Como planejar/projetarde forma mais sustentável?

551 views

Published on

Como planejar/projetarde forma mais sustentável?

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
551
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Como planejar/projetarde forma mais sustentável?

  1. 1. 9/6/2011COMO planejar/projetar de forma + sustentável ? Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 1
  2. 2. 9/6/2011 Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011DIMENSÕES SUSTENTABILIDADE Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 2
  3. 3. 9/6/2011 DESENVOLVIMENTO DESENVOLVIMENTO ECOMONICO SUSTENTÁVEL A necessidade para o desenvolvimento econômico com eqüidade sócio- econômicaDESENVOLVIMENTO CONSERVACIONISMOECONOMIA SOLIDÁRIA DESENVOLVIMENTO DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO ECOLÓGICO As necessidades para a justiça ECOLOGIA A necessidade de proteçãosocial e diversidade cultural para PROFUNDA dos ambientes naturaiscapacitar/habilitar comunidades como: ar, água, solo e locais para expressar seus biodiversidade, sobre os valores nas soluções destas quais todos nós dependemos questões Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 Para considerar o ambiente construído + sustentável é essencial analisar os benefícios propiciados para a sociedade como um todo e verificar o raio de abrangência das contribuições para a cidade Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 3
  4. 4. 9/6/2011 PROCESSO DE PROJETO: FLUXOS SUSTENTABILIDADE ENTRADAS RECURSOS NATURAIS TERRA – ÁGUA – ALIMENTO - ENERGIA MATERIAIS CONSTRUÇÃO – OUTROS... DINÂMICA DOS ASSENTAMENTOS PRIORIDADES TRANSPORTE QUALIDADE ECONÔMICAS - CULTURAIS SAÚDE SAÍDAS VIDA ????? EMPREGO RESÍDUOS RENDA EDUCAÇÃO MORADIA ATIVIDADES DE LAZER CICLOS DOS FLUXOS OCORREM ACESSIBILIDADE EM MÚLTIMPLAS DIREÇÕES QUALIDADE DESIGN URBANO COMUNIDADE Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011ETAPA DE ETAPA DEPROJETO CONSTRUÇÃO PÓS-OCUPAÇÃO SUSTENTABILIDADE ARQ. Renzo Piano (Bern, 2005) Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 4
  5. 5. 9/6/2011 Processo de projeto: ESCALAS DE ABRANGÊNCIA• Quando projetamos um assentamento humano, sejam edificações e/ou espaços abertos, não podemos limitarmos a PLANEJÁ-LA E construí-la isoladamente >Planejamento sistêmico engloba observações em diferentes escalas - ESPACIAL E TEMPORAL global regional local PASSADO PRESENTE FUTURO Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 Processo de projeto: ESCALAS DE ABRANGÊNCIA• o planejamento dos problemas relacionados ao ambiente construído, visa estruturar o processo de busca a uma solução mais adequada a cada realidade – Cada padrão de design é específico a cada contexto sócio-ambiental e existe no contexto global, somente se estiver apoiado por outros padrões RUAS VEGETADAS ESTUFA: FRIO E CALOR BONS MATERIAISCIDADES E DETALHESCOMUNIDADES KUHN, 2006 Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 5
  6. 6. 9/6/2011 > Práticas sustentáveis se caracterizaram por apresentar uma maior aproximação da arquitetura e da construção com a natureza e com o homem. ambientes construídos de menor impacto sócio-ambiental APRENDER COM O PASSADO…PENSANDO NO FUTURO Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011> A identificação do fluxo de recursos necessários para as atividades humanas no ambiente construído objetiva proporcionar evidências (fontes de dados) que podem garantir maior eficácia e eficiência nas decisões referentes ao desenvolvimento de projetos.> Decisões que são parte TÉCNICAS PARTICIPATÓRIA Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 6
  7. 7. 9/6/2011ESTRUTURAÇÃO DOS REQUISITOS DE PROJETO SOCIAL AMBIENTAL Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 REQUISITOS E PARÂMETROS DE PROJETO > Proteção e restauro das paisagens naturais > Conexões mais eficientes/eficazes > Tecnologias mais eficientes/eficazes > Padrões de design para os assentamentos humanos definidos a partir de critérios locais, dentro da perspectiva global Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 7
  8. 8. 9/6/2011 Estratégias para comunidades mais sustentáveisTelhados convencionais x Coberturas “funcionais” (coletores de água,placas solares, isolamento térmico e vegetação, além de áreas deatividade ao ar livre). Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 Estratégias para comunidades mais sustentáveis Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 8
  9. 9. 9/6/2011 Estratégias para comunidades mais sustentáveisRefúgio Binacional Bela Vista Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 Estratégias para comunidades mais sustentáveis Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 9
  10. 10. 9/6/2011 Estratégias para comunidades mais sustentáveis PAISAGISMO PRODUTIVO Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011> Proteção e restauro das águas – Coleta e tratamento de esgotos sanitários – Manejo dos resíduos sólidos> Gestão das águas potáveis/naturais – Drenagem natural – Aproveitamento águas pluviais – Tecnologias + eficientes – Reuso das águas servidas: cinzas e negras/amarelas Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 10
  11. 11. 9/6/2011Estratégias para comunidades mais sustentáveis APROVEITAMENTO DA ÁGUA DA CHUVA Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 Estratégias para comunidades mais sustentáveis PAVIMENTOS E TELHADOS PERMEÁVEIS Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 11
  12. 12. 9/6/2011Estratégias para comunidades mais sustentáveis GESTÃO DE ÁGUAS DE PRECIPITAÇÃO Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011Estratégias para comunidades mais sustentáveis GESTÃO DAS ÁGUAS CINZAS Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 12
  13. 13. 9/6/2011 Estratégias para comunidades mais sustentáveis BANHEIROS SECOS Clivus Multrum Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011> Redução das emissões de gases à atmosfera – Uso de fontes de energia de menor impacto> Redução do consumo energético – Uso de energia renovável: solar; eólica; biomassa; geotérmica... – Padrões de design bioclimático – Medição e controle do consumo energético> Promoção conforto ambiental – Padrões de design bioclimático Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 13
  14. 14. 9/6/2011 Estratégias para comunidades mais sustentáveis ECOHOUSEOxford, Inglaterra Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 Estratégias para comunidades mais sustentáveis Uma visão sistêmica para as cidades Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 14
  15. 15. 9/6/2011 Estratégias para comunidades mais sustentáveisPLEA 1997 KUSHIRO Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 Estratégias para comunidades mais sustentáveis Na casa foram utilizados 258 tanques de água colocados sob o piso. Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 15
  16. 16. 9/6/2011 Estratégias para comunidades mais sustentáveis BIOMASSA, PARA AQUECIMENTO DE ÁGUA, PREPARAÇÃO DE ALIMENTOS E AQUECIMENTO AMBIENTAL Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011> Proteção e restauro recursos naturais – Reduzir usos – Preferir materiais de baixo impacto – Reutilizar materiais – Reciclar componentes e materiais – Manejo e gestão resíduos sólidos> Promover a economia local – Materiais de origem local – Reduzir rotas de distribuição> Prolongar vida útil do ambiente construído – Durabilidade materiais – Verificar manutenção: custos a longo prazo Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 16
  17. 17. 9/6/2011 Estratégias para comunidades mais sustentáveisFARDOS DE PALHAReal Good Solar Living CenterCalifórnia - EUA BAMBU Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 Estratégias para comunidades mais sustentáveis TERRA e MADEIRA The chapel of Reconciliation | Alemanha Arquitetos: Rudolf Reiterman and Peter Sassenrath Ms. Arq. Patrícia de Freitas Nerbas | 2011 17
  18. 18. 9/6/2011Os princípios apresentados AMBIENTE HUMANOrepresentam um primeiro passo no processo dedesenvolvimento dos projetospara a construção de cidades + sustentáveis AMBIENTE NATURAL Objetivando a construção coletiva, através da qual as pessoas tornam-se gradualmente mais conscientes das relações entre o AMBIENTE CONSTRUÍDO Juntos, ESTAMOS INICIANDO UM LONGO PERÍODO DE TRANSIÇÃO…percorrendo um caminho que depende exclusivamente do somatório dos nossos padrões individuais! OBRIGADA POR SUA PARTICIPAÇÃO !!! patriciafnerbas@terra.com.br 18
  19. 19. 9/6/2011 REFERÊNCIAS> BARROS, R. Habitação coletiva: a inclusão de conceitos humanizadores noprocesso de projeto. Campinas, 2008. Tese (Doutorado) - Faculdade deEngenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo, Universidade Estadual deCampinas. Defendida em 13/10/2008.> LAMBERTS, R.; Dutra, L. & Pereira, F.O.R, [1997] Eficiência energética naarquitetura, PW Editores.> Roaf, Sue. Ecohouse: a casa ambientalmente sustentável. 2. ed. PortoAlegre : Bookman, 2006. 408 p., il.> SATTLER, M.A. Habitação de baixo custo mais sustentáveis: a casa Alvorada eo Centro Experimental de tecnologias habitacionais sustentáveis. Porto Alegre:ANTAC, 2007. Coleção Habitare.www.rmi.orghttp://www.villagehomesdavis.org/www.global-award.orgwww.cushwake.com.brWWW.HOLCIM.COM.BR 19

×