Desenho infantil

2,366 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,366
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
11
Actions
Shares
0
Downloads
52
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Desenho infantil

  1. 1. 24-11-2010 Desenho "Antes eu desenhava como Rafael, mas precisei de toda uma existéncia para aprender a desenhar como as criangas". (Picasso) Descoberta de um Universo: A Evolugéio do Desenho Infantil O estudo do desenho infantil da crianga comegou apés a Revolugéo francesa, o que significa que anda ligado aos principios da liberdade. A partir desta altura a crianga deixa de ser vista como um adulto em ponto pequeno que era necessério criar com todos os requintes da educagao autoritéria. A educagfio comega a ir de encontro ao interesse natural da crianga, de forma a torna’-Ia feliz. M I ‘B"r A’ ; p: ‘‘‘* . t L V} M ' I ‘K
  2. 2. “ pl-1-jI= a|;4:: z;49~ : (C| ‘,l-3‘! -7134:1311 oiiaislnnoihs em; :: §3-, ‘5:? “‘iI (Ian; aux I. mr: _» 9l~,1!I! lI€. ?l! in'l= .L cII; |'l; ' an-1a; tuIu: uI 9* o: I;mInvmIvnnu; anmI o: I=. I:. 1hr: :uI-: I=. n:Ia: - u= _IitIIn. lLt oZI= .I cm= .|nLc; :L nib o: I;m; - ! I-,1?-. |’r‘iI xapliaum-Fa-19». m : .|nI. ‘-, fl;nii; ‘ _o§I; m;- pnmnmuar‘ ; « QI-aaanxvlgllvtar : I:Fi= .IcuIIo: I:, n1I; I.-; Iii ? ;IIiiI; ‘.. Lhmn VI. -_-7; elm = .I . *In’. =.IILej¢, I II’r-WI‘? -' . I.nm racnpnaniia vr. -,r_fl9e~ €l! l‘9‘ .1: AII;4I. m: , oI-.1-: I:I;4-1;4»: . -‘(Kai-. Inu-‘. lanI gum I4 L‘E‘Im gmoiia ale: -lInI= .|r».1t. ~ =1 -In= IoL-,5: : : 0II; |~‘lE| I'l! lIVl: lP«'1a. 9» gm; px9xc1l-. - ihvgam-Ia. film é 9I‘? ar; I9t; I~| 'u: a n| !Ii’t= .u = » nuIi‘t; n; ! l!I‘; l-_‘lI5T; l€« I-it; glmnuqwar : - a~,1‘iln| qII= .|r gnu-In: !'. I;&s1-3-IIlvlollvflnililniiefl Alfoual-. ;‘ :11‘ Cl-? l‘p1ILi‘. {iI " C3 5l§. I!l! f§li. I!lL. -619» 9I9l! II'g'19)l_I; 'gIr' 91 . ‘-aniline an giia, -mnxvtgllvtgut ‘rant: 01;: §L'13l§ll, =,lr‘ gm; 3.: u: .Iiuu; v_4;a 9» Iavtalla am nmm; m‘i(g+ gnmgdm 3. ma Vial? -.‘l; l §lIlIll%| Iii. =|IliI! i an ’9lI= .IIl’i= .L. vn. rI~x: - ililt-'. I|l! iI9I. oitalltorzu-iI. =.Iu'nn-. auI'xa Ski 191|’nr: .L-I . -Iaterzn-_-I . . -9° l= .l-. 'l, |l'sW(? *5"‘iL. ‘iiII‘Ill. lIfo‘ "II. Ioihw. |I. t=. |ni‘(g«‘Iur -, ;.1,o: gxnIn*= Jnx= ,m. "
  3. 3. 24-11-2010 - A crianga tem de viver o seu mundo, o mundo infantil, que deve exigir ao adulto respeito e compreensao. ° A crianga tem de experimentar, manipular, fazer, descobrir. ‘. ,z~, : Desenho Infantil O desenho infantil é uma das principais manifestagfies da crianga. A Iinguagem gréfica, tal como a Iinguagem oral, é uma das formas que a crianga tem de comunicar com os outros. Através dela mostra o seu proprio modo de pensar, aprender e brincar. Os desenhos das criangas, $50 importantes nao como ”obras de arte”, mas sim como reflexo do seu pensamento e sentimento da crianga.
  4. 4. 24-11-2010 0 Educador de lnféncia e o Assistente de Acgfio Educativa ao formar a crianga, devem criar condigoes para que surjam aprendizagens, orienté-la, fornecer estratégias, materiais para que a crianga adquira a aprendizagem por si propria. Para desenvolver competéncias é necessa'rio colocar o aluno em situagoes complexas, que exigem e treinam a mobilizagao dos seus conhecimentos: um enigma a descobrir, um problema a resolver, uma decisao a tomar, um projecto a conceber e desenvo| ver. " (Perrenoud, 2001223) As creches, os jardins de infancia e os Atl, bem apetrechados, com espagos bem planeados, organizados, dao plena satisfagao as necessidades das criangas. Devem criar-Ihes interesse e, portanto, despertar-Ihe a curiosidade é rf§jmu<1§r—| hes o desejo de saber e agir. .; K-5.‘ z&' 3%‘ v «"'~
  5. 5. 24-11-2010 0 desenho é uma actividade ltidica - As criangas gostam de desenhar, sem demonstrar aborrecimento. ° As criangas demonstram grande interesse em desenhar se Ihe for dada toda a liberdade. ' N50 tem dificuldades. ° N50 necessitam de pedir ajuda nem informagoes ao professor. ° Desenham com prazer. Uma crianga que nao gosta de desenhar revela anomalia, 3 LI r NI rp I“ s»*_ ‘ M *~ 1%-. |o ewe necessita de observagfio clinica.
  6. 6. IIEI7iEiI‘II<I', 9‘ = « I-‘hail: dbl: ‘i: Inr-mm ; {=l0=ii| .fl= l>$ -*IIn| ,o)I= l-‘I drum = .I'IIliI= _I -iI: a-1,-nnvnoit-1: oil: armiimtau Iuumou. an -m= .m-ran 1;. m-n= r: 9|: hernia: -itm , -rapral : — nu-, o:r. : ‘(claim 91 -I-mm , -r-In-. _n -it-rm: -Iir= .Ip. . I= m:, IIL-: =.IoI-Il--are-inL¢= rdI-3:. yr-lI= .I-H, -r= .Il= r-ilar->-= --l‘olE.1-I. IE! 3: pllllllsilr-, |»‘»«; a|l'; ll| .lh| ;‘»~f€I! I-Illlilzls I! )Il;4Ii! lIjIlIl': II»'»-gala. smu: !"‘(§ll'Il, Ilgr VF-X9»~, ~l'gt irmu-, Iuo; I9- --m-I. II= .n= r»--g. plolr"I10IL_él%r‘? :-lilililliv-illlr‘II)! Iolil-'filIIliI99lalIliI= -lliiilfi. o(ol| |g| uI‘L<i‘lolI_: :I rumm : or: .1:m. -I oiI= L1=nIim. ~. am. :I Ini: nLg= ."ro vii: t= |,onm1II. mr r= _II;4-I III l= L‘lpl= lTl: _I m=4l‘mrr 0): . nnfiiaw. dim ',0l= .|,0I= lL I: | ojI: L1:uI‘m> emu .1=l‘r"I| |.| I'Ir= .I| lI+-I(oII'II ‘9I= ll| l2|~} fold-, Lo; u.~, , _-r: r.1-tong» : IIOIIIIIOI ‘- IRJILL . . (VIII III 1.. , - __: uuui - II| I““I. ::= I I r. e:«~$so: ;w” 2 | n_ ‘ IIIII * ; for I ewe!
  7. 7. De 4 a 5 anos El E uma fase de temas cléssicos do desenho infantil, como paisagens, casinhas, flores, super-hero'is, veiculos e animais El Varia no uso das cores e procura um certo realismo. CI Figuras humanas jé dispéem de novos detalhes, como cabelos, pés e m5os, e a distribui<;5o dos desenhos no papel obedecem a uma certa légica, do tipo céu no alto da folha. El Aparece ainda a tendéncia a antropomorfizacéo, ou seja, a emprestar caracteristicas humanas a elementos da natureza, como o famoso sol com olhos e boca. Esta tendéncia deve se estender até 7 ou 8 anos. 24-11-2010
  8. 8. 24-11-2010 De 5 a 6 anos Os desenhos sempre se baseiam em roteiros com comego, meio e fim. Figuras humanas aparecem vestidas. Grande aten(;5o a detalhes como as cores. Os temas variam e o facto de n50 terem nada a ver com a vida dela 5230 um indicio de desprendimento e capacidade de contar historias sobre o mundo. '5-nor _— ‘,5-h
  9. 9. De 7 a 8 anos CI 0 realismo é a marca desta fase, em que surge também a no<;50 de perspectiva, ou seja, os desenhos da crianga ja d5o uma impressao de profundidade e distancia. El Extremamente exigentes, muitas criangas deixam de desenhar, se acharem que seus trabalhos n50 ficam bonitos. Nota: O importante é respeitar os ritmos de cada crianga e permitir que ela possa desenhar livremente, sem intervengéo directa, explorando diversos materiais, suportes e situagoes. Sintese: El Em todas as fases deve ser fomentando o sentido estético, o gosto pelo belo. CI A expressao artistica deve ser considerada como um registo da sua personalidade, pelo que favorecer as suas experiéncias, é ajudar o seu desenvolvimento. CI 0 Assistente deve encorajar, animar, estimular a crianga a desenhar por si proprla, de forma livre para criar, exprimir ideias, cultivar 0 individualismo e originalidade e n50 ser levada a desenhar a imitar/ copiar e usar livros para colorir. El N50 se deve desenhar para a crianga, n50 alterar 0 trabalho da crianga, nem auxiliar, mas ajuda—| a a clarificar o seu pensamento por meio de oerguntas sobre as / suas ideias para que ela se orgulhe do seu trabalho final. 24-11-2010
  10. 10. 24-11-2010 Materiais e Técnicas ". ..O instrumento, seja ele um lépis, caneta, giz ou pincel faré manchas caracteristicas da sua natureza e estrutura e 0 material ou meio manifestaré uma resposta conforme a sua natureza. .." Maurice de Sausmarez ). _, VJ‘, -lg->‘. ". -¢_-«_, [,; _r’E-4. ': :_: ’5<(‘4s-A ', 1 I Quando existe um interesse especial da crianga pelo desenho, pode-se orienté-la acerca de algumas técnicas, oferecendo-Ihe diferentes materiais para que os prove. A técnica, no que ser refere ao dominio instrumental, n50 necessita ser ensinada. Adquire-se com a prética e experiéncia. A crianga que gosta muito de desenhar, cada vez se sentira atraida por outros materiais, e assim ira' crescendo neste mundo t5o magico que é o desenho. Conhega alguns materiais: Lépis de cera: por ser de facil e cémodo de manejar, é o lépis ideal para os primeiros "desenh0s” das criangas. Pode-se encontrar la'pis de cera de distintas formas. Com pontas finas ou arredondadas, e de todas as cores. 10
  11. 11. 24-11-2010 Giz: é um material suave, Ieve e que se quebra com facilidade, por isso exige alguma habilidade nas criangas para sua uti| iza;5o. Normalmente a partir dos dois anos é interessante oferecer giz e um quadro 5 crianga, pois ajudara a crianga controlar a intensidade do seu trago. Marcadores de texto: 550 de distintas cores e grossuras. S50 ideais para os tragos e contornos, e podem ser utilizados em todo tipo de papel. Permite controlar a press5o muscular, desenvolver a coordenagao e exercitar o sentido de responsabilidade. Edificil de apagar, e por isso exige muita responsabilidade. rm 11
  12. 12. Pintura com 0 pincel a mate: é muito divertida sua uti| iza<;50 para as criangas. Permitem-lhes criar novos efeitos, descobrir as mesclas de cores, adquirir novos movimentos de coordenagao, exercer distintas pressées do trago, etc. Ao pintar com a m5o, a crianga estaré criando uma interac;50 fisica e directa com 0 material. Desfrutaré de sentidos como o tacto e aroma e favoreceré seu sentido de exp| orar;5o. i i 1:. r» I i" Nota: Em todo caso, as criangas reagir50 sempre de diferentes #3? dependendo do tipo de material que utilizem. E2 i Em conc| us5o 0 Desenho infantil é uma Iinguagem que a crianga usa para se exprimir. 24-11-2010 12

×