1656  [email_address]  e @Padron Blog:http://pontodedesequilibriorp.blogspot.com
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

A comunicação na era digital - Como a internet está mudando o comportamento e a relação empresa-funcionário-sociedade

5,500 views

Published on

A comunicação na era digital - Como a internet está mudando o comportamento e a relação empresa-funcionário-sociedade

  1. 1. A COMUNICAÇÃO NA ERA DIGITAL Como a internet está mudando o comportamento e a relação empresa-funcionário-sociedade Setembro 2011
  2. 2. A banda Restart exemplifica o novo conceito de estética para os adolescentes. Esta reflexão atinge vários campos, entre eles, a moda, a partir da diversidade de cores das roupas, com seus cortes justos, do próprio corte de cabelo, que rompe com a ideia de linearidade. NOVOS CONCEITOS
  3. 3. NOVOS CONCEITOS Os personagens Shreek e Fiona representam a nova estética dos ídolos, que não precisam mais ter corpos esculturais, cabelos louros e olhos claros. A nova estética está na bandeira, na causa levantada.  
  4. 4. NOVOS CONCEITOS O chef de cozinha espanhol Ferran Adriá dono do badalado restaurante El Bulí, transforma texturas sólidas em líquidas ou espumas. A gastronomia ganha uma nova leitura.
  5. 5. NOVOS CONCEITOS Dentro desta linha de pensamento, também surge um novo conceito, uma ideia diferente que temos sobre vários outras coisas, como família.
  6. 6. NOVOS CONCEITOS São imagens das sedes do Google e do Facebook no Vale do Silício. Elas revelam que as organizações mudaram em vários aspectos: nos modelos de negócios, nas relações de hierarquia interne e externa e assim por diante.
  7. 7. PÓS – MODERNIDADE
  8. 8. Novo e remodelado indivíduo, que busca romper com o tempo, com o espaço e com as coisas, tais como as conhecemos. É um indivíduo em crise, que procura nas suas relações a sua identidade e pertencimento, que não são definitivas nem sólidas, mas negociáveis e revogáveis. Tudo depende das decisões que o indivíduo toma, do caminho que percorre e da maneira como age. Morre o indivíduo limitado pelas ideologias, O homem cada vez mais senhor de sua própria existência.
  9. 9. <ul><li>Redistribuição e realocação dos poderes de derretimento – Estado, Igreja, Imprensa, Família. Nem um molde está sendo quebrado sem que seja substituído por outro; </li></ul><ul><li>Consagração da possibilidade de viver sem sentido, não crer na existência de um único e sentido categórico, mas de aposta na construção permanente de sentidos múltiplos, provisórios, individuais, grupais ou simplesmente fictícios; </li></ul><ul><li>Momento marcado pela informação abundante, pela expressão, pelas múltiplas identidades.Isso atenua nossas angústias pela busca sistemática da identidade que desconhecemos e de elementos que nos insiram socialmente. </li></ul>O indivíduo em crise
  10. 10. <ul><li>Todas essas novas configurações do ambiente social global vão exigir das organizações novas posturas, necessitando elas de um planejamento mais apurado da sua comunicação para se relacionar com os públicos, a opinião pública e a sociedade em geral; </li></ul><ul><li>Neste contexto aparece a tecnologia, que, entre outras coisas, potencializa os encontros e as trocas de afetos entre as pessoas e coisas, facilitando a comunicação e fomentando relacionamentos. Ou seja, o modo de se produzir e de se veicular as mensagens organizacionais passam por profundas transformações; </li></ul><ul><li>O ambiente organizacional, principalmente a partir dos anos 90, vem sendo afetado por esta nova dinâmica de processamento imposta por novas tecnologias da informação e da comunicação. </li></ul>IMPACTOS NAS ORGANIZAÇÕES
  11. 11. <ul><li>Globalização </li></ul><ul><li>Diversidade </li></ul><ul><li>Preocupações éticas </li></ul><ul><li>Responsabilidade social </li></ul><ul><li>Velocidade de resposta </li></ul><ul><li>Crises organizacionais </li></ul><ul><li>Rápidos avanços em tecnologia </li></ul><ul><li>Ascensão do e-business </li></ul>Exigência que se impõe: ambientes mutáveis, ágeis e dinâmicos. Desenvolvimento de novos processos : estrutura, tecnologia e recursos humanos. Fonte: Os desafios da comunicação interna na Pós-Modernidade (Marlene Marchiori) ESTAMOS VIVENDO UMA ÉPOCA DE GRANDES MUDANÇAS
  12. 12. <ul><li>Visão de comunicação marcada pela flexibilidade e diferença; </li></ul><ul><li>Linguagem e negociação social do significado assumem posição fundamental, já que influenciam as percepções dos que estão envolvidos em diálogos organizacionais.; </li></ul><ul><li>Aspectos que as organizações pós-modernas estimulam: </li></ul><ul><ul><li>Processo democrático informal, emergente e baseado em consenso; </li></ul></ul><ul><ul><li>“ Empowerment ” que propicia o desenvolvimento da pró-atividade dos funcionários; </li></ul></ul><ul><ul><li>Relacionamentos complexos nos quais funcionários cultivam educação, </li></ul></ul><ul><ul><li>Reflexividade e criatividade a serviço do desempenho organizacional; </li></ul></ul><ul><ul><li>Diversidade e diferença, entre outras características. </li></ul></ul><ul><li>A partir do momento em que se altera o discurso, a realidade está sendo modificada </li></ul>A PÓS-MODERNIDADE Fonte: Os desafios da comunicação interna na Pós-Modernidade (Marlene Marchiori)
  13. 13. <ul><li>Transformação para conhecimento e informação como forma mais importante de capital da organização; </li></ul><ul><li>Crescente expectativa dos trabalhadores por trabalho significativo e oportunidades de crescimento pessoal e profissional; </li></ul><ul><li>Perspectivas do passado não fornecem um mapa para conduzir as organizações atuais; </li></ul><ul><li>Gerentes podem e devem projetar e conduzir novas respostas para um mundo radicalmente novo. </li></ul>Estes aspectos reafirmam que o ser humano é o principal canal dos acontecimentos nas organizações, sendo a interação humana questão primordial. DESAFIOS ORGANIZACIONAIS ATUAIS Fonte: Os desafios da comunicação interna na Pós-Modernidade (Marlene Marchiori)
  14. 14. UM NOVO PARADIGMA Ferramenta Forma de comunicação Característica Atores Fala Um para um Comunicação horizontal Emissor e receptor na mesma hora e local Escrita Um para muitos Comunicação vertical Emissor e receptor em locais diferentes Ambiente de rede Muitos para muitos Comunicação multidirecional Emissor e receptor em locais diferentes, com a possibilidade da interação
  15. 15. <ul><li>O uso de ferramentas 2.0 representa uma prática revolucionária? </li></ul><ul><li>Exemplos: Vaticano e monarquia britânica usam mídias sociais; </li></ul><ul><li>Por que instituições como estas adotaram algo supostamente tão inovador? </li></ul><ul><li>Muitas organizações adotam ferramentas 2.0 sem modificar suas culturas; </li></ul><ul><li>Um modelo de participação, colaboração e interação </li></ul><ul><li>Por onde devemos começar? Pela cultura das empresas; </li></ul><ul><li>O fato de uma organização ter ferramentas 2.0 não significa que ela esteja fazendo uma comunicação inovadora, contemporânea. </li></ul><ul><li>Não se trata de uma visão tecnológica </li></ul>Cultura é comunicação em movimento MAIS SOBRE A CULTURA ORGANIZACIONAL 2.0 Fonte: Internal Communication 2.0 (Alejandra Formanchuk)
  16. 16. INFORMAÇÃO COMUNICAÇÃO COMO PRODUTO UNIDIRECIONALIDADE PARADIGMA ASCENDENTE E DESCENDENTE DADOS RESTRIÇÃO DE INFORMAÇÃO MEDIA FOCADA NA DIVULGAÇÃO MODELOS ESTÁTICOS LÓGICA DO BROADCASTING DIÁLOGO COMUNICAÇÃO COMO PROCESSO BIDIRECIONALIDADE NETWORK SIGNIFICADO, RELEVÂNCIA INTELIGENCIA COMPARTILHADA MEDIA FOCADA NA INTERAÇÃO ARQUITETURA DE PARTICPAÇÃO INTERAÇÕES DESCENTRALIZADAS A LÓGICA 1.0 PARA A 2.0
  17. 17. EMPREGADO PÚBLICO INTERNO LUTA PELO PODER CENTRALIZAÇÃO ESTRUTURAS GIGANTES COMPETIÇÃO INFORMAÇÃO DIRETOR FOCO NA HIERARQUIA RESPEITO OBTIDO PELA POSIÇÃO BUROCRACIA ERRAR É PROIBIDO ESTILO ADMINISTRATIVO REPETIÇÃO DE TAREFAS ORDENS LÓGICA LINEAR OBSESSÃO PELA REDUÇÃO DE GASTOS SIM, SENHOR COLABORADOR ATOR MULTIDIMENSIONAL MUDANÇA DE PODER DESCENTRALIZAÇÃO UNIDADES MÓVEIS COOPERAÇÃO DIÁLOGO FACILITADOR FOCO NO TALENTO RESPEITO CONQUISTADO PELA CAPACIDADE CAMINHOS LIVRES APRENDER COM AS FALHAS E TENTAR OUTRA VEZ ESTILO EMPREENDEDOR INCONFORMISMO E CRIATIVIDADE CONSTRUÇÃO DE ALIANÇAS MAPA MENTAL PAIXÃO PELA CRIAÇÃO DE VALOR POR QUE?
  18. 18. <ul><li>Acesso e disponibilidade (dados) </li></ul><ul><li>Igualdade (aproximar quem produzir de quem consome) </li></ul><ul><li>Usabilidade (diminuir a falta de técnica) </li></ul><ul><li>Envolvimento (criar, enriquecer, distribuir, discutir e reformular) </li></ul><ul><li>Interação (maximizar) </li></ul><ul><li>Construção coletiva e colaboração (dar voz para quem está na base da pirâmide) </li></ul><ul><li>Ouvir, responder e agir (expressão) </li></ul><ul><li>Respeito e redução do ego (respeitar e valorizar a opinião do outro) </li></ul><ul><li>Redução do controle (+ liberdade) </li></ul><ul><li>Desintermediação e horizontalidade (nova arquitetura de comunicação) </li></ul>UMA POSTURA 2.0
  19. 19. <ul><li>A chegada de uma nova tecnologia de comunicação que quebra paradigmas induz mudanças na maneira de gerar conhecimento; </li></ul><ul><li>O novo meio de comunicação apenas potencializa o novo, mas não o concretiza; </li></ul><ul><li>Há sempre uma primeira tentativa de utilizar o novo meio como se fosse igual ao anterior; </li></ul><ul><li>A difusão do novo meio não é natural: tem de ser incentivada; </li></ul><ul><li>Um grupo conservador tentará minimizar o potencial do novo meio; </li></ul><ul><li>Novos paradigmas de comunicação marcam fortes mudanças sociais. </li></ul>AS LIÇÕES APRENDIDAS
  20. 20. <ul><li>Não é fácil ser 2.0; </li></ul><ul><li>2.0 não é uma única voz; </li></ul><ul><li>É difícil estabelecer comunicação 2.0 se a cultura for 1.0; </li></ul><ul><li>Organizações podem ser 2.0 sem ferramentas digitais; </li></ul><ul><li>Não há estratégia de comunicação 2.0, mas uma estratégia de comunicação; </li></ul><ul><li>Uma mensagem tola será sempre uma mensagem tola. </li></ul>COMPARTILHANDO ALGUNS PENSAMENTOS
  21. 21. REDE MUNDIAL DE GENTE
  22. 22. <ul><li>BAUMAN, Zigmunt. Identidade. Rio de Janeiro: JZE, 2005. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001. </li></ul><ul><li>____________. Modernidade Líquida. Zahar, 2001. </li></ul><ul><li>CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. Economia, sociedade e cultura. 9. ed. - atualizada. Vol. 1. São Paulo: Paz e Terra, 2006. </li></ul><ul><li>____________. A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Trad. Maria Luiz X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003. </li></ul><ul><li>CAVALCANTI , Marcos, O Conhecimento em rede. Rio de Janeiro. Elsevier, 2007. </li></ul><ul><li>LÉVY, Pierre. O que é o virtual? Trad. de Paulo Neves. 4. reimpr. Rio de Janeiro: Editora 34, 2001. </li></ul><ul><li>____________.Cibercultura. 1ª Ed. São Paulo. 1ª ed. São Paulo: Editora 34, 1999. </li></ul><ul><li>SAAD, Elisabeth Corrêa. Comunicação digital: uma questão de estratégia e de relacionamento com públicos. Organicom - Revista Brasileira de Comunicação Organizacional e relações Públicas. São Paulo: Gestcorp-ECA-USP, a. 2, n.3, p. 95-111, .2. sem. 2005. </li></ul><ul><li>TAPSCOTT, Don. A Hora da Geração Digital. São Paulo: AGIR, 2010. </li></ul>REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
  23. 23. Rodrigo Padron 11 8294 4127 | 11 3323 1656 [email_address] e @Padron Blog:http://pontodedesequilibriorp.blogspot.com

×