Educação matemática

2,560 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,560
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
843
Actions
Shares
0
Downloads
48
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Educação matemática

  1. 1. EDUCAÇÃO MATEMÁTICA
  2. 2. A Educação Matemática é o estudo das relações de ensino e aprendizagem de Matemática. Desde o início do século XX professores de matemática se reúnem para pensar o ensino dessa matéria nas escolas. E a partir da década de 50, a Unesno organiza congressos sobre educação matemática. E a partir da década de 70 surge, inicialmente na França, a didática da matemática enquanto campo para a organização dos estudos a cerca do ensino da matemática.
  3. 3. Dentro do processo ensino-aprendizagem, a Matemática também passa por várias dificuldades, entre elas, de como ensiná-la de maneira mais clara e acessível aos alunos, e como provocar nos alunos interesse para o aprendizado. O professor tem que ter em mente, qual tipo de conhecimentos, habilidades, atitudes e valores se pretende formar nas novas gerações, levando em conta necessidades individuais, as demandas do processo produtivo e as exigências do exercício de uma cidadania plena.
  4. 4. Assim um repensar sobre o assunto passa a ser requerido, novos debates, novas idéias, novas articulações, novas buscas, novas reconstruções, com base em novos fundamentos, inicia-se um processo de mudança conceitual, de um modelo para outro, e procurar meios para solucionar a falha no ensino da Matemática, buscando uma metodologia que permita representar a ação do professor com todos os seus múltiplos objetivos e retrate a dinâmica da interação entre professor e aluno, tentando novas formas de aprendizagem para o aluno desenvolver um pensamento indutivo e dedutivo capaz de resolver situações-problema, tanto na escola como no cotidiano.
  5. 5. No Brasil, como em outros países a Educação Matemática é um assunto de interesse de muitos pesquisadores que tentam desenvolver Metodologias que facilitem o processo ensino–aprendizagem, relacionando a Matemática com o dia a dia, entre elas temos: a Etnomatemática – cujo cerne é o respeito à cultura e origem dos alunos; a Modelagem Matemática - procura buscar algo próximo ao aluno e o modela matematicamente e, a Resolução de Problemas - busca adaptar as situações cotidianas do aluno.
  6. 6. RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS Um dos principais objetivos da resolução, segundo Dante (1998), é fazer com que o aluno pense produtivamente, o que é conseguido através de motivações e desafios que desenvolvam seu raciocínio lógico e sua criatividade. Trabalhar, com resolução de problemas, através da construção de soluções elaboradas pelos alunos exige dispêndio (consumo) de tempo, de prática e dedicação tanto por parte do aluno, como do professor.
  7. 7. HISTÓRIA DA MATEMÁTICA Conhecer a História da Matemática é tentar desvendar a produção desse conhecimento com todas as virtudes próprias da humanidade, com isso pelo conhecimento da História podemos perceber que a Matemática está relacionada com os mais variados campos do conhecimento incluindo as artes, as religiões e os ofícios.
  8. 8. Conhecer a história da matemática permite tentativas de pôr de pé situações didáticas mais pertinentes para conseguir aprendizagens, graças ao conhecimento que se pode ter sobre a origem da noção a ensinar, sobre o tipo de problema que ela visava resolver, as dificuldades que surgiram e o modo como foram superadas.
  9. 9. ETNOMATEMÁTICA A Etnomatemática é diferenciada da Matemática acadêmica, é aquela que surge no dia-a-dia e que num impasse gera curiosidade, interesse e necessidade de se resolver um problema e, a solução pode ser conseguida individual ou em grupo. Segundo D’ambrósio (1986) a Etnomatemática é a matemática praticada por grupos sociais, tribais, trabalhadores, moradores que partilham de diversas formas seus conhecimentos a partir de obstáculos surgidos no cotidiano.
  10. 10. MODELAGEM MATEMÁTICA A Modelagem Matemática é livre e espontânea, ela surge da necessidade do homem em compreender os fenômenos que o cercam para interferir ou não em seu processo de construção. Ao trabalhar Modelagem Matemática dois pontos são fundamentais: aliar o tema à ser escolhido com a realidade de nossos alunos e aproveitar as experiências extra- classe dos alunos aliadas à experiência do professor em sala de aula.
  11. 11. JOGOS NA MATEMÁTICA Os jogos, se convenientemente planejados, são um recurso pedagógico eficaz para a construção do conhecimento matemático. Referimo-nos àqueles que implicam conhecimentos matemáticos. O uso de jogos e curiosidades no ensino da Matemática tem o objetivo de fazer com que os adolescentes gostem de aprender essa disciplina, mudando a rotina da classe e despertando o interesse do aluno envolvido.
  12. 12. Unidade I: Objetivos do ensino de Matemática.  Objetivos da educação;  Objetivos da Educação Matemática na Escola de ensino Fundamental. Nos dias de hoje, muito tem-se falado dos objetivos da educação. Uns apontam para a formação de mão-de-obra qualificada, outros para manutenção da situação das classes sociais e diversos acham que a educação tem objetivo maior, a formação do cidadão universal sem descuidar do profissional.
  13. 13. Entretanto, cabe a pergunta: como formar o cidadão universal sem descuidar do profissional, com a velocidade que as mudanças sociais e tecnológicas vêm ocorrendo? A resposta esta no desenvolvimento da autonomia competente dos indivíduos, pois uma pessoa autônoma é capaz de tomar decisões a partir de suas analises, e sempre encontram caminhos para superar os obstáculos apresentados no cotidiano da sua vida profissional ou social.
  14. 14. Para que o ensino da Matemática possa contribuir na formação de um cidadão autônomo competente são necessárias entre outras coisas, as seguintes:  Que o educando tenha participação ativa no processo ensino-aprendizagem;  Que a experiência de vida do educando seja parâmetro para adoção de metodologia;  Que a memorização de resultados seja conseqüência do uso compreensivo dos mesmos.
  15. 15. TEMAS PARA O SEMINÁRIO Tema I: Parâmetros Curriculares Nacionais (Matemática de 5ª a 8ª séries) 1.1. Apresentação; 1.2. Matemática no ensino fundamental; 1.3. Terceiro ciclo; 1.4. Quarto ciclo; 1.5. Orientações didáticas para terceiro e quarto ciclos.
  16. 16. Tema II: Ensino de Aritmética 2.1. Objetivos de ensino de Aritmética no nível fundamental; 2.2. Obstáculos ao ensino de Aritmética; 2.3. Resolução de Problemas Aritméticos; 2.4. Alternativas metodológicas para o ensino da Aritmética.
  17. 17. Tema III: Ensino de Geometria 3.1. Objetivos do ensino de Geometria no nível fundamental; 3.2. Obstáculos ao ensino da Geometria; 3.3. Níveis de van Hiele; 3.4. Alternativas metodológicas para o ensino da Geometria.
  18. 18. Tema IV: O Ensino da Álgebra. 4.1. Objetivos do ensino de Álgebra no nível fundamental; 4.2. Obstáculos ao ensino da Álgebra; 4.3. Alternativas metodológicas para o ensino da Álgebra.
  19. 19. Tema V: O Ensino do Tratamento de Informação. 5.1. Objetivos do ensino do Tratamento da Informação no nível fundamental; 5.2. Obstáculos ao ensino do Tratamento da Informação; 5.3. Alternativas metodológicas para o ensino do Tratamento da Informação.

×