Palestra - prevençao ao uso de drogas

7,125 views

Published on

  • Be the first to comment

Palestra - prevençao ao uso de drogas

  1. 1. DROGAS: FATORES DE PROTEÇÃO E FATORES DE RISCO Fernanda Broll Carvalho Promotora de Justiça
  2. 2. <ul><li>Quando os antigos queriam exemplificar a virtude por todo o reino, primeiro organizavam seus Estados. </li></ul><ul><li>Para organizar bem seus Estados, primeiro orientavam suas famílias. </li></ul><ul><li>Para orientar suas famílias, primeiro cultivavam suas personalidades. </li></ul><ul><li>Para cultivar suas personalidades, primeiro mudavam seus corações. </li></ul><ul><li>Para mudar seus corações, primeiro buscavam a sinceridade em seus pensamentos. </li></ul><ul><li>Para buscar a sinceridade em seus pensamentos, primeiro buscavam o verdadeiro conhecimento dentro da alma. </li></ul><ul><li>Tendo buscado o verdadeiro conhecimento na alma, eles tornaram seus pensamentos sinceros. </li></ul><ul><li>Com os pensamentos sinceros, seus corações foram mudados. </li></ul><ul><li>Com os corações mudados, suas personalidades se transformaram. </li></ul><ul><li>Com as personalidades transformadas, suas famílias ficaram bem orientadas. </li></ul><ul><li>Com as famílias bem orientadas, os Estados foram bem governados. </li></ul><ul><li>Com os Estados bem governados, o Reino ficou em paz. ( O Caminho da Virtude, de James Vollbracht, 2005, contra-capa) </li></ul>
  3. 3. FATORES DE PROTEÇÃO CONTRA O USO DE DROGAS <ul><li>Estabilidade do ambiente familiar e social </li></ul><ul><li>Alto grau de motivação (“famílias guerreiras” </li></ul><ul><li>Forte vínculo pai-filho(a) </li></ul><ul><li>Disciplina e monitoramento constante por parte dos pais </li></ul><ul><li>Vinculação do jovem com instituições sociais (pertencimento ao grupo) </li></ul><ul><li>Amigos que não usam drogas </li></ul><ul><li>Campanhas antidrogas (programas de prevenção nas escolas) </li></ul><ul><li>(SIMKIM – 2002) </li></ul><ul><li>A primeira droga usada pelo jovem brasileiro é a bebida alcoólica e, nesta faixa etária, é ILÌCITA. </li></ul><ul><li>Se vivemos numa sociedade que dificulta/impede o acesso ao álcool, estaremos dificultando o acesso dos jovens a outros tipos de drogas. </li></ul>
  4. 4. FATORES DE RISCO <ul><li>São o contrário dos fatores de proteção. O mais importante é a QUALIDADE DA VINCULAÇÃO PARENTAL. </li></ul><ul><li>Restaurar os fatores de proteção e minimizar os fatores de risco. </li></ul><ul><li>(FERGSON – 2005) </li></ul>
  5. 5. INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS <ul><li>PREDICADOS NECESSÁRIOS NOS PROFISSIONAIS </li></ul><ul><li>Empatia com adolescentes (reconciliação com a própria adolescência) </li></ul><ul><li>Capacidade diagnóstica tanto sobre o consumo de drogas quanto de comorbidades </li></ul><ul><li>Domínio de técnicas motivacionais para “ganhar” o paciente para o tratamento </li></ul><ul><li>Domínio de técnicas cognitivo-comportamentais para a manutenção da abstinência </li></ul><ul><li>Capacidade de acolhimento, abordagem e tratamento da família </li></ul><ul><li>Domínio da farmacoterapia para as comorbidades (ex.: TDAH) </li></ul><ul><li>Domínio de psicodinâmica para a elaboração dos processos de separação/individualização inerentes a adolescência. </li></ul>
  6. 6. SEQUÊNCIA DO TRATAMENTO <ul><li>Desintoxicação e formulação diagnóstica do paciente e de sua família </li></ul><ul><li>Motivação para manter-se abstêmio, de álcool, inclusive </li></ul><ul><li>Tratamento das comorbidades </li></ul><ul><li>Abordagem da família. Se necessário, terapia familiar para redefinição de papéis </li></ul><ul><li>Terapia congitivo-comportamental para a manutenção da abstinência </li></ul><ul><li>Psicoterapia psicodinâmica (resolução de conflitos inerentes a faixa etária). </li></ul>
  7. 7. CONDIÇÕES PRÉVIAS PARA PSICOTERAPIA <ul><li>Estar desintoxicado </li></ul><ul><li>Ter diagnóstico encaminhado e estar tratado as comorbidades </li></ul><ul><li>Estar motivado </li></ul><ul><li>Família abordada e motivada. </li></ul>

×